[Resenha] Vampira & Gambit: Anel de Fogo de Kelly Thompson e Panini Comics (Marvel Comics)

Vampira & Gambit: Anel de Fogo (Rogue & Gambit: Ring of Fire)
Kelly Thompson - Panini Comics (Marvel Comics)
Desenhos e arte-final: Pere Pérez
Cores: Frank D' Armata - capas: Kris Anka - letras: Maurício Wallace
Tradução: Mario Luiz C. Barroso - adaptação: Rodrigo Oliveira
112 páginas - R$ 19,90 - distribuição nacional em bancas e comic-shops - comprar

Sinopse:
"O casal X mais adorado de todos está reunido novamente, mas eles não estão felizes com isso! Kitty Pryde envia Vampira e Gambit em uma missão secreta para localizar um grupo de mutantes sequestrados, e eles fazem uma descoberta chocante. Mas isso os fará se aproximarem novamente? Eles estarão dispostos a sacrificar essa recém-reacesa paixão para salvar o dia?
Prepare-se para: Pegação! Perda de memória! Troca de poderes! Brincadeirinhas! Chantagens emocionais! Monólogos de vilões! Cópias! Tudo isso numa aventura que só o casal mais quente dos X-Men poderia viver!
(Rogue & Gambit #01-05)."

Resenha:
Nas histórias em quadrinhos da Marvel Comics, Vampira e Gambit começaram um relacionamento romântico no início da década de 1990. Logo após, o romance foi introduzido na série animada para a TV, onde o casal se tornou bastante popular, embora jamais tenham aparecido juntos nos filmes da franquia cinematográfica (Vampira integrava o elenco fixo da primeira trilogia, enquanto Gambit fez uma participação em Wolverine: Origens).


Nas HQs, Vampira e Gambit têm um histórico amoroso conturbado, começando pelos poderes mutantes dela, que a impedem de ter contato físico. Ela absorve poderes, habilidades, personalidade e lembranças de quem toca; conforme mais intenso e duradouro for o contato, maior o efeito, podendo levar a pessoa ao coma e até mesmo à morte. Para se ter uma ideia, ela já deixou a Capitã Marvel em coma e acabou ficando com parte da psiquê e superpoderes de Carol Danvers. O passado de Gambit também já o afastou dos X-Men e da Vampira. Todos já sabiam que ele fora ladrão e que pouco revelara de sua vida como mercenário, até vir à tona sua responsabilidade, mesmo que indireta, a um ato terrível que marcou os mutantes, quando fora contratado por um vilão. Vampira perdeu a confiança em Gambit. O casal antes divertido e apaixonado foi esmagado por uma bola de neve de acontecimentos, ou melhor, aborrecimentos. Entre reconciliações e separações e um pouco de dramalhão repetitivo por parte de alguns roteiristas, Vampira e Gambit se perderam como casal, mas continuaram com uma legião de fãs torcendo a favor.


Kelly Thompson é autora de livros (The Girl Who Ser King e Storykiller), e de histórias em quadrinhos como Capitã Marvel, Jessica Jones, Vingadores da Costa Oeste, Fabulosos X-Men e Sabrina: Aprendiz de Feiticeira, e recebeu a responsabilidade de reorganizar os fatos, as motivações, os sentimentos de Vampira e Gambit e escrever uma aventura em cinco edições, publicadas nos Estados Unidos de janeiro a maio de 2018: a minissérie Rogue & Gambit. Das páginas da série X-Men: Gold para sua própria minissérie!
A Panini Comics Brasil reuniu este arco, intitulado Ring of Fire / Anel de Fogo, em um encadernado lançado em maio de 2019, com capa cartão e miolo LWC, distribuído em bancas e comic shops de todo Brasil (na minha cidade, interior do RJ, chegou em final de junho).
As ideias de Thompson funcionam perfeitamente bem nesta HQ. O resultado é uma história extremamente divertida, mas que não perde os momentos de seriedade. Ela conhece e respeita as personagens, resume e organiza o passado do casal, para então reuni-los novamente. A HQ traz também incontáveis referências e homenagens ao passado, tanto nos diálogos como nos desenhos, que por sinal, estão ótimos.


 Arte e arte-final são de Pere Pérez, de X-Men: Gold, Fabulosos X-Men, Batgirl e Action Comics, e as cores, de Frank D'Armata, de Capitão América, Homem de Ferro, Arma X e Fabulosos X-Men. Os desenhos de Pérez são lindos e cheio de detalhes, especialmente no cuidado que ele teve ao desenhar as memórias e expressões faciais e corporais. Em muitas imagens ele recria o estilo da arte feita na época. Uma homenagem nostálgica perfeita! Simplesmente adorei as lembranças, principalmente os bastidores de alguns acontecimentos, de ocorrências que o público desconhecia. Se você já conhece a história do relacionamento de Vampira e Gambit, repense. Você não sabe! Só lendo esta HQ para descobrir os detalhes.


A história começa com Kitty Pryde, a líder dos X-Men, muito preocupada solicitando Vampira e Gambit para uma missão secreta e arriscada: descobrir o que aconteceu a mutantes desaparecidos. Para isso, eles precisam participar de um programa especial de terapia, se infiltrar no local e investigar tudo em busca de pistas. Como o ex-casal realmente precisa de terapia, o disfarce é tão perfeito que nem telepatas desconfiariam deles!
Eles vão até a Ilha Paraíso, uma espécie de resort para terapia de mutantes traumatizados, um local muito relaxante e... misterioso. Entre uma sessão e outra com a terapeuta, eles alternam os trajes de banho na praia com os uniformes de X-Men nas investigações do estabelecimento suspeito. E se fingir ser um casal parecia antes insuportável, se torna agradável: Vampira e Gambit, entre discussões (e barracos!) e carinhos (que ficam cada vez mais quentes), reativam o amor e se apaixonam novamente (ou assumem que sempre foram apaixonados)!


O clima sexy e divertido não dura muito... nem tudo parece normal no lugar: mutantes desapareceram, pessoas perderam memórias, os poderes de Vampira e Gambit parecem estar enfraquecendo e eles estão se sentindo muito estranhos. A ação verdadeiramente começa quando são pegos em flagrante investigando um laboratório e precisam enfrentar mutantes enfurecidos e em um momento em que passado se mistura ao presente e realidade e ilusão são semelhantes, o casal precisa se perguntar o quanto ainda tem o controle da missão, e de outras coisas mais.
Eles precisam, literalmente, enfrentar a eles mesmos. Ainda literalmente, eles trocam de lugar. Vampira se torna Gambit e vice-versa. Somente assim para um poder compreender o outro, mas é uma situação muito delicada. Sentir tudo o que o outro sente, revisitar o passado e reviver lembranças dolorosas... enquanto enfrenta uma vilã poderosa e seus mutantes raivosos e tenta salvar as vítimas, não é nada fácil.


Sou muito fã dos X-Men, nunca teve algo que superou minha paixão e fanatismo por eles. Coleciono as HQs desde 1995, após me tornar fã do desenho da Fox. Acho que a época que mais gosto vai dos anos 1980 ao início de 2000. Adoro Vampira e Gambit, acho os dois muito interessantes e sempre acreditei neles como casal, mas que poderiam funcionar ainda melhor. Confesso que alguns dramas e situações entre eles se repetiam frequentemente, e que já havia passado da hora do casal ser revisado. Finalmente parece que isso foi feito e que Thompson iniciou um trabalho maravilhoso que tem grande potencial. Ela avança com o relacionamento deles, porque eles merecem estar juntos e isso pode sim gerar boas aventuras, como o tom encontrado em Anel de Fogo, misturando muita ação e humor. Sou suspeita pra avaliar Vampira & Gambit, visto que sou muito fã deles, mas amei o encadernado. Por outro lado, acho que minha opinião é confiável, visto eu estaria decepcionada (ou com raiva) caso a HQ não fosse boa o suficiente ou não tivessem feito uma boa exploração das personagens.


É um ótimo equilíbrio: Vampira e Gambit aceitam o passado e as mágoas, assumem erros e responsabilidades, atingem certa maturidade, perdoam e se comprometem um com o outro. E o melhor de tudo: reativam não apenas amor e paixão, mas sim respeito e confiança que haviam perdido. Resgatam o clima jovial de bom humor que víamos neles lá no início da relação, retornam com a leveza de simplesmente se divertirem e atuarem juntos como super-heróis. E é isso que espero: muitas confusões, perigos, piadas e aventuras com os dois, pois mais que sejam um casal, eles formam uma excelente dupla em missões, mesmo as mais complicadas ou arriscadas.
E vem mais por aí: Mr. & Mrs. X, uma série exclusiva com Vampira e Gambit, também com roteiros de Kelly Thompson, chegará ao Brasil pela Panini em um encadernado programado para setembro! Lá nos EUA a série está na edição #12 e eu quero mais, muito mais!

Em setembro!

Observação: A faixa etária recomendada pela Marvel Comics para esta HQ é a partir de 13 anos.

(As capas originais)





(As capas variantes)




Nenhum comentário

Antes da publicação, os comentários passam por moderação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos não serão publicados, assim como pedidos de ebooks ilegais.
Sua opinião é muito importante!
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras