Pesquise no Leitora Viciada

20 de outubro de 2017

Pequenas bibliotecas comunitárias (little libraries) e bookcrossing

A última cabine telefônica em Barcelona, na Espanha, se tornará um ponto de bookcrossing. O La Vanguardia noticiou que foi feita uma consulta pública no bairro Sant Genís dels Agudells (Horta-Guinardó) e as outras opções eram um ponto de wifi ou um telefone cívico. O votante podia também sugerir outro uso para a cabine (sugeriram "disponibilizar para o Superman").


A cabine antiga fica na Calle Lledoner, mas a ideia do conselho municipal é mudá-la para um local mais movimentado, a Plaza de Meguidó. Anna Farré foi a responsável pelo pontapé inicial. Ela tirou a cabine do esquecimento quando começou uma campanha para sua preservação, coletando mais de duas mil assinaturas.

Foto de La Vanguardia.
O bookcrossing é a prática de deixar um livro num local público, para ser encontrado e lido por outro leitor, que por sua vez deverá fazer o mesmo. O objetivo é a possibilidade de se encontrar livros em todo lugar, especialmente locais de grande movimento, transformar o mundo inteiro numa biblioteca e impedir que livros fiquem parados na estante.
O bookcrossing foi criado em 2001 pelo programador Ron Hornbaker, que lançou o site Bookcrossing.com. Desde então, o movimento tem crescido exponencialmente, tornando-se global: está presente oficialmente em mais de 132 países, com quase 11,6 milhões de livros registrados e 1,6 milhões de membros (informações do site oficial).

Alguns praticantes de bookcrossing não precisam de um ponto fixo e oficial. "Esquecem" seus livros em cafeterias, transportes públicos, bancos de praças e outros lugares que imaginar, para que outras pessoas os possam ler. Até mesmo editoras realizam ações especiais "esquecendo" seus lançamentos em cidades estratégicas. Há um tempo me lembro de ver blogueiros e leitores em geral com projetos de "livro viajante" ou "book tour". Um mesmo exemplar passava por várias residências, formando também um clube de leitura não convencional. Participei uma vez.

Existe também a opção de little library - pequena biblioteca ou bibliotecazinha. Em um pequeno espaço comunitário todos podem criar, manter, usufruir e compartilhar livros. Especialmente livros infantis. Pena que aqui no Brasil não é em qualquer lugar que se pode implementar uma little library.

Desde 1973, Curitiba tem seu ponto de pequena biblioteca pública. É o Bondinho da Leitura, na "rua das flores" - Rua XV de Novembro, esquina com a Rua Ébano Pereira, no centro. Quando visitei a cidade tive o prazer de conhecer o bondinho e achei maravilhoso.

Foto pertence ao CuritibaSpace.com.br.
Foto pertence ao CuritibaSpace.com.br.
Foto encontrada em Kekanto.com.br. Pertence a Alfonso F. Kleinmayer Fh.

Veja algumas fotos de pontos bookcrossing ou de little library:

O arquiteto nova iorquino John Locke lançou o projeto DUB 002, que transforma as cabines telefônicas em bibliotecas comunitárias. Foto de  ZeroSumGood.Wordpress.com.

Cabine telefônica em Greenwich, Londres, Inglaterra. Foto encontrada no Pinterest.

Foto encontrada no Pinterest.

Miami Space Public Challenge. Biblioteca móvel. Foto encontrada em Ideas.Ourmiami.Org.
Em Nova York. Foto encontrada em VenetaLink.com.
Foto encontrada no Pinterest.
Quer várias ideias de livraria comunitária para implementar em sua escola, clube, praça ou condomínio? Clique aqui, o Flickr tem várias fotos; ou visite o Pinterest para mais imagens.

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail