Pesquise no Leitora Viciada

18 de março de 2016

Blogagem coletiva: Editora Arqueiro lança livros com o tema Vingança Pornô (Revenge Porn)

Oi, Leitoras e Leitores Viciados, vocês viram os lançamentos de março da Editora Arqueiro? A editora propôs aos parceiros uma Blogagem Coletiva sobre um assunto muito grave, atual e extremamente relevante, tema dos livros da autora Robin York: Profundo e Intenso: Revenge Porn, ou em português, Vingança Pornô ou Pornografia de Revanche; chamado ainda de Cyber Vingança ou Pornografia Não Consensual.
É a exposição na internet de imagens e / ou vídeos íntimos e / ou sexuais de terceiros sem o consentimento dos mesmos. O material geralmente contém sexo explícito, imagens eróticas, a pessoa em roupas íntimas / nua. E mesmo que tenha sido gravado ou registrado de forma consentida, os envolvidos o fizeram sem a intenção de divulgar publicamente. Geralmente a relação termina e uma das partes expõe fotos ou vídeos da outra para se vingar, envergonhar ou denegrir a imagem da outra. Muitas vezes, o material é roubado / hackeado. Ou a relação nem precisa ter terminado para que a pessoa exponha a outra.


Os casos de Vingança Pornô são muito graves e quadruplicaram no Brasil nos últimos dois anos. Nossa sociedade infelizmente tende a culpar a vítima, geralmente com o discurso de "ela se deixou ser filmada / fotografada" ou "ela não deveria guardar as próprias fotos sensuais". A vítima costuma ser culpabilizada até mesmo quando nem sabia que estava sendo registrada em situação íntima. Quase sempre são mulheres coagidas e envergonhadas por ex-parceiros nos quais elas confiaram. O importante é que ela é a vítima e está sofrendo! Campanhas contra a Vingança Pornô precisam ser viralizadas, amplamente divulgadas e os culpados sempre punidos. Vítimas precisam de apoio psicológico e moral. E respeito público.

Elas sofrem posteriormente com medo da segurança pessoal / integridade física caso as imagens tenham sido divulgadas acompanhadas de dados pessoais. Elas têm pavor de serem contatadas pessoalmente, de sofrerem retaliações ao vivo.
Sofrem também de necessidade constante de vigiar, mesmo após a resolução do caso. Elas não conseguem parar de buscar pela internet e pelo Google suas imagens, sempre achando que tudo pode retornar a qualquer momento.
Muitas ficam traumatizadas em novos relacionamentos, com medo de serem filmadas ou fotografadas novamente, durante o ato sexual ou momento íntimo, buscando por câmeras escondidas, confiscando aparelhos eletrônicos.
Algumas têm muito dificuldade em ter novos relacionamentos por vergonha, medo, insegurança. A vergonha e insegurança se estende à todos os campos da vida da vítima, incluindo familiar e profissional.
Uma adolescente no Piauí teve um vídeo íntimo exposto na internet sem seu consentimento, entrou em depressão e se suicidou. Uma jovem em São Paulo denunciou o ex-namorado após o rapaz expor imagens íntimas da moça na web e ameaçá-la de morte.


Conheça os livros:

Profundo
Caroline e West - livro 1
Robin York - Arqueiro
320 páginas - 2016 - R$34,90 (impresso) e R$22,99 (e-Book)
Comprar: Amazon | Livraria Cultura | Livraria da TravessaLivraria Saraiva
Leia a amostra do livro!

Sinopse:
"Caroline Piasecki vê sua vida se transformar em um pesadelo quando o ex-namorado espalha fotos dela nua na internet. De uma hora para outra, sua reputação é arruinada e o futuro promissor que a aguardaria após a faculdade já não parece tão garantido. Desesperada, ela tenta fazer com que as imagens sumam da rede e, ao mesmo tempo, procura se defender da multidão de pessoas que a julgam.
Um dia, quando um cara que ela mal conhece sai em sua defesa e dá uma surra em seu ex-namorado, tudo muda. À primeira vista, West Leavitt é a última pessoa de quem Caroline deveria se aproximar – ele tem um ar sombrio e ganha a vida de forma ilícita. Ela, por sua vez, é o tipo de garota que West sempre tentou evitar. Rica e privilegiada, jamais entenderia as dificuldades pelas quais ele já passou.
Mesmo com todas as diferenças, os dois se tornam amigos. Com Caroline, West sente que fará de tudo para ser um homem melhor, e ela encontra nele a força para reagir. Quando parece impossível resistir à paixão avassaladora, West e Caroline descobrem que às vezes a única opção que resta é ir mais fundo."

Intenso
Caroline e West - livro 2
Robin York - Arqueiro
272 páginas - 2016 - R$34,90 (impresso) e R$22,99 (e-Book)
Comprar: Livraria Cultura | Livraria da TravessaLivraria Saraiva
Leia a amostra do livro!

Sinopse:
"A vida de West Leavitt foi do céu ao inferno em poucos meses. Ele achava que era possível ter um futuro melhor, mas acabou retornando para os dramas diários de sua família. Agora, em meio a uma tragédia, o rapaz não sabe o que fazer para ajudar Frankie, sua irmã caçula. Quando ele está prestes a desmoronar, só uma pessoa lhe vem à mente: a jovem segura e determinada que ele um dia pensou merecer.
Longe dali, Caroline Piasecki sonha mais uma vez com West: a pele contra o seu corpo, o cheiro dele, a mão deslizando pela sua barriga... Mas sonhos são apenas sonhos. Ela sabe que o ex foi embora e não vai voltar. Por mais doloroso que seja, Caroline precisa se esquecer do tempo que passaram juntos. Até que seu celular toca e um West transtornado está do outro lado da linha. Sem pensar duas vezes, Caroline vai ao seu encontro.
Só que muita coisa mudou desde que eles terminaram. West tenta afastar Caroline de sua vida de todas as maneiras. Ao mesmo tempo, o desejo que sentem um pelo outro parece ter ficado até mais forte no período em que estiveram separados. West ainda sente algo por ela, mas não se considera uma boa companhia para ninguém. Caroline quer estar nos braços de West, mas sabe que deve partir para que ele não sofra.
Nesse embate de emoções, eles precisarão encontrar os próprios caminhos e descobrir: por mais intenso que seja o laço que os une, ainda é possível um recomeço?"


Robin York, autora de Profundo e Intenso, deixa um recado aos leitores sobre o tema:

Nota da autora:
"Queridos leitores,
O que aconteceu com Caroline se chama "vingança pornô" ou"pornografia não consensual" e é uma droga. É também perfeitamente legal em todos os Estados Unidos, com exceção de Nova Jersey e da Califórnia.
Vingança Pornô é uma forma de abuso que usa imagens sexuais sem o consentimento a pessoa retratada como forma de constranger, ferir e denegrir a vítima. Acontece o tempo todo, abertamente, com o consentimento legal norte-americano.
Isso precisa parar.
Se quiser saber mais sobre o assunto ou emprestar sua voz para apoiar a criminalização da prática, peço que visite o site End Revenge Porn, apoiar as vítimas e fazer campanha junto a legisladores para modificar a lei.
Com carinho,
Robin York."

Saiba mais sobre Vingança Pornô:

No Brasil, a Lei Maria da Penha (11.340/2006) é o principal instrumento legal para coibir e punir a violência doméstica praticada contra mulheres no Brasil, mas será que ela serve para uma mulher que sofra com Vingança Pornô? Dentro dela, existe o Artigo 7º, com os seguintes trechos:
"... São formas de violência doméstica e familiar contra a mulher, entre outras: 
...
II - a violência psicológica, entendida como qualquer conduta que lhe cause dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação;
...
V - a violência moral, entendida como qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria."
A Lei Maria da Penha enquadra os casos apenas como "injúria ou difamação" e a punição é branda, apenas com indenização de danos morais.

Temos a Lei Carolina Dieckmann (12.737/2012) que foi criada depois que o caso da atriz ganhou proporção nacional. Ela teve seu computador pessoal invadido, seu conteúdo roubado e suas fotos íntimas expostas na internet. É um acréscimo dos artigos 154-A a 154-B ao Código Penal, situados dentro dos crimes contra a liberdade individual. Não é uma lei específica, é para dados em geral que mantemos em nossos computadores ou dispositivos móveis (smartphones, tablets, etc), incluindo fotos, vídeos, mensagens, senhas, qualquer dado.
"Invasão de dispositivo informático
Art. 154-A.  Invadir dispositivo informático alheio, conectado ou não à rede de computadores, mediante violação indevida de mecanismo de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita:  
Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa."

O ex-jogador de futebol e atual Senador Romário desde 2013 tenta criar uma lei específica contra a Vingança Pornô. Ele propõe O projeto de Lei do Senado 63 de 2015 torna crime a divulgação indevida de material íntimo:
"...
o acusado da divulgação poderá pegar pena de até três anos de detenção, além de ser obrigado a indenizar a vítima por todas as despesas decorrentes de mudança de domicílio, de instituição de ensino, tratamentos médicos e psicológicos e perda de emprego. Essas são apenas algumas das consequências de quem tem a vida devastada pela divulgação da intimidade.
...
Se o crime for cometido por cônjuge, companheiro, noivo, namorado ou alguém que manteve relacionamento amoroso com a vítima, a pena será aumentada da metade. O mesmo acontece se a vítima for menor de 18 anos ou deficiente físico.
...
quando crime foi cometido pela internet, o juiz deverá aplicar também pena impeditiva de acesso às redes sociais ou de serviços de e-mails e mensagens eletrônicas pelo prazo de até dois anos, de acordo com a gravidade da conduta."
Segundo o site do Romário, o projeto está "aguardando parecer na Comissão de Seguridade Social e Família".
Sobre a culpabilização da vítima, Romário declarou à Marie Claire em 2013: "É fácil julgar a vida sexual de quem está exposto, não é mesmo?! Porque a filmagem é apenas uma das muitas preferências e fetiches sexuais. E o que queremos é justamente garantir o direito à privacidade, inclusive o de gostar de filmar."

Em março de 2015, o Facebook atualizou suas regras e proíbe a Vingança Pornô. O Twitter já era contra e possui até mesmo um formulário emergencial contra crimes disponível para as autoridades policiais.
Em junho de 2015, a Google começou a aceitar pedidos de usuários para remoção de buscas que tenham relação com pornografia de vingança através de formulário.
Em julho de 2015 a Microsoft se uniu à luta e lançou um site com um formulário de denúncias.
Em março de 2016 a Polícia Civil do Piauí desenvolveu um aplicativo de orientação sobre Vingança Pornô: o Vazow, versão atualizada e com mais recursos que seu antecessor, o GRP. Por enquanto está disponível apenas para Android na Google Play. Download aqui.


Como denunciar Vingança Pornô:
1) Não divulgue nem compartilhe as imagens ou vídeos, mesmo que de modo parcial, censurados, borrados, ou modificados de qualquer forma. Nem mesmo links. Você pode ter boas intenções, mas apenas cooperará com a viralização do caso na rede.
2) Acesse sites de autoridades ou ligadas à elas e denuncie ou procure por ajuda direta, como Polícia Federal, Ministério Público Federal ou SaferNet Brasil (que tem a cooperação da PF e do MPF).
3) Contrate um advogado ou vá a uma Delegacia de Crimes Virtuais caso seja ameaçado(a) ou sofra Vingança Pornô.

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail