Confesso que Menti, de Justine Larbalestier e Galera Record

Confesso que Menti (Liar)
Justine Larbalestier - Galera Record
320 páginas - Ano: 2014 - R$35,00

Sinopse:
"Micah Wilkins é uma mentirosa compulsiva. Para ela, mentir é tão natural quanto respirar. Por isso é preciso prestar muita atenção a seu relato e desconfiar de tudo o que ela disser. Por que ela mente? É um segredo que envolve o outro. Tudo começou quando ela nasceu com a doença da família. E desde então Micah criou um labirinto de mentiras para manter todos afastados da única e terrível verdade.
Mas quando seu namorado Zach é encontrado morto em circunstâncias violentas e misteriosas, o comportamento nada confiável da menina a transforma na principal suspeita do crime.
Agora, para desvendar essa trama e provar sua inocência, Micah Wilkins promete contar apenas a verdade e nada mais que a verdade."

Links: Galera Record | degustação | Skoob | comprar

Resenha:
A imagem da capa é linda, o rosto da protagonista com pele e olhos brilhantes. Somente na segunda parte do livro é que compreendi o visual vivo. Micah se considera feia, e todas as personagens que opinam sobre sua aparência não a acham bonita. Mas eu a achei muito bonita na capa.
A diagramação é simples e agradável. Estranhei a margem superior da página ser muito estreita, o texto quase encosta no limite da folha, sobrando muito espaço no rodapé.
O que me atraiu em Confesso que Menti foi, além da beleza da capa, a sinopse misteriosa.
Minha leitura durou apenas um dia, mas, no entanto, não foi de todo positiva. Acredito que seja porque ao descobrir o segredo de Micah, ou seja, a doença da família (e também o ponto principal do livro), não curti a ideia da autora, embora seja supercriativa. Não posso entrar em detalhes, porque minha última intenção é estragar a surpresa de quem ainda vai ler.

A narrativa é em primeira pessoa. Micah conta sua história como se fosse uma conversa direta com o leitor. É uma grande confissão. Ela "fala" com você, tornando a leitura íntima. Uma boa escolha da autora para conseguir mostrar como Micah mente e omite os fatos, para em seguida contar a verdade. Ou o contrário.
O livro não possui capítulos, apenas pausas. A estrutura é muito organizada, ainda mais se tratando de um relato que se alterna entre "antes" e "depois", além de observações da narradora a respeito de seu histórico pessoal, escolar e familiar. O acontecimento central da trama é o assassinato de Zach, colega de classe com quem Micah manteve um caso amoroso; e a doença de Micah. Então os pensamentos de Micah se classificam como antes ou depois da perda. É importante também descobrir a doença e como interfere em toda a vida de Micah.

O livro é composto por três partes. A primeira ocupa a metade do livro: Contando a Verdade. Fiquei em dúvida o tempo inteiro. Não sabia o que era mentira e o que era verdade. Não sabia se Micah estava sendo sincera, porém tinha a certeza de que ela me surpreenderia.
Fiquei curiosa sobre a morte de Zach. Mais ainda sobre a doença que Micah tem, mas não entra em detalhes.
Quando passei da metade dessa primeira parte, o mistério me envolveu e fiquei muito ansiosa. Não compreendia o porquê de Micah contar mentiras bizarras - essas o leitor descobre na hora. Não o tipo de mentirinha para agradar alguém nem para se livrar de algo negativo ou se dar bem. São mentiras desnecessárias, para atrair a atenção e chocar as pessoas. Fato que não me convenceu. Se Micah diz a todo instante que prefere ser invisível, por que então ela choca com mentiras extravagantes? Deixando-a como o foco das conversas dos estudantes e professores da escola, por exemplo?
Antes de iniciar a segunda parte, imaginei diversas razões para ela ser uma mentirosa compulsiva. Imaginei também várias doenças que a deixassem daquele jeito. E, claro, me perguntei sobre a morte de Zach, se alguém ligado a ele ou Micah tinha culpa.

Então chegou a segunda parte: Contando a Verdade Verdadeira. Minha frustração foi grande. Não é uma explicação ruim. Na verdade, pelo contrário, é boa: Muito criativa e inesperada. Eu jamais imaginei qual seria a doença de Micah.
O problema é que o livro tomou um rumo totalmente diferente das minhas expectativas. Pensei que fosse uma ficção baseada na realidade, com dramas de uma adolescente com uma doença séria, problemas com a aparência, que sofre bullying, perde o namorado e se esconde em mentiras e ilusões.
O máximo que posso dizer é que a trama passa a ser guiada por itens sobrenaturais, retratados de forma crível. Micah não é uma adolescente comum. A autora surpreende bastante, mas não foi do meu agrado. Adoro todos os gêneros sobrenaturais, porém não era o que eu tinha em mente.
Nessa segunda parte, que é bem curta, Micah conta o seu verdadeiro problema. Descobrimos qual é a doença da família e o porquê dela mentir. Além de não ter gostado do segredo, esse trecho foi um pouco cansativo para mim, porque é uma sequência explicativa. Mas certamente quem gosta da revelação, esse esclarecimento será interessante. O ponto forte é que a autora transforma algo que geralmente é mágico, em orgânico, biológico - combinou.
O clímax da trama é descobrir se Zach foi mesmo assassinado. Sendo positivo, como e por quem? O suspense sobre o homicídio tornou-se essencial para me manter interessada.

A terceira e última parte, A Verdade de Fato Verdadeira, contém o ápice da obra e conecta todas as ocorrências. Descobrimos o que aconteceu com o Zach e o que será de Micah, após tantas conturbações. Finalmente a adolescente confessa suas mentiras e omissões. Algumas boas reviravoltas acontecem, especialmente a respeito da família e sua "doença".
Achei algumas finalizações um pouco corridas e desesperadas, mas a autora finaliza a história sem falhas. Boa dica de leitura para quem não quer se apegar a uma série.

Confesso que Menti é um livro jovem, com muitas surpresas. É um suspense e reciclagem criativa e diferente de um tema sobrenatural. É uma versão palpável.
Se o leitor espera por um drama comum e realista, sua expectativa pode não ser atingida. Já o leitor que procura um enredo que começa aparentemente normal e segue de repente o caminho inesperado de Literatura fantástica, será uma boa escolha.
A autora escreve bem. Não conhecia o seu trabalho, mas nesse ponto ela me agradou.

A autora:
Justine Larbalestier é autora da série Magia ou Loucura e uma das organizadoras do livro Zumbis X Unicórnios, ambos publicados pela Galera Record.
Confesso que Menti foi o livro que mexeu com sua cabeça por alguns anos.
agora ela vive entre Sydney e Nova York, com o marido, Scott Westerfeld, também autor da Galera.

Links: Site | Twitter

31 comentários

  1. Tati, Tati, sempre me acrescentando novas informações. Já vi várias resenhas desse livro, mas não sabia mesmo que ele tinha uma pegada sobrenatural. Por mais que eu não goste, isso fez aumentar minha curiosidade (porque claro que eu quero saber há tempos por que ela mente tanto), principalmente porque a autora justifica como algo biológico. Como assim??? Fiquei confusa e aflita! rs
    Pena que a autora não soube explorar todo o potencial da história, poderia ter desenvolvido mais algumas partes e eliminado outras. Eu faço parte do grupo que prefere histórias realistas, mas confesso que esse livro me atraiu. E não, não estou mentindo. rsrs
    Beijinhos!
    Giulia - prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Giulia, após terminar a minha resenha, busquei por outras e percebi que, ao menos entre as lidas, ninguém informou isso. Creio que não querem soltar spoiler, mas como me decepcionei com a guinada da autora, vi que fiz bem em indicar isso aqui. Não chega a ser spoiler, com certeza.
      A autora escreve bem, mostrou uma versão interessante, mas eu não esperava que o livro fosse desse gênero... Resumindo: Não me agradou, mas como é bem escrito, tenho certeza que agrada a maioria. :)
      Beijos.

      Excluir
  2. Quero sim, ler este livro!
    Preciso saber se é isso que vejo por ai!
    Gostei da capa e da sua sinceridade.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rízia, leia sim, só dessa forma para sabermos, né. Espeor que goste muito do segredo da Micah!
      Beijos.

      Excluir
  3. Interessante! Não sei se gostei de saber que a explicação é meio sobrenatural, talvez quisesse a sensação de surpresa q vc teve haha! Mas mesmo assim, fiquei curiosa sobre a doença dela e a morte de Zach... E mais ainda, fiquei curiosa sobre se eu ia gostar ou nao da explicação da autora! Vou ficar de olho nas promoções, para ver se encontro com preço bom =]
    Agora, a capa... Não sei, parece que tenho certos problemas com rostos de pessoas em capas... Nao seria algo que me chamaria a atenção, ainda bem q li sua resenha! Hahaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lígia! Pode ter certeza que vai se surpreender de qualquer forma. Achei melhor alertar, porque o livro não é classificado como sobrenatural e pode criar confusão. Você vai, gostando ou não, se impressionar com a doença da Micah. Acho que essa foia ideia da autora.
      Mesmo com o rosto na capa, a imagem que a autora me passou foi beeeeeem diferente. A capa é linda, enfeita o livro, mas foi bom imaginar uma protagonista diferente.
      Espero que goste do livro :)
      Beijos.

      Excluir
  4. Ain, Tati.. eu li esse livro mas o abençoado não me prendeu... a leitura pra mim pareceu mais um jogo do que qualquer outra coisa e fiquei arrastando o máximo que pude.
    A capa também foi um problema pra mim quando resolvi comparar com a americana. Não que seja feia, mas pelo que pesquisei parece que houve um grande rebuliço quando queriam colocar uma moça branca e loira na capa como se uma adolescente negra não chamasse atenção dos leitores por causa de preconceito e fossem deixar de comprar e ler por isso. Até que depois de muitas controvérsias colocarem a tal menina negra. E acho que a publicação no brasil meio que seguiu o mesmo caminho, pq não mantiveram a menina negra "feia" que deixasse a capa menos atrativa, mas sim uma "Halle Berry" gatona justamente pra chamar atenção.
    Se foi coincidência ou não, não sei, mas não curti isso pq pra mim soou como preconceito disfarçado de estratégia de marketing.
    Pra mim foi um bom livro, mas só. A outra trilogia da autora (trilogia da magia) é mais legal.

    Bjodoce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Flávia, eu curti muito a protagonista ser negra, porque é raro. Incrivelmente temos poucos protagonistas negros, o que acho sem sentido. É essencial no livro ela ser "feia", então, por que colocar uma beldade na capa? Concordo com você. A capa é linda, mas não vejo Micah nela.
      Não fazia ideia dessa confusão com a capa original. A vi e achei que combina mais que a da Galera, mas ainda assim, não parece Micah. A solução teria sido explorar outra imagem.
      Bom saber que a trilogia da autora é melhor :)
      Beijos.

      Excluir
  5. Passei por algo parecido em outro livro, Tatiana! Que envolvia um super mistério, eu li inteiro achando que era algo real e ai o desfecho foi sobrenatural e eu não gostei da surpresa. Prefiro que o livro siga um gênero só, ou já te avisa desde o ínicio que há indícios sobrenaturais ou não inventa hahaha.
    Eu gostei muito dessa capa, andei caçando capas onde haviam personagens que não são caucasianos, e achei poucos, esse livro foi um deles - mas nunca imaginei que a trama fosse essa.

    O que eu gostei na sua resenha foi afimar que pelo menos o ciclo fecha, pior do que um desfecho sobrenatural é um livro sem desfecho, isso me chateia de verdade! Não é um livro que eu leria, pelo fato de não gostar desse mistura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Stephanie, por isso "avisei" aqui hehehe Também prefiro que haja logo uma definição. Porque mesmo assim, as surpresas podem ser elaboradas. A capa é linda, né?
      Sim, o ciclo fecha e, independentemente do leitor concordar ou não com o rumo, com certeza é surpreendido e fica satisfeito. Esse tem desfecho, leia tranquilamente.
      Beijos.

      Excluir
  6. Oi, Flor! Tudo bom?
    O título do livro já me deixou bem intrigada, já sinto que estou prestes a ler a resenha de um livro intenso e que com as revelações, vai trazer a perplexidade aos leitores. Autores são sempre feliz quando resolvem escrever em primeira pessoa, e como você disse, cria esse vínculo entre personagem e leitor, mas fiquei triste ao saber que o livro não atendeu as suas expectativas.
    Fiquei curiosa com relação a doença, principalmente por ela não ser identificada e ainda mais com esse assassinato, tenho quase certeza que ela deve saber de algo. Achei meio desagradável lermos através de uma personagem que mente e depois desmente, acho que ai acabamos nos confundindo e nem criamos confiança na personagem, porque acho que uma pessoa assim, não tem confiança nela própria.
    É, não imaginava que seriam mentirinhas, mas sim coisas fora do limite, porque conforme ela continua, as mentiras ficam mais elaboradas, e você ficou confusa como eu disse que provavelmente eu ficaria. Uou.. como assim entramos no tema sobrenatural ai? Não esperava meso ler isso e também concordo, acho que a autora se perdeu um pouquinho na hora de juntar as partes e se descontrolou um pouco. mas agora com essas partes explicadas, agora fica o assassinato e saber o que realmente aconteceu e como você, é o que não sai da minha cabeça.
    Mas por fim, sua duvida foi acalmada e no fim todos e tudo tem um desfecho e destino, o livro sendo bem finalizado, podemos fechar ele de consciência tranquila e sem raiva. Gostei muito da sua sinceridade para trazer a resenha, mentir também não adianta, mas você conseguiu fazer isso sem ser ofensivo, parabéns!
    E parabéns pelo blog também, adorei seu cantinho e você ganhou uma nova seguidora, que vai vir aqui sempre <3

    Beijinhos,
    Percepções Blog | Grupo: Mais um livro, Por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda! Confesso que Menti é assim mesmo, a Micah "brinca" com o leitor. Você simpatiza com ela, mas ao mesmo tempo fica em conflitos com os relatos dela. Cria uma enorme expectativa sobre o rumo da história, fiquei ansiosa, em dúvida, empolgada...
      Não acho que a autora se perdeu... Acho que ela causou uma surpresa chocante mesmo. Aí fica a critério de cada um. Não gostei do rumo, mas adorei a escrita da autora. É questão de gosto mesmo. Aposto que a maioria gosta :)
      Não poderia mentir em uma resenha de um livros sobre mentiras ahahahaha
      Obrigada pelo comentário fantástico e visita, que estarei em seguida retribuindo.
      Beijos.

      Excluir
  7. Oi Tati, tudo bem?
    Fiquei aqui pensando, uma doença sobrenatural que faça alguém mentir compulsivamente??? Interessante, e se disse que a explicação é realmente criativa, que ninguém espera por isso, acho que se tiver a oportunidade eu leio sim!!!!!! Eu entendi sua explicação, não é que o livro é ruim, e sim que você esperava um drama real, esperava que a autora fosse usar seu livro para nos alertar quanto a uma doença que já existe. Já sabendo de que nãos e trata disso, eu não ficaria decepcionada e gostaria do livro. Gostei da sua resenha, muito bem argumentada.
    Beijinhos.
    Cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cila! Exatamente isso, o livro é bom, apenas não era o que eu esperava :) Que bom que gostou do meu "aviso", assim já sabe o que esperar da leitura. E, no entanto, não sabe ahahaha porque tem muita surpresa!
      Sobre a relação entre mentiras x doença, já não posso falar, vai gostar de descobrir!
      Beijos.

      Excluir
  8. Oi Tati.
    Quer dizer que menina mente compulsivamente?! Que loucura!!
    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, e nem imaginava que ele era sobrenatural, e apesar de eu gostar bastante do gênero, essa história não chamou minha atenção, fiquei com a impressão de que ela é um pouco complexa e com muita informação....eu sempre me perco em narrativas assim.
    Entendo sua frustração, já passei por isso, e realmente é péssimo quando uma história toma um rumo que não é o que esperamos.
    Mesmo tendo ficado curiosa pra saber o motivo de Micah mentir tanto, essa não é uma leitura que eu faria.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paty, um dos itens principais do livro é isso: Ela mente compulsivamente, e mente para o leitor também. Não se preocupe, não chega a ser complexo e é simples de acompanhar o desenvolvimento, mas prepare-se para ouvir mentiras ahahaha
      Beijos.

      Excluir
  9. Olá
    Não me interessei pelo livro e nada além do nome da autora me chamou muito a atenção. Não gosto muito de rostos e gente no geral em capa de livro, só em casos muito raros é que eu acabo curtindo. A premissa não fez muito meu estilo, mas como dito anteriormente o nome da autora é o que me fez lembrar de Zumbis X Unicórnios, que quero muito ler.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena, Matheus. Quem sabe se você gostar de Zumbis X Unicórnios não fique curioso?
      Beijos.

      Excluir
  10. Oi Tati!!!!
    Eu não conhecia esse livro, mas fiquei super curiosa para lê-lo!
    Achei interessante essa parte sobrenatural, uma pena que tenha te frustado, se eu lesse esse livro sem ler tua resenha esperaria também que se tratasse de uma ficção baseada na realidade.Mas ainda assim, a trama chamou minha atenção.
    Beijokas

    Lara - Magia Literária
    http://www.magialiteraria.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lara, o livro foi pouco resenhado pela blogosfera. Espero que possa lê-lo e que se surpreenda coma trama! E pode apostar: Mesmo ciente sobre a pitada sobrenatural, você ficará surpresa.
      Beijos.

      Excluir
  11. Oi, Tati
    Nem conhecia esse livro. Diferente de você eu não gostei muito da capa. Essas capas com rostos de atores dificilmente me agradam. No entanto, a premissa do livro é interessante e parece ter uma abordagem de suspense e sobrenatural interessante e eu adoro livros que nos surpreendem. Uma pena que a leitura não tenha sido toda prazerosa Tati. Fiquei nem curioso sobre os segredos e surpresas que a trama escondem e se tivesse oportunidade, eu leria sim!

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriano, não me incomodo se tem pessoas na capa, mas nesse caso, não é uma atriz não. Mas é uma moça diferente da protagonista, embora também seja negra,
      A leitura até foi prazerosa, só não o que eu esperava. Mas acho que você vai gostar do mistério, leia sim!
      Beijos.

      Excluir
  12. Amo livros cheios de surpresas, e confesso que não tinha a menor ideia de que o livro tinha literatura fantástica. Pedi esse livro para resenha, mas Tati, eu nem tinha notado que era da Justine!! hahaha... Ela é uma fofa e nunca li nada dela, agora fiquei ainda mais feliz! Também achei a imagem da capa muito linda, e estou bem curiosa para conhecer a história. Esse negócio da margem superior da página ser muito estreita deve ser mesmo meio esquisito, mas nada que não possa ser superado. Pena que a experiência não foi de todo positiva para você, mas a leitura valeu a pena de toda forma, né?

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju! Sim, a leitura valeu a pena, mesmo não tendo sido 100% positiva. O livro é bem escrito, mesmo que o segredo não tenha me agradado. Eu pedi justamente por ser da Justine, sempre tive curiosidade sobre a escrita dela, e isso, eu gostei.
      Beijos depois quero saber sua opinião.

      Excluir
  13. Oii,

    Não sei porque o meu comentario não foi. A história parece ser bem interessante, pelo menos pela sinopse, pena que você não curtiu tanto. Não gostei da capa :( :(
    Mas leria em um futuro :)

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana, não curti muito a parte da grande revelação, mas adorei a escrita da autora. Certamente darei outra chance a ela. Beijos.

      Excluir
  14. Porque diabos eles tem que incluir sobrenatural nesse tipo de história? Pra mim, estragou completamente o enredo.
    Já vi um livro policial que no final não tinha justificativa real, era algo sobre natural também.. arg. não gosto.
    Por conta disso, esse é um livro que dificilmente entrará na minha lista, mas ainda sim fiquei muito curiosa para saber o porque ela mente compulsivamente. e também sobre a morte, morrida ou matada, de Zach.
    Precisamos conversar hahaha

    Beijos, Andressa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dreeh, sinceramente, é um bom livro, mas como eu não esperava por isso, me frustei, sabe? Se eu esperasse, já iniciaria ciente e acho que teria gostado bem mais. E ainda assim, teria tido a grande surpresa, só que de modo positivo.
      Beijos.

      Excluir
  15. Olá Tati!
    Eu achei a capa linda. A modelo é muito bonita. Não conhecia o livro e confesso que não fiquei a fim de ler. Achei uma história chata sem muito diferencial. Como tenho muitos livros para ler tenho que selecionar bem o que vou ler.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá tudo bem ?Bom vou ser sincero com você, cheguei aqui no post e olhei para a capa do livro e disse "Esse livro deve ser horrível", bom acho que estava enganado, li a sinopse e a história me chamou atenção na hora, original, nunca li nada igual, gostei demais. O título das três partes são muito legais, e a sua resenha me animou bastante, só não gostei da parte em que você diz que a doença dela não é algo tão humano assim e a autora começa a envolver coisas sobrenaturais e tal. Acho que isso, não estraga a leitura, mas é um pequeno spoiler (pra mim foi) e fiquei um pouco decepcionado com isso.
    Abraços, Carlos.

    http://blogchuvadeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação, então aguarde, por favor.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de e-Books ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras