Pesquise no Leitora Viciada

15 de setembro de 2013

Lançamentos de 06 e 13 de setembro da Companhia das Letras

Oi, Leitoras e Leitores Viciados!
Vejam as novidades da Companhia das Letras nos dias 06 e 13 de setembro:

06 de setembro de 2013

A Cidade, o Inquisidor e os Ordinários
Carlos de Brito e Mello - Companhia das Letras
472 páginas - Ano: 2013 - R$49,50
Lançamento: 22 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Um auto moralizante de classe média no Brasil dos dias atuais. Assim pode ser lido o mais novo romance de Carlos de Brito e Mello, autor de A passagem tensa dos corpos. Romance construído a partir das muitas vozes de seus personagens, trilha um caminho completamente novo e singular na literatura contemporânea brasileira - ainda que contenha ecos de Osman Lins, Lucio Cardoso e mesmo de Gonçalo Tavares. É uma seara mais experimental, mas mesmo assim tem carisma, graças à escrita precisa e à visão de mundo absolutamente anárquica e derrisória do autor a partir de temas como a morte, os maus hábitos, a mediocridade.
É uma espécie de jornada teológica no cotidiano mais comezinho. Um “inquisidor” percorre a cidade apontando para as falhas dos habitantes. Estes, por sua vez, logo aderem ao mesmo comportamento - em vez de se rebelarem - e toda a cidade se converte numa espécie de auto de fé. O resultado, hilário e com certo travo amargo, é um retrato da subserviência de muitos diante do poder.
A cidade, o inquisidor e os ordinários é um livro que alterna comédia, observação dos costumes e crítica social, tudo por meio de uma prosa altamente imaginativa e empática."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação


Uma Teoria Provisória do Amor (A Working Theory of Love)
Scott Hutchins - Companhia das Letras
Tradução: José Geraldo Couto
424 páginas - Ano: 2013 - R$56,00
Lançamento: 28 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Uma modesta empresa de informática de San Francisco, a Amiante Systems, fundada e comandada pelo genial pioneiro Henry Livorno - hoje velho e decadente -, 
aposta todas as suas fichas na tentativa de criar o primeiro computador verdadeiramente inteligente do mundo. Para isso, contrata o ex-redator de publicidade Neill Bassett Jr. 
O motivo é simples: a memória do computador é alimentada pelos diários secretos escritos pelo pai de Neill, o dr. Basset, um médico do Arkansas que se suicidou quando o filho tinha dezenove anos.
Dilacerado pelos dilemas morais envolvidos na operação de fazer reviver, ainda que virtualmente, o próprio pai, Neill ainda tem que lidar com a nova namorada desmiolada de vinte anos e com os encontros perturbadores com a ex-mulher. 
Narrada em primeira pessoa pelo protagonista, a história tem como pano de fundo a agitada e multifacetada região da baía de San Francisco, repleta de seitas místicas, templos do consumismo exacerbado, modernidade tecnológica, hippies tardios, nerds, práticas sexuais heterodoxas e esquisitices de toda espécie.
Comparado a Nick Hornby por sua escrita leve e sua abordagem absolutamente contemporânea, Hutchins é visto hoje como um dos mais promissores talentos da nova geração norte-americana de escritores."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

Dever
Armando Freitas Filho - Companhia das Letras
168 páginas - Ano: 2013 - R$36,00
Lançamento: 15 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Armando Freitas Filho estreou em livro em 1963. Com Dever, comemora 50 anos de carreira e deixa claro por que é um dos maiores poetas em atividade no país. 
Na primeira parte, “Suíte”, o autor se detém em “casas, roupas, móveis etc.”, objetos do cotidiano que a princípio não teriam eco poético, caso não fossem, como afirma o autor, “dispostos de tal forma que sirvam para fins estéticos”. 
A segunda, “Anexo”, já está na rua, é “jornalística”, mas sem abrir mão do transfigurador trabalho literário, dando conta dos eventos de antes e de agora, que atravessaram o poeta.
A terceira, “Numeral”, que desde 2003 é a coda dos livros de Armando, continua a passar em revista sua poética, sempre sujeita a retificações futuras. 
É digna de nota sua capacidade de mesclar poemas íntimos, sobre a vida amorosa e familiar, a poemas que conversam com o noticiário contemporâneo, como o massacre da Candelária e o goleiro Bruno, e ainda dialogar com a novíssima poesia brasileira, como no poema feito a partir do último livro de Angélica Freitas, Um útero é do tamanho de um punho. 
Num dos poemas do livro, o autor traça uma genealogia breve da literatura brasileira, propondo um elo entre Machado de Assis, Graciliano Ramos, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Candido e João Cabral de Melo Neto. 
Armando Freitas Filho é sem dúvida um herdeiro dessa linha mestra da literatura brasileira."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

A Lista do Nunca (The Never List)
Quando a ficção é tão assustadora quanto a realidade.
Koethi Zan - Editora Paralela
Tradução: Elvira Serapicos
272 páginas - Ano: 2013 - R$29,90
Lançamento: 22 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Depois de um acidente de carro que sofreram quando ainda tinham dez anos, Sarah e Jennifer, amigas inseparáveis, passaram anos escrevendo o que chamaram de Lista do Nunca: uma lista de ações e atitudes que deveriam ser evitadas, a qualquer custo, para que se mantivessem sãs e salvas.
Numa noite, no entanto, ao entrarem em um táxi, o destino das duas garotas as levou a um lugar que certamente não considerariam nem um pouco seguro. Sequestradas por um homem frio e adepto do sadismo, elas ficam acorrentadas em um porão com mais duas garotas por três anos.
Dez anos depois de conseguir fugir, Sarah ainda tenta levar uma vida normal. Seu contato com pessoas se limita ao porteiro que diariamente entrega o que ela precisa para sobreviver e à sua psicóloga, que tenta ajudá-la a enfrentar cada novo dia.
Seu sequestrador, porém, está prestes a conseguir uma condicional e, mais do que preparar um belo discurso de vítima, Sarah sente que este é o momento de agir. Para isso, vai enfrentar seus terríveis traumas em busca de uma história que nunca fora revelada."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

Os Números do Jogo (The Numbers Game: Why Everything You Know About Soccer is Wrong)
Por que tudo o que você sabe sobre futebol está errado.
Chris Anderson & David Sally - Editora Paralela
Tradução: André Fontenelle
Prefácio: Paulo Vinícius Coelho, o PVC
360 páginas - Ano: 2013 - R$39,90
Lançamento: 21 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Lançamentos longos criam mais chances de gol que cruzamentos? Tentar o drible na própria metade do campo pode prejudicar sua equipe? O 4-4-2 é uma formação mais eficiente que o 4-3-3? Sob que condições e contra que rivais? 
Sabemos que no futebol não existe fórmula para a vitória, mas a “dataficação” da vida está se infiltrando no esporte, mostrando a treinadores, jogadores, torcedores e comentaristas que o jeito como as coisas sempre foram feitas não é, necessariamente, a forma como elas devem ser feitas. 
Cientistas e estatísticos criaram formas diferentes para compreender o papel da previsibilidade e da aleatoriedade no futebol, mas a questão essencial que muitos deles discutem atualmente é a mesma. Também é, por acaso, a mesma questão que Charles Reep, o inventor das estatísticas do futebol, tentou responder na década de 1950: partidas de futebol e campeonatos são decididos pelo talento ou pela sorte?
De forma surpreendente, o estatístico Chris Anderson e o especialista em estratégias David Sally mostram por que os números do jogo podem nos ajudar a compreender o futebol em sua essência. Ao ler este livro, você vai descobrir por que os escanteios devem ser cobrados curtinho, por que o futebol é um esporte do elo mais fraco e por que demitir o treinador não resolve absolutamente nada."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

13 de setembro de 2013:

O Livro de Tiradentes
Não ficção.
Organização: Bruno Carvalho e John Huffman e Gabriel de Avilez Rocha e Kenneth Maxwell - Penguin e Companhia das Letras
Tradução: Maria Lucia Machado e Luciano Vieira Machado
464 páginas - Ano: 2013 - R$38,00
Lançamento: 10 de setembro de 2013.

Sinopse:
"O Recueil des Loix Constitutives des États-Unis de l’Amérique (ou o “Livro de Tiradentes”, como passou a ser conhecido nas Minas) é a coletânea dos documentos constitucionais fundadores dos Estados Unidos da América: a Declaração de Independência, uma primeira redação dos Artigos de Confederação, um censo das colônias inglesas de 1775 e outros termos acessórios, como a Constituição de seis dos treze estados confederados.
Mas o Recueil é muito mais que isso: protagonista de uma história que envolve o Brasil, a América do Norte, a Europa e suas relações recíprocas entre 1776-8 e 1789-92, a coletânea de leis foi o principal veículo de informações sobre o republicanismo norte-americano para os conjurados mineiros, os quais passavam de mão em mão duas edições que chegaram por vias tortuosas à porção insurgente da colônia portuguesa nas Américas.
Enriquecido com textos do coordenador, dos organizadores e ainda das professoras Heloísa Murgel Starling e Júnia Ferreira Furtado, este volume elucida o documento analisado e seus contextos - como o incrível percurso do livro até as Minas e os contatos dos conjurados com Thomas Jefferson - e é uma viagem por essa verdadeira história atlântica de transmissão de ideias políticas, leitura essencial para a compreensão da Conjura Mineira e suas relações com o pensamento da Ilustração."

Links: Companhia das Letras | Skoob

Se Vivêssemos em um Lugar Normal (Si Viviéramos en un Lugar Normal)
Juan Pablo Villalobos - Companhia das Letras
Tradução: Andreia Moroni
160 páginas - Ano: 2013 - R$36,50
Lançamento: 05 de setembro de 2013.

Sinopse:
"Nos anos 1980, em uma pequena cidade no México, onde há “mais vacas que pessoas e mais padres que vacas”, uma família pobre tenta sobreviver às intempéries do cotidiano. 
O pai é um professor de educação cívica, apaixonado pelo período helênico e mestre em propagar todo tipo de insulto. A mãe, uma mulher de inigualável tendência cênica, mais afeita ao melodrama, que se encarrega de preparar, todo santo dia, a mesma refeição à base de quesadillas. É essa comida típica mexicana, aliás, que desperta na prole - sete filhos no total - certos pensamentos impróprios: cada um deseja que o outro desapareça, para que sobre um pouco mais de comida na mesa. 
Na iminência de ver a pequena casa em que moram ser demolida pela chegada de um empreendimento imobiliário de alto padrão, cada membro da família cria subterfúgios, muitas vezes delirantes, para lidar com uma realidade cada vez mais opressiva. 
É nesse cenário que se dá a saga de Orestes, um dos filhos do casal e protagonista deste romance, que conta, sob um ponto de vista que oscila entre o adolescente entediado e o adulto raivoso, a sua percepção da luta de classes e do papel insignificante que sua família ocupa no mundo."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

A Menina sem Palavra - Histórias de Mia Couto
Coleção Boa Companhia
Mia Couto - Boa Companhia
160 páginas - Ano: 2013 - R$24,50
Lançamento: 11 de setembro de 2013.

Sinopse:
"Os dezessete contos desta antologia foram escritos em fases distintas da carreira do escritor Mia Couto e compõem um panorama surpreendente do universo infantil em Moçambique. Acostumados a reconhecer nos povos africanos a violência e a miséria, o leitor encontrará nessa seleção uma delicadeza que não se vê nos relatos oficiais. As histórias selecionadas mostram a complexidade que move as relações familiares, a orfandade em um país que viveu por anos em guerra, a realidade das crianças submetidas ao trabalho infantil e os resquícios da luta pela independência. 
Mia Couto é um prosador bastante sensível às complexidades da vida e um escritor que constrói as narrativas inspiradas na linguagem oral, revelando a sua influência e admiração pelo nosso Guimarães Rosa, sem contar a presença do fantástico e do religioso em suas histórias."

Links: Companhia das Letras | Skoob

O Homem que Fazia Chover & Outras Histórias de Carlos Drummond de Andrade
Coleção Boa Companhia
Carlos Drummond de Andrade - Boa Companhia
128 páginas - Ano: 2013 - R$24,50
Lançamento: 10 de setembro de 2013.

Sinopse:
"Reconhecido como um clássico da literatura brasileira principalmente pela sua vasta obra poética, dentre as mais importantes do século XX em qualquer idioma, Carlos Drummond de Andrade (1902-87) foi também um prosador lírico e imaginativo. Além das histórias reunidas em seu Contos de aprendiz (1951), escreveu centenas de crônicas, este gênero tão brasileiro, em que a voz do contista e do fabulador falava mais alto que a do mero observador da realidade e dos acontecimentos.
Esta reunião de contos e crônicas revela o lado ficcionista do escritor mineiro, um prosador dotado das mais altas qualidades - como o texto fluente, a caracterização precisa dos personagens, a linguagem a um só tempo clássica e moderna -, em histórias, fábulas e anedotas cheias de graça e humanidade. Um elenco de causos inesquecíveis, em que fantasia e realidade se misturam, resultando numa leitura leve, instrutiva e deliciosa."

Links: Companhia das Letras | Skoob

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail