Lançamentos: Companhia das Letras, Penguin Companhia e Companhia de Mesa (Grupo Companhia das Letras)

O Bebedor de Horizontes
As Areias do Imperador - livro 3
Mia Couto - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
328 páginas - R$ 49,90 - comprar

Sinopse:
"O volume que encerra a trilogia histórica de Mia Couto acompanha o fim da epopeia de captura do imperador Gugunhana pelos portugueses.
Mia Couto conclui sua fascinante trilogia com o romance histórico O bebedor de horizontes, que retrata a saga final do imperador moçambicano Gugunhana, o derradeiro grande governante de um império na África no século XIX. Neste último volume da trilogia, os prisioneiros do oficial Mouzinho de Albuquerque embarcam no cais de Zimakaze em um barco que parte em direção ao posto de Languene. De lá, irão seguir para o estuário do Limpopo e então iniciar a viagem marítima que conduzirá os africanos capturados para um distante e eterno exílio, em uma das ilhas dos Açores.
Com a comitiva segue Imani Nsambe, jovem negra que estudou numa missão católica e serve como intérprete entre os nativos e as autoridades portuguesas. Imani está grávida do sargento português Germano de Melo, alocado em outra parte de Moçambique. A tradutora narra os trágicos acontecimentos do final do império de Gaza, que se alternam no romance com as cartas do sargento."


O Sol na Cabeça
Geovani Martins - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
120 páginas - R$ 34,90 - comprar

Sinopse:
"Com a estreia de Geovani Martins, a literatura brasileira encontra a voz de seu novo realismo. Nos treze contos de O sol na cabeça, deparamos com a infância e a adolescência de moradores de favelas – o prazer dos banhos de mar, das brincadeiras de rua, das paqueras e dos baseados –, moduladas pela violência e pela discriminação racial.
Em O sol na cabeça, Geovani Martins narra a infância e a adolescência de garotos para quem às angústias e dificuldades próprias da idade soma-se a violência de crescer no lado menos favorecido da “Cidade partida”, o Rio de Janeiro das primeiras décadas do século XXI.
Em “Rolézim”, uma turma de adolescentes vai à praia no verão de 2015, quando a PM fluminense, em nome do combate aos arrastões, fazia marcação cerrada aos meninos de favela que pretendessem chegar às areias da Zona Sul. Em “A história do Periquito e do Macaco”, assistimos às mudanças ocorridas na Rocinha após a instalação da Unidade de Polícia Pacificadora, a UPP. Situado em 2013, quando a maioria da classe média carioca ainda via a iniciativa do secretário de segurança José Beltrame como a panaceia contra todos os males, o conto mostra que, para a população sob o controle da polícia, o segundo “P” da sigla não era exatamente uma realidade. Em “Estação Padre Miguel”, cinco amigos se veem sob a mira dos fuzis dos traficantes locais.
Nesses e nos outros contos, chama a atenção a capacidade narrativa do escritor, pintando com cores vivas personagens e ambientes sem nunca perder o suspense e o foco na ação. Na literatura brasileira contemporânea, que tantas vezes negligencia a trama em favor de supostas experimentações formais, O sol na cabeça surge como uma mais que bem-vinda novidade. "

Assassinos da Lua das Flores
David Grann - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
392 páginas - R$ 64,90 - comprar

Sinopse:
"Neste best-seller do New York Times escolhido como o livro do ano por mais de dez jornais e revistas americanas, a impressionante história real da primeira grande investigação de homicídios do FBI é contada por um mestre da não ficção narrativa.
Nos Estados Unidos dos anos 1920, as pessoas com maior renda per capita do mundo eram membros da tribo indígena Osage, de Oklahoma.Depois da descoberta de petróleo sob o solo de sua reserva, esses improváveis milionários andavam em carros de luxo dirigidos por motoristas, viviam em mansões e mandavam seus filhos para estudar na Europa.
Então, um a um, os Osage começaram a ser mortos. As primeiras vítimas são a família de Mollie Burkhart, cujos parentes são sucessivamente envenenados ou assassinados a tiros. E isso era apenas o começo, pois mais e mais membros morreriam nos próximos meses, sempre em condições misteriosas.
Nessa parcela remanescente do Velho Oeste, habitada por notórios malfeitores como Al Spencer, conhecido como “o terror fantasma”, e onde homens do petróleo, como J. P. Getty, fizeram fortuna, muitos dos que ousaram investigar os assassinatos também perderam a vida.
É só quando o número de vítimas ultrapassa a segunda dezena que o FBI assume o caso. Fundado havia menos de duas décadas, o Federal Bureau of Investigation ainda não dispunha da experiência e da fama que tem hoje e seus agentes conduzem mal as investigações. Desesperado, o jovem diretor J. Edgar Hoover recorre à ajuda de um antigo Ranger texano chamado Tom White para solucionar o mistério.
White organiza uma equipe secreta, incluindo um dos únicos agentes indígenas do Bureau. Eles se infiltrariam na região lutando para adotar as mais recentes técnicas de investigação e começariam a expor uma das conspirações mais frias da história dos Estados Unidos.
“Perturbador e envolvente” — Dave Eggers, The New York Times Book Review.
“Extraordinário” — Time Magazine."

Na Natureza Selvagem
Nova edição com prefácio inédito do autor.
Jon Krakauer - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
216 páginas - R$ 47,90 - comprar

Sinopse:
"Narrativa verídica sobre sonhos de juventude que se transformam em pesadelo.
Nova edição com prefácio inédito do autor.
Na natureza selvagem, de Jon Krakauer, autor do best-seller No ar rarefeito, traz uma história real. O corpo em decomposição de um jovem é encontrado no Alasca. A polícia descobre que se trata de um rapaz de família rica do Leste americano que largou tudo, se internou sozinho na aridez gelada e morreu de inanição. Quem era o garoto? Por que foi para o Alasca? Por que morreu? Para responder a essas e outras perguntas, Jon Krakauer refaz a trajetória de Chris McCandless, revelando a América dos que vivem à margem, pegando carona ou circulando em carros velhos, vivendo em acampamentos e cidades-fantasmas. Mergulha no mundo da cidadezinha rural, onde homens rudes bebem e conversam sobre o tempo e a colheita. Compara a história do jovem com a de outros aventureiros solitários que tiveram fim trágico. O resultado é uma narrativa envolvente, por vezes amarga, em que os sonhos da juventude se transformam em pesadelo."

História do Olho
Georges Bataille - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
136 páginas - R$ 49,90 - comprar

Sinopse:
"A expressão máxima do erotismo na literatura universal.
Texto de estreia de Georges Bataille, História do olho é também sua obra mais célebre e um dos maiores clássicos da literatura erótica do século XX. Chocante e sacrílega, esta novela é a expressão máxima da obsessão do autor pela proximidade entre sexo, violência e morte, e sua dimensão filosófica se depreende do exercício ilimitado que Bataille faz de tal relação.
Publicado em 1928 sob o pseudônimo de Lord Auch, o livro acompanha as peripécias sexuais do jovem narrador e de sua amiga Simone. Embebido da atmosfera do surrealismo francês, do qual o próprio Bataille chegou a fazer parte, o relato suspende do horizonte das personagens o interdito do universo adulto e propicia aos jovens uma jornada de extravagâncias que envolvem sadismo, orgias, tortura e loucura, culminando em um ato de transgressão."

Outra Vida
Nova edição.
Rodrigo Lacerda - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
160 páginas - R$ 44,90 - comprar

Sinopse:
"Romance surpreendente sobre relacionamentos amorosos, Outra vida ganha nova edição. Com estilo apurado, Rodrigo Lacerda constrói uma trama de grande intensidade dramática sobre a vida brasileira e os tempos atuais.
São 7h15 da manhã; um homem, uma mulher e sua filha de cinco anos aguardam o momento de embarcar no ônibus que os levará de volta à pequena cidade litorânea de onde vieram. Esse é o ponto de partida de Outra vida, romance de Rodrigo Lacerda.
Com a viagem, o marido espera começar uma vida nova, depois de um período cruel na cidade grande. Funcionário de uma estatal e pressionado por necessidades financeiras, ele quebrou seu código de conduta e agora enfrenta a culpa e a perseguição. Sua mulher, no entanto, criou raízes profissionais e sentimentais na capital, que a fazem questionar o casamento e desconfiar da salvação no passado. Por isso, luta até o último minuto contra a partida. Lentamente, contudo, raízes mais profundas do impasse vão se apresentando. Novos acontecimentos e novos personagens perturbam o momento da decisão. Enquanto aguardam a hora do embarque, os conflitos de cada um emergem de forma silenciosa e dramática, e o delicado equilíbrio que os mantém unidos ameaça ruir a qualquer momento.
Prêmio Academia Brasileira de Letras de Melhor Romance."

Olive Kitteridge
Elizabeth Strout - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
336 páginas - R$ 54,90 - comprar

Sinopse:
"Vencedor do prêmio Pulitzer de ficção, o livro que deu origem à premiada minissérie da HBO de mesmo nome, com Frances McDormand no papel principal.
De uma franqueza quase rude mas afetuosa à sua maneira, Olive Kitteridge, fascinante em toda a sua imperfeição, é a figura inesquecível em torno da qual gravitam as treze histórias que se entrelaçam e compõem este livro da mesma autora de Meu nome é Lucy Barton.
Na prosa precisa e elegante de Elizabeth Strout, o leitor conhecerá esta professora de matemática aposentada da pequena Crosby, no litoral do Maine. Ao longo de quase trinta anos, acompanhamos sua trajetória: a passagem da maturidade à velhice, suas próprias agruras e os pequenos e grandes dramas que a cercam, assim como as vidas que se desenrolam ao seu redor e que ilustram à perfeição o drama humano, feito de desejo, desespero, ciúme, esperança e amor.
O prazer de ler Olive Kitteridge vem de nossa identificação com personagens nem sempre admiráveis. Sem nenhum sentimentalismo, Elizabeth Strout nos mostra que tentar compreender as pessoas e se solidarizar com elas é sempre o melhor caminho.
“A prosa de Elizabeth Strout é iluminada por momentos de espantoso brilho poético.” — The New Yorker."

Lincoln no Limbo
George Saunders - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
408 páginas - R$ 59,90 - comprar

Sinopse:
"Ganhador do prestigioso Man Booker Prize 2017, Lincoln no limbo é uma narrativa original e emocionante. Em 1862, em meio à Guerra Civil Americana, morre, aos onze anos de idade, Willie Lincoln, filho do lendário presidente Abraham Lincoln. A tragédia leva a um luto desesperado o homem que daria fim à escravidão nos Estados Unidos.
Com a morte do filho ainda na infância, Abraham Lincoln, o presidente mais importante da história da democracia, vê seu mundo desmoronar. Em plena Guerra Civil, Lincoln esquece o país em conflito para lamentar, no limite da loucura, a morte do filho. Noite após noite, dirige-se à capela do cemitério para abraçar o cadáver do jovem Willie.
A partir desse acontecimento histórico, o escritor George Saunders rejeita as convenções literárias realistas e compõe uma narrativa passada no além — no limbo do título, ou melhor, no “bardo” do budismo tibetano, o estágio intermediário entre a morte e o renascimento. Lá, acompanhamos a jornada do jovem Willie, incapaz de aceitar que está morto. Um romance surpreendente, que reinventa o gênero de forma radical.
Alternando registro metafísico e documentos históricos e sem medo de abraçar o experimentalismo, Saunders coloca em movimento questões existenciais, históricas e políticas e cria uma obra absolutamente única no cenário contemporâneo.
“Nunca antes eu havia lido um romance desse jeito, em permanente estado de eletrização, com os olhos marejados e um nó na garganta do começo ao fim. Lincoln no limbo não dá trégua ao encanto do leitor. Uma preciosidade.” — Bernardo Carvalho.
“Um livro que transforma a literatura tal como a conhecemos, que modifica nossa maneira de ler e de escrever. É uma história de fantasmas recontada com brilhantismo, uma narrativa sobre a fragilidade do ser humano e sobre tudo aquilo que está além deste mundo.” — Lila Azam Zanganeh"

Enterre seus Mortos
Ana Paula Maia - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
136 páginas - R$ 34,90 - comprar

Sinopse:
"Uma habilidosa mescla de novela policial, faroeste de horror e romance filosófico, escrito por uma das vozes mais originais da literatura brasileira contemporânea.
Edgar Wilson é “um homem simples que executa tarefas”. Trabalha no órgão responsável por recolher animais mortos em estradas e levá-los para um depósito onde são triturados num grande moedor. Seu colega de profissão, Tomás, é um ex-padre excomungado pela Igreja Católica que distribui extrema unção aos moribundos vítimas de acidentes fatais que cruzam seu caminho.
A rotina de Edgar Wilson, absurda em sua pacatez, é alterada quando ele se depara com o corpo de uma mulher enforcada dentro da mata. Quando descobre que a polícia não possui recursos para recolhê-lo — o rabecão está quebrado —, o funcionário é incapaz de deixá-lo à mercê dos abutres e decide rebocar o cadáver clandestinamente até o depósito, onde o guarda num velho freezer, à espera de um policial que, quando chega, não pode resolver a situação.
Nos próximos dias, o improvisado esquife receberá ainda outro achado de Wilson, o lacônico herói deste desolador romance kafkiano: desta vez o corpo de um homem. Habituados a conviver com a brutalidade, Edgar e Tomás não se abalam diante da morte, mas conhecem a fronteira, pela qual transitam diariamente, entre o bem e o mal, o homem e o animal. Enquanto Tomás se empenha em salvar a alma, Edgar se preocupa com a carcaça daqueles que cruzam seu caminho. Por isso, os dois decidem dar um fim digno àqueles infelizes cadáveres.
Em sua tentativa de devolvê-los ao curso da normalidade, palavra fugidia no universo que Ana Paula Maia constrói magistralmente, os dois removedores de animais mortos conhecerão o insalubre destino de seus semelhantes. Com uma linguagem seca, que mimetiza as estradas pelas quais o romance se desenrola, a autora faz brotar questões existenciais de difícil resolução. O resultado é uma inusitada mescla de romance filosófico e faroeste que revela o poderoso projeto literário de Maia.
“Nem da alma nem do coração. Os personagens de Ana Paula Maia sofrem do fígado.” — O Estado de S. Paulo.
“É preciso entender muito de ficção, de realidade e de representação da realidade para poder escrever assim.” — O Globo.
“Ana Paula encontra, em meio às manobras mais repulsivas, o tom mítico de uma maldição bíblica, disfarçada nos popismos de superfície.” — Rolling Stone Brasil;"

Primeiro Caderno do Alumno de Poesia
Edição fac-símile.
Oswald de Andrade - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
64 páginas - R$ 79,90 - comprar

Sinopse:
"Lançado originalmente em 1927, o volume que foi considerado por Augusto de Campos como “possivelmente o mais belo livro de poesia de nosso modernismo” ganha edição fac-similar.
Em abril de 1927, terminava-se de imprimir a tiragem de trezentos exemplares do Primeiro caderno do alumno de poesia Oswald de Andrade. Tanto pela dimensão visual — com projeto gráfico de Tarsila do Amaral e “autoilustrações do autor” — quanto pelo conteúdo revolucionário, a obra se consagraria como pioneira entre os livros de artista no universo da poesia brasileira.
Segunda coletânea de poemas de Oswald de Andrade, precedido por Pau Brasil, este volume reitera a máxima proclamada pelo autor no “Manifesto da Poesia Pau Brasil”: aqui está o poeta, com toda ousadia e radicalidade, vendo “com olhos livres”.
Além da edição fac-similar, que reproduz o exemplar guardado na Coleção Brasiliana Itaú, do Itaú Cultural, o leitor vai encontrar neste envelope uma separata com o ensaio “Oswald, livro livre”, de Augusto de Campos, e “A infância do mau selvagem”, texto inédito de Manuel da Costa Pinto."

Amar se Aprende Amando
Carlos Drummond de Andrade - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
184 páginas - R$ 49,90 - comprar

Sinopse:
"No último volume de poemas que publicou em vida, Carlos Drummond de Andrade une o lado sublime do sentimento amoroso às dimensões prática e política da vida cotidiana.
Amar se aprende amando permite como nenhum outro livro de Drummond um percurso pelas diferentes formas que o sentimento amoroso assume em sua poética. Do amor sublime àquele que se atinge pelo convívio ideal, da fusão dos amantes em unidade perfeita à celebração da amizade, o que encontramos nos 68 poemas que compõem este volume é o fruto do esforço do poeta em conciliar sentimento e experiência.
Se o amor pode ser aprendido pela prática, como afirma o título do livro, a concretude do cotidiano permeia o sentimento romântico, dando a conhecer a dimensão política deste. Ao anseio do amor ideal somam-se as referências do contexto histórico do país, que vivia sob um regime militar, como deixa claro o poeta nos versos “O feijão é de todos, em princípio,/ tal como a liberdade, o amor, o ar./ Mas há que conquistá-lo a teus irmãos.”.
Inclui posfácio de Fabio Cesar Alves."

A Paixão de Mademoiselle S.
Organização: Jean-Yves Berthault
Anônimo - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
208 páginas - R$ 49,90 - comprar

Sinopse:
"Um surpreendente relato verídico de luxúria na Paris dos anos 1920.
Parece mentira, mas não é: enquanto ajudava uma amiga a esvaziar o sótão de uma casa, o diplomata francês Jean-Yves Berthault descobriu por acaso uma antiga sacola de couro com iniciais gravadas em prateado. Dentro dela, cartas de amor, escritas pela mesma pessoa, “numa linguagem mais que ousada, inacreditável em matéria de audácia erótica”.
Datada dos anos 1920, essa correspondência, assinada por uma misteriosa Simone, está dirigida a seu amante Charles, um homem mais jovem e casado. Nela, a autora, uma parisiense de classe alta, expressa seus desejos e fantasias enquanto adentra um universo de prazer físico que, conforme rompe tabus, toma rumos inesperados.
Escrito em uma linguagem tão elegante quanto explícita, este tesouro epistolar é uma jornada de despertar sexual e exploração psicológica no qual uma mulher corajosa desafia as fronteiras que a sociedade impunha a seu sexo e classe para encontrar a liberdade e, em última instância, a si própria."

Racismos: das Cruzadas ao Século XX
Francisco Bethencourt - Companhia das Letras / Grupo Companhia das Letras
608 páginas - R$ 74,90 - comprar

Sinopse:
"Revisitando a história com uma análise abrangente, Francisco Bethencourt apresenta o mais erudito e completo livro sobre racismo.
Revolucionário em seu escopo cronológico e espacial, este livro traz a primeira análise histórica abrangente e compreensível do racismo — um fenômeno relacional, que sofre alterações com o tempo e não pode ser compreendido em sua totalidade através de estudos segmentados de breves períodos, de regiões específicas ou de vítimas recorrentes.
Nesta obra de fôlego, o renomado historiador Francisco Bethencourt mostra as formas de racismo que precederam as teorias de raça, observando-as no contexto de hierarquias sociais e condições locais. O argumento é de que a prática discriminatória, em suas várias modalidades e aspectos, foi sempre provocada por projetos políticos de monopolização de recursos.
O foco de Racismos é o mundo ocidental, mas o autor também propõe comparações com tipos de segregação presentes em outras regiões do mundo. Ao provar que não há uma tradição constante de racismo, Bethencourt amplia nossa compreensão das relações interétnicas e contribui para o fim da história deste preconceito.
“A sofisticada análise de Bethencourt articula habilmente história social e história cultural. Seu livro se destaca dentre tudo o que já foi escrito sobre racismo.” — David Armitage.
“Talvez nunca haja consenso sobre as origens, a natureza, a cronologia e o futuro do racismo. Graças a este denso, corajoso e provocador livro de Francisco Bethencourt, as questões estão mais claras do que antes, e os debates que prosseguirão estarão muito mais bem informados.” — Felipe Fernández-Armesto, autor de 1492: O ano em que o mundo começou."

David Copperfield
Charles Dickens - Penguin Companhia / Grupo Companhia das Letras
1160 páginas - R$ 64,90 - comprar

Sinopse:
"Um dos maiores romances do século XIX, David Copperfield é também o mais autobiográfico do autor que definiu o realismo inglês.
Publicado originalmente na forma de folhetim entre 1849 e 1850, David Copperfield é o romance mais autobiográfico de Charles Dickens. Mas não só: nas palavras do grande escritor, que inspirou outros gigantes da literatura ocidental como Tolstói, Kafka, Woolf, Nabokov e Cortázar, este é seu “filho predileto”.
Nele, acompanhamos a jornada do herói, nascido na Inglaterra dos anos 1820: órfão de pai desde o nascimento, David Copperfield pertence à imensa massa de desfavorecidos que a literatura do século XIX, pela primeira vez, presenteou com o protagonismo.
Parte fundamental da tradição do grande romance realista, este livro oferece não apenas um retrato acurado de seu tempo como também um contundente relato sobre a vocação literária."

Os 120 Dias de Sodoma
Marquês de Sade - Penguin Companhia / Grupo Companhia das Letras
512 páginas - R$ 39,90 - comprar

Sinopse:
"Principal obra de Sade e o mais conhecido e inigualável registro da literatura pornográfica, Os 120 dias de Sodoma ainda hoje desperta o interesse e a perplexidade de quem cruza seu caminho.
Neste romance perturbador, pensado por Sade como sua grande obra, quatro amigos se isolam em um castelo na Floresta Negra para ouvir de quatro alcoviteiras histórias de sua vida nos bordéis e as taras de seus clientes. Para encenarem esta experiência sadomasoquista da qual ninguém sairá imune, os libertinos contam com as esposas, filhas e um séquito de jovens, todos obrigados a se submeter às paixões ali descritas.
Escrito em 1785 durante uma temporada de prisão na Bastilha, este escandaloso relato permaneceria clandestino até 1904, ano de sua primeira publicação. Nem a perseguição de seu autor, nem sua censura sistemática foram suficientes para conter a avassaladora influência que tal catálogo de perversões teve sobre incontáveis leitores ao longo dos dois séculos seguintes, entre eles Roland Barthes, Simone de Beauvoir, Theodor Adorno e Samuel Beckett.
Brilhantemente traduzida por Rosa Freire d’Aguiar, esta edição inclui um posfácio de Eliane Robert Moraes, que levanta uma questão mais do que pertinente: estaríamos nós, enfim, prontos para ler um dos livros mais controversos de todos os tempos?"

Menu para a Semana: Receitas e Carpápios para Agilizar sua Cozinha
Editores do Food52 - Companhia de Mesa / Grupo Companhia das Letras
288 páginas - capa dura - R$ 89,90 - comprar

Sinopse:
"O passo a passo para adiantar seus almoços, jantares e sobremesas da semana.
Quer comer bem em casa, mas não sabe como? Este livro, escrito por Amanda Hesser e Merrill Stubbs, é um guia para quem deseja economizar tempo e dinheiro na cozinha, sem cair na mesmice. Com pratos e acompanhamentos variados e sazonais, elas ensinam a estabelecer um cronograma culinário, que inclui uma lista de compras semanal e o passo a passo para adiantar o menu da semana inteira em poucas horas.
“Um presente para os cozinheiros sem tempo: um plano de compras e menus que podem ser preparados com antecedência para te guiar deliciosamente pela semana. A organização e o entusiasmo das autoras são tão inspiradores quanto as receitas. É um livro imediatamente indispensável.” — Nigella Lawson.
"Este livro é como o livro da Marie Kondo: a magia de planejar sua semana." — The New York Times."

Lançamentos da Companhia das Letras, Penguin Companhia e Companhia de Mesa (do Grupo Companhia das Letras) em março de 2018.

Editoras parceiras