Pesquise no Leitora Viciada

3 de novembro de 2014

Harry Potter: Leia o novo conto de J. K. Rowling em português - A história de Umbridge

Oi, Leitoras e Leitores Viciados, no dia 31 de outubro é dia de Halloween, mas também é comemorado o #PotterDay, data em que Voldermort não conseguiu assassinar o bebê Harry Potter, pois o amor dos pais deste foi mais forte. Dia também de demonstrar o orgulho de ser fã de Harry Potter.

J. K. Rowling, autora da série, publicou um novo texto no Pottermore, site oficial do Harry Potter: A história inédita de Dolores Umbridge (ela foi inspirada em uma pessoa real!).
Além disso, foi acrescentado ao site os 35 primeiros capítulos de A Ordem da Fênix e conteúdos inéditos incluindo Um Olhar nos Mágicos e Misteriosos (Testrálios), a história sombria da prisão bruxa de Azkaban, os pensamentos de J. K. Rowling sobre a personagem Sibila Trelawney, detalhes de todos os que já ocuparam o cargo de Ministro da Magia, e mais!

A história de Dolores Umbridge  foi disponibilizada por completo em português pela equipe do Potterish!

Em respeito ao trabalho dos tradutores, reproduzo aqui apenas o início do texto. É só clicar no final da postagem em "continuar a leitura" e conferir na íntegra.

Créditos:
Autora: J. K. Rowling | Tradução: Mari Trevisan | Revisão: Luly Miranda
Postagem original: Débora Jacintho | Sites: Pottermore e Potterish

Atenção: Contém spoilers para quem ainda não leu os sete livros.

Novidades de J. K. Rowling

Aniversário: 26 de agosto
Varinha: Bétula e fibra de coração de dragão, vinte centímetros
Casa de Hogwarts: Sonserina​
Habilidades especiais: Sua pena para castigos é sua invenção
Parentesco: Mãe trouxa e pai bruxo
Família: Solteira, sem filhos
Hobbies: Colecionar todos os pratos ornamentais ‘Felino Feliz’, colocar babados em tecidos e em objetos inanimados, inventar instrumentos de tortura

Dolores Joana Umbridge era a mais velha e a única filha de Orford Umbridge, um bruxo, e Ellen Cracknell, uma trouxa, que também tinha um filho aborto. Os pais de Dolores não eram felizes em seu casamento, e ela secretamente desprezava ambos: seu pai por sua falta de ambição (ele nunca foi promovido, e trabalhava no Departamento de Manutenção Mágica no Ministério da Magia), e sua mãe, Ellen, por sua tolice, sujeira e linhagem trouxa. Orford e sua filha culpavam Ellen pela falta de habilidade mágica do irmão de Dolores, sendo que, quando Dolores tinha quinze anos, a família se separou ao meio, com Orford e Dolores ficando juntos, enquanto Ellen voltou ao mundo trouxa com seu filho. Dolores nunca viu seu irmão nem sua mãe novamente, nem nunca os mencionou, e, portanto, fingia para todos que conhecia que era uma puro-sangue.

Como bruxa formada, Dolores se juntou ao Ministério da Magia assim que saiu de Hogwarts, conseguindo um emprego como estagiária, um cargo muito baixo na Seção de Controle do Uso Indevido da Magia. Mesmo aos dezessete anos, Dolores era crítica, preconceituosa e sádica, porém, sua atitude cuidadosa, seu jeito meloso com seus superiores, e a crueldade e furtividade com os quais ela recebia crédito pelo trabalho alheio logo fez com que fosse promovida. Antes dos trinta anos, Dolores havia sido promovida para Chefe de Seção, e foi apenas um pequeno passo dali para posições ainda mais altas na gerência do Departamento da Execução das Leis da Magia. Nessa época, havia persuadido seu pai a se aposentar cedo, e ao deixá-lo com uma pequena mesada, assegurou-se de que ele saísse de cena. Quando lhe perguntavam (geralmente colegas de trabalho que não gostavam dela) ‘você é parente daquele Umbridge que costumava esfregar o chão aqui?’ ela punha o sorriso mais doce em seu rosto, ria e negava qualquer relação, dizendo que seu falecido pai havia sido um membro importante da Suprema Corte dos Bruxos. Coisas ruins aconteciam com quem perguntava sobre Orford, ou sobre qualquer coisa que Dolores não gostava de falar, e aqueles que não queriam contrariá-la fingiam acreditar em sua versão de sua ancestralidade.

Continuar a leitura.


Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail