Pesquise no Leitora Viciada

26 de abril de 2013

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista, Jennifer E. Smith, Galera Record

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (The Statistical Probability of Love at First Sight)
Jennifer E. Smith - Galera Record
Tradução: Camila Mello
224 páginas - Ano: 2013 - R$29,90

Sinopse:
"Às vezes a gente tem um clic e percebe que tudo mudou. Por uma coincidência. Uma fatalidade. Ou algo trivial. Nada será como antes.
É exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver.
Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres.
Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo.
E quatro minutos podem MESMO mudar tudo..."

Links: Galera Record | Skoob | degustação

Comprar: Submarino | Saraiva | Livraria Cultura | Siciliano | Travessa

Resenha:
O título pode ser um pouco longo, ainda mais para um livro curto e com temática teen, mas foi muito bem escolhido. Na última página o leitor termina sorrindo, de tão meiga e divertida que é a história. Os últimos diálogos firmam o título do livro e fecham a história de um modo muito agradável.
A capa é adolescente e linda. O fundo é fosco, mas todos os detalhes brilham. O avião, corações e nuvens combinam perfeitamente com o enredo. Avião, pois Hadley encontra Oliver no aeroporto e é no avião que os dois realmente se conhecem; corações, porque é uma paixão de fazer suspirar; Nuvens, não apenas simbolizando o voo, mas diversas outras coisas que o leitor descobre ao ler tudo.
Apesar da capa ser linda, ter me atraído instantaneamente e me feito reparar na na sinopse, admito que acho estranho Hadley estar de branco, já que ela é a madrinha do casamento. Uma observação supérflua, ignorem. O que realmente destoa da imagem na capa é o tênis do Oliver, pois está "descolado" de seu pé, como se não pertencesse a ele.
As cores escolhidas para os símbolos na capa se estendem para as orelhas do livro e o deixam com vida, com jeito animador de chick-lit - eu adorei.

Pensei, inicialmente, que o livro seria bem infantil, mostrando apenas uma paixão adolescente. O livro, no entanto, não contém apenas isso e possui mensagens mais profundas que um romance teen comum.
Se quatro minutos podem mudar vidas, isso é certo. Se o amor à primeira vista existe, depende do ponto de vista; porém o livro demorou apenas quatro minutos de leitura para me fisgar de vez e confesso: A capa me fez cair de amores à primeira vista por ele! Não pausei a leitura em momento algum. Quando percebi, duas horas e poucos minutos depois eu estava nas nuvens e com o livro finalizado. E nem adolescente sou. Adorei o livro.

Embora o foco principal seja uma paixão à primeira vista, o destaque está para o relacionamento de Hadley com seus pais e sua conturbada fase adolescente. Da mesma forma que o livro não é apenas um caso de amor, a trama não se passa toda no aeroporto como alguns leitores podem concluir ao ler a sinopse. O aeroporto e o voo são essenciais para a história ocorrer e o ponto de partida - literalmente.
E se Hadley não tivesse se atrasado e perdido o voo para Londres? Todo um conjunto de coisas que atrapalhou a corrida da moça até o aeroporto, e se tudo tivesse transcorrido de outra forma?
Por causa de quatro minutos a menina precisa esperar pelo próximo voo e acaba conhecendo Oliver, um rapaz britânico muito charmoso, que a faz se sentir à vontade logo de início (e o coração a bater mais rapidamente), mesmo com um mistério pairando no ar. E a incerteza de Hadley sobre ele estar sentindo o mesmo... Será que algo está rolando ou será apenas mais uma conversa informal de estranhos dentro de um avião?

A autora possui uma narrativa simples, poética, doce e descolada. É realizada em terceira pessoa quase sempre sob o ponto de vista de Hadley, a protagonista - fazendo o leitor se sentir íntimo dela, mesmo não sendo a narradora - fato não muito comum de ocorrer comigo.
A forma delicada e natural como a autora apresenta características, conflitos e personalidades é o ponto forte. Detalhes como um cabelo de um jeito, um andar de outro, migalhas, flores, nuvens, insetos, olhares... Tudo contribui para um belo e singelo texto que ganha a simpatia do leitor do início ao fim.
Palavras ditas que parecem casuais podem vir a se tornar essenciais posteriormente, quando a autora puxa do recente passado e constrói uma linda história que ocorre em apenas vinte e quatro horas.
Cada um dos dezoito capítulos possui o horário em que os fatos acontecem, tanto no fuso horário da Costa Leste dos Estados Unidos quanto no Meridiano de Greenwich, horário londrino.
Antes de tudo vem um pequeno prólogo, apresentando o assunto sobre encontros e desencontros não ocorrerem ao acaso. Será? Já nessa breve apresentação a autora mostra seu estilo.

A partir de uma premissa que deveria ser apenas uma paixonite adolescente ao acaso, muitos outros conflitos se desenrolam. Hadley e seus pais.
O relacionamento dela para com eles reflete quem ela é no momento. Percebi que embora os pais estejam em situações bem semelhantes (e felizes), Hadley aceita a da mãe, mas não a do pai (e se sente infeliz). Creio que seja apenas uma projeção de seu subconsciente de que a mãe não a abandonou, porém o pai sim.
E é essa a jornada de Hadley. Perceber que embora a vida mude, os pais mudem e ela cresça, o amor que ambos possuem por ela jamais irá mudar. Que nas pequenas coisas da vida, itens tão simples do dia a dia, que na maioria das vezes passam diante de nossos olhos sem as notarmos é que realmente são importantes. Através de atos pequenos, frases sem importância, gestos desatentos - é aí que está a beleza da vida, onde encontramos o amor verdadeiro.
Hadley precisa parar de se preocupar com coisas que parecem grandes para reparar nos pequenos e realmente importantes fatos de sua vida. Em apenas vinte e quatro horas a menina passa por um extremo cansaço físico e mental, para aprender lições de família, amor e vida. Em tão pouco tempo Hadley irá sentir uma mistura de sensações, dúvidas e emoções. Ela descobre em poucas horas mais coisas que em dezessete anos de vida.
Não o verdadeiro amor, mas a existência de todos os amores possíveis, em todas as suas formas e plenitude.

Um livro muito gostoso de ser lido, válido para qualquer tipo de leitor que esteja em busca de uma história simples, do cotidiano; sobre crescimento e descobertas.
Destaque para como as situações mais inesperadas podem marcar para sempre vidas; como momentos inconvenientes podem de repete se transformar nos melhores de sua vida.
Simplesmente adorei o relacionamento de Hadley com sua mãe e com seu pai e a maneira como foram apresentados, desenvolvidos e finalizados.
A forma como ela conhece Oliver e eles modificam a vida um do outro, surpreendentemente do modo mais simples e delicado possível. O equilíbrio do adolescente típico e o jovem adulto é retratado com fidelidade e muito bom humor.

A dor, a perda e o perdão também estão no livro. O drama é tão discreto e a autora tão prática e sensível que ela o aborda de uma forma bonita. O sofrimento é tão natural como a felicidade - e assim são feitos os nossos dias. Um após o outro. E um deles pode ser um dia especial, um daqueles que mudará nossas vidas.
Quatro minutos podem mudar o rumo de uma vida. Quatro segundos também. Quanto ao amor à primeira vista, ele pode ocorrer. Mesmo que só tenhamos consciência disso após um segundo, terceiro, quarto olhar... A lição do livro? Não esperar uma eternidade para demonstrar o amor, felicidade, esperança. Sinta e demonstre. Deseje e lute por. Viva.

Booktrailer:

A autora:
Jennifer E. Smith é o autora de A Probabilidade Estatística do Amor á Primeira Vista, The Storm Makers, You Are Here e The Comeback Season. Ela possui mestrado em Escrita Criativa pela Universidade de St. Andrews, na Escócia, e atualmente trabalha como editora em New York.
A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista é um sucesso que foi traduzido para mais de trinta idiomas. A obra conquistou o prêmio de Melhor Ficção Young Adult pelo Goodreads Choice Awards, em 2012

Links: Site | Twitter

Nos cinemas:
A história será adaptada para o cinema pelo roteirista Dustin Lance Black, vencedor do Oscar de melhor roteiro original em 2009 pelo filme Milk.



Sorteio:
Quer concorrer a um exemplar de A Probabilidade Estatística do Amor á Primeira Vista? A Galera Record vai presentear o(a) sorteado(a)!
Então clique no banner abaixo e participe! De 28/04/2013 até 18/05/2013.


Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail