Pesquise no Leitora Viciada

8 de outubro de 2013

Feérica, Carolina Munhóz e Fantasy - Casa da Palavra

Feérica
Carolina Munhóz - Fantasy - Casa da Palavra
352 páginas - Ano: 2013 - R$34,90

Sinopse:
"E se uma fada se revelasse em um reality show?
Violet Lashian tem apenas um objetivo: ser famosa em seu mundo. Mas quem nunca se seduziu por esse pensamento?
Ignorada pelas fadas de uma sociedade que preza a padronização, a jovem de cabelos roxos decide abandonar seu sofrimento em busca de um lugar entre as estrelas de Hollywood. 
Bastidores de reality shows. Festas badaladas. Encontros amorosos com jovens milionários. Entrevistas em rede mundial. Fama instantânea, dinheiro e poder. De repente, a feérica se vê cercada pela realidade com que sempre sonhou. Mas será que Violet é capaz de manter a pureza de sua raça mágica em um mundo corrompido pelo deslumbre material? E quais seriam as reais consequências de sua revelação para a existência oculta de seu povo? 
Você descobrirá tudo isso e muito mais nos próximos capítulos deste livro."

Links: Fantasy - Casa da PalavraSkoob

Resenha:
Este é o terceiro livro publicado por Carolina Munhóz e tenho o prazer de ter conferido seus trabalhos anteriores: O Inverno das Fadas e A Fada. Portanto, posso ousar afirmar que Carolina não apenas se firma como escritora de Fantasia teen, mas concluo: Ela é extremamente versátil. Se antes eu já admirava sua escrita, evolução como escritora e criatividade, agora expresso minha apreciação por seu dinamismo.
A Fada é notável ser um primeiro trabalho logo nas primeiras páginas, mesmo sendo bom. Com seu livro estreante Carolina mostrou seu talento natural, em uma história bastante adolescente e mágica. Melanie, a protagonista, não é apenas uma fada intensa, mas uma apaixonada.
Já O Inverno das Fadas é a prova de que Carolina é escritora profissional. A evolução em seu trabalho dá um enorme salto, um voo, na verdade. O livro é superior e me fez fã da autora. É um livro que sempre recomendo a todos que perguntam por boa literatura nacional fantástica. Com o segundo livro, Carolina se firma e ousa. Traz uma fada antes nunca explorada pelos brasileiros e choca com um estilo mais maduro, sensual e sombrio, sem abandonar a magia e o romantismo. Sophia ainda é minha fada preferida, essa Leanan Sídhe me arrebatou.
Então após resumir os dois trabalhos anteriores de Carolina, parto para Feérica e explico o porquê de elogiar com veemência a versatilidade da autora.

A Fantasy - Casa da Palavra também merece grande elogio pelo trabalho gráfico. A capa é alegre, viva e bonita. Representa muito bem o fato da protagonista se revelar fada durante um reality show musical e chacoalhar o mundo com a revelação e carisma. Uma explosão de sucesso. As cores da capa são perfeitas, afinal a fada é Violet e seus cabelos da cor roxa (e a revirada de olhos) é sua principal característica, pois a difere das outras fadas e carrega intenso simbolismo e significado.
O mais interessante na capa é que existe um lindo efeito que somente pode ser 100% notado ao vivo. Quando segurei o livro pela primeira vez não pude deixar de observar e admirar. Não é apenas um efeito bonito e gráfico, mas sim de representação direta da protagonista.
A criatividade da arte se estende para as estrelas cor de laranja que se espalham pelo livro, uma cor que se destaca em meio ao roxo iluminando o visual gráfico. Em uma das orelhas temos a foto e biografia da Carolina, mas a outra estampa a estrela na Calçada da Fama de Violet!

São trinta e um capítulos com títulos em inglês com referência a seriados e reality shows. A tradução está junto; e ao final do livro, a lista mostrando a qual seriado cada título pertence. Muito criativo, visto que o livro é sobre fama, sucesso e como as pessoas se ligam a isso de forma insana e intensa.
O formato escolhido para os agradecimentos da autora também é diferente, ela faz em forma de créditos, como se realmente o livro fosse um programa. A última página então remete realmente a uma filmagem cinematográfica ou televisiva.
E antes de cada capítulo iniciar, temos uma breve introdução; são páginas com estrelas na primeira linha. Faz parte da estrutura do livro.

Violet está em um famoso programa de entrevistas dos Estados Unidos relembrando e confessando detalhes e segredos ao público, chegando a recordes no ibope da história da televisão. Estas introduções a cada capítulo servem como pausa reflexiva, modo de deixar o leitor curioso e/ou organização das ideias da autora. Percebi e gostei dessa estruturação. E uma maneira divertida de administrar o desenvolvimento do enredo sem cortar o foco momentâneo. Ótima forma também de interligar passado e presente. Parabéns à autora pela montagem diferente na narrativa.

Embora esta seja uma entrevista, é feita em terceira pessoa. O ponto de vista é da Violet, porém existem brechas onde o leitor percebe intenções das demais personagens e acompanha a inocência de Violet por não perceber. Mesmo sendo uma fada fanática pelo mundo dos humanos, ela não pertence a este mundo e não o conhece na prática. Ela não é infantil, e vem de outra dimensão que embora seja mágica, possui uma história de guerra, violência e sombras. Entretanto, Violet nunca esteve no mundo dos humanos e ao chegar sente-se deslumbrada, perdida, curiosa e... solitária.

Muitas pessoas pensam: "Mas a autora escreveu sobre fadas novamente? Seria falta de criatividade?" Não! Muito pelo contrário! É criatividade demais sobre uma mesma criatura mística. Portanto são três abordagens completamente diferentes, estilos literários diversificados (mesmo todos sendo Fantasia) e temas também diferentes.
Enquanto A Fada é bem jovem, mostrando a intensidade e melancolia do primeiro amor, O Inverno das Fadas é mais ousado, sexy e dark, mostrando um romance perigoso. Dessa vez a autora abandonou tudo isso e trouxe outra fada em outro estilo, mas mantendo características próprias, já notáveis em sua jornada como escritora.
Vários itens estão presentes e o mais visível é a contínua referência pop. Não se limita ao mundo musical, mas se amplia a tantas áreas que o livro é agradável e me identifiquei muito com a realidade que se choca com a fada. Moda, beleza, música, literatura, cinema, política, cinema, televisão... São tantas referências, homenagens e brincadeiras que o livro é divertidíssimo.

Essa é a principal característica de Feérica: Uma história jovem, pop e feita para divertir! É engraçado, mesmo quando Violet passa por momentos constrangedores ou sofridos.
Carolina utiliza uma linguagem leve, dinâmica e divertida para realizar homenagens ao mundo pop de uma forma geral, e traz credibilidade ao fazer isso, porque tudo parece muito realista. Os bastidores, o mundo por detrás das câmeras e flashes... Tudo me pareceu muito real.
Mas também a autora aproveita a diversão para criticar com acidez discreta o rumo como o fanatismo de seguidores dos artistas, a busca por fama incessante e a obsessão da mídia sobre as celebridades pode trazer de negativo ao que deveria ser apenas amistoso.
Como o mundo tornou-se tão ligado ao que acontece na vida alheia? Como ao acessarmos um site de fotos de celebridades somos os culpados por elas terem suas intimidades invadidas? Como ficamos tão fascinados por algo que necessitamos comprar isso ou aquilo para nos sentirmos mais próximos de um ídolo?
E a grande questão: Como o famoso consegue administrar sua vida, mesmo tendo vários funcionários competentes ao redor, cuidando da carreira, se não sentir-se bem consigo próprio?

Através do fascínio do mundo humano por uma fada, um ser mágico e completamente instigante e novo a autora aborda todas as vertentes que o sucesso e fanatismo podem trazer, tanto como positivo quanto negativo. A melhor parte: Temos a visão do lado oposto, bastante inovador: Esse mesmo fascínio pelos olhos da fada. A grande estrela que enfrenta altos e baixos sempre admirou os humanos e está em choque por não apenas ingressar nele, mas em ser a maior atração atual.

Ainda temos o lado pessoal e íntimo da Violet, assim como o curioso mundo de onde ela vem. Gostei do foco ser a ambição e dúvidas quanto ao futuro da feérica e não a busca por um romance, por exemplo. Não que isso não ocorra, Carolina inclusive aborda algumas vezes a sexualidade de modo bem discreto, sem deixar de apimentar de modo irônico e até mesmo cômico algumas situações.
Um livro irreverente, engraçado, divertido e que traz horas satisfatórias ao leitor que está em busca disso. Poderia arriscar que é um chick-lit misturado à Fantasia.
É uma comédia, mas se você prestar bem atenção encontrará diversas críticas a como nosso mundo trata a fama.

Destaque para algumas coisas como o relógio, o lutador profissional, a farsa de romance e as descobertas da Violet, como por exemplo, sua relação com a internet e a transformação natural dela em nerd e it girl (ou it fairy?)! Uma fada que descobre as maravilhas não apenas da moda e cosméticos, mas de livros, filmes e seriados nerds, adorei! Suas citações de livros e compulsividade por compras são hilárias.
Gostei muito do final do livro, pois pode ter duas interpretações: Carolina poderia escrever a continuação da vida de Violet ou simplesmente deixa no ar que toda vida é um show e que esse show deve sempre brilhar. Todos nós somos protagonistas em busca de nosso sucesso pessoal! Eu prefiro que Feérica seja um livro único, mas irei amar ter um pouco mais de Violet.
De qualquer forma sou fã da Carolina e sinto que ela prepara algo inovador e grandioso.



PS.: Feérica me lembrou um pouco A Pequena Sereia da Disney: Um ser mágico fascinado por humanos, incompreendido pelos seus e que sonha com as coisas humanas; tem uma bela voz, cabelos de cor forte e uma incrível determinação misturada à inocência. A diferença que faz Violet superior à Ariel? Ela não vai atrás de um rapaz e sim de realização pessoal!


A autora:
É jornalista e romancista, além de integrante do Potterish, um dos maiores sites de Harry Potter do mundo. A autora foi eleita como melhor escritora jovem de 2011 pelo Prêmio Jovem Brasileiro.
Aos 11 anos aguardou sua carta para Hogwarts, mas ela nunca chegou. A partir dos 18 se aventurou por diversos países como Inglaterra, França, Itália, Suíça e EUA, onde teve a oportunidade de conhecer os atores de Harry Potter.
Suas aventuras chamaram a atenção de meios de comunicação como Folha de São Paulo, Estadão, TV Cultura e Disney Channel. Foi destaque da Revista Época e da rádio Record de Londres.
Atualmente é escritora em tempo integral e viciada em redes sociais.
É autora de A Fada, O Inverno das Fadas e Feérica.

Links: Twitter | Facebook | Website

Bienal do Livro Rio 2013:
Consegui realizar o sonho de conhecer a Carolina no dia 31 de agosto e comprovar o quanto ela é linda e atenciosa. Também a vi no dia 07 de setembro, mas não consegui encontrá-la.
Agradeço a ela pelo carinho, autógrafo e conversa (palavras que me marcaram para sempre!).



Sorteio:
Graças à querida Fantasy - Casa da Palavra estou sorteando um exemplar de Feérica + marcadores! Participem!!






Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail