Pesquise no Leitora Viciada

28 de julho de 2015

Para Onde Vai o Amor?, de Fabrício Carpinejar e Bertrand Brasil (Grupo Editorial Record)

Para Onde Vai o Amor?
Fabrício Carpinejar - Bertrand Brasil / Grupo Editorial Record
176 páginas - 2015 - R$28,00 - comprar

Sinopse:
"O amor não é uma propriedade de quem sente, é uma transferência total para quem é amado.
Você que está vendo este livro com dúvida se precisa dele, você não precisa dele, precisa de si, vive caçando uma palavra que confirme o que deseja, está atrás de um escritor que possa lhe recomendar de volta para quem brigou, com capacidade de explicar o que sente e traduzir seus tormentos. Mas já sabe o que deseja, não há como convencer do contrário, os amigos mostraram que seu relacionamento não tem futuro. Não acredita neles, acredita somente no milagre. E como justificar um milagre, ainda mais para quem não tem mais fé? Eu entendo o que está passando: sua raiva, sua amargura, seu cinismo, seu desencanto. 
Percebeu que a razão não conforta, que a vingança ou o perdão não ressuscita a tranquilidade, que o fundo do poço nunca se equivale ao nosso fundo. Você parece normal, mas todo mundo deixa de ser normal quando se apaixona e se separa. Se sua expectativa é por uma solução, eu guardo apenas uma certeza que trará alívio mais adiante: você não vai desistir. Quando diz que acabou a relação, é que está procurando um outro jeito de recomeçar.
Em seu novo livro de crônicas, Carpinejar apresenta 58 textos que sobre amor, desilusão amorosa, casamento, divórcio, saudade e outros sentimentos que compõem os relacionamentos."

Resenha:

Aprecio crônicas somente quando me identifico com elas. Nem sempre isso ocorre e o livro se torna "apenas mais um na lista de lidos". É questão de amar ou ignorar o conteúdo. No caso deste lançamento da Bertrand Brasil (Grupo Editorial Record), garanto que qualquer pessoa se encontrará em vários dos pensamentos.
É um livro para deixar sempre por perto, para ler, reler, ler para os outros, indicar para pessoas que amamos e marcar citações e trechos, as amadas "quotes". Para Onde Vai o Amor? é um livro inteiro de quotes! Nunca (nunca mesmo!) nenhuma obra me fez guardar tantos trechos! Nem sabia mais o que fazer, dentre tantas frase avassaladoras. Por isso, repito: É um livro para manter sempre a mão e reler sempre.
É do escritor, poeta, cronista, jornalista, professor, colunista, palestrante, apresentador e comentarista de TV Fabrício Carpinejar, nascido em Caxias do Sul e morador de Porto Alegre. Já recebeu importantes prêmios como Jabuti (2009, 2012), Erico Verissimo (2006), Olavo Bilac (2003), Cecília Meireles (2002) e Açorianos de Literatura (2001, 2002, 2010, 2012). Possui milhares de seguidores nas redes sociais e seu blog possui milhões de visitas. Foi patrono de incontáveis feiras de livros e integra coletâneas no México, Colômbia, Índia, Estados Unidos, Itália, Austrália e Espanha, além de ter tido um livro publicado em Portugal. No Brasil, você pode encontrar muitas publicações pelo Grupo Editorial Record.
Recebi o livro como surpresa da editora e não havia imaginado lê-lo. Abri o exemplar apenas para experimentá-lo, pois a curiosidade em decidir se Carpinejar merece todos os elogios que observei por aí foi mais forte. Porque como citei, é necessário se identificar com as crônicas para apreciar a leitura; é preciso estar no clima. Não notei o passar do tempo e quando pausei... já estava na metade do livro e adorando, muito compenetrada, cheia de pensamentos, repetindo as frases para mim. Concordando, discordando, imaginando... Pensando em como passei por situações semelhantes das descritas no livro ou como acompanhei alguém próximo com tal momento.

Impossível desgostar de Para Onde Vai o Amor?, porque todo mundo ama e é amado. Todo mundo sofre por amor, sentimento misturado a tantos outros como paixão, raiva, esperança, vingança, devoção, saudade, desprezo...
Não é um livro de autoajuda, longe disso, mas é um livro autorreflexivo. Não é apenas para os românticos ou apaixonados; não é apenas para os solitários ou desamparados; é para todas as pessoas. É para quem encontrou um amor; para quem o perdeu; para quem o abandonou; para os que o buscam; para os que fogem dele.
É uma leitura para quem se perde em rótulos e regras que a sociedade impõe sobre os sentimentos e relacionamentos amorosos.
Quantos guias, dicas e livros encontramos diariamente sobre conquistar o(a) parceiro(a), melhorar a relação ou superar uma traição ou separação? A maioria se sente perdida em meio a mandamentos, códigos, tradições. E então, o indivíduo se sente culpado por amar. Sim, a sociedade insiste em apontar erros no amor, falhas em "como amar"; como, por exemplo: abandone seu par porque brigam demais; não perdoe uma traição; não seja fácil na conquista; não mergulhe em um relacionamento recente; tenha vergonha em constantes reconciliações. Resumindo, em todo lugar inventam regulamentos sobre como, quem e quando se deve amar. Para Onde Vai o Amor é um livro para acabar com preconceitos e regras! O amor é complexo, insano e maravilhoso e ninguém deve ter medo de se entregar a ele ou a todos os sentimentos derivados. Ninguém deve deixar de viver uma relação, com suas possíveis tristezas e felicidades.

A capa é linda, mais bonita ao vivo que pela internet. O fundo é fosco e o "coração-mapa", brilhante. Este está cortado, com a metade de baixo em cima e a de cima embaixo. Porque a vida é assim o amor é assim, as pessoas são assim: Imprevisíveis. A diagramação é simples e básica, com cinquenta e oito textos, sendo três trechinhos escritos com a caligrafia do Carpinejar, relembrando ao leitor como é um livro pessoal. É um testemunho do autor em forma de crônicas e reflexões, para o leitor perceber que nunca está sozinho. Alguns textos são mais líricos e poéticos, enquanto outros são bastante diretos e realistas. Possui textos íntimos, assim como outros totalmente universais. Mostram exemplos do cotidiano também. É uma coletânea sobre o amor, suas formas e derivações, mas os textos são diversificados. E não tem distinção de gênero. É um livro adulto, sem preconceito; para todo mundo.
A leitura pode ser rápida, pois o livro é curtinho, assim como cada texto. A cada crônica ou pensamento, eu parava para absorver, filosofar, rir, imaginar ou relembrar. Leitura rápida, porém de longa reflexão. E se você desprezar isso, não se preocupe. É porque não é o momento. Guarde o livro. Você vai precisar dele, agora ou futuramente. Pode apostar.



Não sou de compartilhar quotes, mas separei vários para a resenha:

"Não há dor maior do que a separação. Quando foi amor. Quando é amor. Aliás,  os tempos verbais se embaralham: ontem parece hoje, o amanhã parece ontem."

"Quando não há mais curiosidade, desejo de escutar sua voz acima de tudo e de qualquer coisa, no meio do trabalho ou da alegria entre amigos, acabou o amor."

"As pessoas se separam primeiro para depois discutir. As pessoas se separam primeiro para depois conversar. As pessoas se separam primeiro para depois desabafar o que incomoda."

"Não sei o que é mais perturbador: aquele que se sente incomodado e discute a todo momento ou o que atravessa a tempestade verbal sem nenhuma alteração de humor."

"Minta com qualquer outro sentimento, menos com esperança. Não ofereça esperança se não acredita na relação."

"Não há amor sem risco. O amor é o próprio risco."

"Não venha dizer que só conheceremos com quem nos casamos quando nos separamos. A gente conhece com quem a gente vai se separar quando se casa."

"Pode vir pela metade,  fragmentada, dividida, um terço de si, uma parcela, que eu aceito e completo. Eu lhe quero do jeito que der, do jeito que for."

"Ao se separar vai terminar mudando, então por que não mudar dentro da relação? O resultado será igual."

"Mudou a pessoa, mas não o seu jeito de seduzir. Mudou a pessoa, mas não sua rotina de amar. Mudou a pessoa, mas não sei script. É uma melancólica sobreposição, desastrada colagem."


O autor:
Fabrício Carpinejar é poeta, jornalista e mestre em Literatura Brasileira pela UFRGS, além de coordenador e professor do curso de Formação de Escritores e Agentes Literários da Unisinos. Filho do casal de poetas Maria Carpi e Carlos Nejar, nasceu na cidade gaúcha de Caxias do Sul em 1972. Recebeu diversos prêmios, entre eles o Maestrale/San Marco (2001), Açorianos (2001 e 2002), Cecília Meireles (2002), Olavo Bilac (2003) e Prêmio Erico Verissimo (2006). Carpinejar foi traduzido ao alemão e assinou contratos na Itália e na França. Participou de antologias no México, Colômbia, Índia e Espanha, e vem sendo aclamado por escritores do porte de Carlos Heitor Cony, Millôr Fernandes, Ignácio de Loyola Brandão e Antonio Skármeta como um dos principais nomes da poesia brasileira contemporânea.
Blog | Facebook | Twitter | Instagram

Sessões de autógrafos:
Fabrício Carpinejar autografará Para Onde Vai o Amor? no Rio de Janeiro e em São Paulo:

Rio de Janeiro
Data: 28 de julho de 2015 (terça-feira) HOJE!
Horário: 19:00 horas
Local: Livraria da Travessa Shopping Leblon
Endereço: Avenida Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon - Rio de Janeiro, RJ.

São Paulo
Data: 04 de agosto de 2015 (terça-feira)
Horário: 19:00 horas
Local: Livraria da Vila
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 915, Pinheiros - São Paulo, SP.

Confiram no Facebook.





Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail