Pesquise no Leitora Viciada

23 de fevereiro de 2012

O Acordo Ortográfico de 2008



O acordo ortográfico anunciado pelo MEC (Ministério da Educação) em 2008, passou a ser utilizado a partir de 1º de janeiro de 2009 em todo o Brasil, porém de forma facultativa. Como um período de experiência. Porém em 1º de janeiro de 2013 as novas regras deverão ser seguidas sem restrições.

Será obrigatório estar atualizado com a nova ortografia, principalmente em vestibulares e concursos, o candidato perderá pontos se escrever na antiga forma. As crianças somente poderão passar pela alfabetização seguindo as novas regras. Outro ramo que precisará estar correto é o editorial. Os livros não poderão mais ser publicados seguindo as velhas regras.

Enquanto 2012 não termina, já parou para verificar se você está escrevendo de acordo com o novo acordo ortográfico? Apesar de estarmos há quase 4 anos cientes da mudança, nem todos realmente perderam o hábito de escrever como sempre escreveu, e algumas pessoas ainda desconhecem as regras. Outras misturam tudo. Até hoje, eu confundo algumas coisas.

Vamos ao que mudou:


Alfabeto
Com o novo acordo, o alfabeto passa a ter 26 letras - eram 23. As letras K, W e Y foram incluídas oficialmente.


Trema ¨
O sinal gráfico de dois pontos usado em cima do u para indicar que essa letra, nos grupos que, qui, gue e gui, é pronunciada, será abolido.
Palavras como tranqüilo, cinqüenta e lingüiça não serão mais escritas com o sinal de antes. Nesses casos, o correto é: tranquilo, cinquenta e linguiça. Porém, é importante lembrar que a pronúncia continua a mesma.
Exceção: o trema é mantido em nomes próprios.

COMO ERA - agüentar
COMO FICA - aguentar

COMO ERA - freqüente
COMO FICA - frequente

COMO ERA - sagüi
COMO FICA - sagui


Acento agudo ´
-As palavras paroxítonas com ditongos abertos (encontro de duas vogais em uma mesma sílaba) não levam mais acento. Palavras como assembleia, paranoia, heroico, ideia, joia, jiboia não são mais acentuadas.
Exceção: as oxítonas e os monossílabos terminados em ditongos (como éi, eu e oi) continuam com o acento. Exemplo: herói(s), ilhéu(s), chapéu(s), anéis, dói, céu, já, pés.

COMO ERA - assembléia
COMO FICA - assembleia

COMO ERA - heróico
COMO FICA - heroico

COMO ERA - idéia
COMO FICA - ideia

COMO ERA - jibóia
COMO FICA - jiboia

-As paroxítonas com i e u tônicos que formam hiato (sequência de duas vogais que pertencem a sílabas diferentes) também não são mais acentuadas.

COMO ERA - baiúca
COMO FICA - baiuca

COMO ERA - boiúna
COMO FICA - boiuna

COMO ERA - feiúra
COMO FICA - feiura

- A letra u não é mais acentuada nas sílabas que, qui, gue e gui. Palavras como argui, averigue, redarguem, enxague não levam mais o acento.

COMO ERA - argúem
COMO FICA - arguem

COMO ERA - averigúem
COMO FICA - averiguem

COMO ERA - apazigúem
COMO FICA - apaziguem


Acento circunflexo ^
O acento circunflexo não é mais usado nas palavras terminadas com o hiato oo, como enjoo, voo, magoo, coo e abençoo. Da mesma forma, deixa de ser usado o circunflexo na conjugação da terceira pessoa do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos crer, dar, ler, ver e seus derivados: leem, veem, creem e deem.

COMO ERA - perdôo
COMO FICA - perdoo

COMO ERA - enjôo
COMO FICA - enjoo

COMO ERA - vôo
COMO FICA - voo

COMO ERA - abençôo
COMO FICA - abençoo


Acento diferencial
Utilizado para facilitar a identificação de palavras diferentes que são escritas da mesma forma, o acento diferencial deixa de ser usado nos seguintes casos: Pára passa a ser para / Pólo passa a ser polo / Pêra passa a ser pera / Pêlo passa a ser pelo.

COMO ERA - péla
COMO FICA - pela

COMO ERA - polo
COMO FICA - polo

COMO ERA - pára
COMO FICA - para

COMO ERA - pêlo
COMO FICA - pelo


Uso de E e I
Os adjetivos e substantivos derivados em que entram os sufixos -iano e -iense devem ser escritos com i, e não e, antes da sílaba tônica

COMO ERA - acreano
COMO FICA - acriano

COMO ERA - Roseano (de Guimarães Rosa)
COMO FICA - Rosiano (de Guimarães Rosa)

COMO ERA - açoreano
COMO FICA - açoriano


Hífen -
O hífen deixa de ser usado em alguns casos. Quando a primeira palavra terminar com uma vogal e a segunda se inicia também com uma vogal, porém diferente da que termina a anterior o hífen não será mais usado. Exemplos: Extra-oficial passa a ser extraoficial. / Auto-escola passa a ser autoescola; / Semi-árido passa a ser semiárido

COMO ERA - Extra-oficial
COMO FICA - extraoficial

COMO ERA - Auto-escola
COMO FICA - autoescola

COMO ERA - Semi-árido
COMO FICA - semiárido

- O mesmo acontece quando a segunda parte da palavra começar por r ou s. Letras essas que deverão ser dobradas para a correta grafia.

COMO ERA - anti-religioso
COMO FICA - antirreligioso

COMO ERA - contra-regra
COMO FICA - contrarregra

COMO ERA - anti-social
COMO FICA - antissocial

- Atenção! O hífen passa a ser usado nas palavras em que uma mesma vogal é usada para terminar a primeira palavra e iniciar a segunda.

Exceção: caso o prefixo da primeira palavra for co e a segunda parte da palavra composta começar com a vogal o, aí não se usa hífen, como coordenar e cooperar.

COMO ERA - reescrever
COMO FICA - re-escrever

COMO ERA - reeditar
COMO FICA - re-editar


O que não será unificado
Certas palavras em que a vogal tônica pode ser aberta ou fechada, dependendo do país, continuam a levar acento circunflexo no Brasil e agudo em Portugal

BRASIL
Antônio
Tônica
Cômodo

PORTUGAL
António
Tónica
Cómodo


O porquê da mudança
Foram muitos anos - mais precisamente, 18 - de muito trabalho e discussão para chegar a um acordo que permitisse à Língua Portuguesa ter apenas uma grafia (era provavelmente o único idioma a ter duas normas oficiais). O principal objetivo das mudanças é mesmo econômico: facilitar a integração comercial entre as nações. Mas é claro que elas também abrem as portas para o intercâmbio científico e cultural, já que a comunicação fica muito mais fácil e caem os custos de produção e adaptação de material impresso. O português é a sexta língua mais usada do mundo, com 230 milhões de falantes (está atrás do mandarim, do inglês, do espanhol, do hindu e do árabe).

As conversas para unificar o idioma começaram entre Portugal e Brasil em 1990. Desde então, diversas reuniões foram realizadas e os outros países que têm o português como seu idioma oficial passaram a participar do debate.

Países que aderiram
Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Guia rápido da Reforma Ortográfica do G1
Ótima e compacta apostila em PDF. Download aqui.

Dúvidas
A ABL (Academia Brasileira de Letras) possui um formulário em seu site oficial para responder todas as dúvidas, não apenas da reforma ortográfica, na página ABL Responde:

  • Os questionamentos sobre: A) grafia de palavra; B) pronúncias e acentuação tônica e diferencial; C) emprego de maiúscula e minúscula e D) emprego do hífen estão regulamentados oficialmente pelo Pequeno Vocabulário Ortográfico da Lingual Portuguesa (PVOLP) de 1943, reeditado e aumentado no atual (VOLP). Estando o VOLP à sua disposição on-line, no site da ABL, a Comissão o remeterá ao VOLP, caso seu questionamento se enquadre nos assuntos aqui relacionados.
  • As perguntas sobre: A) pontuação; B) concordância; C) regência; D) crase e emprego do à; E) colocação dos termos da oração e colocação de pronomes átonos e F) outras questões de sintaxe devem estar exemplificadas em situações concretas que motivaram sua dúvida. Você não deve encaminhar uma pergunta geral e vaga do tipo: quando se usa a crase? Espera-se que a indagação seja: Como escrever: dirijo-me a V. Exª e ou dirijo-me à V. Exª.
  • Assim também, se você quiser saber o significado de uma palavra, esta deverá estar inserida no contexto que lhe motivou a dúvida.
  • Estarão fora da atividade deste serviço os questionamentos de candidatos de concurso contra gabaritos de Bancas Examinadoras.

Fonte: Educar para crescer, ABL e G1.
Ps.: Não sou professora, apenas quero ajudar. :)

Skoob

Online

Siga por e-mail