publicidade

Dicas de leitura: as HQs mais importantes dos X-Men - Anos 2000, parte 3

Esta é a nona postagem com as melhores sagas dos X-Men, sendo a terceira sobre os anos 2000. Nesta década os X-Men possuíam vários títulos derivados, mas os principais eram: The Uncanny X-Men (Os Fabulosos X-Men), X-Men que se torna X-Men: Legacy (X-Men: Legado) e Astonishing X-Men (Surpreendentes X-Men). Por isso, foi necessário dividir as postagens da década de 2000 em três partes.
Não se esqueça de ler antes as postagens com as melhores sagas dos anos 2000: parte 1 | parte 2.
Caso queira conferir as décadas anteriores, estão aqui: 1960 | 1970 | 1980, parte 1 | 1980, parte 2 | 1990, parte 1 | 1990, parte 2.

Década de 2000, parte 3.

A primeira parte da década foi marcada pela reformulação dos X-Men (não reboot) e a segunda focou no Dia M e suas inúmeras consequências. Portanto, esta terceira postagem é no clima "pós-Dia M", quando surge uma esperança para os X-Men: o nascimento da primeira criança mutante, num momento que a espécie parecia extinta. Mas não é fácil ou simples. A moral está muito baixa e as escolhas, distintas. O surgimento de Utopia, da Nação X e da sensação de que o sonho de Xavier não aparenta ter apenas uma interpretação e um caminho.
E ainda: os Surpreendentes X-Men continuam em paralelo!


Destroçados
Título original: Torn
Ano: 2006
Nº de edições: 6
Edições: Astonishing X-Men #13-18

Joss Whedon e John Cassaday prosseguem com este terceiro arco de Surpreendentes X-Men, que continua sendo uma aventura paralela, sem ligações com os demais títulos X. Mesmo quem não acompanha a cronologia e histórico principais dos mutantes pode ler Surpreendentes X-Men e aproveitar a HQ cem por cento, mas é bom que tenha lido as edições anteriores, pois muitas coisas se interligam e explodem no arco principal.
Emma retorna ao Clube do Inferno para derrubar os X-Men, fazendo emergir de cada um seus piores medos, como, por exemplo Fera, que teme ser reduzido a sua natureza selvagem. Portanto, este é um arco onde os X-Men são muito humanos, sem deixar de lado os uniformes coloridos, e ter participações extraordinárias como alienígenas, a E.S.P.A.D.A. e mais! Ord está de volta em parceria com outro inimigo dos X-Men, quando finalmente é revelado quem está espionando a equipe e qual x-man está destinado(a) a destruir o Grimamundo.
Com um elenco reduzido, as personagens são bem exploradas, especialmente Kitty Pryde e Emma Frost. Outro ponto forte são as relações entre as personagens. Tanto roteiro como arte resgatam o melhor dos X-Men, e são fiéis à essência da equipe, e ainda trazem leveza e maturidade ao desenvolvimento.


No Brasil:
 X-Men Extra #76-81 (2008, Panini); Surpreendentes X-Men: Edição Especial #02 (2019, Panini).



Incontrolável
Título original: Unstoppable
Ano: 2007 - 2008
Nº de edições: 7
Edições: Astonishing X-Men #19-24 e Giant-Size Astonishing X-Men #01

Este é a quarta saga dos Surpreendentes X-Men e a qualidade dos materiais anteriores é mantida: X-Men em sua essência, poucas personagens em excelente desenvolvimento, bons diálogos, arte limpa e viva e independência em relação aos outros títulos mutantes. Este arco também foi feito pela dupla Joss Whedon e John Cassaday, gerando uma das melhores fases dos X-Men nos anos 2000, talvez a melhor. Na minha opinião, ficaria bem legal se fosse adaptado para o cinema, pois é inteligente, coerente, divertido e empolgante. E os X-Men continuam retratados com realismo e muita humanidade.
Acontecimentos de Superdotados e Perigoso culminam em Destroçados em um roteiro ótimo e cheio de revelações, mas tudo continua ainda mais freneticamente em Incontrolável. Adoro as histórias dos X-Men ao estilo space opera, e esta talvez seja o melhor arco de Whedon e Cassaday. Portanto, precisa ter lido os anteriores, porém toda a leitura vale a pena. Ciclope, Wolverine, Emma Frost, Kitty Pryde, Fera e Colossus estão presos em um mundo estranho, um mundo que um deles está fadado a destruir. E um mundo com planos de destruir toda a Terra para evitar esse destino. Surpresas, emoção, perigo e um final... surpreendente!


No Brasil: X-Men #76-81 (2008, Panini), Surpreendentes X-Men: Edição Especial #02 (2019, Panini).



Complexo de Messias
Trilogia do Messias 1
Título original: Messiah CompleX
Ano: 2007 - 2008
Nº de edições: 14
Edições: X-Men: Messiah CompleX #01, Uncanny X-Men Vol.1 #492-494, X-Factor vol.3 #25-27, New X-Men vol.2 #44-46, X-Men Vol.1 #205-207 e X-Men: Messiah CompleX - Mutant Files.

O cenário é caótico para os X-Men: eles perderam a confiança no Professor X, o gene X parece ter sido extinto após o Dia M, os Carrascos do Sr. Sinistro se fortaleceram, e vários estudantes de Xavier foram assassinados pelos Purificadores do Reverendo William Stryker. Os Purificadores souberam por Nimrod que após o Dia M um novo mutante nasceria, e este seria poderosíssimo, por isso, eles já tinham uma arma para eliminar a criança.
Xavier, ao utilizar Cérebra, detecta uma manifestação mutante intensa e nova. Os X-Men vão até o Alasca em busca dela e descobrem que não foi a manifestação de habilidades mutantes em uma criança ou jovem, e sim o nascimento de um bebê, infelizmente sequestrado. Ciclope recebe a ajuda do X-Factor para a investigação do paradeiro da criancinha.
A história tem viagens por outras linhas temporais, inimigos variados como os Acólitos, os Purificadores, os Carrascos e os Sentinelas. Com baixas em todas as equipes X, Ciclope cria então uma X-Force, composta por rastreadores e assassinos, para buscarem o bebê: Wolverine, Pássaro Trojevante, X-23, Lupina, Caliban e Hepzibah. Enquanto isso, Layla e uma cópia de Madrox viajam oitenta anos ao futuro e descobrem que ele é muito sombrio e acabam encontrando um jovem Bishop. Após muitos acontecimentos, o bebê messias é levado ao futuro - um paralelo de como um dia Ciclope viu seu bebê ter o mesmo destino. A saga termina com mortes, feridos e outras questões.
Roteiros de Mike Carey, Ed Brubaker, Peter David, Craig Kyle e Christopher Yost. Desenhos de Marc Silvestri, Chris Bachalo, Billy Tan, Scott G. Eaton e Humberto Ramos.
O Complexo de Messias é a primeira parte da megassaga "Trilogia do Messias" (que deveria ser dA messias). Sua sequência é Guerra Messiânica e a finalização, Segundo Advento.


No Brasil: X-Men #85-88 (2009, Panini).



Divididos Lutaremos
Título original: Divided We Stand
Ano: 2008
Nº de edições: 18
Edições: The Uncanny X-Men #495-499, X-Men Legacy #208-214, Young X-Men #01-04, X-Men: Divided We Stand #01-02 e Wolverine Vol.3 #62-65

O evento se concentra nas atividades dos X-Men após sua separação, funcionando como um pósfacio de Complexo de Messias. Há uma tentativa de reformulação dos X-Men neste momento. A saga começa com histórias antológicas lançadas originalmente na minissérie Divididos Lutaremos (Divided We Stand) com personagens como: Míssil, Escalpo, Noturno, Fera, Magia, Destrutor, Forge, Nehzno, Anole, Satânico, Faísca, Miragem, Wolverine, Estrela Polar, Magneto, Tempestade. A Panini publicou esta antologia aleatoriamente nos títulos mensais, misturando com a próxima saga, Destino Manifesto. Perdeu um pouco o momento certo para a publicação de todas estas pequenas histórias que têm mais valor quando unidas.
E na cena principal dos mutantes, há ainda as edições dos títulos mensais de Fabulosos X-Men, X-Men: Legado e, ainda, Jovens X-Men complementando. A principal história é Divididos (Divided), publicada em cinco partes em Fabulosos X-Men, e também, Do Gênesis ao Apocalipse, em X-Men: Legado.
Os X-Men são dissolvidos e não existe mais um lar para mutantes. Scott Summers e Emma Frost abandonam a Mansão X após sua destruição e vão para a Terra Selvagem. Retirar os X-Men do lar e cenário tradicional foi ousado. O Anjo, que está em San Francisco aparentemente na década de 1960, precisa de ajuda. Por isso, Ciclope e Emma viajam até a realidade psicodélica onde ele se encontra. Enquanto isso, Colossus, Wolverine e Noturno estão na Europa e enfrentam o Ômega Vermelho.
A saga foi escrita por Ed Brubaker e Mike Carey, com o apoio de Mark Guggenheim (em Jovens x-Men) e Jason Aaron (em Wolverine) e vários ilustradores, como: Mike Choi, Scot Eaton, Billy Tan, John Romita Jr., Greg Land, Brandon Peterson, Mike Deodato Jr., Ken Lashley, Yanick Paquette e Ron Garney.
Neste ponto o título X-Men Vol.1 (iniciado em 1991) muda novamente de nome, mas não de numeração, se tornando X-Men: Legacy (Legado). Neste arco viajamos pela mente e flashbacks do Professor X, personagem que é o foco das tramas do começo de X-Men: Legado. Enquanto isso, na revista do Wolverine corria o arco Procura-se Mística. Não considero os arcos fora de Fabulosos tão importantes, mas os vejo como complementares.


No Brasil: Marvel Especial #17 (2010, Panini), X-Men #88-93, #97-98 e #100 (2009-2010, Panini), Wolverine #53-56 (2009, Panini) e Os Heróis Mais Poderosos da Marvel #03 - Wolverine (2014, Salvat).



Destino Manifesto
Título original: Manifest Destiny
Ano: 2008 - 2009
Nº de edições: 20
Edições: The Uncanny X-Men #500-507, X-Men: Legacy #215-216, X-Men: Manifest Destiny #01-05, Wolverine: Manifest Destiny #01-04 e Young X-Men #06

O principal título dos X-Men chega à edição #500 nos Estados Unidos! Após a transferência da sede, temos este arco que complementa Divididos Lutaremos. A minissérie Destino Manifesto possui roteiro de Mike Carey e arte de Phil Briones foca no Homem de Gelo, mas mostra outras personagens como Colossus, Noturno, Cristal, Karma, Fanático e Mercúrio.
A história SFX, em Os Fabulosos X-Men, foi feita por Ed Brubaker, Matt Fraction, Greg Land, Terry Dodson e Marc Guggenheim. Enquanto os X-Men estão se instalando em San Francisco e enviando telepaticamente um convite a todos os mutantes interessados em viver com eles, uma exposição artística atrai vilões para uma confusão que sobra para os X-Men. Surge na cidade o Culto do Inferno, com um ódio aos mutantes tão grande que alguém é espancado. Antagonistas antigos retornam à cena!
Em Pedido de Amor: Cada Detalhe Dói, o segundo arco de Fabulosos X-Men dentro de Destino Manifesto, Colossus está deprimido, Ciclope e Emma se desentendem e Fera e Anjo tentam recrutar cientistas para sua pesquisa sobre o Dia M. Um vídeo do massacre de Cooperstown (cidade do nascimento da primeira criança mutante) é vazado pela imprensa, aumentando a histeria anti-mutante e o medo de algumas pessoas em relação a "Ciclope e seu exército mutante".
Em X-Men: Legado, por Mike Carey, Scot Eaton e Marco Checchetto, a história Teste Mental, com um retorno importante acompanhado por viagens mentais e flashbacks. E ainda: Em Jovens X-Men, há personagens chegando, mas também deixando a equipe.
Algumas consequências são a fundação das Indústrias Graymalkin, a ascensão do Culto do Inferno e o aparecimento da Irmandade Feminina da Rainha Vermelha.
A Marvel cataloga outras edições como integrantes de Destino Manifesto, mas não são essenciais: uma edição especial com Noturno, a participação de alguns X-Men em um arco em três partes de Os Eternos e em uma história dos Fugitivos (Nightcrawler: Manifest Destiny, Eternals vol.3 #07-09 e Runaways vol.3 #10).



No Brasil: X-Men #91-93, #96-97, #100, #102-103 (2009 - 2010, Panini), X-Men Extra #100-101 (2009 - 2010, Panini), Wolverine #62-64 (2010, Panini).



Guerra Messiânica
Trilogia do Messias 2
Título original: Messiah War
Ano: 2009
Nº de edições: 7
Edições: X-Men: X-Force / Cable: Messiah War #01, Cable vol.2 #13-15 e X-Force vol.3 #14-16.

Guerra Messiânica é a continuação de O Complexo de Messias, dentro da megassaga "Trilogia do Messias", que redefiniu os mutantes. Portanto é essencial que se tenha lido ou pelo menos estar por dentro dos acontecimentos principais de O Complexo de Messias. Sua sequência e finalização é Segundo Advento. É escrita por Craig Kyle, Christopher Yost e Duane Swierczynski e desenhada por Mike Choi, Dave Wilkins e Ariel Olivetti.
Cable levou para o futuro a primeira criança mutante nascida desde o Dia M, também chamada de "bebê messias". Já se passaram meses e os X-Men não têm notícias, por isso, em Ciclope envia sua equipe secreta, a X-Force (Arcanjo, X-23, Dominó, Elixir, Apache e Vanisher), liderada por Wolverine, ao resgate de Cable e a criança, até o ano de 2973, em uma Nova York em ruínas. No entanto, não é apenas uma viagem no tempo muito menos um resgate simples. A missão arriscada conta com antagonistas perigosos, como o ex-aliado Bishop que planeja assassinar a criança, além de Conflyto, o clone de Cable, e de um vilão poderosíssimo! A saga é um crossover dos títulos de Cable e X-Force, com participações especiais, como a de Deadpool.
Embora os principais acontecimentos se passem em um futuro alternativo, a repercussão desta saga afetou amplamente a continuidade principal. Guerra Messiânica é uma saga épica e a Trilogia do Messias é uma das melhores megassagas dos X-Men!


No Brasil: X-Men Extra #101-104 (2010, Panini).

Bônus: a minissérie em três edições X-Men: As Vidas e Épocas de Lucas Bishop (tradução literal de X-Men: The Lives and Times of Lucas Bishop), de 2009, por Por Duane Swierczynski e Larry Stroman. Não tem como ler Guerra Messiânica e não se importar em saber as motivações de Bishop, ex-policial renegado viajante do tempo e ex-x-man. Com pais sobreviventes a um holocausto nuclear, nascido em um campo de concentração de mutantes, por que ele viaja no tempo e agora precisa matar o messias mutante? Embora já tenham explorado o futuro de Bishop, é nesta minissérie que temos mais informações. Imperdível, pois mesmo que a história não seja impressionante, ela explica muito sobre o futuro de Bishop e o que o guia neste momento. Recomendo a leitura antes de Guerra Messiânica.
No Brasil: Inédita no Brasil. Ao menos não encontrei nenhuma publicação brasileira que contenha esta minissérie.



Utopia
Título original: Utopia
Ano: 2009
Nº de edições: 12
Edições: Dark X-Men: The Beginning #01-03, Dark X-Men: The Confession #01, Dark Avengers / Uncanny X-Men: Utopia #01, The Uncanny X-Men #513-514, X-Men: Legacy #226-227, Dark Avengers #07-08 e Dark Avengers / Uncanny X-Men: Exodus #01

Depois das sagas Divididos Lutaremos (Divided We Stand), Destino Manifesto (Manifest Destiny), X-Infernus e Guerra Messiânica (Messiah War), chega um crossover dos X-Men com os Vingadores Sombrios que teve como base consequências dos eventos de Invasão Secreta e Complexo de Messias, e consolidou o início de uma mudança em Ciclope, líder dos X-Men. Começou com a minissérie Dark X-Men: The Beginning (X-Men Sombrios: o Começo) e se estendeu para as páginas de X-Men: Legado, Fabulosos X-Men e Vingadores Sombrios. Os X-Men mudaram de Westchester para San Francisco, enquanto Norman Osborn havia criado os Vingadores Sombrios. Os X-Men enfrentaram Simon Trask, irmão do criador das Sentinelas originais, e sua Humanidade Já!, e ondas de protestos contra os mutantes. Estes envolveram temas como uma proposta de controle de natalidade da comunidade mutante, após o nascimento do primeiro bebê com o gene X após o Dia M.
O caos social se instaura na cidade e Osborn, diretor da M.A.R.T.E.L.O., decreta lei marcial e aciona os Vingadores Sombrios (Miss Marvel, Gavião Arqueiro/ Mercenário, Venom e Ares) e sua nova equipe, os X-Men Sombrios, liderados por Emma Frost (como Rainha Negra), com Namor, Manto, Adaga, Mímico, Daken e Arma Ômega (e Fera Negro e Mística nos bastidores). Eles caçam Ciclope, responsabilizado até mesmo pelo Professor X.
São várias lutas legais com muita ação e coisas interessantes acontecendo, tanto pequenas quanto grandes, como o abalo no relacionamento de Emma e Ciclope, X-Men Sombrios versus X-Force, o Asteroide M, antiga base de Magneto, o Clube X e várias reviravoltas. Ainda destaco a liderança de Ciclope e a fundação de Utopia, um refúgio e lar para os mutantes fora do perímetro dos Estados Unidos. Gosto desta saga!


No Brasil: X-Men #104-108 (2010, Panini) e Reinado Sombrio #08-09 (2010, Panini).



Nação X
Título original: Nation X
Ano: 2009 - 2010
Nº de edições: 17
Edições: X-Men: Legacy Annual #01, The Uncanny X-Men #515-522, X-Men: Legacy #228-230, Nation X #01-04, Nation X: X-Factor #01

Após escaparem dos conflitos e perigos e abandonarem San Francisco na saga anterior, uma nova era começa. Os X-Men fundam a ilha-nação com o renovado Asteroide M, constroem casas, cultivam o solo e racionam alimentos, além de reunirem atlantes e enfrentarem inimigos antigos e novos. Tudo isso é mostrado na saga, que na verdade possui um arco principal homônimo e um outro introdutório menor, Demônio na Encruzilhada, onde aponto o retorno de um vilão oriundo da década passada, das páginas de Geração X. O arco traz uma aventura astral, que terá consequências.
Desafios pessoais surgem para as personagens, consolidando novos relacionamentos e também conflitos individuais. Alguns fatos importantes são o falecimento de um aliado e a falta de um cemitério na ilha, a saída de um x-man original, a chegada de um supervilão reformado e o retorno de alguém muito importante. Destaque para o problemão estrutural da ilha, a ameaça dos Predadores X, a Força Fênix abandonando as irmãs Stepford, Perigo se tornando a carcereira de Utopia, a participação especial de Fantomex, a mente da Emma Frost e o resgate surpreendente de membro x! Existem algumas subtramas pequenas sobre como estão vivendo algumas personagens. Magneto poderia ter um desenvolvimento melhor.


No Brasil: X-Men #107-114 e #117 (2010-2011, Panini).




Necrosha
Título original: Necrosha
Ano: 2010
Nº de edições: 13
Edições: X-Necrosha: The Gathering #01, X-Necrosha #01, X-Force Vol.3 #21-25, New Mutants Vol.3 #06-08 e X-Men: Legacy #231-233.

Evento escrito por Craig Kyle, Christopher Yost, Mike Carey e Zeb Wells e desenhador por Clayton Crain, Ibraim Roberson, Diogenes Neves, Laurence Campbell e Clay Mann, envolvendo X-Force, X-Men e Novos Mutantes, com a ex-eterna e Rainha Negra do Clube do Inferno e seu exército de mortos-vivos (e algumas surpresas). Selene agora possui seu próprio círculo: Decompositor, Blink, Mortis, Senyaka e Eli Bard (tem uma mini-história com cada um em X-Necrosha: The Gathering / X-Men Extra #110). Ela quer vingança, especialmente de Sebastian Shaw e Emma Frost, e se tornar uma deidade.
Uma trama sombria com clima de terror mistura tecnologia alienígena e magia negra a uma vilã que é uma das mutantes mais antigas. Manipulação de almas, o vírus tecnorgânico, caos, morte e muito horror atinge os X-Men e ameaça diretamente Utopia. A vilã não apenas ressuscita os mortos para seu exército, mas também foca em trazer de volta mutantes para utilizar seus poderes como desejar. E ela vai diretamente ao maior cemitério mutante: Genosha. Dentre os ressuscitados estão membros dos Satânicos, Morlocks, da X-Force, dos Novos Mutantes, dos X-Men, da Irmandade de Mutantes, dos Acólitos de Magneto... uma loucura macabra! As esperanças estão nas mãos da X-Force, onde ocorre a trama principal.
Em Os Novos Mutantes, o ponto central é o retorno do Cifra, ressuscitado para desabilitar as defesas tecnológicas de Utopia e eliminar Magma, descendente de Selene. Já X-Men: Legado traz uma história em três partes (Terra, Entregue os seus Mortos), mostrando uma missão muito importante, mesmo que para isso a equipe precise viajar até a Ilha Muir.
Necrosha sinaliza a fragilidade de Utopia e como os mutantes são abalados e perdem força para a próxima saga impactante que virá: Segundo Advento, último capítulo da megassaga "Trilogia do Messias".
Observação: as capas alternativas de Necrosha são homenagens aos filmes Um Drink no Inferno, Vampiros de John Carpenter, Entrevista com o Vampiro, Blade da Marvel, Underworld, Drácula de Ford Coppola e Garotos Perdidos.


No Brasil: X-Men #111-112 (2011, Panini) e X-Men Extra #108-113 (2011, Panini).

Espero que tenham gostado desta seleção com as melhores sagas dos X-Men nos anos 2000, fiz com muito carinho. Deixe nos comentários quais sagas você mais gosta!
(Qualquer erro ou dúvida, pode me enviar um e-mail para leitoraviciada@yahoo.com.br ou comentar aqui.)



Confira todas as postagens organizadas por década:

1960 | 1970 | 1980, parte 1 | 1980, parte 2 | 1990, parte 1 | 1990, parte 2 | 2000, parte 1 | 2000, parte 2 | 2000, parte 3

2 comentários

  1. Parabéns pelo trabalho. Gostei da saga utopia. Gosto também da saga do joss embora as subtramas são passadas muito rápido para focar a trama principal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ash! Também acho que as subtramas de Surpreendentes passam muito rapidamente. Algumas cenas são tão legais, (tipo Kitty e Colossus) desenvolvem tão bem as personagens, que deveriam ter mais tempo, mais momentos.
      Abraço.

      Excluir

Os comentários são moderados, portanto, aguarde aprovação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos não serão publicados, assim como os que contenham pirataria.
Caso tenha um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.

AddToAny

Pesquise no blog

Parcerias