Pesquise no Leitora Viciada

3 de setembro de 2013

Lançamentos de 23 e 30 de agosto da Companhia das Letras

Oi, Leitoras e Leitores Viciados!
Estes são os lançamentos da Companhia das Letras da última semana, são catorze livros!

Para demais lançamentos de agosto, cliquem nas datas:
02 de agosto; 09 de agosto; e 16 de agosto.

23 de agosto de 2013:


A Maçã Envenenada
Michel Laub - Companhia das Letras
120 páginas - Ano: 2013 - R$29,50
Lançamento: 08 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Em 1993, o grupo norte-americano Nirvana fez uma única e célebre apresentação no estádio do Morumbi, em São Paulo. Um estudante de dezoito anos, guitarrista de uma banda de rock e cumprindo o serviço militar em Porto Alegre, precisa decidir se foge do quartel - o que o levaria à prisão - para assistir ao show ao lado da primeira namorada. 
A escolha ganha ressonâncias inesperadas à luz de fatos das décadas seguintes. Um deles é o suicídio de Kurt Cobain, líder do Nirvana, que chocou o mundo em 1994. Outro é o genocídio de Ruanda, iniciado quase ao mesmo tempo e aqui visto sob o ponto de vista de uma garota, Immaculée Ilibagiza, que escapou da morte ao passar 90 dias escondida num banheiro com outras sete mulheres. 
Focado nos anos 1990, A maçã envenenada é o segundo volume da trilogia sobre os efeitos individuais de catástrofes históricas iniciada com Diário da queda, cuja ação central se dá nos anos 1980. Como no volume anterior, Michel Laub aborda o tema da sobrevivência usando os recursos da ficção, do ensaio e da narrativa memorialística, numa linguagem que alterna secura e lirismo, ironia e emoção no limite do confessional.
No sutil entrelaçamento de seus temas, que evocam as particularidades de universos tão opostos quanto o mundo da música e um quartel, este é um livro sobre paixão: por uma pessoa, por um ídolo, por uma ideia, por uma época. E também pela vida, embora esta sempre cobre um preço de quem escolhe - quando se trata de uma escolha - experimentá-la com intensidade."

Links: Companhia das Letras | Skoob

Cidadania Insurgente: Disjunções da Democracia e da Modernidade no Brasil (Insurgente Citizenship: Disjunctions of Democracy and Modernity in Brazil)
James Holston - Companhia das Letras
Tradução: Claudio Carina
488 páginas - Ano: 2013 - R$65,00
Lançamento: 07 de agosto de 2013.

Sinopse:
"No início da década de 1970, em plena ditadura militar, diversas associações comunitárias se estabeleceram nos bairros mais distantes e carentes de São Paulo. Seu objetivo imediato era representar os interesses de moradores ameaçados de despejo por ocuparem terrenos supostamente invadidos. Capangas contratados por empresas e particulares inescrupulosos tornavam nulos os contratos e prestações honrados com enorme sacrifício por centenas de chefes de família. Marginalizadas por um emaranhado jurídico especialmente planejado para confundi-las, essas pessoas passaram a lutar por seus direitos com as armas de seus piores inimigos: a lei e a Justiça.
Cidadania insurgente reconstitui a história dos movimentos comunitários responsáveis pelas modalidades de participação democrática que vêm transformando profundamente a sociedade brasileira. Para refazer essa trajetória, James Holston, professor de antropologia na Universidade da Califórnia (Berkeley), explica os processos formadores da sociedade brasileira desde o período colonial até a atualidade, apontando os instrumentos empregados pelas elites para assegurar sua dominação política e econômica, e expondo a natureza ao mesmo tempo inclusiva e desigual de nossa cidadania. 
O autor expande a análise até as origens do Estado, construindo um autêntico tratado histórico-sociológico sobre as contradições da modernidade no Brasil. "

Links: Companhia das Letras | Skoob

Mínima Lírica
Paulo Henriques Britto - Companhia das Letras
112 páginas - Ano: 2013 - R$29,50
Lançamento: 13 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Esta edição reúne os dois títulos iniciais de um poeta que, ao longo de trinta anos de carreira, iria ostentar uma das trajetórias mais sólidas e brilhantes da lírica brasileira contemporânea. Liturgia da matéria (1982) e Mínima lírica (1989), obras que seriam reunidas em 1989 pela coleção Claro Enigma do poeta e crítico Augusto Massi, são os primeiros e já seguros passos de seu autor, o escritor e tradutor carioca Paulo Henriques Britto.
Pois há uma segurança e um manejo extraordinários do verso, tudo vindo a reboque de uma ironia que não se resume apenas ao olhar do poeta sobre as coisas e o mundo, mas igualmente contamina a própria forma do poema. Prova dessa atitude diante da tradição literária é a série “Dez sonetos sentimentais”, com dez sonetos ingleses (compostos numa única estrofe de quatorze versos, e portanto diferentes da forma mais consagrada do soneto em línguas latinas) que dão voz a uma série de reflexões nada sentimentais, e “Logística da composição”, espécie de resposta-homenagem à “Psicologia da composição” de João Cabral de Melo Neto: “Só o sonho é inevitável. Quanto ao resto,/ há sempre a possibilidade aberta/ de fazer outro gesto, dizer uma/ palavra que é o contrário de si mesma”.
Para além da reflexão acerca da “música banal dos sentimentos” (como escreve nos versos de abertura do poema “Pour Élise”), as peças reunidas neste volume também dão conta de uma vasta gama de interesses do tradutor de, entre outros, Elizabeth Bishop e Wallace Stevens (só para ficarmos com os poetas que Paulo Henriques Brito trouxe para a língua portuguesa com inteligência e perícia). A tradição literária, a poesia de língua inglesa e as tentativas do eu lírico de abarcar - de forma nada pretensiosa - as diversas esferas da experiência concreta estão entre os grandes momentos de um livro permeado de astúcia literária, humor e observação do cotidiano."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

SK8: Manual do Pequeno Skatista Cidadão
Vinícius Patrial - Companhia das Letrinhas
Ilustrações: Jimmy Leroy
72 páginas - Ano: 2013 - R$33,00
Lançamento: 16 de agosto de 2013.

Sinopse:
"O skate é o segundo esporte mais praticado no Brasil, com milhares de pistas espalhadas pelo país. E não era para menos: a sensação prazerosa de deslizar em uma prancha sem precisar do mar é incrível para qualquer um que já experimentou. As crianças que o digam: adoram se deslocar sobre duas rodas.
Mas, apesar de toda essa fama, há muito pouco material sobre o skate no Brasil. Pensando nesse público, que adora se jogar nas pistas e precisa aprender a se proteger e a cair direito, a banda Pequeno Cidadão preparou um almanaque completo sobre o assunto, inspirado em uma canção do segundo CD do grupo. Com informações aprovadas pela Confederação Brasileira de Skate, este manual é ideal para os simpatizantes, para aqueles que começaram a arriscar um ollie e até para os praticantes mais experientes."

Links: Companhia das Letras | Skoob

Booktrailer:




Tutu-Moringa: História que Tataravó Contou
Elizabeth Rodrigues da Costa e Gabriela Romeu - Companhia das Letrinhas
Ilustrações: Marilda Castanha
32 páginas - Ano: 2013 - R$28,50
Lançamento: 19 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Os bichos-papões são tão assustadores quanto antigos. Com fama de feiosos e cruéis, rondam a noite infantil, assustando e roubando criancinhas, desde a Antiguidade. Na Grécia, por exemplo, os pequenos temiam ser raptados por uma velha feiíssima, a Strigalai. Já os romanos se apavoravam com a Caprimulgus, uma senhora que saía de noite para tirar leite da cabra e papar meninos e meninas. Aqui no Brasil, há vários papões: a cabra-cabriola, a cuca, o jurupari… — e os tutus, seres encantados que chegaram com os escravos africanos escravizados muito tempo atrás. Neste livro, Tataravó conta, para os netos vidrados e ao mesmo tempo apavorados, a história de Tutu-Moringa, aquele que morava numa moita no meio do mato e que, no final da tarde, saía à caça de crianças que imaginava serem seus filhinhos roubados pelos portugueses lá na África."

Links: Companhia das Letras | Skoob

Sombras Vivas (Reckless - Lebendige Schatten)
Série Reckless - volume 2
Cornelia Funke - Editora Seguinte
Tradução: Sonali Bertuol
304 páginas - Ano: 2013 - R$37,50
Lançamento: 13 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Já faz quase um ano que Jacob Reckless conseguiu salvar seu irmão Will de ser transformado em goyl - uma criatura fria e violenta, com pele de pedra e olhos dourados. Desde que conheceu o Mundo do Espelho, uma terra em que os personagens dos contos de fadas convivem com os humanos e revelam seu lado mais sombrio e ameaçador, o jovem passou a frequentá-lo cada vez mais, fazendo dali a sua verdadeira casa. Mas tinha sido a primeira vez que alguém de sua família tinha chegado até lá - e ainda por cima entrado em apuros. No fim, o preço por livrar o irmão do perigo acabou sendo muito alto: ele teve que pronunciar o nome da Fada Escura, e agora uma mariposa amaldiçoada repousa em seu peito, esperando até que consiga mordê-lo seis vezes, para então voltar a ter vida, retornar para sua dona e levar consigo a vida de Jacob.
Mas em algum lugar no Mundo do Espelho deve haver um remédio. Jacob já tentou A Maçã que Tudo Cura, a Fonte da Eterna Juventude, o sangue de gênio engarrafado... E, aparentemente, só perdeu tempo. Sua última esperança é uma antiga lenda sobre uma balestra, que, quando usada com ódio, é capaz de destruir exércitos inteiros com uma só flecha, e, quando usada com amor, pode curar quem estiver à beira da morte.
Só essa arma poderá salvá-lo, mas ele não é o único que está à sua procura e por isso não será nada fácil encontrá-la: Jacob, junto com sua companheira Fux, terá de ser mais rápido que o goyl Nerron, o Bastardo, que tem apenas um objetivo: provar que é o melhor caçador de tesouros de todos os reinos. Já para o jovem, não se trata de ser ou não o melhor - ele está prestes a decidir o seu destino."

Links: Seguinte | Skoob

Um Toque de Vermelho (A Touch of Crimson)
Série Renegade Angels - volume 1
Sylvia Day - Editora Paralela
Tradução: Alexandre Boide
304 páginas - Ano: 2013 - R$29,90
Lançamento: 19 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Adrian Mitchell não é um homem qualquer. Além de ser o mais sensual, elegante e charmoso dos seres, ele é também o grande líder de uma unidade de elite de Operações Especiais dos Serafins. Sua missão: controlar vampiros e licanos e manter todo o universo em ordem. No entanto, o seu encontro, depois de quase duzentos anos, com a alma da mulher que ama, no corpo da bela Lindsay, os leva a uma proibida — mas incontrolável — paixão que poderá colocar tudo a perder."

Links: Paralela | Skoob | degustação

30 de agosto de 2013:


Em Breve Tudo Será Mistério e Cinza
Alberto A. Reis - Companhia das Letras
568 páginas - Ano: 2013 - R$56,00
Lançamento: 26 de agosto de 2013.

Sinopse:
"No outono de 1825, o jovem joalheiro François Dumont e sua mulher Honorée abandonam o conforto da vida em Paris para embarcar numa viagem incerta rumo à Demarcação Diamantina, em Minas Gerais. Com o intuito de escapar das sombrias ameaças que pairam sobre sua família e alcançar uma prosperidade impossível em seu país de origem, François planeja enriquecer com a mineração de diamantes.
Na jornada até o sertão mineiro, os imigrantes franceses deparam com uma bizarra sequência de presságios e encontros singulares. Avisados pelas autoridades locais de que a autorização para extrair diamantes nunca seria concedida a estrangeiros, os Dumont vão em busca do ouro mineiro, sem imaginar que as escaramuças da infame política local, dominada pelas famílias Silveira e Caldeira Brant, poderiam arruinar seus sonhos. A aventura dos franceses ainda se entrelaça à jornada de um casal de escravos, Marcos e Rosa. O jovem negro, seguido de sua fiel companheira, enfrenta as mais adversas condições para honrar um juramento feito em seu nome.
Neste surpreendente romance de estreia, um narrador politicamente incorreto conduz o leitor aos grotões do Brasil, apresentando personagens e cenários numa prosa bem calibrada entre ficção e realidade. 
Transitando pela narrativa irônica, burlesca, trágica e solene, Alberto A. Reis traça um panorama bem-humorado da sociedade mineradora do sertão de Minas Gerais no início do século XIX."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

Pois Sou um Bom Cozinheiro
Receitas, histórias e sabores da vida de Vinicius de Moraes.
Daniela Narciso e Edith Gonçalves - Companhia das Letras
296 páginas - Ano: 2013 - R$90,00
Lançamento: 27 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Nossas memórias afetivas passam por todos os nossos sentidos, principalmente a recordação daquilo de que mais gostamos e que nos dá prazer: a alimentação. Assim é a culinária, e assim foi essa experiência para Vinicius de Moraes. Grande apreciador da boa vida e de suas belezas, o poeta dedicava igual paixão por receitas, pratos e refeições. E isso desde a meninice. 
Segundo de quatro irmãos, o carioca Vinicius foi criado a pudins e lombinhos, e era de todos o que mais apreciava os sabores da casa materna (já revelando, desde cedo, sua legendária propensão ao hedonismo). As receitas da infância nunca mais abandonaram o imaginário do poeta, que nelas pensava para sentir conforto quando na solidão do estrangeiro em sua época como funcionário do Itamaraty. 
Elaborado em três partes, Pois sou um bom cozinheiro foi organizado pela família de Vinicius e conta com prefácio de sua irmã Laetitia de Moraes. Revisitando memórias distintas, cada parte do livro fornece receitas das mais diversas épocas da vida do poeta: a infância num Rio de Janeiro quase interiorano, as cozinhas que frequentou e os bares e restaurantes em que mantinha cadeira cativa - além dos bocados de que mais gostava. Tudo maravilhosamente ilustrado por fotos, trechos de poemas e depoimentos.
Surge assim um Vinicius de Moraes que refaz sua vida (e obra) através da comida. Dos pratos que lembram sua infância e que trazia à memória ao sentir a profunda ausência do Brasil, quando longe daqui viveu, Vinicius revivia em detalhes os vatapás e pudins que comia na casa da mãe e avó em descrições irretocáveis o suficiente para que salivemos junto com ele. Também das comidinhas favoritas que sabia cozinhar tão bem e descrevia com o amor do diminutivo, o mesmo que usava para se referir aos seus parceiros e amigos de vida e criação musical. Pois se, de acordo com o próprio autor, para se viver um grande amor era preciso concentração, o mesmo devotava quando cozinhava ou apenas saboreava um alimento. Uma dedicação e um trabalho árduo (mas intensamente reconfortante) ao fazer o que mais amava: apreciar a vida.."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

O Coronel Chabert (Le Colonel Chabert)
Coleção Grandes Amores.
Honoré de Balzac - Penquin Companhia
Tradução: Eduardo Brandão
88 páginas - Ano: 2013 - R$14,90
Lançamento: 29 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Tido como morto durante uma importante batalha, ao voltar para casa depois de anos de errância e sofrimento, o coronel Chabert já não encontra lugar no mundo. Sua mulher, herdeira de toda a fortuna, casou-se de novo e teve dois filhos; sua casa foi demolida; 
até a rua em que morava foi rebatizada. No cenário político francês, a desordem do começo do século XIX, quando o Império cedia lugar à Restauração, cria uma dissonância ainda maior entre o protagonista e seu tempo. Despossado de seus bens e de seu nome, o antigo herói das guerras napoleônicas pede ajuda ao advogado Darville para se lançar com todas as forças em uma última batalha, pela retomada de sua identidade."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

Meu Nome é Vermelho (My Name is Red)
Orhan Pamuk - Companhia de Bolso
Tradução: Eduardo Brandão
576 páginas - Ano: 2013 - R$34,00
Lançamento: 06 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Meu nome é Vermelho alia narrativa policial, uma história de amor proibido e reflexões sobre as culturas do Ocidente e do Oriente. A trama se passa em Istambul, no fim do século XVI. Para comemorar o primeiro milênio da Hégira (a fuga de Maomé para Meca), o sultão encomenda um livro para demonstrar a riqueza do Império Otomano.
Para provar a superioridade do mundo islâmico, porém, as imagens devem ser feitas com técnicas de perspectiva da Itália renascentista. As intenções secretas do sultão logo dão margem a especulações, desencadeando uma onda de intrigas, e um dos artistas que trabalhava no livro é assasinado.
Ao mesmo tempo, desenrola-se o caso de amor entre o Negro, que voltara a Istambul após doze anos de ausência, e a bela Shekure. Construída por dezenove narradores - entre eles um cachorro, um cadáver e o pigmento cuja cor dá nome ao livro -, a história surpreende pela exuberância estilística, que reflete o encontro de duas culturas."

Links: Companhia das Letras | Skoob

Abadon, o Exterminador (Abaddón, el Exterminador)
Ernesto Sabato - Companhia das Letras
Tradução: Rosa Freire D'Aguiar
512 páginas - Ano: 2013 - R$63,50
Lançamento: 28 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Abadon, o Exterminador, publicado originalmente em 1974, é o último romance do argentino Ernesto Sabato. A obra encerra uma trilogia iniciada com O túnel (1948) e Sobre heróis e tumbas (1961). 
Ao lado de Jorge Luis Borges, Sabato é tido como um dos grandes autores argentinos do século XX, com uma prosa marcada pela erudição, pelo refinamento do estilo e pela capacidade de questionar o fazer literário até o limite.
Este é seu trabalho mais experimental. A estrutura narrativa é fragmentada, com mistura de histórias paralelas, análise filosófica e crítica literária, numa combinação de eventos autobiográficos e fantasia imaginativa. 
A maior parte da narrativa se passa ao longo de um único dia em Buenos Aires, em 1973, mas há referências à Segunda Guerra Mundial, à Guerra do Vietnã, assim como a personagens de livros anteriores, como Bruno, Martin e Alejandra, de Sobre heróis e tumbas, e Juan e Maria, de O túnel. 
Clássico inconteste da literatura latino-americana, este livro é considerado um “romance total”: sonhos, dúvidas, notícias de jornal e conversas fortuitas dividem espaço com personagens e eventos históricos, de Sartre a Baudelaire e Che Guevara, do terrorismo à libertação sexual, do antissemitismo ao stalinismo. 
Sabato costumava dizer que a característica essencial da literatura é compor um retrato ao mesmo tempo fiel e complexo da experiência humana, mas sem produzir um reflexo mecânico da realidade. Abadon, o Exterminador é uma ilustração eloquente dessa convicção."

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação

Pileques (On Booze)
Drinks e outras bebedeiras.
Coleção Má Companhia.
F. Scott Fitzgerald - Companhia das Letras
Tradução: Donaldson M. Garschagen
112 páginas - Ano: 2013 - R$29,00
Lançamento: 28 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Os píncaros da alegria etílica e o tenebroso abismo do vício se encontram nesta seleção de textos sobre álcool de um dos mais brilhantes autores do século XX. Reunindo pequenos textos confessionais, aforismos e cartas, Pileques mostra as delícias e os desastres provocados pela ingestão (em doses industriais, no caso) de álcool. Autor de O Grande Gatsby, Francis Scott Fitzgerald aproveitou à beça os chamados “anos loucos”: festas, viagens e muita bebedeira. Mas a paixão por drinques,  que no início assegurava um comportamento mais leve e divertido em festas e encontros entre os literatos da época, desandaria para um brutal alcoolismo. Neste livrinho simpático e algo demoníaco, copos são virados em Nova York, Paris e Londres; a étiquette do bom bebedor manda, entre outras coisas, jamais oferecer champanhe de segunda para uma orquestra;  os hotéis europeus são uma sucessão de gafes estéticas (mas sempre bem fornidos de garrafas); as cartas são escritas à base de muitos drinques; Nova York, a “cidade perdida”, é um cenário para acomodar bares clandestinos sem fim. Tudo isso vem irresistivelmente embalado ao som do texto sincopado e jazzístico de um dos maiores prosadores da língua inglesa."

Links: Companhia das Letras | Skoob

Uma Aventura Parisiense e Outros Contos de Amor
Coleção Grandes Amores.
Guy de Maupassant - Penquin Companhia
Tradução: Amilcar Betterga Barbosa
128 páginas - Ano: 2013 - R$14,90
Lançamento: 29 de agosto de 2013.

Sinopse:
"Nesta seleção de contos de Maupassant, o leitor encontrará muitos tipos de relações amorosas: mulheres à procura do amor idealizado, outras que não se acanham em trair o marido, mulheres submissas, culpadas, sofredoras. E também conhecerá a habilidade do autor em criar atmosferas hipnóticas, como no belíssimo “Sobre a água”.
Além dos contos que têm como pano de fundo a sociedade da França do século XIX, Maupassant ficou conhecido por sua habilidade em escrever contos fantásticos. Histórias famosas como “A morta”, de defuntos que saem de seus túmulos para reescrever os seus epitáfios baseando-se na realidade e não nos clichês de sublimação ao morto, também estão contempladas nesta seleção. "

Links: Companhia das Letras | Skoob | degustação


Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail