Pesquise no Leitora Viciada

2 de janeiro de 2015

Por Lugares Incríveis, Jennifer Niven e Editora Seguinte (Companhia das Letras)

Por Lugares Incríveis (All the Bright Places)
Jennifer Niven - Editora Seguinte / Companhia das Letras
Tradução: Alessandra Esteche
336 páginas - Ano: 2015 - R$29,90
Lançamento: 14 de Janeiro de 2015.
+ informações | comprar

Sinopse:
"Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver.
Quando Theodore Finch conhece Violet Markey em circunstâncias nada usuais, surge uma amizade única entre os dois. Cada um com seus próprios traumas e sofrimentos, eles se juntam para fazer um trabalho de geografia e acabam descobrindo muito mais do que os lugares incríveis no estado onde moram: a vontade de salvar um ao outro e continuar vivendo."

Resenha:
Meu interesse por All the Bright Places surgiu imediatamente, pois a sinopse e a capa me atraíram como raramente acontece. Posso ainda não saber o motivo, mas sou grata por ter tido nos últimos dias de 2014 uma das melhores leituras do ano. Agora sei o porquê da excelente classificação dos leitores no site Goodreads.
A Editora Seguinte, o selo jovem da Companhia das Letras, é a responsável pela publicação da obra no Brasil, com data prevista para 14 de janeiro de 2015. A Seguinte enviou alguns exemplares de prova (advanced reading copy) para alguns blogs parceiros, então não estou analisando material físico, revisão ou diagramação, visto que não é o resultado final que será encontrado nas livrarias. A capa brasileira mostra os protagonistas no local em que se conheceram; embora linda, prefiro o significado da americana, que mostra uma parede especial presente na história, com post-its, um pássaro e uma violeta.
Os direitos de publicação de Por Lugares Incríveis foi vendido a 28 países e a editora americana se organizou para que a data de lançamento em todos seja quase que simultânea. Parabéns para a Seguinte por participar da campanha e trazer tão prontamente aos brasileiros. O lançamento em língua inglesa será dia 06 de janeiro.
Mais um motivo para correr e ler: Antes mesmo da publicação, a história chamou tanto a atenção que um filme está sendo produzido e a estrela é Elle Fanning (Malévola, 2014).
Acostumada a escrever ficção para adultos, Jennifer Niven publica agora sua primeira obra voltada ao público juvenil, um Young Adult (Jovem Adulto). Sua ideia era escrever algo "pessoal, provocativo, contemporâneo, sob o ponto de vista de um menino e uma história dura, difícil, triste, mas divertida".  Analisando se a autora atingiu sua meta:

O livro possui extras superinteressantes, onde Jennifer explica suas motivações para compor a trama. É esclarecedor e comovente. Então, realmente é ficção, mas oriunda de um acontecimento real e com uma temática urgente e atual.
A trama é provocativa e consegue ir além: Desafia. É inquietante e reflexiva de modo sincero, impactante. Não se consegue parar de pensar em como tantas pessoas sofrem como as personagens e podem estar ao seu lado, precisando de ajuda. É um alerta.
É mais que contemporâneo, é moderno, atual, necessário e, na verdade, atemporal. Os males apresentados podem estar sendo mais esclarecidos e compreendidos há pouco tempo, porém sempre fizeram parte da psicologia e da alma humana. O cenário e a ambientação criados pela autora são frescos e convincentes.
A narrativa é em primeira pessoa e se alterna entre os dois protagonistas, um menino e uma menina. Ambos adolescentes prestes a encarar a vida adulta, mas a visão predominante é a do rapaz. A autora impressiona com as características e riqueza da narrativa, porque ambas as vozes são críveis e cheias de personalidade, especialmente a masculina, o grande destaque. A personalização deles e suas interpretações dos acontecimentos são impecáveis. Um Young Adult sob o ponto de vista masculino é diferente, mas o talento da autora em dar vida (não somente voz) é formidável.
A história é dura e difícil, analisando sob os aspectos temáticos. Deve ter exigido muito de Jennifer durante o processo de pesquisa e escrita. Depressão, transtornos emocionais e psicológicos, suicídio e luto são alguns dos assuntos abordados de modo consciente e natural. Além disso, outros surgem, como bullying, preconceito, primeira vez sexual, a importância da família e violência doméstica. É tão cativante, porque não é violento e pesado, é emocionante, substancial e instrutivo - tudo bem equilibrado.
Sobre a autora ter desejado escrever uma história "triste, mas divertida", é a parte mais impressionante. Provocar o apreço pelas personagens, independentemente do leitor gostar ou não, se identificar ou não, é uma tarefa complicada. Não importa o quanto você goste (ou desgoste) das personagens, pois garanto que vai se afeiçoar a todas e mais ainda: Não vai conseguir parar de pensar como toda e qualquer vida é valiosa, como toda pessoa é importante. É raro uma obra de ficção conseguir verdadeiramente produzir no leitor a mistura de sorrisos e lágrimas. Por Lugares Incríveis me fez chorar, e não conseguia deixar de sorrir, com intensidades variadas. Alegria e tristeza misturadas à leitura intensa e gratificante.
Jennifer Niven cumpriu seu planejamento como autora e criou um livro inesquecível para todos os leitores que adoram lindas histórias de vida.

Theodore Finch é fascinado pela morte e sempre pensa sobre formas para se morrer. Ele conta seus dias para se lembrar de há quantos está sem sofrer um apagão, uma crise. Violet Markey sobreviveu ao acidente em que sua irmã morreu. Ela conta seus dias para não se esquecer de que faltam poucos para ela terminar a escola.
Ele deseja morrer, ela deseja fugir, ambos não suportam o rumo de suas vidas. Toda vez que ele pensa em um modo corajoso de suicídio, algo acontece para fazê-lo parar - interromper. Ela quer uma vida longe da cidadezinha em que vive, porém precisa se formar primeiro, para então recomeçar em outro lugar. Finch teme o futuro e Violet sofre pelo passado.
Vivem em uma pequena cidade do estado de Indiana, Estados Unidos. Eles estudam na mesma instituição e, além de pertencerem a grupos sociais diferentes, a escola é a única da região, o que faz ela ter mais de 2 mil alunos. Portanto, não conhecem bem um ao outro.
Em um dia fatídico, ambos se encontram e, analisando profundamente, um salva a vida do outro, a partir desse encontro inusitado. No lugar da morte, um nascimento: A amizade que modifica suas vidas.
Finch é único e peculiar, mas em vez de se sentir especial, é excluído. Taxado de "aberração" entre os colegas, por debaixo das aparências existe um rapaz intenso, impulsivo, inteligente e apaixonante.
Violet sempre foi popular, mas agora se sente deslocada. Após a morte de sua irmã, ninguém compreende seu luto, como é um fardo ser a "filha sobrevivente", a "irmã sortuda" e, ao mesmo tempo, ter perdido sua amiga mais íntima.
Juntos, precisam realizar um trabalho no último ano do colégio: Uma pesquisa de Geografia sobre "lugares maravilhosos de Indiana". Os passeios os une de forma inesperada e profunda.
Ironicamente, Finch é quem mostra a Violet como a vida é bela, com muito otimismo, como cada lugar aparentemente sem atrativo pode ser, na realidade, um lugar incrível e brilhante. Exatamente como tudo na vida. A beleza depende da forma como você olha seu mundo.
Conforme os dias passam, Violet se esquece de contá-los e Finch não se sente uma aberração ao lado dela.

Comecei a leitura muito interessada e com pressentimento positivo. O resultado foi uma leitura única, inesquecível e formidável. O enredo começou sem expectativas e eu não sabia exatamente o que aconteceria. Sabia da temática de problemas adolescentes, morte, depressão, mas não estava preparada para a leitura, mais rica do que a sinopse. É para arrebatar você quando menos espera e causar surpresas positivas. Há amizade e romance e não importa o quão triste a trama se torne, ela é linda.
A autora mantem o ritmo, mas subitamente, os conflitos começam a fazer sentido, as personagens crescem e saltam das páginas e a história não parece apenas ficção. É um livro de significado, cheio de pormenores para apreciação, de forte mensagem e realidade exposta: Mostra a crise pessoal e sentimental que desordens mentais e psicológicas provocam. Como rótulos podem ser poderosos e influenciar vidas. Como a depressão pode estar escondida aterrorizando alguém. As pessoas precisam se despir de preconceitos e valorizar o próximo. Doenças psicológicas são tão graves quanto as físicas e precisamos estar alertas, ser compreensivos e prontos para ajudar aos que sofrem desses males - ou pedir ajuda. Especialmente pelo fato de, quase sempre, o silêncio acompanhar o sofrimento.
Lá fora o livro é classificado como o encontro de A Culpa é das Estrelas e Eleanor & Park, e indicado para leitores que gostam de autores como Jay Asher, Rainbow Rowell, John Green, Gayle Forman, e Jenny Downham, e que desejam acrescentar mais uma autora às suas listas de autores maravilhosos e que sabem emocionar: Jennifer Niven. Favoritei Por Lugares Incríveis, um livro cinco estrelas, e aviso: Prepare-se para a leitura mexer muito com você.
No final do livro, a lista e informações de todos os lugares incríveis de Indiana mostrados na trama e informações muito úteis para ajudar pessoas com depressão.

A autora:
Jennifer Niven vive em Los Angeles, onde seu filme Velva Jean learns to Drive ganhou um Emmy. Ela sempre quis ser uma das Panteras (Charlie's Angels), mas seguiu sua verdadeira paixão: É escritora em tempo integral.
Autora de sete livros de ficção para adultos, seu primeiro romance para o público jovem é Por Lugares Incríveis (All the Bright Places), que em breve ganhará sua versão cinematográfica estrelada por Elle Fanning.
Como um companheiro para o livro, Jennifer criou Germ, uma revista na web feito por meninas e para meninas (e meninos) que celebra começos, futuros, e todos os momentos incríveis e agonizantes nesse intervalo.
Site | Twitter | Facebook



Capa original.

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail