Pesquise no Leitora Viciada

12 de janeiro de 2016

Star Wars: A Arma de um Jedi, Jason Fry e Editora Seguinte (Grupo Companhia das Letras)

Star Wars: A Arma de um Jedi - Uma Aventura de Luke Skywalker (Star Wars: The Weapon of a Jedi - A Luke Skywalker Adventure)
Coleção Jornada para Star Wars: o Despertar da Força (Journey to Star Wars: The  Force Awakens)
Jason Fry - Editora Seguinte / Grupo Companhia das Letras
Ilustração: Phil Noto
200 páginas - 2015 - R$34,90
Comprar: Amazon | Casas Bahia | Extra | Fnac | Livraria Cultura | Livraria da Folha | Livraria da Travessa | Livraria Saraiva | Ponto Frio | Shoptime
Resenhas Jornada para o Despertar da Força: Alvo em Movimento | Estrelas Perdidas

Sinopse:
"Nesta história, que se passa entre Uma Nova Esperança (episódio IV) e O Império Contra-ataca (episódio V), Luke Skywalker está no meio de uma tarefa para a Aliança Rebelde quando um chamado da Força o leva até Devaron, um planeta misterioso onde há muito tempo erguia-se um templo Jedi, agora reduzido a ruínas.
Luke decide se desviar temporariamente da missão e seguir aquele chamado, com a ajuda de um guia local corajoso o suficiente para ignorar as lendas que diziam que o lugar era mal-assombrado. Em meio aos escombros, Luke descobrirá que, mesmo sem um mestre, poderá continuar seu treinamento Jedi - isto é, caso consiga sobreviver à sua primeira batalha com um sabre de luz.
Nesta série, você encontrará aventuras inéditas de seus personagens favoritos, além de algumas caras novas. Mas leia com atenção! Há pistas escondidas nas páginas dos livros, que dão dicas preciosas sobre o episódio VII, O Despertar da Força!"

Pré-resenha:
Através de seu selo jovem, a Editora Seguinte, o Grupo Companhia das Letras está publicando livros cânones recentes do universo expandido Star Wars, da Disney Lucasfilm Press. São obras voltadas ao público juvenil, mas funcionam para adultos. Não importa se você é fã novo, conhece pouco ou nada de Star Wars. Mas se você já é fã, estes livros são indispensáveis, pois complementam e abrangem o épico de criado George Lucas.
Tudo que possui o selo Legends são considerados lendas, ou seja, podem ou não ter acontecido. As demais publicações (incluindo as da Seguinte) são oficiais da Disney/Lucasfilm, ligadas diretamente aos filmes e, portanto, fatos "verdadeiros".
Os livros que têm o selo Jornada para o Despertar da Força (pertencentes ao cânone) se ligam, uns mais diretamente que outros, ao episódio VII, O Despertar da Força (The Force Awakens - 2015). Li algumas resenhas negando isso; infelizmente ainda não captaram os detalhes, como em Estrelas Perdidas (Lost Stars), da autora Claudia Gray, que se passa do episódio IV até 1 ano e pouco após o episódio VI. Através de novas personagens e pontos de vista revemos os principais acontecimentos dos três episódios como as batalhas de Yavin, Hoth e Endor, além de apreciarmos a inédita Batalha de Jakku. O selo possui até agora mais três livrosA Arma de um Jedi (The Weapon of a Jedi), de Jason Fry e A Missão Contrabandista (Smuggler's Run), de Greg Rucka, que ocorrem entre os episódios IV e V.   Alvo em Movimento (Moving Target), de Cecil Castelucci e Jason Fry, se passa entre os episódios V e VI.
Com uma pegada mais infantojuvenil há a Trilogia Clássica Ilustrada. Como o título sugere, reconta os filmes clássicos em nova linguagem e extras: A Princesa, o Cafajeste e o Garoto da Fazenda (The Princess, the Scoundrel, and the Farm Boy), por Alexandra Bracken, é adaptação do episódio IV, Uma Nova Esperança (A New Hope - 1977); Então Você Quer Ser um Jedi? (So You Want to Be a Jedi?), por Adam Gidwitz, é inspirado do episódio V, O Império Contra-Ataca (The Empire Strikes Back - 1980); Cuidado com o Lado Sombrio da Força! (Beware the Power of the Dark Side!), por Tom Angleberger, é baseado no episódio VI, O Retorno de Jedi (Return of the Jedi - 1983).
Lembrando que a franquia cinematográfica tem uma trilogia prequela (episódios I, A Ameaça Fantasma / The Phanton Menace - 1999; II, Ataque dos Clones / Attack of the Clones - 2002; e III, A Vingança dos Sith / Revenge of the Sith - 2005).


Resenha:
A Seguinte está publicando uma coleção linda e caprichada, com capas emborrachadas e orelhas com marcador para recortar e colecionar. As páginas de A Arma de um Jedi são brancas com efeito cinza claro. Possui ilustrações de Phil Noto antes de cada uma das três partes em que a história foi dividida. As capas são maravilhosas, e a ilustração se estende à contracapa.
Sou fã de Star Wars por toda a minha vida e penso nas personagens como pessoas reais. Na trilogia clássica Luke Skywalker é o herói Jedi admirável; a Princesa Leia é representante feminina cheia de personalidade e o Han Solo é o anti-herói charmoso mercenário.
Estes livros trazem aventuras inéditas de cada um deles e colocando a leitura em ordem cronológica, temos: A Missão Contrabandista e A Arma de um Jedi, entre os episódios IV e V. O primeiro mostra Han e Chewie (ainda não o li, mas quero!); e o segundo, Luke realizando descobertas e fortalecendo seu treinamento Jedi. Depois temos, entre os episódios V e VI, a Princesa Leia partindo para uma missão suicida pela galáxia. Não precisa seguir a ordem, apenas se localizar antes de iniciar a leitura; podem ser lidos de modo independente.
Adorei reencontrar personagens do meu coração em novas aventuras, complementando a trilogia clássica e mostrando alguns itens sobre o episódio VII - e além, conforme conferi em A Arma de um Jedi!
Os eventos de A Arma de um Jedi acontecem após Uma Nova Esperança e antes de O Império Contra-Ataca. Expliquei na resenha de Alvo em Movimento que sempre imaginei passagens cronológicas em que Leia, Luke e Han viveram outras aventuras, especialmente Leia e Luke. Sempre os imaginei ganhando experiência e encarando missões, perigos e dramas emocionais. Sempre fantasiei aventuras entre os episódios IV e V; e V e VI! Embora os livros sejam curtos, as histórias são nostálgicas e empolgantes.
As aventuras solo (li as de Leia e Luke) são melhores que a trilogia clássica ilustrada e no mesmo nível de qualidade de Estrelas Perdidas. A Arma de um Jedi e Alvo em Movimento são mais voltados aos fãs.


A narrativa é em terceira pessoa e o Prólogo começa antes dos eventos de O Despertar da Força. Onde está Luke? Se esta é a principal questão na nova trilogia cinematográfica, o livro começa também com essa ponta.
Em uma base da Resistência, organização em prol da República liderada pela General Leia Organa (rival da Primeira Ordem, a favor do Império), surge uma personagem nova: a pilota chamada Jessika Pava. Posteriormente, ela aparece em O Despertar da Força como Azul Três voando em uma X-Wing. Aqui no livro, antes disso, ela é uma grande admiradora do lendário Luke Skywalker. Escalada para conferir se os droides estão com as configurações atualizadas antes de voarem com os caças em novas missões, inicia conversa com o droide de protocolo C-3PO. Ao notar que ele conviveu com Luke, pede que lhe conte uma aventura menos popular sobre o Jedi. C-3PO adora falar, portanto tem a gentileza em iniciar a história sobre uma missão em que ele, Mestre Luke e R2-D2, após a Batalha de Yavin, viajaram até Devaron.
A trama salta logo para algum ponto após Uma Nova Esperança e antes de O Império Contra-Ataca, ou seja, período em que Luke tenta desvendar as dicas, informações e treinamento deixados por Obi-Wan Kenobi (Ben Kenobi). São as lembranças de Luke contadas por C-3PO, mas a narrativa continua em terceira pessoa. Não se preocupe, parece estranho, porém é muito simples e direto. É uma manobra ilustrativa para voltarmos ao passado e apreciarmos uma aventura inédita!
Nos primeiros capítulos observamos Luke piloto e seu grande e precoce talento para a função, notavelmente potencializado pela Força. Quase sem treinamento ele a usa, mesmo que com dificuldade. O autor apresenta a quem ainda não conhece o Luke heroico, humilde, corajoso e bondoso. Em seguida acompanhamos aventuras rápidas e perigosas de Luke pilotando um X-Wing junto ao Esquadrão Vermelho em missão no planeta Giju.
Mon Mothma dá novas ordens ao rapaz, uma missão que ele sente relutância em aceitar, visto que a Força o está chamando e o atraindo para outro local. É ordem da Aliança Rebelde e ele não pode recusar, então parte em viagem com R2-D2 e C-3PO em um Y-Wing. Sem conseguir resistir mais ao chamado da Força, Luke adia sua missão mesmo com o Y-Wing avariado. Ele chega ao destino e pousa em Devaron, um planeta misterioso, na cidadezinha de Tikaroo. Luke se disfarça de Korl Marcus.


Chegamos a melhor e principal parte: Luke ampliando seu crescimento como um Jedi, sem um Mestre Jedi! Após Kenobi e antes de Yoda, Luke teve um secreto autotreinamento Jedi, impulsionado por instintos de seguir a Força e culminando na luta pela própria sobrevivência.
Luke precisa aprender e aprimorar seus poderes e a encontrar o equilíbrio interior da Força por conta própria. Sem um mestre para a ensinar-lhe os caminhos da Força, Luke sente como ela o rodeia e une todas as formas de vida. Treina com o sabre de luz, claro, esta parte contém ação e muita concentração. Luke faz outras tentativas fantásticas do uso da Força e as achei maravilhosas.
Este livro destaca-se exatamente neste ponto: O funcionamento da Força em Luke. Seus pensamentos, sensações, visões, sonhos, energia, esforço físico e mental: É instintivo. Nunca havia visto por este ângulo. Como se sente a Força? Como Ela se comunica? Luke é poderoso e se esforça muito, com a presença dos incansáveis e honestos ajudantes C-3PO e R2-D2.
Novas personagens são apresentadas em Devaron destacando-se a devoriana Farnay, que (aposto!) poderá aparecer em algum filme ou livro (tomara!) e o enigmático melitto Sarco Plank, conhecido como Abutre. Ele aparece no episódio VII tão rapidamente que mal se percebe (em Jakku, com um vestuário mais surrado). Acho que Sarco desempenhará um papel maior nos próximos filmes ou livros e se mostrará ainda mais interessante. Torço para que tenha sido uma introdução de Farnay e Sarco.


Destaques: Os pikhrons e os happabores, Eedit, Luke tentando imitar Han, a abrangência da Força unindo Luke aos animais, a promessa de Luke. Defeito: Os vilões imperiais.
O Epílogo retorna à atualidade com Jessika maravilhada e absorta com o relato de C-3PO.
A história tem humor e ação, porém achei que o perigo enfrentado por Luke poderia ser mais intenso. Para um épico como Star Wars faltou um nível maior de risco. Entretanto, o clímax é excelente, pois Luke é obrigado a confiar na Força como seu único sentido, literalmente!
Star Wars: A Arma de um Jedi é uma obra de Ficção Científica Space Opera para jovens e adultos. É uma obra de Young Adult, porém a considero essencial a todos os fãs da saga, porque vemos Luke Skywalker crescer como um Jedi como nunca antes mostrado nos filmes. Ele ainda precisa aprender muito, mas descobrimos que ele já havia treinado precariamente - mas com vontade. Oficialmente foi feita a conexão em como o inexperiente Luke, que recebeu apenas um breve treinamento de Kenobi, conseguiu dominar mais a Força antes de ser ajudado por Yoda e, assim, finalizar seu treinamento. Neste livro formidável e bem escrito vemos Luke realmente se conectar à Força e desejar ser o Jedi que busca pelo equilíbrio da Galáxia. É uma história sobre autoconhecimento, autoestima, confiança, perseverança e fé.
Merece sequência, Especialmente devido a promessa feita por Luke no final. Sinto que ele a cumpriu e seria extraordinário ver isso em um filme ou um livro. Certamente essa promessa explicará muitas coisas de Luke que O Despertar da Força deixa no ar. Preciso de mais histórias pessoais de Luke, mais aventuras dele. Há uma lacuna de quase 30 anos que poderá ser preenchida com riqueza e variedade.
Luke Skywalker é um dos melhores heróis ao "estilo A Jornada do Herói" e ter conhecido esta aventura, mesmo que curta, foi uma experiência valiosa e divertida.



O autor:
Jason Fry é autor da série The Jupiter Pirates, uma fantasia espacial para o público jovem adulto. Já escreveu ou coescreveu mais de trinta romances, contos e outros projetos que se passam numa galáxia muito, muito distante, entre eles Star Wars: The Essential Atlas e a tetralogia Servants of the Empire. Mora no Brooklyn, em Nova York, com a esposa, o filho e uma tonelada de cacarecos de Star Wars.
Blog | Twitter | Facebook

O ilustrador:
Phil Noto começou sua carreira no Walt Disney Feature Animation, onde trabalhou em filmes como O Rei Leão, Pocahontas, O Corcunda de Notre Dame, Mulan e Lilo & Stitch. Em 2001, passou a trabalhar com quadrinhos como capista da série Birds of Pray (Aves de Rapina), da DC Comics. Desde então, participou de inúmeros projetos pela DC, Jonah Hex; pela IDW Publishing, Danger Girl; pela Image Comics, O Horizonte Infinito; pela Marvel Comics, Os Vingadores, A Fabulosa X-Force, X-23 e Viúva Negra.
Tumblr | Twitter | Facebook


A coleção:
Siga a Força pelas publicações da Editora Seguinte, lançamentos interligados ao filme Star Wars: O Despertar da Força (episódio VII).

Trilogia clássica ilustrada (adaptações juvenis dos episódios IV, V e VI):



Aventuras inéditas passadas entre os episódios V e VI (Leia) e IV e V (Han e Chewie / Luke):



Prelúdio para o episódio VII, O Despertar da Força:


Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail