Aproveite: 3 meses por R$ 1,99 para novos assinantes

publicidade

[Resenha] Outlander, livro 1: A Viajante do Tempo, de Diana Gabaldon e Arqueiro

A Viajante do Tempo (Outlander)
Outlander - livro 1
Diana Gabaldon - Arqueiro
Tradução: Geni Hirata
752 páginas - R$ 69,90 (impresso) e R$ 49,99 (ebook)
Comprar: Amazon | Cultura | Saraiva | Submarino

Sinopse:
"Primeiro livro da série Outlander, que se tornou um fenômeno mundial e foi transformada na bem-sucedida série de TV.
Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro das Terras Altas, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo pelo escocês. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?"

Resenha:
A série de livros Outlander, de autoria de Diana Gabaldon, começou a ser publicada no Brasil em 2004 pela Rocco (nos Estados Unidos sua estreia foi em 1991) e a partir de 2014, com o lançamento da série de TV produzida pela Starz, passou sair pela Saída de Emergência Brasil em parceria com a Editora Arqueiro. Agora a saga chega ao total de seis temporadas anunciadas (a quarta estreia em novembro de 2018), oito livros já publicados em inglês, com o nono sendo escrito pela autora, e uma série spin-off de livros intitulada Lord John Grey. A Editora Arqueiro já publicou seis livros Outlander: A Viajante do Tempo (Outlander), A Libélula no Âmbar (Dragonfly in Amber), O Resgate no Mar (Voyager), Os Tambores do Outono (Drums of Autumn), A Cruz de Fogo (The Fiery Cross) e Um Sopro de Neve e Cinzas (A Breath of Snow and Ashes, este é lançamento de maio de 2018). Os mais antigos estão ganhando novas edições com capas baseadas no seriado. Todos os livros estão sendo republicados em volumes únicos, conforme pedidos dos fãs. A Editora Arqueiro possui um hotsite da série.
Simplesmente adorei reler A Viajante do Tempo. A primeira vez foi em outubro de 2014 e pretendia acompanhar a série de TV e prosseguir com a leitura, mas infelizmente não fiz nem uma coisa nem outra. Como nunca é tarde para mudar, decidi reler para relembrar de tudo e, finalmente, seguir com Outlander. A diferença entre as duas edições da Arqueiro, além da capa, é que a nova edição é mais compacta, o que antes foi publicado em 800 páginas agora se tornou 752. O texto continua integral, foi apenas questão de mudanças na diagramação, que continua boa, incluindo tamanho da fonte, espaçamento e margens da página. A tradução ainda é a de Geni Hirata e as páginas são amareladas.
Minha releitura foi fascinante e rápida, relembrei das cenas e confirmei que o livro me agrada de verdade. A sensação de um livro grosso mas rápido se repetiu. É tão bom que mal reparei no avançar das páginas.


É complexo, tanto nos detalhes de construção e desenvolvimento das personagens, quanto na definição do tipo de leitura, porque mescla vários gêneros literários. É um romance histórico, pois se segura a vários fatos verídicos, incluindo militares e históricos. Inclui detalhes e descrições maravilhosas da Escócia do século XVIII, explorando a cultura, a sociedade e as tradições.
Mas também inclui ficção especulativa, pois há viagem no tempo e uma pitada de fantasia e sobrenatural. A protagonista viaja através de um monumento megalítico, saindo de 1945 e caindo em 1743 por um misterioso círculo de pedras. Outras coisas estranhas acontecem.
Além do mais, é uma trama romântica e sensual, com um casal interessante e complexo. O relacionamento entre Claire e Jamie sobressai-se em boa parte, muitas vezes sendo o item principal. A tensão sexual entre eles é forte e uma extensão do relacionamento. As cenas são vigorosas e sensuais porém não vulgares. A atração é irresistível e os diálogos, carismáticos. É impossível desgostar do romance, mesmo não concordando com todo o desenvolvimento. Fui conquistada pelo casal e isso é algo raro!
Com suas várias classificações e nuances, ainda é uma obra incrível de aventura e ação. Os obstáculos enfrentados por Claire e seus aliados movimentam a trama. O casal se fortalece apesar das ameaças, aflições e sofrimento.


Em 1946, após a Segunda Guerra Mundial, uma jovem inglesa chamada Claire Beauchamp vai para uma atrasada lua-de-mel nas Terras Altas (Highlands) escocesas com o marido, Frank Randall. Logo após o casamento, a guerra explodiu e o casal foi obrigado a se separar. Claire trabalhou arduamente como enfermeira-chefe de um hospital, enquanto Frank serviu no exército. Portanto, o casal recém-reunido parte para a viagem. Enquanto Frank pesquisa sobre seu mapa genealógico, que o leva até a história de um capitão do Exército Britânico, Claire passeia pelos campos expandindo seu conhecimento sobre herbalismo. Se fascina com um círculo de pedras, por ele acaba acidentalmente viajando ao passado e se separando de seu marido e sua vida no século XX.
A primeira pessoa que ela encontra em 1743 é um homem em um uniforme do oficial do exército da época: Jack Randall, se parece com seu marido Frank, mas que na verdade é o bisavô dele e o vilão sádico do livro. Em seguida, Claire encontra um grupo escocês que também foge de Black Jack Randall. Ajuda então o membro Jamie Fraser, que está com o ombro deslocado. A partir disso, Claire é obrigada a sobreviver numa sociedade muito distinta da dela, separadas por dois séculos de mudanças. Ela se sente perdida fisica e psicologicamente. O perigo maior é esconder o seu segredo, pois como ela poderia dizer que é uma viajante do tempo, quando nem ela compreende esse mistério? E como retornar?
Todos desconfiam quando a estranha sassenach (definição de forasteiro/forasteira no gaélico escocês do século XVIII), tanto em vocabulário quanto postura, surge sem possuir ligações concretas com ninguém ou nenhum local. Seus incríveis conhecimentos em medicina a salvam e a colocam em risco, ao mesmo tempo. Claire é obrigada a se casar com Jamie.
Claire é uma das minhas protagonistas femininas preferidas, mesmo quando desgosto de suas atitudes e decisões. Ela é intensa, corajosa, esperta e ousada, embora seja teimosa e impaciente e talvez um pouco autoconfiante demais. É inesquecível e ótima, justamente por ser imperfeita.


O livro possui quarenta e um longos capítulos, é dividido em sete partes e narrado em primeira pessoa pela Claire. A visão dela é essencial para o carisma da história, pois assim quem lê se identifica ao observar a sociedade do século XVIII pelos olhos de Claire, deslocada e presa a um modo de vida estranho e perigoso. Órfã de pai e mãe, foi criada pelo tio arqueólogo, que estava sempre viajando pelo mundo para explorações e estudos de sociedades variadas. Com uma criação ampla, Claire se sai bem ao tentar se adaptar à situação e a procurar por respostas e soluções, embora se meta em muitas enrascadas.
A trama apresenta um lado sombrio com muita violência, barbárie e abuso de todo o tipo. Sei que os valores éticos da época retratada eram muito diferentes dos atuais e se hábitos contemporâneos podem chocar, imagina os do século XVIII. No entanto, em alguns momentos, a abordagem da autora não é ideal como deveria em temas sérios como o estuproO problema não é o estupro em si, mas insinuar que a vítima possa ter sentido algum tipo de prazer. Então a forma como a autora explora alguns itens é questionável, mas a trama em si é excelente e isso acabou prevalecendo para mim. Então ignorei alguns detalhes, porque verdadeiramente gostei de Claire e Jamie como casal protagonista e de todo o enredo em geral envolvendo revoltas iminentes e intrigas políticas e disputas por liderança ou poder. O ambiente da trama também é envolvente, uma região administrada por um sistema feudal familiar, os clãs escoceses, que enfrentavam constantemente a Coroa Britânica. Os Levantes Jacobitas estão prestes a atingir seu auge. Estrangeiros eram recebidos com grande desconfiança.
A obra é extraordinária, unissex e adulta e o público alvo certamente é composto por leitores que admiram ficção histórica, mas devido a boa carga romântica e sensual, fãs de romance de época podem experimentar uma leitura diferente. E vice-versa.
A Editora Arqueiro disponibiliza um trecho do livro para download. Baixe o trecho do livro aqui.



Os demais livros já publicados pela Editora Arqueiro:



O trailer da primeira temporada da série na TV:


A autora:
Diana Gabaldon cresceu no Arizona, Estados Unidos da América, e é de ascendência mexicana-americana e inglesa. Tem formação em Zoologia, Biologia Marinha e Ecologia. Foi professora universitária durante mais de doze anos antes de se dedicar à escrita em tempo integral.
Sua série Outlander se transformou em um enorme sucesso mundial e foi adaptada para a TV em 2014. No Brasil, as temporadas 1 e 2 estão disponíveis na Fox Premium APP & TV e na Netflix, e a temporada 3 é exclusiva da Fox Premium. Atualmente Diana mora em Scottsdale, no Arizona.
Vive atualmente em Scottsdale, no Arizona.
Site | Twitter | Facebook

Nenhum comentário

Os comentários são moderados, portanto, aguarde aprovação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos não serão publicados, assim como os que contenham pirataria.
Caso tenha um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.

Pesquise no blog

Parcerias