Pesquise no Leitora Viciada

23 de julho de 2015

Sorte no Jogo, Sorte no Amor - volume 5 de As MAIS, Patrícia Barboza e Verus Editora (Grupo Editorial Record)

Sorte no Jogo, Sorte no Amor
As MAIS - livro 5
Patrícia Barboza - Verus Editora / Grupo Editorial Record
174 páginas - 2015 - R$25,00 - comprar

Sinopse:
"O quinto e último livro da série As MAIS.
Todo mundo já deve ter ouvido, pelo menos uma vez na vida, o ditado “Sorte no jogo, azar no amor”. Mas será que ele está certo?
Susana, a S das MAIS e a esportista da turma, narra as aventuras do último trimestre do primeiro ano do ensino médio. A atleta mais badalada do Centro Educacional Machado prova nesta história que os ditos populares nem sempre são verdadeiros. Fazer parte de um time de vôlei profissional é a realização de um sonho!
Susana vai enfrentar seu grande desafio durante o campeonato carioca da Liga Feminina Juvenil. Ao mesmo tempo em que precisa se dedicar ao máximo nos jogos, ela é obrigada a lidar com a saudade do namorado, que sai em turnê para divulgar seu novo disco. E nada mais legal que ter as melhores amigas para dar apoio nesse grande jogo que é a vida! Mari, Aninha e Ingrid estarão ao lado de Susana em todos os momentos do livro que encerra a série.
Acontecimentos surpreendentes vão movimentar a vida dessas quatro garotas inseparáveis."

Resenha:
Este é Sorte no Jogo, Sorte no Amor, o quinto e último livro da série As MAIS, escrita pela brasileira Patrícia Barboza e publicada pela Verus Editora (Grupo Editorial Record). A série é voltada ao público pré-adolescente e adolescente, mas não apenas estes curtem as histórias; adultos também podem apreciar e relembrar as aventuras da adolescência.
As MAIS é uma sigla, do grupo formado por quatro melhores amigas: Mari, Aninha, Ingrid e Susana.
No primeiro livro, as meninas superunidas resolvem escrever juntas a história do grupo, como um trabalho autobiográfico. A ideia era expor um ano escolar de suas vidas, com a narrativa de cada uma mostrando um período. É uma excelente introdução, para os leitores conhecerem intimamente cada uma em um único livro. O livro das MAIS se torna particular, abrangendo todas as atividades e áreas de suas vidas. No segundo volume, a narrativa continua em primeira pessoa, porém ganha única narradora. E dessa forma a autora prossegue nos seguintes livros, seguindo ordem cronológica.
O segundo livro é Eu me Mordo de Ciúmes e Mari narra a história, continuando do ponto em que o livro anterior parou. Ela é a mais divertida, esquentada e atrapalhada do grupo. Também é a mais ciumenta e controladora e deseja ser atriz - e tem o maior jeito para a profissão. Este é o livro mais descontraído.
No terceiro, Andando nas Nuvens, a nerd e inteligente Aninha prossegue a odisseia das MAIS. Ela adora escrever contos e crônicas, então a narrativa é supernatural. Ela almeja ser jornalista e escritora, e além de linda a comilona não engorda, então as invejosas sofrem! É o livro que prova como a saga das meninas (e meninos!) é antenada e, mesmo sem perder a diversão, aborda temas importantes para o público teen.
Toda Forma de Amor, o quarto livro da série, traz os temas mais valiosos. As MAIS evoluíram como personagens. Conforme crescem, a temática vai abordando itens mais sérios. O foco foi mostrar como não apenas os relacionamentos românticos guiam suas. O amor entre amigos e familiares (irmãos, pais / mães e filhos e etc.) é tão importante quanto namoro. Ingrid planeja ser pedagoga e sua sensibilidade foi essencial para narrar cenas arrebatadoras e provar que, acima de tudo, devemos nos amar.
O quinto livro é narrado pela Susana, a atleta e modelo que não descuida do visual, mesmo com a agenda superlotada. Ela joga vôlei em um time juvenil e planeja seguir a carreira.


Além de adorar a narrativa em primeira pessoa, sempre penso como a autora escolheu bem a ordem das meninas, sobre quem narraria tal volume. A escolha de Susana fechando a série é ótima, pois ela é a mais madura e, como sempre foi a mais reservada, criou ainda mais expectativas. Não apenas sobre o "final", mas sobre a própria Susana. Gosto de como cada menina combina perfeitamente com o momento pelo qual o grupo passa. Sempre há o destaque da protagonista da vez, mas o centro é sempre a união e amizade do grupo, composto não apenas pelas MAIS, porém também por suas famílias, demais amigos, colegas e namorados.
Os livros possuem ordem cronológica, cada volume abrange um ano, mas o leitor pode optar pela leitura de forma independente ou na ordem de sua preferência. A autora sempre escreve como se o fosse uma história única. Não se perde no passado, mas dá todas as explicações básicas e rápidas sobre quem é quem, o que faz e o que importa; e o mais legal, sem o leitor perceber. E quem é fã da série e a acompanha não é prejudicado, é até interessante receber lembretes.
Particularmente recomendo a leitura na ordem, é mais proveitoso. Caso você tenha algum livro que não seja o primeiro, pode experimentá-lo e depois, se gostar, ler a série na ordem correta.
A maioria dos leitores se identifica, porque a adolescência é uma fase especial, de amadurecimento, de começar a experimentar as responsabilidades da vida adulta, mas ainda tendo o espírito positivo infantil. É uma época de planos, sonhos e descobertas. O público-alvo do livro é essa faixa etária, mas quem é mais velho e aprecia literatura juvenil, também se encantará pelas MAIS.
Muitos podem achar que o público masculino não vai curtir tanto quanto o feminino, mas isso varia muito. Os amigos, namorados ou parentes das MAIS formam um time muito diversificado e interessante, eles auxiliam bastante o andamento da trama. É uma série divertida. As meninas vão se identificar e os meninos poderão tentar compreender melhor as meninas!

Todo o trabalho gráfico da série é lindo, moderno e o melhor: os livros compõem uma coleção homogênea onde tudo combina. As capas são muito bonitas, mas o interior contém ilustrações e detalhes harmoniosos e caprichados. Por exemplo, em Sorte no Jogo, Sorte no Amor, temos bolas de vôlei espalhados nos cantinhos. Há preocupação em manter a coleção coesa e, simultaneamente, dar personalidade a cada volume. A diagramação possui fontes variadas, conforme a linguagem. Por exemplo, páginas de internet e trocas de mensagens são retratadas fielmente em seu visual. As referências populares continuam, especialmente sobre música e seriados. Alguns itens são citados diretamente, mas uma minoria é referência; tudo muito dinâmico.
Entretanto, uma das coisas que mais admiro em As MAIS é que detalhes como citações pops, gírias adolescentes e linguagem da internet, não deixam os livros caírem na linguagem coloquial. É o equilíbrio perfeito de uma autora antenada, mostrando diálogos e expressões divertidas, mas sempre mostrando como os jovens podem (e devem!) falar e escrever bem sem perder as peculiaridades da geração.


Sorte no Jogo, Sorte no Amor mostra como a sorte pode surgir em sua vida, e até mesmo em mais de uma área, mas é preciso correr atrás de seus objetivos. É necessário muito esforço para conseguir enfrentar etapas difíceis.
Sem (literalmente) suar a camisa e treinar muito, Susana não teria sorte no jogo. Ela tem o talento e o apoio da família (com esforço também!) e amigos, mas sem toda a dedicação e tempo investido, ela não seria uma jogadora de vôlei tão boa, não é mesmo?
O mesmo para a sorte no amor. A moça tem seu namorado incrível, o Edu, e os dois formam um par fofo! Conforme acompanhamos, o rapaz também tem talento, mas para a música. Ele canta e toca e se torna um fenômeno musical, sucesso entre os jovens. E a propósito, Edu também tem que ensaiar, aprender e se dedicar demais a sua carreira. Ele pode ter tido sorte, mas também acho que a maior parte é mérito do rapaz. Sem dedicação, ele conseguiria manter seus shows lotados?
E o relacionamento de Susana e Edu terá que sofrer muitas provações, muitas barreiras. As agendas não se encaixam. Não apenas as datas e horários, mas os locais. Ela entra em importante campeonato de vôlei e ele mergulha em turnê de apresentações.
As vidas deles mudam muito, e para isso, compreensão, bom senso e amadurecimento são essenciais, mas estes adolescentes conseguem mesmo absorver tudo isso? É complicado até para os adultos!
Todas as MAIS (e amigos e namorados) enfrentam o difícil momento da vida sobre quais caminhos seguir. Especialmente profissão, carreira, estilo de vida, romance. São muitas escolhas, dificuldades e emoções!
Susana precisa lutar como atleta profissional e como namorada apaixonada. Não é fácil. Em certos momentos, se sente desolada. Porém, não está sozinha!
Sorte? Pode ser sim, mas esforço, honestidade, compreensão, respeito, amizade e amor movem mais obstáculos.


No início da série, minha preferida era a Aninha, por eu me identificar mais com o jeitinho nerd dela. Mas então no quarto e penúltimo livro fiquei abalada com a superioridade do desenvolvimento da trama e personagens. Então comecei a ter o "livro da Ingrid" como meu queridinho. Então a autora vem e me abala ainda mais com este quinto volume! Susana é guerreira.
É o melhor de todos, não por ser o último, mas por mostrar o melhor desenvolvimento e amadurecimento, especialmente da Susana, quem eu sempre achei a mais adulta. Todos os livros têm charme: o primeiro é uma apresentação; o segundo é o mais engraçado; o terceiro é a consolidação; o quarto é o amadurecimento; e o quinto é o grand finale!
Agora que a série chegou ao fim, sinto saudades. As protagonistas, assim como as demais personagens, especialmente as mais jovens, enfrentaram diversas alegrias e tristezas. Me identifiquei com a escrita da autora e sua facilidade em expor os conflitos e sentimentos adolescentes, sem apelar para dramas desnecessários. É uma série alegre e sobre como crescer é natural, é só deixar fluir e não desistir dos sonhos.
Adorei o final, deixa no ar a ideia de como Mari, Aninha, Ingrid, Susana e seus amigos são pessoas comuns, como eu ou você, e, ainda assim, especiais como todo indivíduo é e, na maioria das vezes, não percebe. A série termina muito bem e você fica imaginando o rumo das vidas delas... Certamente elas têm garra e não desistirão de suas metas, disso eu tenho certeza! Mesmo que as coisas nas vidas delas tenham altos e baixos como ocorre com os jovens adultos, aposto que essas meninas continuarão sendo As MAIS e estão preparadas: Uma apoiando a outra. E quem sabe a autora um dia as explora em outro segmento? Em livros para adultos?
E a cena final? Fechei o livro e fiquei olhando para a parte detrás, refletindo.
Sou uma eterna adolescente, pelo menos nos momentos descontraídos da vida, e agradeço a Patrícia Barboza por me proporcionar uma leitura que me fez voltar no tempo, pensar nas minhas amizades (principalmente!), dificuldades e alegrias. E em sonhos. Sonhar e tentar colocá-los em prática - isso é uma lição para a vida toda.

Outros livros da série:



A autora:
Patrícia Barboza escreve para o público adolescente e dentre diversos livros, destacam-se seus mais recentes trabalhos: A série As MAIS e sua coautoria em O Livro das Princesas.
Carioca, adora música, pizza, chocolate, internet e é viciada em séries de TV.
É formada em Produção Editorial e especializada em Literatura infantojuvenil.
É palestrante e coordenadora do Projeto Leitura Nota 10, visitando instituições de ensino com o objetivo de dar uma injeção de ânimo aos jovens e incentivá-los a ler.
Site | Facebook | Twitter | blog As Mais | Twitter As Mais


Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail