Pesquise no Leitora Viciada

21 de julho de 2016

Mar Despedaçado, volume 1: Meio Rei, de Joe Abercrombie e Editora Arqueiro

Meio Rei (Half a King)
Mar Despedaçado (Shattered Sea) - livro 1
Joe Abercrombie - Arqueiro
Tradução: Alves Calado
288 páginas - 2016 - R$39,90 (impresso) e R$24,99 (e-Book)
SORTEIO de 11/07 a 02/08
Comprar: Amazon | Americanas | Livraria Cultura | Livraria Saraiva | Submarino
Download do marcador de páginas.

Sinopse:
"Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem.
Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava.
Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo.
Joe Abercrombie nos apresenta um protagonista surpreendente, numa história de percalços e amadurecimento que abre a trilogia Mar Despedaçado."

Resenha:

O inglês Joe Abercrombie estudou psicologia, foi produtor de televisão e editor de filmes e é escritor de literatura fantástica adulta. Seu trabalho principal é a série A Primeira Lei (The First Law), composta por sete volumes. Os três primeiros foram publicados no Brasil pela Editora Arqueiro: O Poder da Espada (The Blade Itself), Antes da Forca (Before They Are Hanged), O Duelo dos Reis (Last Argument of Kings).
Dessa vez a Arqueiro traz livro de outra série do autor, que segue o gênero de fantasia clássica épica, porém tem os jovens como público-alvo: Meio Rei (Half a King), primeiro volume da trilogia Mar Despedaçado (Shattered Sea). Os próximos volumes, ainda inéditos no Brasil, foram intitulados Meio Mundo (Half the World) e Meia Guerra (Half a War).
O exemplar nacional é lindo, com bela arte de capa e título com efeito duocromático metalizado! Possui orelhas e ótima diagramação e revisão, além de trazer pré-visualização das capas dos próximos volumes.


Esta é a primeira vez que leio uma obra do Joe Abercrombie, portanto não posso comparar Meio Rei aos seus trabalhos anteriores. Por ser um autor muito elogiado por fãs de fantasia tradicional, estava segura da qualidade do livro. Além de pertencer a uma série nova, é literatura juvenil, então fica mais fácil, sem o risco de cair em leitura pesada. É uma boa recomendação para quem deseja conhecer o trabalho do Joe Abercrombie ou desgosta de fantasia minuciosa demais.
Pode ser classificado como Young Adult (Jovem Adulto), porém não é a impressão exata que tive durante a leitura. É juvenil, porém possui um lado sombrio em evidência. Mesmo quando há humor e alívio cômico, o sarcasmo prevalece. E sem se afastar da Jornada do Herói, entretanto, acrescentando um tom escuro constante. Inclui violência (pouca), escravidão, traições e vingança, mas também traz amizade, desenvolvimento pessoal, lealdade e coragem.
É uma leitura curta e rápida para quem é acostumado ao gênero. A estrutura é interessante, porque no início já ocorre uma reviravolta diferente, mostrando a ideia do autor de fugir um pouco do comum, modificando totalmente a vida do herói protagonista e de seu reino. Yarvi, príncipe mais jovem de Gettland, tem o pai (o rei) e o irmão mais velho (príncipe herdeiro) assassinados e precisa assumir o Trono Negro. O problema é que ele possui uma das mãos deformadas (por isso nunca foi bom com armas e batalhas) e estudou a vida toda para ser ministro (conselheiro, sábio). Yarvi nunca se preparou para ser rei e nunca imaginou assumir este papel. Protagonista adolescente, órfão e prestes a enfrentar um grande desafio não é novidade, certo? A principal questão é como isso ocorre. Após a surpresa inicial, o mundo de Yarvi muda absurdamente e ele é obrigado a embarcar em uma aventura sinistra. A trama apresenta outros choques, mas demoram um pouco para ocorrer.


Esta segunda parte foi lenta e cansativa devido à prolongação e repetição. Estou acostumada à fantasia de todos os tipos e raramente fico entediada, mas confesso que esta parte do livro foi assim. Mas esta parte é essencial para criar laços de Yarvi com as novas pessoas que ele encontra (aliados e inimigos) e para a mudança brusca afetar sua vida e personalidade. É necessário tempo para o desenvolvimento de relações, portanto percebi o motivo para o autor prolongar este momento (A Barriga da Baleia na Jornada do Herói - parte em que o protagonista faz amigos, inimigos e enfrenta testes e provações).
Após tantas mudanças, Yarvi segue para um perigo mais intenso e definitivo, esbarrando na morte diversas vezes. Já neste segmento (o melhor do livro) encontrei outras reviravoltas empolgantes e ação. Novamente o autor foge do comum e surpreende através de abalos empolgantes. Realmente não esperava por eles! Em seguida o autor constrói outro clímax e o estas duas últimas seções fazem a leitura valer a pena! Mesmo no último passo da Jornada do Herói o autor inclui surpresas. Ou seja: O início imediato é agitado, porém a parte seguinte é lenta mas essencial; as terceira e quarta parte são bem mais cheias de ação e reviravoltas, especialmente o final.
Yarvi protagoniza o livro e seu amadurecimento pessoal é o destaque. A partir do momento que o destino lhe retira o papel para o qual se preparou para assumir na sociedade e surge uma nova obrigação, Yarvi se sente desqualificado, um pária, além de infeliz e injustiçado. Ele não se sente um guerreiro e líder em físico e espírito. Ele se sente pela metade, pois lhe falta uma mão e muitas outras caraterísticas. Ele acha que será sempre um rei pela metade. Acompanhamos a superação física e a criação da autoestima de um jovem muito sábio e letrado, mas inseguro, perdido e desmotivado. Yarvi é obrigado a desenvolver inteligência e coragem para uni-las e tornar-se uma pessoa completa e com objetivos. E sobreviver! O rapaz encara obstáculos e experiências antes nunca imaginados. Ele se torna o herói, ainda que nunca tenha desejado isso.

Detalhe na orelha do livro com previews das próximas capas.
A narrativa é em terceira pessoa e, embora foque no ponto de vista de Yarvi, não se restringe apenas a ele. As personagens secundárias têm bom desenvolvimento, especialmente pelo fato de não serem totalmente boas ou más; e pelos atos de vilania justificados. Não é o tipo de trama em que os heróis são bonzinhos e os vilões, malvados por natureza. Fiquei em dúvida sobre o caráter e intenções das personagens em vários momentos e isso é raro na fantasia clássica e na literatura juvenil.
As mulheres normalmente desempenham papéis pequenos na ficção fantástica, mas em Meio Rei, embora o protagonismo seja masculino, elas ocupam cargos decisivos na trama. São numerosas e fortes, algumas independentes e líderes, mesmo assim senti que faltou alguma coisa. Como tudo gira ao redor de Yarvi, as mulheres também seguem o fluxo (sua mãe, sua noiva, sua mentora, seu interesse amoroso), no entanto, há uma comerciante muito importante que merece elogio.
O tema principal é a busca por seu lugar ao mundo, pois Yarvi não se sente preparado nem quer assumir seu novo papel. É sobre mudanças inesperadas que o jovem precisa enfrentar para se tornar adulto. Meio Rei também é sobre amizade e lealdade, mas também aborda vingança e traição.
O livro funciona de modo independente, pois apresenta enredo completo.

O autor:
Joe Abercrombie nasceu em Lancaster, na Inglaterra, no último dia de 1974, e atualmente mora em Bath com a esposa, as duas filhas e o filho. Foi editor freelancer de filmes, trabalhando em diversos documentários e eventos musicais, mas hoje se dedica a escrever.
A série A Primeira Lei se tornou sucesso entre os leitores de George R. R. Martin. O Poder da Espada, seu primeiro romance, teve os direitos vendidos para 24 países. Em 2008, Joe foi finalista do prêmio John W. Campbell na categoria autor revelação.
Site | Twitter | Facebook

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail