Pesquise no Leitora Viciada

7 de julho de 2015

Amor ao Pé da Letra, de Melissa Pimentel e Editora Paralela (Grupo Companhia das Letras)

Amor ao Pé da Letra (Age, Sex, Location / Love by the Book)
Melissa Pimentel - Editora Paralela / Grupo Companhia das Letras
Tradução: David Agne
304 páginas - 2015 - R$29,90- comprar

Sinopse:
"A agente literária Melissa Pimentel, assim como sua personagem, Lauren, se mudou de uma pequena cidade nos Estados Unidos para Londres de um dia para o outro. Assim como a protagonista, seu principal objetivo também era se divertir, sempre que possível acompanhada de britânicos sexy. 
Infelizmente, Melissa logo descobriu que conquistar esses homens era mais difícil do que parecia, mesmo quando ela jurava não querer nada sério. Foi aí que surgiu a solução: decidiu seguir os conselhos dos mais populares livros de autoajuda para conquistar homens e criou um blog para narrar suas experiências. Nasceram daí os encontros de Lauren, que em Amor ao pé da letra, receberam toques de ficção, como uma legítima comédia romântica. 
Um diário de Bridget Jones para uma nova geração, Amor ao Pé da Letra promete conquistar todos que já sofreram na busca do amor verdadeiro."

Resenha:
É clichê, mas meu interesse por Amor ao Pé da Letra surgiu assim que vi a capa. Pop, com cores fortes e uma mulher devorando uma miniatura de homem. Mas então pensei: "Deve ser chick-lit e é raro obras do gênero serem marcantes para mim... Acho melhor deixar para depois." Isso ocorreu quando a Editora Paralela (da Companhia das Letras) publicou o livro, em fevereiro / março de 2015. Notem a rapidez da Paralela, pois o lançamento oficial em língua inglesa (Age, Sex, Location / Love by the Book) foi em janeiro.
Deveria ter seguido meus instintos, me arrependi em não ter lido o livro no lançamento! A Companhia das Letras é parceira do blog e me enviou um livreto informativo de Amor ao Pé da Letra com um conteúdo que me deixou louca pela leitura. Passei os olhos na playlist feminista e drinks exóticos ligados ao enredo e percebi: "Esse livro é diferente!" Destaco que gosto do gênero, mesmo não sendo um dos meus preferidos, me divirto e por vezes me vejo na pele das protagonistas, porém é difícil me impressionar ao ponto de sair indicando o livro.
Então sofri uma odisseia com os Correios. Não entregavam o exemplar e demorou muito para recebê-lo. Valeu a pena! Esse livro me fez rir como nenhum outro, além de possuir uma protagonista nada certinha. Além disso, a obra trata muito de comportamento humano frente aos relacionamentos amorosos, sexuais e sociais como poucos livros engraçados são capazes.

A ideia do livro nasceu de um blog criado e escrito pela americana Melissa Pimentel. Ele continha relatos pessoais e avaliações de sua grande e inusitada aventura: Melissa testava e avaliava métodos citados em livros de autoajuda e revistas femininas sobre relacionamentos amorosos. Guias de variadas épocas, autores e regras e dicas sobre como conquistar o pretendente (ou como, ao menos, conseguir um - ou vários!). Manuais sobre como a mulher deve se comportar perante a sociedade.
No Reino Unido, surgiu o contato por parte da Penguin UK para transformar o blog em um romance. Segundo a própria autora, "vários anos após, muitos rascunhos e alguns 'quase' colapsos nervosos", ela terminou o livro. O projeto havia sido abandonado, assim como o blog fora deletado, pois a autora encontrara seu amor. Mas uma excelente história surgiu de suas experiências.
Ficção e realidade foram misturadas a altas doses de sarcasmo. Embora o livro possa ser apontado como parcialmente autobiográfico, o lado ficcional se sobressai. Melissa afirma isso em todas as entrevistas: Não é um livro de memórias. Acho que esse é o ponto forte da obra: Ela se baseou na ideia de algo que experimentara, mas explorou o conceito ao extremo, em prol da diversão. Algumas ações da protagonista parecem quase absurdas em algumas cenas. Mas é o que fazemos na vida real quando arriscamos!

Se ela fez todas as loucuras que sua protagonista, ou se desejou fazer, ou se simplesmente deus asas a imaginação... O importante é que a autora recriou o perfil da mulher moderna dos chick-lits. Mesmo que por vezes sua protagonista seja exagerada, assim como Bridget Jones, Lauren Cunningham deveria entrar para a história da literatura contemporânea como inovadora.
É divertido acima de tudo, mas é feminista. Como assim uma mulher que fica buscando seguir o que guias dizem é feminista? Porque ela faz o que ela quer, como e quando, sem se preocupar com o que pensam. Ela quer romper as amarras sociais. Sem vergonha, sem medo e sem pudor, ela é independente e assume suas próprias escolhas. Experimenta, vive intensamente e assume seus atos. É um avanço, pois geralmente nessas obras encontro mulheres bem resolvidas e modernas, e, embora não assumam, buscando sim por um homem ideal. Em Amor ao Pé da Letra a protagonista não procura, ela os estuda. Ela não quer um príncipe encantado, apenas se divertir e compreender os relacionamentos.
Lauren se muda de sua terra natal, os Estados Unidos, para a Inglaterra. Trabalha em um Museu da Ciência, é autossustentável, divide um apartamento com uma moça divertida e não quer compromisso romântico. Faz amizades em Londres e logo se imagina seduzindo vários britânicos charmosos com seu estilo e sotaque americano.
Então ela conhece Adrian, um amigo com quem ela frequentemente transa e tem um relacionamento satisfatório e descomplicado. Até o dia em que ela simplesmente prepara ovos para o cara no café da manhã, ele entra em pânico e some, como se ela estivesse querendo uma relação séria. Ofendida e sem compreender o comportamento dele, Lauren decide testar os homens. Tudo o que ela faz é científico - segundo ela. Brincadeiras e métodos suspeitos a parte, realmente ela está testando e descobrindo várias coisas.
Aos poucos a descoberta é do leitor, referente ao lado sentimental da protagonista. Pois mesmo sendo debochada, hilária, inconsequente e feminista, ela tem um lado dócil e, até mesmo, romântico. Existe um segredo no passado de Lauren que é o verdadeiro motivo pelo qual ela mudou de país e estilo de vida. A criação dos pais contribuiu para ela ser autônoma e ousada.


A narrativa é em primeira pessoa, da protagonista. É quase um diário, como se, ao testar os livros escolhidos, Lauren escrevesse o dela, debochando, filosofando, concluindo.
Os diálogos estão em formato de aspas, não travessões. Tenho um pouco de dificuldade inicial com livros assim. Mas estranhamente dessa vez logo entrei no clima da leitura. Acho que gostei da Lauren imediatamente. Portanto, minha quase aversão aos diálogos com aspas passou despercebida.
O jeito natural da Lauren contar suas experiências contribui para a história ser ainda mais divertida, e ela não controla a língua, então esteja ciente de que ela inclui palavrões na narrativa e fala muito abertamente sobre sexo. Sem censuras.
A estrutura de Amor ao Pé da Letra é sustentada em cada livro e método testado por Lauren. Cada etapa do experimento dura exatamente um mês. Em vista disso, são sete principais partes: As Regras, A Técnica do Caso de Amor, Not Tonight, Mr. Right (ou como Lauren prefere chamar, Feche as Pernas e Abra o coração), O Jogo, A Juventude Descobre o Amor, Guia de Homens de Belle de Jour e Boas Maneiras para Mulheres - a autora incluiu uma nota nas últimas páginas com a bibliografia, caso o leitor queira conferir. Após o término de cada mês / teste, Lauren finaliza sinalizando, segundo suas experiências naquele período, com quem o método "funciona melhor" e para que "tipo de pessoa indica o uso".
E após iniciar o processo, Lauren não chama suas cobaias pelo nome. Ela usa apelidos, para manter o "anonimato" deles. Acredito que a intenção na verdade tenha sido outra: Tratar os homens, não com desdém, mas com sarcasmo: Popeye, Corredor, Fotógrafo, Olhos Sonolentos, Ciclista. Senti também referências e brincadeiras com obras populares como Cinquenta Tons de Cinza e Sex and the City. Talvez outros leitores reconheçam mais itens. A autora brinca também com estereótipos de galãs das histórias românticas.

O livro possui muitos destaques, como quando Lauren tenta inverter os papéis. Ou quando ela se enrola e passa a testar a si mesma e não aos homens. Ou quando segue guias muito ultrapassados e precisa adaptá-los. Ou quando tenta encontrar cobaias online. Ou quando ela... Não posso contar mais.
O enredo possui coerência, atingindo um clímax razoavelmente dramático, momento em que Lauren precisa parar, refletir, assumir algumas responsabilidades e enfrentar a si mesma e ao seu passado. Apesar das noitadas em pubs e camas desconhecidas, Lauren percebe que precisa resolver pendências para ser verdadeiramente feliz. Se ela inicia um relacionamento sério? Precisa conferir!

Playlist do livro:
(A playlist oficial do livro vai até a faixa 18. Acrescentei da 19 a 24.)



A autora:
Melissa cresceu numa cidadezinha em Massachusetts e, portanto, passou a maior parte da infância assistindo comédias inglesas dos anos 1970. Aos 22 anos, mudou-se para Londres e vive lá bem feliz há dez anos. Antes de encontrar seu noivo, ela gastou grande parte de seu tempo se aventurando no cenário amoroso e blogando a respeito, o que rendeu a inspiração para seu primeiro romance.
SiteTwitter | Facebook

Gostou da resenha e não tem tempo para comentar? Clique no "G+" abaixo da postagem. Obrigada!

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail