Escândalos Privados, Nora Roberts, Bertrand Brasil

Escândalos Privados (Private Scandals)
Nora Roberts - Bertrand Brasil
Tradução: Valéria Lamim Delgado
574 páginas - Ano: 2014 - R$45,00

Sinopse:
"Deanna Reynolds tinha sua vida planejada: começaria trabalhando em uma pequena emissora de TV em Chicago e, em alguns anos, se tornaria uma famosa apresentadora. E ela parece estar no caminho certo, principalmente porque uma estrela da televisão, a geniosa Angela Perkins, decide ser sua mentora. 
O que Deanna não suspeita,  porém, é que Angela não é nada ingênua, e que ultrapassa todos os limites para boicotar a popularidade de sua pupila.
Considerado pelo fã-clube oficial e pela crítica especializada um dos cinco melhores livros de Nora Roberts. 
Escândalos Privados é um romance cativante, que  leva o leitor para os bastidores da TV e revela os sonhos ambiciosos de uma jovem jornalista – e as obsessões sombrias que ameaçam destruir tudo pelo que ela lutou."

Links: RecordSkoob | comprar

Resenha:
A capa possui as letras com o nome da autora diferentes, mais vivas: Em relevo e de uma cor metálica que lembra sangue. Uma jovem mulher misteriosa e bem maquiada é exposta dividindo sombra e luz. O título lembra uma caligrafia rebuscada.
A princípio parece somente uma capa atraente ao público, porém esses elementos combinam com a história. É Deanna, a protagonista, preparada para enfrentar os holofotes da vida na televisão, mas assombrada por uma tragédia do passado e rodeada do lado obscuro do mundo das celebridades.
No entanto, o que me atraiu é o nome da autora: Nora Roberts. Uma das poucas autoras no Brasil que tem seu nome em destaque, mais importante que o título ou a imagem da capa. E não é para menos. Nora possui inúmeros prêmios, com quase duas centenas de livros, milhares de fãs e a marca de 650 milhões de exemplares vendidos, traduzidos em mais de quarenta idiomas!

A grossura do exemplar também chama a atenção, pois são quase 600 páginas. Porém a leitura é tão equilibrada e agradável que o leitor não percebe as páginas passando.
Talvez um dos segredos da Nora seja a combinação irresistível: Suspense e romance. Aliado a isso temos personagens realistas, intensas e bastante carismáticas, com virtudes e defeitos. A pegada policial que move o andamento do enredo é tão importante quanto os conflitos humanos vigorosos e as cenas românticas e sensuais arrebatadoras.
Há um tempo considerável eu não lia Nora Roberts e mesmo assim, logo no início, me apeguei à leitura e foi como se eu fosse novamente íntima dela, porque possui estilo.
A escrita de Nora é brilhante, pois com simplicidade e organização, em um texto criado com muito cuidado e planejamento, o leitor não se perde em meio a uma quantidade considerável de personagens. É uma das poucas autoras que pode colocar tantas pessoas em um livro como ocorre em novelas e seriados de televisão e ainda assim, fazer com que o público se identifique e jamais confunda nada.
A narrativa é homogênea, clara, elegante e, principalmente, cativante. Em terceira pessoa o leitor vai tendo acesso, devagar, aos mais diversos pontos de vista. É uma viagem pelas mentes e sentimentos das personagens, sem perder o clima de suspense por um minuto.

O livro é dividido em três partes, talvez um trabalho da autora que não chegou a formar material suficiente para uma trilogia, pois Nora parece gostar de publicar séries em três volumes. Ou talvez tenha sido a forma utilizada para a autora organizar as ideias e no final, a estrutura ficou bem coordenada.
Originalmente publicado em língua inglesa em 1993, Escândalos Privados (Private Scandals) chega ao Brasil em maio de 2014 pela Bertrand Brasil.
A história se inicia de modo chocante. A autora é ousada e joga o leitor no que parece o ápice da história! Uma degustação da movimentação energética da trama. Você já começa a leitura a mil.
O ano é 1994 e o cenário é Chicago, nos Estados Unidos. Após o impacto muito bem efetuado, viajamos para o passado, para 1990. Com exceção da introdução e do primeiro capítulo, todos os demais das duas primeiras partes contam a trajetória de Deanna Reynolds, jornalista nascida no Kansas que almeja o sucesso na televisão. O desenvolvimento do enredo é focado na trajetória da jovem durante esses quatro anos (1990-1994).
A terceira parte alcança exatamente o clímax lá do primeiro capítulo, o susto inicial. Pronto, o leitor agora compreende o significado da primeira cena e o melhor: Sente enorme curiosidade (e ansiedade) a respeito. Nora Roberts consegue causar efeito fantástico.
O final não deixa nenhuma questão sem solução e o enredo não possui falhas.

Escândalos Privados me deixou em dúvida quanto a uma preferência para destacar. Enredo, narrativa, escrita, personagens, desenvolvimento, estrutura, tema, ambientação... Tudo se encaixa perfeitamente bem, tudo combina. No entanto, ao ter de escolher algo, aponto as personagens e os embates.
Como já citado, o livro possui uma relevante dose de pessoas em cena. Mesmo assim, a autora se concentra em um núcleo, liderado pela protagonista Deanna e seu par romântico e a antagonista Angela. Todos, de certo modo, se ligam a elas. Duas personagens femininas são o centro.
Deanna é uma protagonista forte, pois embora possua defeitos e fraquezas, incluindo um segredo dramático, ela luta para atingir seus objetivos. É o equilíbrio da mulher moderna que deseja conquistar seus desejos por mérito próprio, sem demonstrar submissão e fragilidade e ainda assim, mantém sua feminilidade.
O sucesso em sua carreira é a principal meta na vida, mas isso não significa que não possa se apaixonar. Há espaço para o romance e o namoro, desde que eles não a atrapalhem nas decisões.
A autora apresenta o par amoroso de Deanna, rompendo também tradições românticas. Por mais ousado e independente que seja, ele precisa dela. Um homem que não tem vergonha em assumir publicamente que precisa da amada e que a apoia, sem perder a personalidade e força. Por isso eu adorei a relação do casal.
Para uma protagonista intensa, uma antagonista a altura. Angela é a dama da televisão nos Estados Unidos, comandando a audiência. Para manter a sua posição como a número um dos programas de entrevistas e debates, ela é capaz de tudo. Tudo.

Geniosa, ela é muito complicada e difícil de conviver. Logo percebe o potencial de Deanna, que é repórter jornalística e possui um discreto quadro de entrevistas. Perfeccionista, metódica, criativa e inteligente, Deanna se destaca aos poucos e, principalmente, aos olhos de Angela. A antagonista percebe que Deanna pode ser seu braço direito e ensina aos poucos como a mídia funciona.
Duas mulheres ambiciosas, inteligentes e implacáveis. Amigas e inimigas. Colegas de profissão e rivais na audiência. Mestre e aprendiz. E quando a estudante supera a professora?
Esse é o ponto de partida da trama, ressaltando que Angela é a antagonista, mas não necessariamente a vilã. Ela é como todas as personagens de Nora Roberts: Concreta, convincente. A autora possui a habilidade de apresentar fundamento e explicações para a personalidade de todas as suas criações. Nenhuma personagem é sem passado ou essência lógica que justifique seus atos, mesmo as mais caricatas. Mistério é criado quando necessário, porém sempre compreendemos o porquê de tal personagem agir de tal forma.
A vilania fica para uma pessoa anônima que vigia e persegue Deanna. Essa pessoa ultrapassa o limite da sanidade e comete crimes e homicídios. Um dos pontos do livro é tentar descobrir quem é essa pessoa e o principal: Suas motivações e objetivos.

Outros fatores interessantes podem ser apontados sem spoilers, apenas para dar pistas de como é o livro. Gostei muito da ambientação da autora, bastante eficaz: O mundo da televisão dos Estados Unidos na década de 1990. O funcionamento, a hierarquia, a base, a técnica, a organização, o trabalho.  Os conflitos rodeados em intensos embates, discussões e brigas regem os relacionamentos. A área pode ser bem hostil. Inveja, raiva e rivalidade passeiam pelos estúdios de gravação.
O leve pano de fundo político é importante em certo momento, a Guerra do Golfo. O final da Guerra Fria ainda causando muita insegurança e medo no pensamento público.
O trabalho dos repórteres em busca das mais variadas notícias, desde furos sobre celebridades até viagens internacionais para as áreas mais remotas do globo.
O charme dos anos 1990 está discretamente presente na história, que se mantém atual e coeso. Eu adoro livros de suspense policial mais antigos (ou passados em décadas anteriores) porque a tecnologia digital ainda estava sendo introduzida, então gosto de verificar como não se podia recorrer facilmente à internet, por exemplo, na hora de pesquisar sobre alguém. Detetives particulares ainda causam mais impacto na ficção. Assim como telefonemas anônimos não rastreados e misteriosas gravações em vídeos com câmeras nada portáteis e difíceis de serem manuseadas.
Não costumo gostar do lado romântico da maioria dos livros, mas no caso de Escândalos Privados, eu adorei. O caso amoroso é definido, persuasivo e conquistador. As cenas quentes são harmoniosas e sensuais.

Escândalos Privados é uma história realista de suspense dos anos 1990 com pitadas de romance intenso. Personagens convincentes, sem estereótipos de heróis ou vilões, mostrando as pessoas como elas são: Pecadoras e sonhadoras.
Intrigas, chantagens, mistério, luxúria, inveja e concorrência. Os bastidores do mundo da televisão, das celebridades e do jornalismo como você nunca viu. Os escândalos que o público desconhece. Escândalos que comandam muitas vidas adoradas pela mesma massa.
Uma trama coesa, viciante, adulta e bem organizada por uma das autoras mais importantes do suspense romântico.
Um livro que é proveitoso do início ao fim, que vale cada página.



A autora:
Nora Roberts, autora número um da lista de best-sellers do mundo inteiro, com quase 200 romances publicados, é saudada como uma contadora de histórias que possui versatilidade e talento. Com mais de 650 milhões de exemplares de seus títulos impressos, detém a extraordinária média de venda de 40 livros por minuto. É ganhadora de dezenas de prêmios literários e a primeira escritora a fazer parte do hall da fama do romance Writers of America.
Doce vingança, Segredos, O Amuleto, Resgatado pelo Amor, Santuário e a Trilogia da Gratidão (Movido pela Maré, Arrebatado pelo Mar e Protegido pelo Porto), Trilogia da Fraternidade (Laços de Fogo, Laços de Gelo, Laços de Pecado), entre outros, foram publicados pela Bertrand Brasil. Sob o pseudônimo J. D. Robb escreve os livros de suspense que integram a série Mortal.
Site | Facebook

4 comentários

  1. Nunca li nada de Nora!
    Gostei desse...

    Ah! Tá rolando promoção valendo um exemplar de "A Culpa é das Estrelas"
    Passa lá
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  2. Oi Tatiana, mais um da autora nestes moldes né? Não é surpresa para mim uma resenha que indique livros desta diva que eu adoro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rose! A Nora arrasa com os livros dela, sempre bons :) Esse eu super indico!
      Beijos.

      Excluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de ebooks ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras