Kaori e o Samurai Sem Braço, Giulia Moon, Giz Editorial

Kaori e O Samurai Sem Braço
Série Kaori - Uma Aventura da Vampira Kaori
Giulia Moon - Giz Editorial
200 páginas - Ano: 2012 - R$29,90

Sinopse:
"Março de 2011, Brasil. Uma bela vampira, Kaori, procura confortar seu amigo Takezo, que sofre com as notícias alarmantes sobre o tsunami que devastou o Japão, sua terra natal. As lembranças de outra catástrofe semelhante do passado levam Kaori a recordar o ano de 1782, quando conheceu um certo samurai sem braço: Migitê-no-Kitarô, um exterminador de monstros.
Kaori narra ao amigo as aventuras eletrizantes que viveu junto com Migite-no-Kitarô e a sua fiel companheira Omitsu, a mulher-raposa, enfrentando demônios e espectros do folclore japonês. O objetivo do trio é exterminar um terrível monstro devorador de almas, mas essa missão os levará ao mais arriscado dos confrontos: o desafio de enfrentar a si mesmo, às próprias fraquezas e arrependimentos, numa luta de vida ou morte!"

Links: Skoob do livro | KaoriLovers no Facebook | degustação

Resenha:

Já li e resenhei Kaori: Perfume de Vampira e Kaori 2: Coração de Vampira, assim como o conto da vampira perfumada Dragões Tatuados em Amor Vampiro. Me considero fã da Kaori e da sua criadora. Portanto, minha vontade de ler Kaori e o Samurai Sem Braço já existia logo no momento em que Giulia Moon anunciou o projeto da obra. Acompanhei cada novidade, sempre as compartilhando aqui no blogue.

Este livro não é o Kaori 3; é um complemento fascinante para os fãs da série. Quem já leu as aventuras da Kaori terá em mãos um livro que além de muito interessante é um bônus, respondendo algumas questões e selando alguns detalhes.
Quem nunca leu nada sobre a série também pode ler este livro sem nenhum problema ou dificuldade, pelo contrário: talvez seja uma excelente introdução ao mundo de Kaori e à escrita perfeita e cheia de frenesi da Giulia. Pode ser um ótimo aperitivo para descobrir como a autora criou um mundo fantástico próprio e um estilo de história original.

1 das 18 ilustrações!
A capa mantém o padrão dos outros livros da série, com o lindo ideograma, o Kaori em destaque e um desenho no fundo bem suave.
Dessa vez, existe uma atração a mais: Ilustrações inaugurando cada um dos dezesseis capítulos, prólogo e epílogo, ou seja: são dezoito belíssimas ilustrações em preto-e-branco feitas pela própria autora simbolizando cada acontecimento que está para ser lido, sem spoilers, apenas para aguçar nossa curiosidade.
Os desenhos são lindos e enfeitam o livro. Na verdade o próprio texto já cria curiosidade por si só.

Um enfeite a mais: a cada primeira página de capítulo uma marca d'água à esquerda que é o mesmo desenho presente no fundo da capa. Um charme. O livro graficamente falando é maravilhoso. Todas as ilustrações possuem molduras que sombreiam as costas da página.
A Giz Editorial está de parabéns pelo trabalho desta bela obra. Diagramação, revisão e organização perfeitas. E a qualidade do material físico é excelente.

Um detalhe que me chamou a atenção é a bela dedicatória da Giulia para a sua avó que lia para ela "livros coloridos cheios de lendas estranhas e exóticas de uma terra longínqua, chamada Japão." Além de emocionante, Giulia conseguiu reproduzir exatamente esse ar folclórico japonês desconhecido para a maioria dos brasileiros em sua série Kaori. Especialmente em Kaori e o Samurai Sem Braço.
Este é, sem dúvidas, o livro de Kaori que mais possui essa excentricidade e mistério que histórias do outro lado do mundo possuem. Comparando com as outras aventuras de Kaori, esta é a mais centrada nas lendas e folclore japonês. Por isso o livro foi uma leitura tão maravilhosa quanto a dos outros, mas de uma forma especial, já que Giulia colocou Kaori no meio de fábulas e apresenta ao leitor personagens do folclore japonês - tema totalmente desconhecido para mim. Eu aprendi tanto com o livro, e ao mesmo tempo me diverti muito!

A narrativa é em terceira pessoa e o livro se inicia no presente, antes de Kaori 2.
Assim como parte dos lucros e direitos autorais do livro são destinados às organizações humanitárias que auxiliam vítimas de catástrofes naturais, o ponto de partida é o desastre ocorrido no Japão em 2011. A partir disso, Kaori relembra outro terremoto, este ocorrido em 1782 na cidade de Odawara.
Nessa época, Kaori ainda não era a vampira confiante, fatal, sedutora e elegante que conhecemos. Ela era uma jovem vampira maltrapilha que vivia se escondendo, ainda carregando a dor do passado e o medo de ser atraente e bela. Ela se esconde e apesar de mortal e hábil, ainda não possui consciência do fascínio e poderes que pode incitar às pessoas (ou outros seres!). Estava muito curiosa para viajar ao passado e rever Kaori com pouca experiência.
Durante a leitura, entre um acontecimento fantástico e outro, Kaori vai mudando, criando um fio parte da confiança tão característica dela e evoluindo. Tudo aos poucos e adorei que a Giulia tenha pensado nisso, em beneficiar os seus leitores com a mudança tão íntima ocorrida na protagonista.

Embora seja a estrela, assim como nos outros livros, ela divide a cena com personagens únicas, marcantes e diferentes. Obviamente não ofuscam a presença da Kaori, mas complementam a trama.
Dessa vez, duas personagens acompanham Kaori: a kitsune Omitsu, a mulher-raposa e o samurai sem braço Miguitê-no-Kitarô. Eles e a kyuketsuki Kaori formam um trio um tanto intrigante e destoante: uma raposa dourada mística, uma vampira perfumada e arisca e um samurai de um braço só misterioso. Cada um com sua personalidade e segredos. As relações entre eles são um dos pontos fortes do livro e prende a atenção do leitor, pois nunca se sabe como eles irão interagir.

Eles se encontram e até enfrentam muitos seres fantástico, bakemonos (monstros) e demônios - todos recriados pela autora a partir de mitos japoneses.
E a estrutura do livro é peculiar em seu funcionamento: embora cada capítulo seja a continuação do outro, cada um ou um pequeno conjunto deles é uma aventura a parte. Em cada aventura algo diferente acontece, personagens bastante exóticas e assustadoras cortam o caminho do trio.
O livro funciona como uma única história, com início, meio e fim, porém com várias aventuras menores ocorrendo enquanto Kaori, Omitsu e Kitarô seguem seu trajeto e sua busca pelo acontecimento principal e maior do livro.
Outro destaque é a figura onnagata - totalmente desconhecida para mim. O fascínio e impacto que a personagem causa nas pessoas ao redor, sua aparência e talentos peculiares aparecem na história e foi algo muito diferente. Assim como tantos outros seres e pessoas.
Nem senti falta da arqui-inimiga da Kaori durante a leitura, como pensei que fosse ocorrer. Existe um vilão principal e tantos seres maléficos e vilanias ocorrendo que as páginas passam.
E lembrando que algumas coisas se ligam aos outros livros.

Existe muito da cultura japonesa presente, desde palavras, objetos, alimentos, vestuário, seres e hábitos. Tudo é explicado de forma natural, utilizando o próprio contexto e fato momentâneo ou com simples e essenciais explicações no rodapé. Informações que eu jamais teria visto em outro lugar, não de forma tão divertida. Por exemplo, vocês sabem o que é a "hora do boi", um "kanabô", o "Fumizuki" ou "inarizushis"? Existem oitenta e sete observações de rodapé, seja com explicações ou significados de palavras japonesas ou observações sobre o mundo de Kaori. Desde palavras mais simples e conhecidas no ocidente como "samurai" ou "katana" até as mais complexas. Até palavrão eu aprendi. Eu adorei!

E o que mais gostei, além de conhecer outras personagens, receber peças do quebra-cabeça da saga central e conhecer uma Kaori diferente e acompanhar a sua transformação, foi o Japão místico feudal! O ar medieval, antigo e ainda por cima de uma terra tão diferente, tão distante traz excelentes e magníficas cenas. Os seres folclóricos e os hábitos do passado japonês são imperdíveis. Além do leitor aprender bastante sobre outro povo e sua cultura, aprende também um pouco de seu passado e folclore.

Com certeza mais um livro original, criativo, impactante e inteligente para complementar a história da Kaori!
Única reclamação: o livro deveria ser mais longo. Brincadeira! Compreendi que a intenção da Giulia foi contar uma parte da vida da Kaori que era uma incógnita em formato de fábula e recheada de fantasia e magia japonesa - uma combinação apaixonante.

Todas as características da escrita da Giulia estão presentes, como o vocabulário vasto, cenas de ação recheadas de adrenalina (e algumas de sensualidade), seres mais que fantásticos e acontecimentos interligados. A novidade se encontra numa Kaori que ainda está se descobrindo e na aura de fábula que o livro possui do início ao fim. Um livro mágico.

Adorei o samurai de um braço só. Personagem tão rico que poderia ganhar aventuras solo, como contos onde enfrentaria bakemonos exóticos, assustadores e terríveis. Gostaria de saber mais do Kitarô. Giulia sempre deixa essa vontade de "desejar" mais no leitor. Foi o que ela já fez anteriormente na série Kaori com Samuel ou Yoshi, por exemplo.

Livro mais que recomendado para quem ama livros de gêneros fantásticos inteligentes e adultos. Recomendo também para os adoradores de lendas japonesas ou fãs de vampiros que precisam conhecer Kaori, a vampira mais especial da literatura e a heroína da literatura fantástica nacional que mais gosto.
E mesmo quem nunca leu nenhum Kaori pode ler Kaori e o Samurai Sem Braço sem problemas. É uma leitura independente. Se gostar, duvido se não vai correr para ler o restante da série!
E fãs da Kaori têm obrigação de ler logo esse livro fabuloso, é essencial.
Mal posso esperar por outro livro da Kaori. Quero o volume 3 e muitas outras aventuras paralelas como esta!

Giulia Moon não se esqueceu dos fãs nos agradecimentos: "Aos KaoriLovers, os companheiros alegres e cheios de energia da titia Giu." Nós que devemos agradecê-la! Quem tem Facebook pode ser um KaoriLover também. é só participar do grupo e interagir com a Giulia e outros leitores-fãs.


A autora e a série:
Giulia Moon é escritora, ilustradora e editora. Já foi diretora de criação e sócia de agência de propaganda, tendo no seu currículo a criação dos personagens Lilica Ripilica e Tigor T. Tigre da Marisol.
Com várias coletâneas publicadas desde 2003, só em 2009 Giulia lançou o seu primeiro romance, Kaori: Perfume de Vampira, pela Giz Editorial, onde narra a história de uma bela vampira japonesa desde o seu início como menina pobre e indefesa no Japão feudal, até as aventuras picantes e perigosas como uma vampira de programa na movimentada São Paulo contemporânea.
Em 2011, dando prosseguimento à série, Giulia lançou Kaori 2: Coração de Vampira, misturando o folclore japonês ao brasileiro e com muitos seres sobrenaturais no cenário.
E, em 2012, ela volta com Kaori e o Samurai Sem Braço, o seu terceiro livro com a personagem. Dessa vez com ilustrações feitas pela própria autora, uma história de Kaori no passado longínquo, quando ela ainda era uma jovem vampira maltrapilha e não uma sedutora perfumada. Este livro se passa antes de Kaori 2 e é um complemento essencial para os fãs da série compreenderem melhor o presente.

Links: Twitter da Giulia | Website da Giulia | Blogue da Giulia | Facebook da Giulia |


Outras resenhas da série Kaori!



3 comentários

  1. Olá, Tati...
    Esse livro já começou me achando a atenção porque aborda o sobrenatural por meio da cultura japonesa, algo que raramente vemos em produções literárias, ao menos são pouquíssimos os exemplos que posso lembrar.
    Acho muito divertido quando os autores desenvolvem um mundo somente deles, sei que cada história, seja um conto ou romance, já é criar um mundo, mas admiro essa gênese de uma saga, não é uma tarefa fácil, mas quando dá certo é motivo de aplausos.
    Engraçado, durante a minha adolescência não costumava apreciar muito livros com desenhos, mas depois comecei a gostar, acho que isso aconteceu porque quando comecei a ler romances, a grande maioria não possuía qualquer ilustração além da capa. Os desenhos da autora são muito bonitos.
    Gosto da mitologia dos vampiros e conhecer mais um pouco sobre a leitura deste morto-vivo por outras nações, principalmente fora do ocidente, é sempre empolgante. Parabéns pela resenha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!! O livro possui um atrativo forte que não vi em outros livros nacionais, como vocÊ mesmo observou: sobrenatural + cultura japonesa.
      A Giulia Moon criou um mundo próprio, uma mitologia própria. A mitologia
      "Kaorística" =)
      Eu amei as ilustrações. Nesse caso, é como ter uma capa para cada capítulo!! Deimais!
      Tenho outro lvro para resenhar da Giz que segue este estilo de qualidade e com ilustrações. Louca para ler logo.
      Beijos

      Excluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos não serão publicados, assim como pedidos de ebooks ilegais.
Sua opinião é muito importante!
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras