Pesquise no Leitora Viciada

12 de março de 2015

Antes de Dormir, de S. J. Watson e Editora Record

Antes de Dormir (Before I Go to Sleep)
Nova edição com capa do filme.
S. J. Watson - Editora Record / Grupo Editorial Record
Tradução: Ana Carolina Mesquita
400 páginas - 2015 - R$35,00 - comprar

Sinopse:
"O livro que originou o filme estrelado por Nicole Kidman.
Christine acorda numa cama estranha, ao lado de um homem com uma aliança no dedo. Sua primeira reação é pensar que se envolveu com um homem casado na noite anterior. Enquanto se esforça para lembrar o que aconteceu, pensando numa provável esposa traída, ela finalmente se olha no espelho. E não reconhece o reflexo. Pelo menos vinte anos mais velho do que esperava encontrar.
Então o homem lhe revela algo perturbador: todos os dias, sua memória se apaga sempre que ela dorme. O estranho, seu marido Ben, é obrigado a recontar a vida deles todas as manhãs. Encorajada por seu médico, ela começa a escrever um diário para ajudá-la a recuperar suas lembranças. Certa manhã, ela o abre e se depara com quatro palavras assustadoras: “Não confie em Ben”. E passa a se perguntar... Que acidente a fez ficar assim? Em quem ela pode confiar? 
Mantendo o ritmo de suspense do início ao fim, Antes de dormir é um inteligente e instigante romance sobre memória e identidade. E sobre o quanto podemos confiar em quem está perto de nós."

Resenha:
Antes de Dormir (Before I go to Sleep, 2011) é o romance de estreia do britânico S. J. Watson, que acaba de ganhar pela Editora Record nova edição e capa inspirada no filme dirigido por Rowan Joffé e com os vencedores do Oscar Nicole Kidman e Colin Firth nos papéis principais. O livro recebeu o prêmio de melhor livro de 2011 na categoria Crime & Thriller do Galaxy National Book Awards, foi vendido para 42 países e ultrapassou a marca de 25 mil exemplares vendidos no Brasil.
Não assisti ao filme, mas me interessei muito pela premissa do livro e pelo prêmio que o autor ganhou, pois o romance é resultado de um curso de escrita do qual ele participou.
Gostei muito da capa com os atores, embora muitos leitores prefiram não ter referências da aparência das personagens, particularmente não me incomodo e gostei de imaginar a protagonista Christine como Nicole Kidman, pois sou fã da atriz.
O exemplar segue o padrão da Editora Record, com fonte simples, em bom tamanho, folhas amareladas e diagramação limpa e agradável. Revisão impecável.

O romance é um suspense, especificamente um thriller psicológico. A ação física é mais reservada ao final, porém os acontecimentos são ininterruptos. A estrutura do livro e a narrativa complementam um ao outro e esta união é essencial para o desenvolvimento inteligente e coerente da obra, dando a esta personalidade. Com certeza a história pura já é grandiosa, porém a forma como ela foi construída e contada também importa, transformando-a em um livro único.
Passado e presente são usados em um jogo muito interessante para o leitor descobrir os segredos juntos a protagonista. O livro é dividido em três partes.
Na primeira parte o autor mostra o presente. É a introdução à trama, apresentando a protagonista e seu problema de saúde, as personagens principais e o conflito central. Christine sofreu um acidente traumático e, desde então, além de não ser mais capaz de reter memórias novas, ela não se lembra de todas anteriores ao dia fatídico. Ao dormir, seu cérebro não armazena normalmente as informações do dia e ao acordar novamente, Christine se esquece do dia anterior. Portanto, desde o acidente, ela não se recorda de nada. Todo dia é esquecido. Não se sabe o porquê exato de Christine ser incapaz de guardar as novas memórias - ou acessá-las no dia seguinte, como todo mundo normal é capaz de fazer.
Então a apresentação do livro é importante para acompanharmos como é para Christine acordar em mais um dia sem se lembrar do acidente e de todo o tempo após. Receber todas as notícias de uma única vez, compreender, questionar, aceitar e, finalmente, enfrentar mais um dia.
A narrativa é em primeira pessoa, pela Christine, pois somente assim adentramos dentro de seu problema e dramas. O autor dá acesso total aos pensamentos da protagonista, e esse ponto de vista é fundamental para o suspense em altas doses. Christine não sabe, portanto, o leitor também não.

Na segunda parte, a maior e mais importante do livro, lemos o Diário de Christine Lucas. O que estruturalmente seriam os capítulos, o autor separou os relatos da protagonista por data. Christine lê seus registros íntimos e as descobertas não param. A narrativa é pausada, pois ela escreve no diário em vários momentos do dia, e o tenta fazê-lo diariamente. Alguns cortes ocorrem e essa narrativa genial causa expectativa, dúvidas, ansiedade e muito suspense.
O grande desenvolvimento da trama está nessa parte, no que Christine foi capaz de escrever. E antes de acrescentar novas informações e relatos, nota-se que Christine sempre lia o diário antes. Então o leitor acompanha sua opinião sobre fatos anteriores, que ela não se lembra. Às vezes ela duvida de si mesma e da veracidade do que escreve. Em outros dias ela tem certeza de que pode confiar em seu texto.
Ela sempre escreve as poucas lembranças que surgem, porque sabe que no dia seguinte as esquecerá. Com isso ela começa a perceber que muitas lembranças não se encaixam com a realidade, pelo menos com a versão que seu marido mostra e conta a ela todas as manhãs.
Na terceira e última parte, chegamos ao grande clímax, que o autor consegue estender e causar mais ansiedade e curiosidade, tanto em Christine quanto no leitor. É clichê eu dizer que não consegui parar de ler? Não dava para largar o livro nesse momento. Eu precisava saber.
Christine termina a leitura do diário e voltamos ao presente. A diferença da primeira para a terceira parte é o impacto que o diário causa nela. Na primeira parte ela não sabe de nada e na terceira, estaria em uma armadilha? Em quem ela pode confiar? E uma questão importante: Pode confiar em si mesma?

O autor ultrapassou todas as minhas expectativas ao mostrar a verdade e encaixar as peças da trama. Ao longo do livro teci algumas teorias e até acertei uma parte. Mas todo o restante foi um choque atrás do outro para mim. É uma raridade um thriller ser tão fascinante e indecifrável até que o autor resolva mostrar.
É formidável perceber que a história e si ocorre em um único dia. Desde que ela acorda sem lembranças, passando pela leitura de um diário e retornando ao presente. Então o dia segue e o leitor enlouquece em busca das respostas e torce por um final feliz para Christine. Porque se ela dormir, se esquecerá de tudo novamente.
A narrativa contém impacto psicológico, mas a leitura flui com muita facilidade, porque Christine, embora procure ser detalhista no diário, sem se esquecer de anotar nada, ela necessita ser objetiva e sucinta. Ela precisa ser clara e escrever o mínimo possível, pois, senão, como lerá todo dia o diário por completo e ainda sobrar tempo no dia para buscar por mais respostas?
O livro possui poucas personagens e prova que uma boa história não precisa de muitas. Basicamente, além de Christine, temos apenas seu marido e seu médico. No decorrer do desenvolvimento mais uma personagem importante surge, e pelos relatos do diário conhecemos várias pessoas, porém além de Christine, apenas mais três personagens compõem a base.
São duvidosas e intrigantes, porque sempre tentava compreendê-las e decifrá-las, mas a narrativa de Christine me influenciava em vários momentos e me fazia mudar de ideia ou, ao menos, duvidar de minha própria opinião.

O final do livro é excelente e satisfatório. Pessoalmente, foi um final perfeito. Na verdade, foi a melhor parte, porque fui surpreendida e convencida. Não é um livro fácil de ser absorvido, pois é necessário estar atento aos detalhes e a não deixar passar pistas e dicas camufladas. Qualquer coisa, de repente, torna-se importante.
É uma leitura vertiginosa, porque confunde, faz o leitor imaginar e tentar decifrar cada item desesperadamente. No meio da leitura imaginei frequentemente se o autor deixaria pontas soltas ou o final em aberto. Imaginei se a trama realmente seria real ou se Christine estaria o tempo todo confabulando. Seria um meio-termo? Descubra! Quem gosta de thriller psicológico, de suspenses críveis e muita intriga e mistérios a serem resolvidos, Antes de Dormir é leitura obrigatória.
É um livro adulto, inteligente e espantoso, mostrando como o cérebro humano é complexo e como a memória define quem uma pessoa é. Antes de Dormir é dramático, intrigante, estimulante e a qualidade da escrita de S. J. Watson é impecável.

O autor:
S. J. Watson nasceu nas Midlands, mora em Londres e trabalhou no National Health Service durante anos. Em 2009, Watson foi aceito no primeiro curso “Como escrever um romance” da Faber Academy, programa que abrange todos os aspectos do processo de escrita de um romance. Antes de Dormir é o resultado.
Second Life é seu novo livro, publicado na língua inglesa em fevereiro de 2015.
Site | Twitter | Facebook



O filme:
Atenção: O trailer do filme contém spoilers do livro

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail