Pesquise no Leitora Viciada

1 de fevereiro de 2012

Saiba como são produzidos os livros em Braile


A acessibilidade é uma preocupação constante para a maioria das empresas, e isso não é diferente no mercado editorial. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por exemplo, possui parcerias com o Instituto Benjamin Constant (IBC), com o Ministério da Educação (MEC) e com a Fundação Dorina Nowill para Cegos (FDNC), para a transcrição e adaptação dos títulos.

“Todos os materiais podem ser transcritos e adaptados para o braille, destacando-se obras para o processo de alfabetização até o ensino fundamental, materiais didáticos e livros infantis”, destaca Roberto Gallo, gerente editorial e da gráfica FDNC — que produz em média 300 títulos em braille por ano.



Processo de produção de obras em braille
De acordo com Gallo, existem dois processos para a adaptação das obras para o braille:

A revisão de livros em braille é feita em
dupla, com cegos e não-cegos.
- Produção eletrônica para tiragens de até 20 exemplares: nesse caso, é realizada a digitalização do arquivo e a transcrição da obra. Em seguida, é feita a impressão das provas, que são revisadas por cegos e não-cegos — o processo é feito em dupla, enquanto o deficiente visual lê o livro em braille, a outra pessoa vai lendo a obra impressa em tinta e os dois vão confrontando as versões. Por último, há a impressão final no papel e o acabamento.

A chapas de alumínio ou arame são cortadas,
dobradas e furadas de acordo com o formato
para as impressoras PUMA VI e PED-30.
- Produção gráfica para tiragens de média e larga escala: o processo começa da mesma maneira que no formato eletrônico — são feitas a digitalização do arquivo, a transcrição, a impressão provas e a revisão. Depois, é realizada uma impressão de chapas de alumínio ou arame, que são preparadas internamente, isto é, cortadas, dobradas e furadas de acordo com o formato possível para as impressoras de chapas (PUMA VI / PED-30). Em seguida, o material passa pelos processos de revisão, impressão gráfica (tipográfica), paginação, montagem e acabamento.

“A produção de obras que contêm apenas textos dura aproximadamente uma semana. Já os livros didáticos ou materiais de grande complexidade podem levar de 20 dias a quatro meses para ficarem prontos”, afirma Gallo.

Materiais para livros em Braille
Segundo o gerente editorial e da gráfica FDNC, os tipos de papel mais empregados na produção de livros em braille são: formulário contínuo 120 g/m² e papel off-set 180 g/m², para a capa. “Os tipos de papéis mais utilizados — até mesmo pela questão do custo-benefício — é o off-set 120 g/m² (espessura mínima para impressão braille). Entretanto, ele também pode ser feito em couché 150 g/m², reciclado ou qualquer outro papel que desejar”, explica Gallo.

Como acabamento, podem ser utilizados espirais e capas de PVC. Já com relação às impressoras, o gerente conta que há alguns tipos mais usados. “Utilizamos as impressoras como a Juliet’s, Impacto Texto e Heidelbergs convencionais adaptadas para impressão braille. Já para a impressão das chapas, utilizamos a PUMA VI ou PED-30”, relata.

Fonte: Contafio, conteúdo a toda prova - 24/01/2012

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail