Pesquise no Leitora Viciada

9 de agosto de 2013

Quinhentos novos contos de fadas redescobertos na Alemanha em 2012 estão sendo preparados para o público

Oi, Leitoras e Leitores Viciados, esta é uma notícia do The Guardian. É de 2012, porém achei muito interessante compartilhá-la, pois embora os contos de fadas tenham sido redescobertos em 2012, sua preparação para o público está em andamento.

*Alguns contos estão prontos e podem ser lido em inglês: A Princesa Nabo.




Traduzi/adaptei do inglês a reportagem de 2012, espero que gostem:
Espero em breve ter acesso a eles em português, seria interessante, não acham?
Quem possuir links mais recentes com maiores informações, por favor compartilhe.

Coleção de contos de fadas reunidos pelo historiador Franz Xaver von Schönwerth havia sido trancada em um arquivo em Regensburg (Alemanha) por mais de 150 anos.


Um novo mundo de animais mágicos, jovens príncipes valentes e bruxas más veio à tona com a descoberta de 500 novos contos de fadas, que foram trancados em um arquivo em Regensburg, Alemanha, por mais de 150 anos. Os contos fazem parte de uma coleção de mitos, lendas e contos de fadas, recolhidos pelo historiador local Franz Xaver von Schönwerth (1810-1886) na região da Baviera de Oberpfalz. São da mesma época que os irmãos Grimm recolhiam os contos de fadas que têm encantado desde então adultos e crianças ao redor do mundo.

No ano passado, a curadora cultural de Oberpfalz Erika Eichenseer publicou uma seleção de contos de fadas da coleção de Von Schönwerth, intitulando o livro como Prinz Roßzwifl. Este é um dialeto local para "escaravelho". O escaravelho, também conhecido como o "dung beetle" ("besouro rola-bosta"), enterra o seu bem mais valioso - seus ovos no esterco - e em seguida, o empurra em uma bola com suas pernas traseiras. Eichenseer vê isto como um simbolismo para os contos de fadas, que ela diz manter como o tesouro mais precioso que o homem conhece: O conhecimento antigo e a sabedoria que provocam o desenvolvimento humano, testando nossos limites e salvação.

Von Schönwerth passou décadas conversando com camponeses, operários e funcionários sobre os hábitos locais, tradições, costumes e história, e colocando no papel o que só havia sido repassado ​​de boca em boca. Em 1885, Jacob Grimm disse o seguinte sobre ele: "Em nenhum lugar em toda a Alemanha existe alguém que recolha [folclore] com tanta precisão, minuciosamente e com um ouvido tão sensível." Grimm foi tão longe para dizer Rei Maximiliano II da Baviera, que a única pessoa que poderia substituí-lo em seu trabalho e de seu irmão era Von Schönwerth.

Von Schönwerth compilou sua pesquisa em um livro chamado Aus der Oberpfalz - Sitten und Sagen, que foi publicado em três volumes em 1857, 1858 e 1859. O livro nunca ganhou destaque e desapareceu na obscuridade.

Enquanto peneirado o trabalho de Von Schönwerth, Eichenseer, foram encontrados quinnhentos contos de fadas, muitos dos quais não aparecem em outras coleções de contos de fadas europeus. Por exemplo, existe um conto de uma donzela que escapa uma bruxa, transformando-se em uma lagoa. A bruxa, em seguida, encontra-se em seu estômago e bebe toda a água, engolindo a jovem, que usa uma faca para cortar seu caminho para fora da bruxa. No entanto, a coleção também inclui versões locais dos contos de crianças conhecidos em todo o mundo, incluindo Cinderela e Rumpelstiltskin, e que aparecem em muitas versões diferentes em toda a Europa.

Von Schönwerth foi um historiador e registrou o que ele ouviu fielmente, sem fazer qualquer tentativa de colocar um brilho literário sobre ele, que é onde ele difere dos irmãos Grimm. No entanto, diz Eichenseer, esta gravação factual aumenta o charme e a autenticidade do material. Que prazeroso que sua maioria dos contos de fadas estejam sem polimento. "Não há nenhuma tentativa  de Schönwerthde romantizar,  interpretar ou desenvolver seu próprio estilo", diz ela.

Eichenseer diz que os contos de fadas não são para crianças. "O principal objetivo dos contos era ajudar os jovens no seu caminho para a vida adulta, mostrando-lhes que os perigos e os desafios podem ser superados através da virtude, prudência e coragem."

Em 2008, Eichenseer ajudou a fundar a Franz Xaver von Schönwerth Society, um comitê interdisciplinar dedicado à análise e divulgação de seu trabalho. Ela está ansiosa para ver os contos disponíveis em Inglês, e um tradutor com sede em Munique, Dan Szabo, já começou seu trabalho em histórias que vão desde um agricultor avarento e uma fábrica de dinheiro até uma princesa nabo.

"O legado de Schönwerth conta como a coleção mais importante no mundo de língua alemã no século XIX", diz Daniel Drascek, um membro da sociedade e professor na Faculdade de Língua, Literatura e Ciências Culturais na Universidade de Regensburg.

Fonte: The Guardian - Victoria Sussens-Messerer - março de 2012.

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail