Pesquise no Leitora Viciada

30 de agosto de 2018

Outlander, livro 2: A Libélula no Âmbar, de Diana Gabaldon e Arqueiro

A Libélula no Âmbar (Dragonfly in Amber)
Outlander - livro 2
Diana Gabaldon - Arqueiro
Tradução: Geni Hirata
880 páginas - R$ 69,90 (impresso) e R$ 49,99 (ebook)
Comprar: Amazon | Cultura | Saraiva | Submarino
Resenha do livro 1: A Viajante do Tempo

Sinopse:
"Dois personagens inesquecíveis – Claire Randall e Jamie Fraser – estão de volta com uma história de aventura e amor que atravessa séculos…
Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo... e sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Mesmo com tudo o que conhece sobre o futuro, como será possível salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?"

Resenha:
Ao publicar o primeiro volume de Outlander, A Viajante do Tempo, em 1991, provavelmente a bióloga Diana Gabaldon não imaginava o sucesso que a saga atingiria no futuro. Uma mistura impressionante que deu muito certo e criou um dos casais mais queridos da cultura pop. É romance histórico, é fantasia, e também um épico romântico. Após ser adaptada em 2014 para a televisão, Outlander ganhou ainda mais fãs. O canal Starz, parceiro da Sony Pictures, anunciou que o seriado terá ao menos mais duas temporadas, esticando-o, por enquanto, até a sexta. A quarta estreia em novembro de 2018.
Já sobre a série literária, estava sendo publicada no Brasil desde 2004, mas havia sido cancelada. Com o sucesso na tv, a Saída de Emergência Brasil passou a republicá-la no Brasil. Em seguida, seu catálogo foi transferido para a Editora Arqueiro, atual responsável pela série protagonizada por Claire Randall e Jamie Fraser.
Os livros ganharam novas edições e, mais recentemente, capas especiais inspiradas na versão televisiva (e os que haviam sido divididos em duas partes ganham versões em volume único). A Arqueiro tem realizado excelente trabalho de tradução (de Geni Hirata, mesma tradutora do livro anterior - adoro quando o mesmo profissional trabalha em toda uma série), revisão e diagramação, mantendo uma boa periodicidade entre um volume e outro e exemplares com orelhas e páginas amareladas. A autora promete finalizar o nono e penúltimo livro ainda neste ano. Portanto, são dez volumes no total, oito publicados em inglês e seis no Brasil: A Viajante do Tempo (Outlander), A Libélula no Âmbar (Dragonfly in Amber), O Resgate no Mar (Voyager), Os Tambores do Outono (Drums of Autumn), A Cruz de Fogo (The Fiery Cross) e Um Sopro de Neve e Cinzas (A Breath of Snow and Ashes) estão disponíveis em formatos físico e digital. Os próximos serão: Ecos do Futuro, Written in My Own Heart's Blood, Go Tell the Bees That I Am Gone e o décimo.


Li A Viajante do Tempo pela primeira vez em 2014 e quatro anos depois o reli e o achei tão excelente quanto antes. A resenha foi publicada aqui no blog. Finalmente cumpri a promessa de continuar com a saga, além de ter assistido a primeira temporada da série de tv. Minha edição é a com a capa do filme, mas a diferença ao ser comparada com a original, também está na diagramação do texto. O livro foi compactado de 944 para 880 páginas, porém sem nenhum corte do texto, (continua integral) foi apenas formatação mesmo.
Enquanto minha leitura do primeiro livro foi super rápida, tanto na primeira como na segunda vez, com A Libélula no Âmbar fiquei empacada em determinado momento. Simplesmente não fluía, eu lia e tinha a sensação de lentidão, muito mais devagar que costumo ler. Não compreendo o motivo, pois o livro é ótimo, gostei bastante, mas levei muito mais tempo para lê-lo. Ainda bem que não desisti porque valeu cada minuto!
O livro é dividido em sete partes: Através de um Espelho, às Escuras, Os Pretendentes ao Trono, Falta de Sorte, Escândalo, De Volta ao Lar, As Chamas da Rebelião e Retrospecto. As primeira e última partes se passam em 1968, em Inverness, Escócia. As segunda, terceira e quarta acontecem em 1744, na França. Em seguida, as quinta e sexta partes se mantêm em 1744, mas o cenário muda para a Escócia. Foi em algum momento em Paris (45 por cento do livro) que minha leitura não fluiu. A sétima viaja até 1968 novamente.


A narrativa em primeira pessoa por Claire é mantida, exceto em trechos das primeira e última partes, que ocorrem em terceira pessoa. A trama começa em 1968 com a informação de que Claire retornou para sua vida com Frank. Ela possui uma filha de 20 anos de idade chamada Brianna. Mãe leva filha em viagem a Inverness, nas Terras Altas, Escócia. Elas se encontram com Roger Wakefield, filho do reverendo Reginald, pois Claire precisa da ajuda dele com pesquisas sobre determinados escoceses do século XVIII. Brianna e Roger não desconfiavam que esta viagem modificaria suas vidas. Claire possui segredos impactantes e faz revelações inacreditáveis. A primeira parte é excelente, traz um suspense irresistível. O que aconteceu para fazer Claire retornar? E Jamie? O que aconteceu neste salto de 20 anos na vida de Claire? Fiquei empolgada para encarar todas as páginas que tinha a frente.
Então a autora inicia um longo flashback onde Claire narra os acontecimentos em Le Havre e, em seguida, em Paris, França, no começo de 1744. Basicamente são cenas de Claire e Jamie convivendo com figuras importantes e ativas da sociedade europeia. Muitas apresentações de personagens (incluindo algumas figuras históricas), espionagem, blefes e intrigas. Se para Jamie a situação já é difícil, imagine para Claire que vem do futuro. Embora esteja mais familiarizada com a vida do século XVIII, é a primeira vez que ela está na "cidade grande", convivendo com a nobreza e tendo que se adequar às normas de etiqueta da época. Mais que isso, ela precisa aprender a ser ótima anfitriã e a planejar e frequentar jantares chiques, sem jamais esquecer sua missão secreta. Ela precisa relembrar o conteúdo dos livros de História.
Este momento foi muito maçante, não pela questão histórica e sim pelos jantares e conversas supérfluas, ao menos foi o que me pareceu. Acredito que todos os acontecimentos em Paris poderiam ter sido mais enxutos e rápidos.
Mas é um instante decisivo na política da Grã-Bretanha e de parte da Europa. Os jacobitas são apoiados pela França de Luís XV, aliada da Espanha de Filipe V. Tentam recolocar a Casa Stuart de volta ao trono em Londres com Charles Stuart, para tornar assim a Grã-Bretanha um estado cliente da França.
Na quinta parte Claire e Jamie retornam ao lar na Escócia e ressurgem personagens do livro anterior, além de novas na trama, especialmente líderes jacobitas. Essa parte é ótima, mas a próxima é ainda melhor. Na sexta parte a adrenalina sobe e a leitura foi extremamente movimentada! O pano de fundo são as batalhas de Falkirk Muir e a de Culloden. E ainda temos todo o desfecho sobre como e porque Claire retorna ao futuro com Frank.
Após o relato de Claire, ainda há um conflito em andamento e surge ainda um novo e inesperado. A sétima parte é a mais curta, porém incrível e provocante, pois quando parece que Outlander chegou ao fim, a autora planta em quem lê uma enorme vontade em já emendar no terceiro volume O Resgate no Mar.


Mas aviso, com o coração na mão. Não sou de me apegar à histórias de casais e, embora ache que Jamie tenha muitas atitudes que reprovo, sou apaixonada pelo companheirismo vibrante que eles possuem. Se no livro anterior o amor, a atração, o respeito e a afinidade entre eles já eram fortes, agora o relacionamento se consolida e alcança outro nível. O amor deles se torna mais poderoso.
O lado político e histórico da trama me agradou muito, apenas retifico que os jantares e bailes me cansaram, (assim como os estupros me desagradaram) mas todas as situações que foram sendo criadas e o caminho final para a rebelião fizeram sentido. O vilão do livro anterior, Jack Randall, ainda assombra (e muito! Eu fico nervosa com a presença dele, sempre acho que ele fará algo horrível) em A Libélula do Âmbar, mas os obstáculos e perigos que Claire e Jamie enfrentam se tornam mais abrangentes e os obrigam a deixar muito de seus receios pessoais de lado. É uma ocasião que coloca muitas vidas em risco e demanda sacrifícios dos heróis.
O desenvolvimento do enredo do segundo volume é superior ao primeiro de um modo geral, mesmo com a leitura parecendo cansativa em Paris. Os Levantes Jacobitas não ocorreram da noite para o dia e a autora tentou transmitir sua complexidade e dar espaço aos referentes pontos de vista dos principais envolvidos.
A obra é ótima e voltada ao público adulto e de ambos os sexos, atingindo mais ainda quem é fã de ficção histórica.
A Editora Arqueiro disponibiliza um trecho do livro para download. Baixe o trecho do aqui.
O terceiro livro também será resenhado no blog!


Os demais livros já publicados pela Editora Arqueiro (o primeiro volume tem resenha, clique caso para conferir):


A autora:
Diana Gabaldon cresceu no Arizona, Estados Unidos da América, e é de ascendência mexicana-americana e inglesa. Tem formação em Zoologia, Biologia Marinha e Ecologia. Foi professora universitária durante mais de doze anos antes de se dedicar à escrita em tempo integral.
Sua série Outlander se transformou em um enorme sucesso mundial e foi adaptada para a TV em 2014. No Brasil, as temporadas 1 e 2 estão disponíveis na Fox Premium APP & TV e na Netflix, e a temporada 3 é exclusiva da Fox Premium. Atualmente Diana mora em Scottsdale, no Arizona.
Vive atualmente em Scottsdale, no Arizona.
Site | Twitter | Facebook

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail