Trilogia do Baztán, livro 1: O Guardião Invisível, de Dolores Redondo e Editora Record

O Guardião Invisível (El Guardián Invisible)
Trilogia do Baztán (La Trilogía del Baztán) - livro 1
Dolores Redondo - Editora Record
Tradução: Maria Alzira Brum
364 páginas - Ano: 2014 - R$40,00

Sinopse:
"O primeiro volume da trilogia das investigações da inspetora Amaia Salazar.
Às margens do rio Baztán é encontrado o corpo de uma adolescente, assassinada em uma cerimônia macabra. No local, há pelos de diversos animais, vestígios de couro e rastros de algo não humano. Ela não foi a primeira vítima nem será a última. A imprensa logo responsabiliza o basajaun pelo crime, uma figura mítica guardiã dos bosques. Agora, Amaia Salazar, a investigadora responsável pelo caso, precisa retornar à sua cidade natal e lidar com fantasmas do passado enquanto busca um assassino em série muito mais aterrador do que pode imaginar."

Links: Record | Skoob | comprar

Resenha:
Capa simples, porém representativa. Como se você olhasse para cima, em pleno bosque frio, cenário central da trama, e notasse um céu mágico, que simboliza a mitologia do livro. O título possui um efeito que gostei: invisível é em relevo e transparente.
O Guardião Invisível é o primeiro volume da Trilogia do Baztán, escrito pela espanhola Dolores Redondo e protagonizado pela inspetora Amaia Salazar. Publicado na Espanha em 2013, foi best-seller e chegou em 2014 ao Brasil pela Editora Record (Grupo Editorial Record).
O livro teve seus direitos vendidos para uma adaptação cinematográfica e terá a mesma produção de Millenium, de Stieg Larsson.
O principal motivo por eu ter me interessado é que o pano de fundo é a mitologia basca. O País Basco é uma região parcialmente autônoma, mas não mais independente, que abrange a nordeste da Espanha e uma parte menor na França, cortado pela cadeia de montanhas Pireneus. É um dos povos mais antigos da Europa e de um idioma único. Minha mãe nasceu lá, assim como toda a minha família materna e parte da paterna. Então eu adoro tudo relacionado a região e sou apaixonada pelo folclore basco e seus seres ricos e, infelizmente, pouco conhecidos.
A cultura basca é mostrada de modo atraente, por exemplo, a culinária. O cenário principal é o povoado de Elizondo e a região do vale / rio Baztán, em Navarra.
Embora geralmente as pessoas tenham em mente uma Espanha calorosa, o extremo norte e nordeste, em fronteira com a França, são frios e úmidos, principalmente nas áreas montanhosas. Portanto, mais um romance policial gélido europeu.


É um livro de suspense policial, em ritmo ininterrupto de thriller, tanto de ação física quanto psicológica (esta sobressai-se). Não conseguia largar o livro.
Fui surpreendida positivamente e minhas expectativas foram superadas, porque, embora contenha todas as características de um thriller excelente, ainda traz aspectos próprios muito interessantes, além da mitologia basca.
A protagonista é feminina e o foco da trama não é o assassino. Porque, geralmente, mesmo não sabendo quem é o criminoso, e sendo um investigador a personagem principal, os thrillers se centram nos atos do homicida. Aqui há um equilíbrio entre a busca pelo assassino e acontecimentos paralelos.
A autora foi engenhosa e não consegui descobrir a identidade do culpado até que ela fosse revelada, isso já fez minha leitura valer a pena.
Um dos melhores aspectos do enredo é que seu desenvolvimento não se limita às investigações policiais. A história e passado da inspetora Salazar são essenciais, assim como sua família e as relações entre as personagens. Portanto, o livro pode ser interessante para leitores que não gostam muito de romance policial, já que a autora traz com sensibilidade a vida pessoal das personagens. Em vários momentos isso é mais importante que os crimes.


Amaia é nomeada chefe do caso por dois motivos: Ter estudado com o FBI e por ter nascido na região, exatamente em Elizondo.
Adolescentes são encontradas mortas nas margens do rio Baztán, de modo chocante e sempre com o mesmo modus operandi: Roupas rasgadas, mãos colocadas em certa posição, fio usado para asfixiá-las, pelos de diversos animais, vestígios de couro e... não posso contar! Sempre da mesma forma, os mesmos itens pitorescos. Um deles, ligado à cultura local.
Amaia jurou nunca mais retornar ao seu povoado, após ter sofrido traumas profundos durante a infância. Porém, o dever é mais importante que o passado, pois o futuro de meninas sofre perigo nas mãos de um assassino frio.
O livro é densamente psicológico e muitas observações a cerca disso podem surgir. Por exemplo: A necessidade de Amaia em salvar as adolescentes, reflexo de seu sofrimento ainda não superado. Ou suas dúvidas sobre engravidar, já que o relacionamento com sua mãe foi um desastre, tanto que fora criada pela tia.

A narrativa é em terceira pessoa, dando abertura para diversos pontos de vista, não apenas das personagens principais, mas também das secundárias. O leitor não fica preso apenas a protagonista, isso é favorável.
O estilo da autora é diferente, pois a tensão e ansiedade nas cenas são naturais. As sensações são profundas, as personagens cativantes e não encontrei a superficialidade típica que a maioria dos thrillers apresenta, especialmente na forma como um capítulo termina, sempre com um gancho premeditado que tente fazer o leitor não pausar a leitura. A autora de O Guardião Invisível faz isso com excelência e, na verdade, discretamente, porque o leitor não percebe as manobras, mas não para de ler.
Junto ao folclore basco, existe um toque sobrenatural e mágico na história. Se você gosta de conhecer lendas e mitologia, o livro é interessante. Conheça não apenas o Basajaun, mas também outros seres fantásticos bascos, como Mari.
E você pode estar pensando que o livro não é história única, é uma trilogia, então tem dúvidas se deve se prender a uma série. O grande acerto da autora é que ela não deixou um gancho apenas no final. Sem o leitor descobrir, ela já lança itens para a próxima história, na metade do livro. O leitor é surpreendido na página final sobre como provavelmente Amaia Salazar terá um novo caso a ser desvendado, porém tem a feliz surpresa em saber que a intriga já estava sendo preparada e não notou!
Foram quase cinquenta capítulos e eu só consigo pensar na continuação, que espero ser lançada em breve pela Editora Record, na verdade, imploro pela rápida publicação.


Todo fã de thriller, suspense e romance policial vai adorar O Guardião Invisível. Mas quem costuma achar que apenas sequências de crimes, investigações e perseguições são itens rasos para uma boa história, recomendo sair do lugar-comum e experimentar este livro.
Sim, ele tem tudo que o gênero de suspense psicológico e policial possui, mas com a diferença de mostrar dramas familiares, relacionamentos intensos, romances e problemas pessoais. No interior de uma investigadora, existe uma pessoa, e é o ponto de destaque.
Uma história com crimes e muito mistério, mas que os relacionamentos familiares são envolventes e as mulheres, fortes e decisivas.
E sobre o ser folclórico Basajaun, o Guardião do Bosque? É ele o título do livro, mas, será mesmo invisível?
A continuação possui o título Legado en los Huesos, publicado na Espanha em 2013.

Meu O Guardião Invisível em cima de um livro infantil de mitologia basca com a figura de Basajaun.


A autora:
Dolores Redondo nasceu em 1969, em San Sebastián e estudou Direito e Gastronomia. Durante alguns anos se dedicou aos negócios e chegou a ter seu próprio restaurante.
Começou a escrever contos e histórias infantis. Em 2009 publicou seu primeiro romance, Los Privilegios del Ángel. Em janeiro de 2013 publicou O Guardião Invisível, primeiro volume da Trilogia Baztán, trazido ao Brasil em 2014 pela Editora Record.
Atualmente vive e escreve na Ribera Navarra.

Links: Site | Facebook | Twitter

Booktrailer espanhol:


13 comentários

  1. O livro parece mesmo ser bem bacana, mas confesso que não é o tipo de leitura que faz meu estilo. Porém você recomendou tanto a obra que é impossível não ter vontade de ler.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. É verdade que as pessoas se prendem na maioria aos mitos greco-romanos. Achei a sinopse muito chamativo, realmente fiquei interessada em adquirir o livro, melhor dizendo a série.
    Não leio muito romances policiais, mas de fato gosto do gênero em outras vertentes, mas admito que sua resenha me deu ainda mais vontade de ler o livro, a sinopse bastaria pra me empolgar. E admito que prefiro livros em 3 pessoa do que na 1 pessoa, acho muito mais enriquecedor pra própria história esse ponto.
    Com todos esses a favores , talvez já esteja amando o livro?! ^~^

    ResponderExcluir
  3. Oi Tati

    Adorei a sua resenha sobre esse livro que eu não conhecia! Fiquei muito interessada em ler porque esse livro reuniu vários elementos que eu gosto em uma obra: suspense, mitologia e uma boa investigação policial. E é claro toda a carga psicológica que a protagonista enfrenta!
    Vou procurar para ler com toda a certeza!

    Super bjos
    http://www.i-likemovies.com/

    ResponderExcluir
  4. Oie,

    Já a resenha Adriano do Geração Leitura.com e ele amou o livro, estou cada vez mais apaixonada por essa capa e a historia, nos traz um elemento novo uma mitologia nova, que antes da resenha eu nem sabia que existia e estou me acostumando com livros policiais, eles são muito bons e então acho que não posso perder esse.

    Mayla

    ResponderExcluir
  5. Oi Tati. Lembro do lançamento desse livro e não tinha ficado animada em ler, após ler sua resenha percebi que perdi una ótima leitura. Eu adoro romances policiais, cercados de dramas familiares e com as evidências do crime. Sempre que leio um livro desse gênero ficou tentando desvendar o crime, descobri quem é o assassino. Enfim.. Agora o livro faz parte da minha lista e espero ler logo. E espero que publiquem logo a continuação.

    Beijos,
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  6. Olá

    Que capa linda! Simples, porém representativa e muito bonita. Gosto bastante de suspense e thriller policial, apesar de ter lido muito pouco, então já fiquei bem curioso. Não conheço muito de mitologia basca e me interessei basicamente pelo livro apresentar diversas coisas. Fiquei bem curioso também pra saber como a autora desenvolve os personagens fora das investigações, as vezes acho isso muito bacana, outras nem tanto. Já anotei a dica!

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Tati!!

    Olha, eu não sou lá absurdamente fã de thrillers, mas alguns eu adoro, e esse parece que se encaixa na categoria dos que me agradam. Porque o que me faz gostar de livros do gênero é justamente o assassino não ser o foco, ter dramas pessoais envolvidos. Como a investigadora se torna uma pessoa, e não apenas uma profissional sem vida, acho que ia curtir a leitura. A única coisa que me deixou com o pé atrás foi ser trilogia, mas de repente quando lançarem o resto já consegui finalizar várias séries aqui e aí posso me liberar pra ler... rs...

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  8. Tati, estou louca nesse livro, só não comprei o meu ainda porque é muito caro rrsrs
    Adoro romances policiais, cheio de suspenses. OMG! Sempre gosto de tentar desvendar os assassinos, mas nunca consigo...Acho que não seria uma boa detetive kkkk
    Adorei a resenha, só reforçou a minha vontade de ter o meu livro em mãos :)
    Ahh, antes que eu me esqueça, acho a capa linda, como você disse é uma capa simples, mas tem algo nela que me agrada, e muito.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oiii
    Que capa linda :o Só de olhar a capa tive a sensação que precisaria lê-lo, e quando li sua resenha, minhas suspeitas se confirmaram! Preciso ler ele, amo suspense
    Espero comprá-lo em breve!
    Beijinhos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Tati já tinha visto em outro Blog a resenha desse livro e me encantado até anotei o nome para ler, adoro suspense policial mesclado com um toque de romance fica perfeito. Já está em minha lista .Ainda mais por trazer as relações pessoais na história sem focar somente no suspense . beijos

    ResponderExcluir
  11. Tati,
    Eu acho essa capa bem representativa como você falou e eu já li o livro. Lembro que você comentou la no blog sobre a origem familiar ser basca e imagino que essa característica te aproxime mais da trama. O livro é incrível. Eu amei conhecer a Amai, resolver o enigma e encontrar o culpado e no meio de tudo isso, a Dolores conseguiu nos transportar para o folclore basco, com as lendas, costumes e culinária. Além da descrição meticulosa de cada paisagem. Foi uma leitura maravilhosa e eu quero mais livros da trilogia do vale do Batztan.
    Amei a resenha ^^

    Abraços
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. OMG Tati! A cada dia quero mais esse livro.
    Eu já tinha ficado muito interessada quando li a resenha do Adriano. Agora que você levantou outros pontos que eu gosto muito como o como thriller ser bem psicológico.
    Você tem uma origem familiar bem incomum, encontrar ela representada em um livro deve ter sido muito bom!
    O livro já foi para a minha lista de desejados e eu espero poder ler em breve ;D

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Tati!!!
    Nossa eu amo livros do gênero!
    E esse livro parece muito bom, fiquei super interessada nele, essa parte do suspense psicológico e de uma trama profunda, focando não apenas nas sequências de crimes, mas também nos dramas, problemas e relacionamentos intensos fizeram minha curiosidade aumentar ainda mais.
    Parabéns pela resenha =)
    Beijokas

    Lara - Magia Literária
    http://www.magialiteraria.com/

    ResponderExcluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de ebooks ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras