Pesquise no Leitora Viciada

19 de maio de 2014

Um Herói para Ela, Lu Piras e Novo Conceito

Um Herói para Ela
Escreva sua própria história.
Lu Piras - Novas Páginas / Novo Conceito
336 páginas - Ano: 2014 - R$29,90

Sinopse:
"Bianca sempre quis ser roteirista de cinema. Para realizar seu sonho, ela sai do Brasil para estudar na famosa New York Film Academy. Em meio às emoções da nova vida na Big Apple, um rapaz misterioso
acaba salvando a vida de Bianca em duas situações diferentes. Tudo o que ela sabe é que o seu herói tem no braço uma misteriosa tatuagem.
Sem pistas sobre o seu protetor, ela é convidada para um show da banda The Masquerades, cujos componentes escondem os rostos atrás de máscaras. Uma rosa branca cai sobre o seu colo, arremessada pelo vocalista.
Decidida a desvendar a identidade do mascarado, Bianca invade o camarim da banda. A surpresa que a aguarda por trás daquela porta poderá mudar o seu destino.
Uma história cheia de humor e romance, que fala da importância de acreditar nos nossos sonhos e de persegui-los.

Links: Novo Conceito | Skoob | degustação | comprar

Resenha:
A Lu Piras entrou para o time do selo Novas Páginas do Grupo Editorial Novo Conceito e, embora seja autora de outros livros, este é seu primeiro pela nova casa. Acompanho a batalha da autora em publicar os seus livros há um tempo, porém esta é minha primeira leitura e estou mais que satisfeita em conhecer seu trabalho; estou encantada! A Novo Conceito acertou em investir mais em autores nacionais.
Não sou muito fã de livros românticos. Eles me fazem bem, me divertem e me relaxam, mas sempre preciso alterná-los com outros gêneros, senão fico um pouco entediada, mas Um Herói para Ela é uma exceção; me agradou cem por cento.
Arrisco dizer que atualmente estou mais interessada nos livros românticos e chick-lits nacionais que internacionais. Me identifico mais com o cotidiano das personagens e seus conflitos, além dos cenários; pois me reconheço neles. Mesmo não me preocupando mais com a nacionalidade do(a) autor(a), apenas com o prazer de ler.
A diagramação é uma das mais bonitas já feitas pela Novo Conceito! Todos os mais de trinta capítulos possuem junto ao título um desenho ligado ao cinema. As figuras quase não se repetem, eu achei tudo lindo. E ao canto superior da abertura dos capítulos, um rolo de filme cinematográfico formando um coração. Trabalho que agrada aos olhos.
À primeira vista a capa de Um Herói para Ela pode ser um pouco clichê: Casal apaixonado mais o cenário bonito. No entanto a bela imagem se enquadra perfeitamente à leitura.

O título: Não é uma história que obriga a mocinha a encontrar o "príncipe encantado"; a ser salva por ele e amá-lo em um lindo "felizes para sempre". É esse um dos grandes conflitos da protagonista: Ela foge do sonho tradicional de ser uma princesa, ela prefere ser a heroína! Ela não procura transformar a sua vida em um "conto de fadas". Desde o princípio ela enfatiza que sua prioridade é sua carreira e que se tratando de relacionamentos amorosos ela prefere um "sapo" para transformar em seu príncipe, se possível. Ou não.
Por mais que ela não deseje ser a mocinha frágil e que não necessite de um príncipe, ela não percebe que está em negação. Eu adorei a complexidade da mulher em conflito por debaixo da aparentemente típica personagem de chick-lit.
Bianca é uma jovem multifacetada e a autora inova na composição da "mocinha". Eu me identifiquei muito com ela, porque há o equilíbrio da "mulher moderna" e "mulher romântica". Um livro que mostra o quanto a mulher atual não precisa de um homem para ser feliz, mas que se o destino trouxer a oportunidade de investir em um relacionamento romântico, ela o fará. Para isso, ela precisa ser feliz primeiramente consigo mesma, para depois de modo natural ser feliz com um companheiro.
Uma personagem verdadeira que está iniciando sua vida independente e por mais que tente ignorar seus sonhos românticos, eles a encontram.
Primeiramente sua falha está no emprego. Se ela quer ser uma mulher moderna e priorizar sua carreira, já seguiu o caminho errado. Parecia ser o correto, mas é apenas o mais fácil. Ela tem medo da ousadia. Quantas pessoas não passam por isso? Preferiu seguir a carreira de Ronaldo, seu pai; um trajeto seguro, comum e que agradaria aos pais: Formou-se em Direito, mas é bastante infeliz no emprego.
Bianca é adoradora de filmes e ama escrever. Possui o dom para criar ótimas histórias e seu sonho secreto é ser roteirista de cinema, uma carreira incomum no Brasil e bastante inconstante e arriscada.
Entre um novo namorado estranho, cantadas de seu chefe idiota e serviços enfadonhos, Bianca escreve belas histórias e esboços de roteiros excelentes.
Sua autoestima está frágil e a moça desperdiça seu talento com medo de correr atrás de uma carreira com um campo restrito. Isso reflete em seus relacionamentos e não acredita que pode encontrar um namorado mais interessante e que combine com ela.

Os bons contos de fadas quase sempre apresentam padrinhos ou madrinhas, não é mesmo? A figura da "fada-madrinha" aqui está na mãe de Bianca. Helena acompanha todos os conflitos da filha e juntamente com seu marido, resolve fazer algo incrível pela filha, um passo importante para sua mudança profissional e investimento em sua realização pessoal: Uma inscrição em uma das melhores escolas de formação de roteiristas profissionais - em Nova Iorque.
Os pais de Bianca são personagens secundárias, mas de grande importância. Pais como esses são raros. O leitor se apaixona por eles. Só que chegando aos Estados Unidos, por mais que receba apoio e suporte de Helena e Ronaldo à distância, Bianca se encontra sozinha pela primeira vez. Realmente ela precisa ser independente.
Todo o grupo de personagens é bem-desenvolvido, carismático e divertido. As duas colegas de quarto de Bianca em Nova Iorque (ou roommates) são envolventes e significativas. Mônica também é brasileira; já Natalya é russa. O trio de jovens em busca da realização de sonhos na encantadora e perigosa Nova Iorque traz grande dinamismo à trama, boas cenas sobre amizade e seus conflitos e muitas, muitas risadas.
Até mesmo os figurantes complementam bem a história, como Juan ou Gennaro. Pelos nomes, perceberam como muitos estrangeiros estão presentes no livro? Esta variedade é fascinante, é muito curiosa essa mistura de culturas.

Encabeçando os estrangeiros temos um garçon italiano que mexe com nossa "princesa / heroína" Bianca. Ele é sedutor, lindo e apaixonante, mas parece perigoso. Bianca imagina se ele é mais um "sapo em pele de príncipe encantado". Ele parece um herói... ou seria melhor chamá-lo de anti-herói?
Outro pretendente é um norte-americano colega de classe de Bianca que também pretende ser roteirista de cinema. Além de ambientado à Nova Iorque ele já possui raízes na indústria de Hollywood. Como esse homem tão lindo está interessado em Bianca?
Ela não compreende o repentino interesse dos rapazes nela. Aos poucos ela vai encontrando sua confiança, entre altos e baixos. Porém cada vez mais questionamentos nascem. Sobre sua aptidão, sobre quem ela verdadeiramente é, sobre o amor.
Bianca avança e retrocede na composição de seu trabalho final de curso: Um roteiro completo e digno de cinema. Ideias não faltam, mas os conflitos pessoais influenciam no processo criativo da protagonista. Além do mais, ela se envolve em tanta coisa! Ajudar mendigos e se emocionar com eles; conhecer Nova Iorque e se perder pela cidade; assistir aos shows da banda The Masquerades e ser presenteada com uma rosa pelo vocalista misterioso; se envolver com mafiosos e gangues... Isso mesmo: Um Herói para Ela não é apenas um livro romântico do tipo em que o leitor se preocupa com quem a protagonista vai ficar. Você se pergunta também se ela conseguirá sair das enrascadas!

A escrita da autora proporciona belos cenários e muita movimentação. O vocabulário da Lu Piras é balanceado, pois é notável o quanto ela escreve bem e possui uma bagagem muito boa de palavras, mas ela não exagera nas descrições, equilibrando o texto com estilo moderno, mas culto; com referências pops e diálogos convincentes e dinâmicos. Escreve muito bem cenas tanto de romance como de ação, eu adorei.
A narrativa é em terceira pessoa, mas o foco é o ponto de vista da Bianca. Gostei de acompanhar a jovem nessa jornada e ver o quanto ela se desenvolve sem, entretanto, mudar sua essência. Ela cresce, aprende e se torna muito mais segura e madura, sem deixar de ser quem ela é. O ponto principal é a descoberta pessoal. Bianca encara conflitos que a obrigam a assumir uma postura definida. Ela se sente perdida e o leitor torce pelo sucesso da moça.
Foi muito agradável conhecer Nova Iorque e sua riqueza cultural pelos olhos de uma brasileira. Porque acompanho muito a filmes do gênero comédia romântica centrados na grande cidade norte-americana, mas sentia falta de uma história divertida e emocionante pela visão de um(a) brasileiro(a). Um Herói para Ela atendeu ao meu desejo. Outro ponto positivo é conhecermos a vida dos estrangeiros que vivem lá.

O livro é, acima de tudo, muito engraçado e divertido. Eu ri bastante com os pretendentes da Bianca e as reações de Helena a respeito. Me diverti muito com o humor natural presente na história.
A escrita da autora é maravilhosa! Consegue ser poética e realista ao mesmo tempo; consegue ser atual e romântica. Uma história de amor emocionante, jovem e arrebatadora com doses de ação e muito mistério.
Enquanto Bianca procura um herói para sua protagonista do roteiro e foge de heróis românticos reais, não percebe que o destino lhe presenteia com uma história de amor digna de Hollywood, com conflitos cinematográficos e um herói especialmente para ela!
Enquanto Bianca escreve, apaga, modifica, cria, esboça o perfil de sua personagem para o roteiro, não percebe que quem muda, se intensifica e amadurece é ela mesma!
Um livro com todos os itens que agrada aos leitores de histórias românticas, porém que vai além e com fatores diferenciados agrada provavelmente a todo o público.

A autora:
Lu Piras sempre gostou de contar e inventar histórias, transformando pessoas reais em personagens de aventuras malucas. Escreveu seu primeiro romance aos 15 anos em uma máquina de escrever de 1982, presente do seu avô.
É advogada por formação e escritora por vocação. Viveu por sete anos em Portugal,e já trabalhou na área jurídica, no comércio e no artesanato. Em 2009 se matriculou no curso de Produção Editorial da UFRJ, e, a partir de então, escrever se tornou uma saudável obsessão. ​
Lu Piras já publicou três romances, entre eles A Última Nota em coautoria com Felipe Colbert.
Ela mora no Rio de Janeiro com sua família.
Site | Twitter

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail