Pesquise no Leitora Viciada

12 de dezembro de 2012

30 bibliotecas públicas maravilhosas

Bibliotecas são espaços de cultura, conhecimento e lazer para Leitores Viciados, embora não sejam tão frequentadas e bem cuidadas como deveriam em muitos locais.
Verdadeiros templos do conhecimento, algumas construções que abrigam livros pelo mundo afora impressionam pela sua beleza e magnitude, outras pela quantidade de itens e ainda as que surpreendem pelo valor histórico. Algumas bibliotecas públicas são tão bonitas e imponentes que merecem uma postagem especial.
São um exemplo e uma atração fantástica!
Depois de selecionar 30 livrarias e sebos interessantes15 lindas bibliotecas particulares, mostro a vocês 30 bibliotecas públicas maravilhosas:



Biblioteca Nacional da Bielorrússia
Minsk, Bielorrússia


Uma das bibliotecas mais distintas da lista, a Biblioteca Nacional da Bielorrússia é moldada como um rombicuboctaedro. O edifício tem 22 andares e foi inaugurado em 2006, embora a biblioteca esteja em operação desde 1922.
É a biblioteca de registros autorais dos autores da Bielorrússia e uma atração turística em Minsk, com uma plataforma de observação e concertos públicos em seu gramado.
A Biblioteca possui mais de 8 milhões de itens, e tem a terceira maior coleção de obras russas do mundo.




Biblioteca do Vaticano
Cidade do Vaticano, Roma


A Biblioteca do Vaticano é a biblioteca da Santa Sé e uma das mais antigas do mundo. Foi criada em 1475, mas existia em formas primitivas desde o início da Igreja Católica. A biblioteca adicionou à sua coleção itens valiosos ao longo dos anos, principalmente através de doações e presentes.
Detém atualmente mais de 1,1 milhões de livros, 75 mil manuscritos e mais de 8.500 incunábulos. A biblioteca possui o mais antigo manuscrito completo da Bíblia e muitas outras importantes obras medievais.




Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos
Washinghton, Estados Unidos


A Biblioteca do Congresso é a biblioteca nacional dos Estados Unidos e a mais antiga instituição federal cultural no país. É composta por três edifícios diferentes e é a maior biblioteca do mundo, contando prateleiras e número de volumes. É aberta ao público, mas por ser a instituição de pesquisa do Congresso apenas os membros do mesmo (e juízes da Suprema Corte e alguns outros funcionários do Governo) podem levar os livros.
A biblioteca é impressionante: possui mais de 32 milhões de livros, mais de 61 milhões de manuscritos, um rascunho da Declaração da Independência, uma cópia perfeita do pergaminho da Bíblia de Gutenberg, mais de 1 milhão de jornais dos últimos três séculos, mais de 5 milhões de mapas, 6 milhões de peças de partituras, e mais de 14 milhões de fotos e impressões!



Biblioteca Bodleiana da Universidade de Oxford
Oxford, Inglaterra


A Biblioteca Bodleiana é a biblioteca da Universidade de Oxford. Foi criada em 1602, tornando-se uma das mais antigas bibliotecas da Europa. Ela tem mais de 11 milhões de itens, e muitos, muitos itens de importância histórica, incluindo quatro exemplares da Carta Magna, uma Bíblia de Gutenberg, e o Primeiro Folio de Shakespeare (1623.)
A biblioteca é constituída por vários edifícios, talvez o mais interessante visualmente seja a Câmara Radcliffe, construído em 1737-1749 para a casa de Biblioteconomia do Radcliffe. É a mais antiga biblioteca circular na Inglaterra, e já apareceu em vários filmes, incluindo O Enigma da Pirâmide (Young Sherlock Holmes, 1985), O Santo (The Saint, 1997), O Violino Vermelho (The Red Violin, 1998) e A Bússola de Ouro (The Golden Compass, 2007).



Biblioteca da Abadia de Saint Gall
Saint Gallen, Suíça


A Biblioteca da Abadia de Saint Gall é a mais antiga biblioteca na Suíça e tem cerca de 160.000 volumes. A biblioteca foi fundada por São Othmar, que fundou a Abadia de St. Gall, em 719. Esta é uma das bibliotecas mais antigas de um mosteiro do mundo, e detém manuscritos tão antigos, alguns do século VIII.
A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura  a nomeou "Patrimônio Mundial da Humanidade" em 1983, chamando-a de "um exemplo perfeito de um grande mosteiro carolíngio".
Muitos dos raros manuscritos que a biblioteca possui podem ser acessados através deste site, e o público é convidado a usar a biblioteca, embora livros anteriores a 1900 somente possam ser lidos no local.



Sala de Leitura do Museu Britânico
Londres, Inglaterra


A Sala de Leitura do Museu Britânico é encontrada no centro do Grande Tribunal do Museu Britânico. A estrutura tem um teto abobadado e feito de uma espécie de papel machê. Durante grande parte da história do local, o acesso foi concedido apenas para pesquisas registradas, e durante este período muitas figuras notáveis ​​estudaram na biblioteca, incluindo Karl Marx, Oscar Wilde, Gandhi Mahatma, Rudyard Kipling, George Orwell, Mark Twain, Lenin, e H. G. Wells.
A coleção da biblioteca foi transferida para a nova Biblioteca Britânica em 2000, e a Sala de Leitura abriga agora um centro de informação e uma coleção com curadoria de livros relacionados à história, arte, viagens e outros assuntos relevantes para o da coleção do Museu Britânico.
Desde 2006 a Sala de Leitura abriga uma exposição centrada em torno do famoso Exército de Terracota chinês.



Biblioteca Beinecke de Manuscritos e Livros Raros da Universidade de Yale
New Haven, Estados Unidos


É o maior edifício do mundo que tem a finalidade expressa de preservação de livros raros e manuscritos. Partições da biblioteca são incríveis e incluem coleções especiais de vários escritores importantes, como Rudyard Kipling, D. H. Lawrence, Sinclair Lewis, e Joseph Conrad.
A área central das estantes da Beinecke é uma bela estrutura com paredes de vidro e iluminação suave que protegem as obras da luz direta.
A biblioteca é acessível ao público e o salão de exposição exibe muitas das obras raras da biblioteca, incluindo uma original Bíblia de Gutenberg.




Biblioteca Nacional de São Marcos
Veneza, Itália


A Biblioteca Nacional de São Marcos é um edifício renascentista e o lar de uma das coleções mais importantes de textos clássicos do planeta. A Biblioteca foi uma construção demorada e inaugurada em 1537, porém a coleção começou em 1468 quando o cardeal Bessarion foi presenteado com uma coleção de 250 manuscritos e 750 códices.
Em 1603 uma lei foi criada exigindo uma cópia de todos os livros impressos em Veneza para ser abrigado na Biblioteca Nacional. A Biblioteca hoje detém mais de um milhão de livros, mais de 13.000 manuscritos, quase 3.000 incunábulos e mais de 24.000 obras do século XVI.



Biblioteca Pública de Boston
Boston, Estados Unidos


A Biblioteca Pública de Boston foi criada em 1848 e desde então não para de crescer. Sua coleção atual possui 22 milhões de itens, o que a torna a segunda maior dos Estados Unidos.
A Biblioteca Central é composta por dois edifícios, o edifício Johnson e o Edifício McKim. Este abriga a coleção McKim da biblioteca de pesquisa e exposições. Foi construído em 1895 e contém muitas belas pinturas em exibição, incluindo a mais famosa de Edward Abbey que retrata a lenda do Santo Graal. A sala principal do edifício McKim é a Bates Hall.
A coleção de pesquisa da McKim é composta de mais de 1,7 milhões de raridades, incluindo muitos manuscritos medievais, incunábulos, escritos iniciais de Shakespeare que inclui um Primeiro Fólio, registros coloniais de Boston, uma grande coleção de Daniel Defoe, e as bibliotecas de muitos homens famosos da história, incluindo John Adams, William Lloyd Garrison, e Nathaniel Bowditch.



Biblioteca do Parlamento Canadense
Ottawa, Canadá


A Biblioteca do Parlamento em Ottawa é um marco canadense, tanto que adorna a parte detrás da nota de dólar canadense 10. O prédio foi inspirado na Sala de Leitura do Museu Britânico. As paredes da Biblioteca são apoiadas por 16 arcobotantes e a sala de leitura principal tem um teto abobadado complementando as paredes e pilhas com painéis de pinho branco e esculturas belos detalhes de flores, máscaras, texturas e criaturas míticas.
O acervo da Biblioteca é constituído de mais de 600.000 itens, com curadoria de uma equipe de 300. O acesso é normalmente restrito a atividade parlamentar canadense, mas excursões são frequentes.



Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra
Coimbra, Portugal


A Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra está em funcionamento desde o início do século XVI. Estoques para a biblioteca existem desde os anos 1513 e 1532, e mostram que a biblioteca realizou mais de 120 manuscritos.
Ela foi definitivamente estabelecida em 1537, e hoje possui mais de um milhão de livros, com um edifício separado para livros pré-século XIX. Esta é a Biblioteca Joanina e sua arquitetura é feita em estilo barroco majestoso. A Biblioteca está aberta diariamente ao público.



A Biblioteca Nacional de Singapura
Singapura, Singapura


A Biblioteca Nacional de Singapura está localizada em um edifício de 16 andares construído em 2005.
Possui mais de 200.000 livros e um centro de artes com um teatro com 615 assentos. O prédio é adornado com múltiplos jardins que apresentam vistas da cidade de Singapura.



Biblioteca Pública de Estocolmo
Estocolmo, Suécia


A Biblioteca Pública de Estocolmo é um dos edifícios mais notáveis ​​da cidade. A biblioteca foi inaugurada em 1928 e projetada por Gunnar Asplund, um dos mais importantes arquitetos modernos da Suécia. O interior da parte principal do edifício é uma sala circular, dando aos visitantes uma visão geral agradável de muitas das prateleiras da biblioteca ao longo das paredes.
A Biblioteca Pública de Estocolmo tem mais de 2 milhões de volumes e mais de 2,4 milhões de itens de mídia mista.



Biblioteca Rijkmuseum
Amsterdã, Países Baixos


A Biblioteca Rijkmuseum é parte do Museu Nacional Holandês localizado em Amsterdã. É focada em história da arte e possui mais de 350 mil volumes. O catálogo online da Biblioteca Rijkmuseum tem em exposição mais de 140.000 monografias, 20.000 catálogos de arte, e 3.200 revistas.
A biblioteca está aberta ao público e embora livros e revistas não possam ser levados, eles podem ser vistos na sala de leitura.



Biblioteca José Vasconcelos
Cidade do México, México


A Biblioteca José Vasconcelos, localizada na Cidade do México, infelizmente enfrentou alguns obstáculos em sua construção que levou ao seu fechamento por 22 meses, (de 2007 até 2008).
O prédio é fenomenal. O ex-presidente mexicano Vicente Fox disse que esta é uma das construções mais avançadas do século XXI. A biblioteca custou quase US$ 100 milhões para ser construída, e foi foi o maior investimento em infra-estrutura durante a administração de Fox (2000-2006).
As prateleiras e estantes da biblioteca são impressionantes e complementadas por várias esculturas incríveis, incluindo uma do artista Gabriel Orozco intitulada Ballena que é um esqueleto de baleia pintado genuíno.




Bibloteca Herzog August
Wolfenbüttel, Alemanha


A Biblioteca de Herzog August foi fundada em 1572 por um duque alemão e no século XVII foi uma das maiores bibliotecas da Europa.
A coleção da biblioteca possui mais de 900 mil livros, mais de um terço dos quais foram impressos entre os séculos XV e XVIII. A Biblioteca é conhecida internacionalmente por suas coleções da Idade Média e início da Europa moderna.



Biblioteca de Alexandria
Alexandria, Egito


A velha Biblioteca de Alexandria foi a maior biblioteca da antiguidade, e uma das Sete Maravilhas do Mundo. A nova Biblioteca de Alexandria é um memorial para a antiga biblioteca, e uma tentativa de recriá-la. A reconstrução custou US$ 220 milhões e foi concluída em 2002.
A biblioteca funciona como um centro cultural, e contém um planetário, um laboratório de restauração de manuscritos, galerias de arte e espaços de exposições, museus, um centro de conferências e bibliotecas de nicho para crianças, jovens adultos e cegos.
Atualmente, contém mais de 500.000 livros, mas há espaço para mais de 8 milhões, meta a ser atingida.




Biblioteca George Peabody da Universidade Johns Hopkins
Baltimore, Estados Unidos


A Biblioteca George Peabody é a biblioteca de pesquisa da Universidade Johns Hopkins, e pertencia  originalmente ao Instituto Peabody (de 1878 até 1967), uma instituição que era para ser um centro cultural para Baltimore. Quando se tornou propriedade da cidade de Baltimore integrou a Universidade Johns Hopkins em 1982, onde passou a ter coleções especiais da universidade.
Muitos dos títulos da coleção datam do século XIX e a biblioteca tem uma das coleções mais importantes do mundo de Dom Quixote.
O edifício foi descrito pelo primeiro reitor Peabody como uma "catedral de livros." O interior apresenta um átrio altíssimo, um piso de mármore preto e branco e muitas varandas e colunas douradas. A biblioteca está aberta para visitantes.




Biblioteca do Mosteiro Wiblingen
Ulm, Alemanha


O Mosteiro Wiblingen foi fundado em 1093 e remodelado em estilo barroco, no século XVII. A Biblioteca é notável para os historiadores de arte por causa de sua rica ornamentação e belo teto. Antes de entrar os visitantes da biblioteca veem a inscrição "Em quo omnes tesauros sapientiae et Scientiae", que significa "Aqui são armazenados todos os tesouros da sabedoria da ciência", uma citação perfeita para qualquer biblioteca. As pinturas da biblioteca estão cheias de imagens desconhecidas, tanto pagãs quanto cristãs, em perfeita harmonia. A Biblioteca está aberta para os passeios públicos guiados.




Biblioteca Chateau de Chantilly
Chantilly, França


A Biblioteca Chateau de Chantilly é parte de uma propriedade francesa, que também inclui uma das mais importantes galerias de arte da França. A parte principal da propriedade (Grand Chateau) foi construída em 1528-1531 com o outro edifício anexo (Petit Chateu) em 1560.
O Grand Chateau foi destruído durante a Revolução Francesa e, posteriormente, totalmente reconstruído (1875-1881).
A biblioteca contém mais de 1.300 manuscritos e 12.500 obras impressas, incluindo uma Bíblia de Gutenberg (um dos mais de 700 incunábulos da biblioteca), e cerca de 200 manuscritos medievais. Ela é muitas vezes aberta ao público para visitas guiadas.




Biblioteca Estadual de Victoria
Melbourne, Austrália


A Biblioteca Estadual de Victoria foi fundada em 1854 e agora detém mais de 1,5 milhões de livros, além de possuir coleções especiais que lidam com xadrez, as artes, as agendas dos fundadores de Melbourne, e os fólios do capitão James Cook.
A peça central da biblioteca é a Sala de Leitura LaTrobe, um amplo local crescente octogonal que tem espaço para mais de 1 milhão de livros e 500 pesquisadores/leitores.
No momento da conclusão, a Sala de Leitura LaTrobe era considerada a maior cúpula do mundo.




Biblioteca Pública de New York
New York, Estados Unidos


A Biblioteca Pública de New York é inspiradora em sua abrangência e amplitude. É a terceira maior biblioteca da América do Norte, tem mais de 50 milhões de itens em seu acervo servindo 3,5 milhões de pessoas. A Sala de Leitura Principal Rose tem janelas grandes e luminárias, bem como um belo teto dourado e pintado.
As coleções da biblioteca especiais incluem a primeira Bíblia de Gutenberg que chegou na América. Está presente em filmes diversos destacando O Dia Depois de Amanhã (The Day After Tomorrow, 2004) e Os Caça-Fantasmas (Ghostbusters, 1984).




Biblioteca do Mosteiro Strahov
Praga, República Tcheca


A Biblioteca do Mosteiro Strahov está contida dentro do mosteiro homônimo, que foi fundado em 1149. Os principais trechos da biblioteca são o Salão Teológico, construído em 1679, e da Câmara Filosófica concluída em 1779. O mosteiro foi ocupado pelo governo comunista a partir de 1950, e foi transformado no Museu de Literatura Nacional. Quando o regime comunista caiu do poder (1989) o mosteiro e a biblioteca foram devolvidos aos Premonstratenses, que a restauraram, levando à impressionante estrutura que pode ser vista hoje.
A biblioteca possui mais de 110.000 volumes, dos quais mais de 1200 são incunábulos.




Biblioteca do Mosteiro de Melk
Melk, Áustria


A Abadia de Melk foi fundada em 1089, e logo em seguida uma escola também foi criada, a qual levou à formação da biblioteca no século XII. A Biblioteca Melk rapidamente se tornou uma dos maiores detentoras de manuscritos do mundo, e também foi envolvida na produção de manuscritos.
Possui um teto alto adornado com belos afrescos pintados por Paul Troger.
É conhecida pela sua coleção de manuscritos medievais e também musicais raros de destaque.




Biblioteca de Livros Raros Thomas Fisher da Universidade de Toronto
Toronto, Canadá


A Biblioteca de Livros Raros Thomas Fisher é a maior coleção de livros raros no Canadá. Ela é filiada à Universidade de Toronto. A coleção inclui numerosas obras notáveis, incluindo O Princípio de Newton (1687), o Primeiro Fólio de Shakespeare, A Crônica de Nuremberg (1493), e uma barra cuneiforme babilônica que data de 1789 a.C. A biblioteca também contém uma coleção grande e notável doada por um homem chamado Robert S. Kenny, que era um membro do Partido Comunista do Canadá. A coleção é composta por mais de 25.000 itens que tratam de movimentos de trabalhadores em todo o mundo, com particular destaque para o Canadá.




Biblioteca Nacional da Áustria
Viena, Áustria


A  Biblioteca Nacional da Áustria é responsável pela coleta de todas as publicações que surgem no país. Ela possui muitas obras importantes, incluindo a principal coleção do mundo Globe, livros raros que datam do século IV, incluindo um item do Programa Memória do Mundo da UNESCO (o Dioscurides Viena, um manuscrito do século VI que lida com medicina e cura), e uma coleção de mapas, alguns do século XVI.




Biblioteca Real da Dinamarca
Copenhagen, Dinamarca


A Biblioteca Real da Dinamarca é a biblioteca nacional do país e foi fundada em 1648 por Frederico III. Possui todas as obras que foram impressas na Dinamarca desde o século XVII, e quase todos os livros já escritos em dinamarquês, desde a impressão do primeiro livro da Dinamarca em 1482. Ela é a maior biblioteca nos países nórdicos.
Muitas obras importantes estão armazenadas lá, incluindo a correspondência de Hans Christian Anderson, mapas históricos da região polar e a coleção de manuscritos Arnamagnæan, nomeado em homenagem ao estudioso islandês Arnas Magnæus que passou boa parte de sua vida construindo uma coleção de manuscritos da Islândia, da Noruega , Dinamarca e Suécia até sua morte em 1730.



Biblioteca Nacional da Espanha
Madri, Espanha


A Biblioteca Nacional da Espanha possui atualmente mais de 26 milhões de itens em seu acervo e uma ampla Sala de Leitura. É o 23º ponto turístico mais visitado em Madrid.
Foi fundada por Filipe V em final de 1711 e inaugurada em março de 1712 como Biblioteca Pública Real. Em 1836, a biblioteca deixou de ser propriedade da coroa, e foi transferida para o Ministério do Interior, e recebeu pela primeira vez o nome de Biblioteca Nacional. O edifício foi aberto ao público em 1896. Durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939) foram salvos mais de meio milhão de itens e levados para a biblioteca.
Contém manuscritos, incunábulos e impressos antigos de alto valor histórico como 26 impressos de Dom Quixote das edições dos séculos XVII-XX.



Biblioteca Nacional da Suécia
Estocolmo, Suécia


A Biblioteca Nacional da Suécia é responsável por manter um acervo de mais de 20 milhões de itens. Existe desde 1500 uma biblioteca que originou a atual. O acervo foi ampliado no início por compras de coleções de mosteiros suecos que foram dissolvidos durante a Reforma e mais tarde através de espólios da Guerra dos Trinta Anos. A biblioteca agregou a biblioteca de Würzburg e a biblioteca real de Praga durante esta guerra e, com isso, também obteve uma cópia do século XIII da Bíblia do Diabo.



Destaque:
Biblioteca Nacional do Brasil
Rio de Janeiro, Brasil



A Biblioteca Nacional do Brasil é considerada pela UNESCO uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo e a maior biblioteca da América Latina. O núcleo original de seu poderoso acervo é calculado hoje em cerca de 9 milhões de itens.
Sua origem vem desde a época colonial, em 1755. Depois com a mudança da família real e da corte portuguesa para o Rio de Janeiro em 1808, um acervo de 60.000 peças foi trazido ao Brasil, entre livros, manuscritos, mapas, estampas, moedas e medalhas. Em 1810 foi considerada oficialmente como a Real Biblioteca que, no entanto, só foi franqueada ao público em 1814.
Em 1821 a Família Real regressou a Portugal e levou de volta grande parte dos manuscritos do acervo. Depois da proclamação da independência, a aquisição da Biblioteca Real pelo Brasil foi regulada mediante a Convenção Adicional ao Tratado de Paz e Amizade celebrado entre o Brasil e Portugal, em 1825.


O crescimento constante e permanente do acervo da biblioteca foi fundamental para a realização de um projeto de construção de uma sede que atendesse a todas as necessidades da biblioteca, acomodando de forma adequada suas coleções. Foi projetado seu atual prédio e a inauguração se realizou em 29 de outubro de 1910, durante o governo Nilo Peçanha.
A atual sede da Biblioteca Nacional, cujo projeto do edifício é assinado pelo engenheiro Sousa Aguiar, tem um estilo eclético, no qual se misturam elementos neoclássicos e art nouveau, e contém ornamentos de vários artistas.
Fica situada na praça da Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro.
Possui ainda um Escritório de Direitos Autorais para registro e averbação de direitos de autor e também é a Agência Nacional do ISBN (International Standard Book Number).
A instituição coordena o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas e a política de incentivo à leitura através do Proler.
Possui coleções de enorme valor histórico e itens preciosos como um manuscrito evangeliário datado do século XI–XII. Exemplar em pergaminho com textos em grego, dos quatro evangelhos, letra semi-uncial e sendo o mais antigo manuscrito do acervo; Livro de Horas, pergaminho do século XV, letra gótica e em latim. As iniciais são decoradas a ouro e cores; mapas do Brasil de 1749; códices da administração colonial;  partituras e impressos originais antigos e raros, como a primeira edição de Os Lusíadas de 1572 e a Grammatica da Língua Portuguesa com os Mandamentos da Santa Madre Igreja de 1539.
Já visitei pessoalmente a Biblioteca Nacional e é um local belo e um patrimônio nacional que deixa qualquer visitante orgulhoso e admirado.
Site.

Gostaram? Então leia:
- 15 lindas bibliotecas particulares
- 30 livrarias e sebos interessantes do mundo e do Brasil


Fontes: Folha de S. Paulo, The Best Colleges, Fundação Biblioteca Nacional.

ATENÇÃO: Não reproduzam este texto, ele contém direitos autorais.
Blogueiros podem utilizar textos de terceiros, citando nome e fonte com link, porém se o autor deixa claro que não deseja ter o texto reproduzido, não se pode copiá-lo, mesmo citando a origem.
O texto está na internet, mas pertence ao autor. Então já peço que se quiser utilizar este texto, apenas recomende-o e redirecione para meu blogue.

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail