Pesquise no Leitora Viciada

8 de setembro de 2014

Confesso que Menti, de Justine Larbalestier e Galera Record

Confesso que Menti (Liar)
Justine Larbalestier - Galera Record
320 páginas - Ano: 2014 - R$35,00

Sinopse:
"Micah Wilkins é uma mentirosa compulsiva. Para ela, mentir é tão natural quanto respirar. Por isso é preciso prestar muita atenção a seu relato e desconfiar de tudo o que ela disser. Por que ela mente? É um segredo que envolve o outro. Tudo começou quando ela nasceu com a doença da família. E desde então Micah criou um labirinto de mentiras para manter todos afastados da única e terrível verdade.
Mas quando seu namorado Zach é encontrado morto em circunstâncias violentas e misteriosas, o comportamento nada confiável da menina a transforma na principal suspeita do crime.
Agora, para desvendar essa trama e provar sua inocência, Micah Wilkins promete contar apenas a verdade e nada mais que a verdade."

Links: Galera Record | degustação | Skoob | comprar

Resenha:
A imagem da capa é linda, o rosto da protagonista com pele e olhos brilhantes. Somente na segunda parte do livro é que compreendi o visual vivo. Micah se considera feia, e todas as personagens que opinam sobre sua aparência não a acham bonita. Mas eu a achei muito bonita na capa.
A diagramação é simples e agradável. Estranhei a margem superior da página ser muito estreita, o texto quase encosta no limite da folha, sobrando muito espaço no rodapé.
O que me atraiu em Confesso que Menti foi, além da beleza da capa, a sinopse misteriosa.
Minha leitura durou apenas um dia, mas, no entanto, não foi de todo positiva. Acredito que seja porque ao descobrir o segredo de Micah, ou seja, a doença da família (e também o ponto principal do livro), não curti a ideia da autora, embora seja supercriativa. Não posso entrar em detalhes, porque minha última intenção é estragar a surpresa de quem ainda vai ler.

A narrativa é em primeira pessoa. Micah conta sua história como se fosse uma conversa direta com o leitor. É uma grande confissão. Ela "fala" com você, tornando a leitura íntima. Uma boa escolha da autora para conseguir mostrar como Micah mente e omite os fatos, para em seguida contar a verdade. Ou o contrário.
O livro não possui capítulos, apenas pausas. A estrutura é muito organizada, ainda mais se tratando de um relato que se alterna entre "antes" e "depois", além de observações da narradora a respeito de seu histórico pessoal, escolar e familiar. O acontecimento central da trama é o assassinato de Zach, colega de classe com quem Micah manteve um caso amoroso; e a doença de Micah. Então os pensamentos de Micah se classificam como antes ou depois da perda. É importante também descobrir a doença e como interfere em toda a vida de Micah.

O livro é composto por três partes. A primeira ocupa a metade do livro: Contando a Verdade. Fiquei em dúvida o tempo inteiro. Não sabia o que era mentira e o que era verdade. Não sabia se Micah estava sendo sincera, porém tinha a certeza de que ela me surpreenderia.
Fiquei curiosa sobre a morte de Zach. Mais ainda sobre a doença que Micah tem, mas não entra em detalhes.
Quando passei da metade dessa primeira parte, o mistério me envolveu e fiquei muito ansiosa. Não compreendia o porquê de Micah contar mentiras bizarras - essas o leitor descobre na hora. Não o tipo de mentirinha para agradar alguém nem para se livrar de algo negativo ou se dar bem. São mentiras desnecessárias, para atrair a atenção e chocar as pessoas. Fato que não me convenceu. Se Micah diz a todo instante que prefere ser invisível, por que então ela choca com mentiras extravagantes? Deixando-a como o foco das conversas dos estudantes e professores da escola, por exemplo?
Antes de iniciar a segunda parte, imaginei diversas razões para ela ser uma mentirosa compulsiva. Imaginei também várias doenças que a deixassem daquele jeito. E, claro, me perguntei sobre a morte de Zach, se alguém ligado a ele ou Micah tinha culpa.

Então chegou a segunda parte: Contando a Verdade Verdadeira. Minha frustração foi grande. Não é uma explicação ruim. Na verdade, pelo contrário, é boa: Muito criativa e inesperada. Eu jamais imaginei qual seria a doença de Micah.
O problema é que o livro tomou um rumo totalmente diferente das minhas expectativas. Pensei que fosse uma ficção baseada na realidade, com dramas de uma adolescente com uma doença séria, problemas com a aparência, que sofre bullying, perde o namorado e se esconde em mentiras e ilusões.
O máximo que posso dizer é que a trama passa a ser guiada por itens sobrenaturais, retratados de forma crível. Micah não é uma adolescente comum. A autora surpreende bastante, mas não foi do meu agrado. Adoro todos os gêneros sobrenaturais, porém não era o que eu tinha em mente.
Nessa segunda parte, que é bem curta, Micah conta o seu verdadeiro problema. Descobrimos qual é a doença da família e o porquê dela mentir. Além de não ter gostado do segredo, esse trecho foi um pouco cansativo para mim, porque é uma sequência explicativa. Mas certamente quem gosta da revelação, esse esclarecimento será interessante. O ponto forte é que a autora transforma algo que geralmente é mágico, em orgânico, biológico - combinou.
O clímax da trama é descobrir se Zach foi mesmo assassinado. Sendo positivo, como e por quem? O suspense sobre o homicídio tornou-se essencial para me manter interessada.

A terceira e última parte, A Verdade de Fato Verdadeira, contém o ápice da obra e conecta todas as ocorrências. Descobrimos o que aconteceu com o Zach e o que será de Micah, após tantas conturbações. Finalmente a adolescente confessa suas mentiras e omissões. Algumas boas reviravoltas acontecem, especialmente a respeito da família e sua "doença".
Achei algumas finalizações um pouco corridas e desesperadas, mas a autora finaliza a história sem falhas. Boa dica de leitura para quem não quer se apegar a uma série.

Confesso que Menti é um livro jovem, com muitas surpresas. É um suspense e reciclagem criativa e diferente de um tema sobrenatural. É uma versão palpável.
Se o leitor espera por um drama comum e realista, sua expectativa pode não ser atingida. Já o leitor que procura um enredo que começa aparentemente normal e segue de repente o caminho inesperado de Literatura fantástica, será uma boa escolha.
A autora escreve bem. Não conhecia o seu trabalho, mas nesse ponto ela me agradou.

A autora:
Justine Larbalestier é autora da série Magia ou Loucura e uma das organizadoras do livro Zumbis X Unicórnios, ambos publicados pela Galera Record.
Confesso que Menti foi o livro que mexeu com sua cabeça por alguns anos.
agora ela vive entre Sydney e Nova York, com o marido, Scott Westerfeld, também autor da Galera.

Links: Site | Twitter

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail