Pesquise no Leitora Viciada

6 de março de 2013

Espíritos do Tâmisa, volume 1 de Enigmas de Londres, Ben Aaronovitch, Fantasy - Casa da Palavra

Enigmas de Londres: Espíritos do Tâmisa
Trilogia Enigmas de Londres - volume 1
Ben Aaronovitch - Fantasy - Casa da Palavra
368 páginas - Ano: 2012 - R$42,90

Sinopse:
"Peter Grant tinha tudo para ser apenas mais um jovem guarda da Polícia Metropolitana de Londres. Após um encontro inesperado com um fantasma, contudo, ele é recrutado para uma unidade secreta que trata de casos relacionados à magia e ao sobrenatural, tornando-se detetive e aprendiz do inspetor Nightingale, o último mago da Inglaterra.
Sua primeira missão é descobrir quem é o espírito vingativo que anda transformando pessoas comuns em assassinos sanguinários. Com isso, aprende a usar magia, convive com grupos de vampiros e revira covas pela cidade. Além, é claro, de negociar uma trégua entre deuses enfurecidos do rio Tâmisa.
Com uma linguagem ágil e bem-humorada, Ben Aaronovitch narra a história de um detetive que achava o mundo normal, antes de conhecer o poder intenso e surreal da magia por detrás do submundo de Londres. Aclamado por público e crítica em sua estreia como romancista, o autor foi indicado ao Galaxy National Books Awards como "Autor Estreante do Ano", além de escrever roteiros para a série de televisão Doctor Who."

Links: Fantasy - Casa da Palavra | Skoob

Resenha:
À primeira vista a capa pode parecer simples, com fundo fosco e letras brilhosas, porém olhando com atenção verificamos a complexidade que a compõe. Ao fundo, como uma marca d'água, está o detalhado mapa de Londres, cidade onde se passa a história. Existem pingos de sangue, já que assassinatos acontecem em Espíritos do Tâmisa, o primeiro livro da trilogia Enigmas de Londres. Vários símbolos estão espalhados não apenas pela capa, mas também contracapa, lombada e orelhas. Cada um possui relação com o enredo. A cada pausa na leitura eu ficava olhando para eles e descobrindo o que eram.
É um trabalho gráfico bem planejado e elaborado, um design que não se limita apenas à capa. Por dentro, atrás dela e da contracapa, o tom de cores muda radicalmente para uma malha ondulada com dois tons de rosa.
Cada um dos quatorze capítulos possui um título. O livro tem uma qualidade gráfica de primeira, como todos os livros publicados pela Fantasy - Casa da Palavra.

A opinião da autora Diana Gabaldon na capa atrai a atenção do leitor: "O que aconteceria se Harry Potter crescesse e se unisse ao CSI?"
Dificilmente gosto dessas recomendações impressas nos livros. Sinceramente, Enigmas de Londres - Espíritos do Tâmisa nada tem de semelhante com Harry Potter. O clima da narrativa é completamente diferente, os magos nada têm a ver com os de Harry Potter, a ambientação e o protagonista estão mais para uma história noir que de Fantasia. A única semelhança é que ambos aprendem magia.
Quanto à referência a CSI devo concordar. Nunca imaginei como seria uma investigação criminal voltada para crimes e mistérios sobrenaturais realizada por detetives magos! Esse é o ponto forte da história e a sua originalidade.
Poderia gerar uma série bem mais interessante que CSI e derivados.

O autor criou um protagonista instigante, maduro e muito sarcástico. Peter é o narrador da história, o que contribui bastante para o sucesso da narrativa. Com suas observações e opiniões, Peter fornece os acontecimentos e faz disso uma experiência única. Como citei anteriormente, o livro é de temática sobrenatural com elementos noir, embora seja moderna, é um tanto obscura. Eu classifico o livro como uma Fantasia Urbana rica e bem desenvolvida.
A cidade cria vida e participa do desenvolvimento da trama, por causa da importância que os locais possuem e porque o narrador não deixa escapar nenhum cenário ao descrever um acontecimento.
Interessante como o autor personifica entidades mitológicas e deuses de forma natural e diferente.
Ele encaixa o sobrenatural à uma misteriosa história basicamente policial. Crimes envolvendo seres mais que estranhos, assassinatos bizarros, magia pairando no ar, fantasmas depondo sobre o caso... Eu achei muito criativo!

O início do livro é dinâmico, agradável e inteligente. A introdução aos crimes, personagens e locais é bem efetuada, assim como a apresentação dos conflitos principais.
O protagonista possui humor negro e o autor cria uma ambientação fácil de ser montada na mente do leitor, tanto no visual de locais, pessoas, seres e acontecimentos como no clima da história em geral, que possui mistério, dúvidas, segredos escondidos, ação e um toque cômico especial.
O meio do livro é um pouco lento. Me desinteressei pela leitura, embora estivesse muito ligada ao protagonista e às personagens Beverley e Nightingale. Todos na trama causam curiosidade e possuem personalidades bem definidas. Além do tom sarcástico e cenas de ação, as personagens são o ponto forte.
Meu problema foi que na metade do livro a leitura tornou-se arrastada e não compreendi o motivo. Muitas coisas acontecem, o desenrolar da história fica longe da falta de acontecimentos. Mas me senti perdida e senti falta de alguma coisa. Talvez, pelo começo ter sido tão empolgante, meu interesse tenha diminuído conforme eu me acostumei com tudo. Creio que esperava ser mais surpreendida.
No final, no último um terço do livro, a qualidade melhora novamente e uma sequência de fatos frenéticos me fizeram voltar a desejar o andamento da leitura. Vários pontos importantes começam a ser interligados. O autor mostra um pouco mais do lado íntimo do protagonista e muitas páginas de descobertas, magia e viradas no enredo surgem.

O aprendizado de Peter como mago-detetive é curioso, principalmente a parte de perceber vestígios de magia e detritos de sobrenatural no ambiente. As descrições dos aromas sentidos por Peter são mais que criativos, são incríveis. O que achei entediante é a manipulação de magia fisicamente. Embora seja engraçado como um iniciante em magia estraga aparelhos eletrônicos, explode coisas, causa muita sujeira e prejuízos, foi um pouco frustrante esperar por poderes mágicos mais desenvolvidos.
Acredito que por ser uma trilogia o protagonista ainda cresça muito e desenvolva suas habilidades cada vez mais. E além de tudo, a história tenta convencer de que tudo poderia ser real, logo magos não fazem nada de tão fantástico, mesmo possuindo poderes, ainda são humanos. Gostei muito da união dos instintos do protagonista, à sua experiência como policial e ao seu aprendizado de mago. Uma mistura infalível.

Recomendo esse livro para quem gosta de ação, livros policiais e thrillers, mas está cansado do cotidiano dessas histórias e busca por algo a mais.
Em Espíritos do Tâmisa, o sobrenatural se mescla ao mistério de crimes exóticos e personagens inumanos misturados aos de carne e osso. Uma linha transparente que liga todos em uma rede sobrenatural.
Detetives que são magos treinados para tentar solucionar os casos bizarros. A magia existe, é verdadeira e não é nada bonita e harmoniosa; é perigosa e fatal!
Uma Fantasia Urbana passada na Londres atual, sem deixar de lado o passado fantasmagórico da cidade.
Espero muitas novidades e mais seres estranhos no segundo livro.

Comprar: Saraiva | Submarino | Livraria da Travessa | Extra | Ponto Frio | Livraria da Folha | Livraria Cultura | Fnac | Livrarias Curitiba

O autor:
Ben Aaronovitch nasceu em Londres em 1964. Teve um tipo de infância que leva um homem a beber ou a se tornar fanático por ficção científica.
Ele é roteirista e fez sucesso na BBC com a série legendária Doctor Who.
 Depois de uma década trabalhando em roteiros, decidiu que era hora de mostrar ao mundo o que realmente poderia fazer e embarcou na sua primeira trilogia: "Enigmas de Londres". Twitter.


Obrigada, Fantasy, por mais um livro fantástico!

Sorteio:
Concorra a um exemplar com marcadores de Enigmas de Londres, Espíritos do Tâmisa + marcador cedidos pela Fantasy - Casa da Palavra. Imperdível!!



Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail