Pesquise no Leitora Viciada

9 de maio de 2014

Tigana volume 1: A Lâmina na Alma, de Guy Gavriel Kay e Saída de Emergência Brasil

Tigana: A Lâmina na Alma
Tigana - livro 1
Guy Gavriel Kay - Saída de Emergência Brasil / Coleção BANG!
Tradução: Carlos Daniel S. Vieira
368 páginas - Ano: 2014 - R$39,90

Sinopse:
"Um dos melhores livros de fantasia épica de todos os tempos. Tigana - A Lámina na Alma, livro um.
Tigana é uma encantadora obra de mito e magia que vai marcar os leitores para sempre. É a história de uma nação oprimida que luta para se libertar depois de cair nas mãos de conquistadores implacáveis. O povo foi tão amaldiçoado pela feitiçaria do Rei Brandin que o próprio nome da sua bela terra não pode ser lembrado ou pronunciado.
Mas anos após a devastação de sua capital, um pequeno grupo de sobreviventes, liderado pelo Príncipe Alessan, inicia uma cruzada perigosa para destronar os reis despóticos que governam a Península da Palma, numa tentativa de recuperar o nome banido: Tigana.
Num mundo ricamente detalhado, onde impera a violência das paixões, um povo determinado luta para alcançar seus sonhos. Tigana é m épico sublime que mudou para sempre as fronteiras da fantasia."

Links: Saída de Emergência Brasil | Skoob | degustação | comprar

Resenha:
Tigana foi dividido em dois livros ao ser publicado no Brasil: Volume 1, A Lâmina na Alma e volume 2, A Voz da Vingança. Pesquisei sobre o autor canadense e descobri que originalmente o livro é na verdade um volume único. Esta resenha, portanto, é referente à A Lâmina na Alma.
O lado positivo de Tigana estar em dois volumes é que temos duas capas lindas. Mas acho que eu preferiria um volume só, pois o livro termina de forma abrupta. Fiquei com a impressão de não ser um final. Depois da descoberta vejo agora como um corte e talvez outros leitores tenham essa mesma ideia. Concluo que só poderei ter uma opinião sobre Tigana após ler a obra completa, visto que não é uma série, e sim um livro.

A capa é bela, assim como o trabalho de toda a equipe da Saída de Emergência Brasil, editora que já conquistou o meu coração com Tigana e Mago. Estou muito impressionada com todo o material até agora apresentado. O cenário ao fundo é o que se destaca para mim, após terminar a leitura e observar a imagem. A cidade nela representada é tão próxima das descrições do autor, Descrições que marcaram minha imaginação.
A série é apresentada ao público brasileiro como "um épico sublime que mudou para sempre as fronteiras da fantasia." Concordo, porque é uma obra publicada em 1990 e após esse marco, o autor concretizou na elaboração de histórias fantásticas certas características. Estas, que incluem uma demonstração mais realista das personagens, se foram sendo utilizadas com maior frequência posteriormente.
As personagens de Guy Gavriel Kay seguem seus instintos, se entregam às paixões, à luxúria e possuem suas próprias convicções. Não podem ser catalogadas criteriosamente como "heróis" ou "vilões"; não podem ser julgadas com facilidade pelo leitor, pois são personagens complexas. E mesmo quando avaliadas pelos leitores, cada um terá sua própria visão.
O autor mantem o clima de magia naturalmente, através de um mundo com feiticeiros, mitologia exclusiva e uma história completa e convincente. Este mundo é totalmente crível e bem-elaborado. A geopolítica, as crenças e tradições - todos os fatores necessários para um épico perfeito estão presentes na apresentação de Tigana. As intrigas e reviravoltas também fazem parte.

O começo do livro foi um pouco confuso para mim e a história efetivamente só fez sentido definido após a leitura de um terço dele. Agora compreendo: O fato do volume único ter sido dividido no Brasil.
Em compensação eu embalei na leitura, construí minha visão e me apeguei à trama. Foi como uma explosão de descobertas. Eu ligava cada vez mais os fatos e me encantei com A Lâmina na Alma. Foi extremamente satisfatório ter insistido na leitura.
O final é apenas uma pausa para A Voz da Vingança e estou ansiosa para lê-lo, já que agora estou no ritmo de Tigana e em sintonia com o estilo do autor e das personagens apresentadas.
Gostei muito dos diversos mapas que a edição traz, me auxiliou bastante no acompanhamento da história, dividida em três partes: Uma Lâmina na Alma, Dianora e De Brasa a Brasa.
Destaque para os anexos informativos do livro. A Carta do Editor e o Posfácio do Autor são textos essenciais para o leitor se familiarizar e ter acesso às curiosidades sobre a produção de Tigana.

O autor criou e desenvolveu seu mundo rico e realista que faz o leitor ser capaz de solidificar cenários, pessoas e acontecimentos com clareza e ao mesmo tempo, liberdade. O visual em evidência é o de uma Itália medieval, porém misteriosa e mágica.
O cenário central é formado pelas Penínsulas da Palma: Chiara, Asoli, Corte, Baixa Corte, Senzio, Ferraut, Astibar, Tregea e Cercando. Nesse mundo fantástico de duas luas e três deuses, as oito das nove províncias da região foram conquistadas por dois feiticeiros, os Tiranos Brandin De Ygrath e Alberico De Barbadior.
Após a morte do filho de Brandin no principado de Tigana, este destrói o local massacrando a população através da força das armas e da magia. Além do sangue derramado, da arquitetura, literatura e toda a cultura destruídas, os nascidos em Tigana são amaldiçoados com a censura mais poderosa: Tigana deixa de existir. Ninguém, além dos filhos dessa terra é capaz de ouvir ou pronunciar esse nome. Tigana é apagada não apenas do mapa, mas da lembrança do mundo. Espalhados por vários locais, as pessoas nascidas em Tigana sofrem não apenas com o feitiço da perda da terra e da identidade, mas também com o vazio e o esquecimento.

O autor mostra como é um povo que perde o direito de viver em sua pátria com liberdade. Como é perder toda a história e a bagagem cultural. Como civilizações são ameaçadas e extintas por outras. Através de uma intensa trama de fantasia o autor relembra como a História real da humanidade tem povos que desapareceram através da tirania de outros.
Quais as diferenças entre um povo que é unido e outro que é desunido? O autor mostra isso: A união entre os sobreviventes de Tigana versus a desunião de toda a península; um povo sem terra que é forte ao ponto de não desaparecer, mesmo quando seu registro foi apagado da história versus vários povos que possuem tudo, mas são desunidos ao ponto de se deixarem dominar por essa fraqueza.
Tigana é o poder de um nome, a identidade de uma cultura. Um nome que simboliza uma luta e integra a história de cada um dos nativos dessa nação.

As personagens principais são variadas e vivas: Alessan, Devin, Catriana, Dianora, Baerd e Sandre. Não são pessoas exemplares e sim tão intensas que vivem à flor da pele. Elas se magoam, se perdem, lutam, invejam, sonham e sofrem. Peregrinam por tavernas, bebem vinho azul e khav, celebram festivais, apreciam a música, seguem a deuses tão intensos quanto os mortais, fazem sexo quando querem e usam magias, armas e intrigas para alcançar seus objetivos.
As personagens secundárias complementam o time do livro. Conforme uma das características principais do gênero, o número de personagens é grande e os pontos de vista se alteram frequentemente. Mesmo que todas sejam interligadas, o autor viaja de uma personagem à outra e isso inclui viagens no tempo e / ou no espaço.

O mundo no livro é hipotético, mas as questões existenciais são tão verdadeiras quanto as nossas!
Tigana pode não agradar a todos os tipos de leitores, mas certamente agradará aos que verdadeiramente apreciam uma boa fantasia épica, com um mundo imaginário mais próximo do real do que aparenta.
(Lembrando que épico é uma história - geralmente de um povo - heroica, memorável, e não necessariamente cheia de batalhas, como muitos pensam!)

PS.: Me identifiquei com a luta de Tigana porque minha família já sofreu de forma semelhante: Minha mãe nasceu no País Basco.

O autor:
Guy Gavriel Kay é um autor canadense que se iniciou no mundo literário ao ser convidado por Christopher Tolkien para editar O Silmarillion, de J. R. R. Tolkien. É o autor da trilogia de fantasia A Tapeçaria de Fionavar e das obras de fantasia histórica Lions of Al-Rassan, A Song for Arbonne, The Sarantine Mosaic (dois volumes). Os livros Under Heaven e River of Stars, de sua mais recente série, passam-se no Império da China.
Tigana é uma de suas obras mais aclamadas. Seu trabalho foi traduzido para 21 línguas e recebeu numerosas indicações e vários prêmios ao longo de sua carreira.
Site

O segundo volume:

A Voz da Vingança
Tigana - livro 2
Guy Gavriel Kay - Saída de Emergência Brasil / Coleção BANG!
Tradução: Ana Cristina Rodrigues
352 páginas - Ano: 2014 - R$39,90

Sinopse:
"Em um mundo rico em detalhes, onde impera a violência das paixões, Tigana é uma terra que clama por vingança e justiça.
Numa tentativa de recuperar Tigana, sua terra natal amaldiçoada, o Príncipe Alessan e seus companheiros põem em prática um plano perigoso para unir a Península da Palma contra os reis despóticos Brandin de Ygrath e Alberico de Barbadior.
Brandin é maquiavélico e arrogante, mas encontrou em Dianora alguém à sua altura e está hipnotizado por sua beleza e seu charme. Alberico está cada vez mais consumido pela ambição, cego a todas as ciladas a seu redor.
Enquanto isso, o grupo de heróis viaja pela Península em busca de alianças que podem virar a batalha a seu favor. Alessan está mais dividido do que nunca, Devin já não é o rapaz ingênuo que era antes, Catriana apenas deseja redenção e Baerd descobre um novo tipo de magia.
Conseguirá Tigana vingar a memória de seus mortos? Ninguém pode prever as perdas que sofrerão nem que fim terá esse embate. Sacrifícios serão feitos, segredos antigos serão revelados e, para que alguns vençam, outros terão obrigatoriamente que cair."

Links: Saída de Emergência Brasil | Skoob | degustação | comprar


Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail