SorteioResenhaResenha Resenha
31 julho 2011

Série Diários do Vampiro de L.J. Smith (os 4 volumes)

Diários do Vampiro
L.J. Smith - Galera Record - Ano de lançamento: 1991 - Tradução: Ryta Vinagre

Volume 1 - O Despertar - 236 páginas
Volume 2 - O Confronto - 221 páginas
Volume 3 - A Fúria - 235 páginas
Volume 4 - Reunião Sombria - 252 páginas







Sinopse:
"O vampiro é uma figura conhecida na literatura de horror e mitologia. Diz a lenda que ele nunca poderá sair à luz do dia sem um anel de lápis-lazuli, pois assim viraria pó. Sua fonte de energia está no sangue humano.
Há muito tempo
relata-se histórias de vampiros e cada vez mais esses personagens atraem seguidores do mundo todo. Aproveitando o ensejo dessa repercussão obscura e misteriosa a autora Lisa Jane Smith lançou em 1991 quatro livros com histórias de tirar o fôlego: Os Diários do Vampiro.
A narrativa é sobre os vampiros Stefan e Damon Salvatore, que possuem uma rivalidade por no passado terem amado a mesma mulher: Katherine, que transformou-se em vampira por causa de Klaus, um dos primeiros vampiros existentes, e, por isso, mais poderoso que os outros.

No presente, vivem novamente um triângulo amoroso com a mortal Elena Gilbert. Eles podem sim queimar e virar pó ao sol, o que é evitado através do uso de um anel, que eles recebem através de Katherine.
Paixão, suspense, rivalidade...uma trama para quem não tem medo do escuro.

Com o sucesso da série (que tornou-se uma série de tv) a autora resolveu continuar a série com Diários do Vampiro: O Retorno, com dois volumes lançados no Brasil."

Observação: Nunca assisti à série televisiva, então minha visão sobre a saga estava totalmente "virgem", sem influências. Aqui avalio e exploro cada volume...




Minha resenha:
Volume 1: O Despertar (The Awakening)
Confesso que não estava muito empolgada a ler essa série, por causa dessa moda de vampiro em evidência, porém dois motivos me levaram a comprar logo o Box especial: o fato de eu ter visto que essa série foi escrita em 1991, ou seja, antes dessa modinha; e outro fato foi a promoção do box por R$19,90 no Submarino, no momento em que eu comprava outros livros em promoção, resolvi colocar o box no meu carrinho de compras, não resisti!
Eu achei as capas muito bacanas, com esses rostos sombrios em cada volume, a mais legal é a capa do segundo volume, O Confronto. E nunca tive um box antes. Gostei da novidade, fica lindo na estante e protege os livros sem sufocá-los.
No entanto, achei os 4 volumes finos, poderiam ter lançado a opção em volume único, apesar do box ser legal.
Antes de iniciar a leitura do primeiro volume, O Despertar, eu vi o selo da Editora Record, o Galera Record e imaginei se não era uma série juvenil. Logo nas primeiras páginas pude perceber que a história é voltada para o público jovem. Porém não quer dizer que o público adulto não vá gostar de ler. Eu gostei.
Conhecemos a protagonista Elena. À primeira vista, parece a história da típica adolescente dos Estados Unidos: loura, magra, popular, bonita, com boa vida, a provável Rainha do Baile e amada e invejada por seus colegas. Ela possui seu grupo de amigas, uma amiga que compete com ela nas futilidades, um namorado que ela ama apenas como amigo. Ela pode ter o namorado que quiser, os amigos que quiser.
Então, pude reparar que ela não é somente isso. Ela perdeu os pais num acidente e vive com a tia e a irmã mais nova e sente-se completamente deslocada da cidadezinha aonde vive. Ela sente que algo falta a sua vida, um propósito, uma motivação. Ela começa a se perguntar qual é o seu papel no mundo, sente-se vazia, em busca de emoções.
Ela tem uma personalidade que vai do entusiasmo e determinação até a teimosia. Ela é destemida e não pretende colecionar fracassos em sua vida.
Ás vezes ela escreve em seu diário, o que me fez pensar nesse início ter algo a ver com o título da série, e isso torna a narrativa mais juvenil e aproxima o leitor do personagem, ela compartilha sua intimidade e descobrimos mais ainda o que ela pensa sobre todos os acontecimentos.
Stephan é o primeiro vampiro a nos ser apresentado, nascido no século XV, sempre se fechando e se escondendo do mundo. Possui um passado mergulhado em trevas e não aceita ser o caçador vampiro que ele é. Até que, cansado de viver em refúgio, longe da civilização, se alimentando de animais na floresta, ele resolve tentar voltar a ser uma pessoa comum. É o novo estudante da escola de Elena.
Ela coloca como meta, simplesmente, conseguir Stephan para si, conquistá-lo, já que o rapaz parece o único da escola a ignorá-la, o que para ela é inédito: ser esnobada.
Ele não consegue acreditar em como Elena se parece com seu grande amor, a vampira que o transformou e que faz parte do mistério de seu passado.
Outra parte de seu passado, é seu irmão, o também vampiro Damon, que surge atrás dele. Os dois possuem uma rivalidade de séculos, por terem amado a mesma mulher, essa que Elena tanto lembra.
Stephan e Damon entram na vida de Elena.
Após ler O Despertar, digo que me simpatizei com a personagem Elena, achei-a bem definida, motivada e interessante. Em parte ela se parece comigo, nessa idade.
Quanto a todos os outros personagens secundários, como os seus amigos, não há nenhum criado para 'roubar a cena', pelo menos não ainda.
E quanto aos dois vampiros, eles parecem ser o oposto um do outro e até agora achei muito pouco explorada a origem de sua rivalidade. Porém, gostei da narrativa retornando ao passado, tanto em lembranças de Stefan quanto em suas confissões a Elena. Muito bem elaborado esses flashbacks, sempre bem encaixados na trama do presente. A autora me ganhou com essa tática. Isso atiça nossa curiosidade sobre a vampira Katherine que no passado foi tão importante na vida dos irmãos.
Achei empolgante as personalidades tão opostas dos irmãos, o bom e o mau.

Volume 2: O Confronto (The Struggle)
Terminando o volume 2, O Confronto, pude refletir melhor sobre os personagens e suas atitudes. De uma forma totalmente geral, o nível da qualidade da história subiu bastante. (A capa é a mais bonita dos 4 volumes)
Elena continua sendo uma protagonista interessante. Ela nunca foi uma mocinha frágil sem muito o que pensar, mas seu mundo era vazio, fazendo sua vida soar superficial. A moça se desenvolve completamente, passa de adolescente perdida a uma mulher cheia de coragem e certezas. Decidida. Apesar dos seus medos mais profundos, e de seus grandes conflitos (e são muitos), ela os enfrenta, mesmo que com dificuldades. Não há como não perceber seus erros e frustrações. Ela sofre com tantos segredos.
Suas amigas Bonnie e Meredith passaram a me cativar mais que no volume 1. Elas passaram de coadjuvantes irrelevantes, que mais pareciam criadas para sustentar diálogos com Elena, a personagens mais completas. Até Matt, o ex-namorado simplório de Elena, que até então para mim parecia uma peça meio solta, torna-se um personagem verdadeiramente amigo e confiável e surpreendemente o único amigo que Stefan já teve em sua vida vampiresca.. Caroline para mim é uma personagem que ainda não está definida. Ela pulou de uma das melhores amigas de Elena para sua inimiga número um, vidrada em vingança, sem muitos motivos. Achei fraca a rixa delas. Acho que deveria existir um motivo a mais, anterior, e o apresentado pela autora deveria ser apenas o estopim.
Damon, que no volume 1 parecia deslocado e forçado, neste volume demonstra toda a naturalidade de seu ser, sendo essencial e certamente o destaque deste volume. Antes eu pensava que ele era apenas aquele vilão sanguinário, o vampiro impiedoso. Apesar de seu sangue frio e maldade, senti nele um pouco de humanidade, ou será apenas impressão minha? Será que ele está realmente começando a gostar de Elena ou ele ainda a vê como um brinquedo desejado?
Outro personagem que melhorou na trama foi Stefan. Na verdade, no início e meio do livro, ele foi completamente ofuscado por Damon. Me peguei em pensamentos sobre como ele é contido e fraco comparado ao irmão, que estava se saindo um personagem bem mais interessante. Eu estava começando a torcer para Elena ficar com o sedutor Damon, não com o sem graça do Stefan. Isso, claro, sem considerar o perigo.
Nesse volume, muito mais frenético e animado que o primeiro, muitas reviravoltas acontecem, intrigas e ação. E surge a face do Stefan que ele tanto escondeu! Stefan é sim um bom personagem. A autora me enganou!
O final é muito bom, me animei em prosseguir a leitura, pois o primeiro volume apesar de interessante, estava muito parado.

Volume 3: A Fúria (The Fury)
Terminando o volume 3 concluí que existindo o volume 4, suponho que talvez haja algo errado, extendido demais, no próximo.
O começo desse volume justifica seu nome: A Fúria. Foi interessante a leitura, de algo que, pelo menos para mim, era aguardado durante a série. Eu gostei muito do início e meio desse volume.
Gostei de ver a nova e tão esperada face de Elena. Em outro momento, me comovi com a carência dela, uma moça tão forte e obstinada, encontrando uma situação aonde o controle não é dela. Todos os seus sentimentos vem à tona, e ela finalmente vê o que é importante em sua vida. Por isso sua vida era vazia. Ela buscava por algo realmente: um sentido para viver, que sempre esteve com ela, o amor. Pela família, pelos amigos. E agora por Stefan.
Este que, na minha opinião, foi totalmente enganado e traído. Ele sabia ou sentia que estava sendo enganado, no entanto, não invadiu a intimidade dos pensamentos de ninguém. Achei que ele ignorou a traição, não sentiu muito. Sentiu por ser excluído, num certo momento, não por ter sido enganado tantas vezes. Estranho. Mais estranho ainda é como ele ignora o fato de Elena gostar de ter sido dividida e tudo na relação deles volta ao normal e fica até mais intensa. Ele aceita que, tudo que ele achava ter sido o momento máximo de união e troca entre ele e Elena, um ato especial e altruísta, não foi compartilhado apenas com ele.
Damon... achei que ele de uma hora para outra mudou muito, e perdeu parte de seu charme como personagem. Porém senti nele uma bondade emergente, foi humanizado. Em alguns momentos ele é indecifrável, o leitor pode apenas fazer suposições. Sim, perdeu parte do charme, mas não completamente, comparando-se aos outros. Eu ainda gosto muito do Damon.
Os personagens secundários estão todos bem encaixados, cada um parece cumprir o seu papel, tudo parece fluir naturalmente, um grande acerto da autora. Um grande ponto marcado para  todos os personagens exceto um. Tem um “mas”.
Desde o volume 1, eu acertei quase todas as minhas previsões. Para mim em particular, não foi uma saga com grandes surpresas, apesar de ser uma leitura muito agradável. Eu também já imaginava o que seria o Outro Poder. E acertei. O que eu esperava por parte da criação da autora, eram os motivos exatos. Como ela explicaria a passagem de 500 anos? A explicação é fraca, mas o leitor ainda aceita. Afinal, boas histórias podem conter pequenas falhas.
Agora, tentando não contar parte da trama para quem não leu (e quem leu entenderá) o detentor do Outro Poder mostra uma personalidade totalmente diferente do esperado, seus ideais não convencem em nada, talvez convenceria se tivesse saído de um hospício... 500 anos passados, e só agora? Não gostei do clímax máximo do volume 3.
A finalização até conseguiu lhe dar com esse clímax de personagens parecendo loucos e esquecidos, personagens surgidos do nada ou sem explicações convincentes. O final até que consegue salvar parte da saga.
Juntando os 3 volumes lidos, o resultado ainda é muito bom, mesmo com isso. O final é comovente, reflexivo e a saga parece mesmo terminar assim. A reaproximação e nova separação de Damon e Stefan, entre outras coisas que não falarei, (não quero estragar a leitura de ninguém) tudo soa como um bom final.
Uma pergunta fica no ar: a história não deveria parar por aí? Não é um encerramento? Para mim, estaria ótimo terminar assim. Creio que o volume 4 será excelente ou péssimo. Será de extremos?  Tenho pensamentos positivos.

Volume 4: Reunião Sombria (Dark Reunion)
Terminei Diários do Vampiro. Senti um pouco de incômodo no começo da leitura deste último volume. Novamente a narrativa dos diário de alguém preenche as primeiras páginas. Mas não era da mesma pessoa. Me senti mal com todo o ar sombrio entre os personagens, me senti mal com a tristeza rondando as páginas. A autora conseguiu me tocar. Os personagens pareciam amigos distantes meus e novamente tenho que me segurar para que nesta última parte da resenha eu não libere informações na leitura de quem ainda lerá. Iniciei o livro inquieta, a cada página.
Depois a ação recomeça, a leitura flui num ritmo acelerado e a curiosidade cresce. Chegando no meio do livro, algumas coisas continuavam a me incomodar, de outras eu gostei.
Bonnie torna-se a personagem chave na história, passa a ser, em várias páginas, a personagem principal.
Stefan, o herói trágico. Ele endureceu seus sentimentos, se prende a muitas promessas, nem que para isso, sofra.
Damon some. A autora, eu acho, não deu o devido valor ao personagem. Ele poderia (na verdade, deveria) ter tido mais destaque. Eu o imaginava como a essência da saga. Quando ele retorna à história, me senti aliviada. Estava na expectativa de revê-lo.
Elena, a protagonista pela qual me apaixonei agora parece uma coadjuvante. Eu sei, quem leu me diria: "e o que você queria, na situação em que ela estava?" Eu responderia: "ela não deveria estar nesse estado."
Ainda bem que Katherine, ao menos, saiu da história. Eu já estava imaginando seu retorno, o que me desagradaria. No entanto, outra pessoa do passado dos irmãos Salvatore volta a assombrá-los e a assombrar a todos. Deixo aqui uma observação sobre ele: talvez a autora pudesse escrever um livro sobre o passado dele, a origem e todas as grandes guerras, apogeus e quedas das inúmeras civilizações que ele diz ter vivenciado. Eu errei o futuro dele.
Dos outros personagens, antes secundários e agora nem tanto também, Meredith, sempre tão fria e calculista, começa a desmoronar. Caroline, para mim, depois da Vickie é a mais traumatizada com tudo, a mais fraca. Matt para mim foi o que mais cresceu na saga. Tornou-se um personagem complexo. Gostei do clima que começou a rolar entre ele e outra personagem, não imaginaria Elena sendo para sempre sua paixão, tendo outras ao seu redor.
Tyler para mim foi o ponto cômico da história. Não gostei e nem aceitei o que lhe aconteceu. Acho que a autora fugiu do ar vampiresco e começou a misturar muitos outros assuntos sobrenaturais na história. O charme estava justamente nos vampiros. A autora parece ter sofrido de indecisão. Não gostei do que aconteceu a Tyler nem a Elena. Bonnie eu ainda achei importante. Esse ar paranormal dela, que se destaca mais nesse volume. Uma exceção.
Gostar ou não gostar do final? Em parte gostei, em outra, me senti totalmente insatisfeita. Estou inconformada com o pouco cuidado da autora em relação ao Damon. Incluindo o final para o personagem. Os amigos de Elena, gostei. Concordo com a evolução de cada um. Elena e Stefan mereciam um final feliz, e não direi aqui como foi!
Durante um momento eu pensei que uma das personagens se tornaria vampira e modificaria a história. Acho que viajei!
Para a saga, de uma forma geral: gostei do volume 1 e muito mais da continuação e do terceiro. O quarto, que terminei agora... fico dividida. É uma saga que recomendo.
Estou tentando imaginar se lerei os outros livros recém laçados. Talvez um dia eu os adquira numa nova promoção.



Sobre a continuação da saga, lançados temos os seguintes livros:
Diários do Vampiro: O Retorno (parte II)
L.J. Smith - Galera Record
Anoitecer - 448 páginas
Almas Sombrias - 448 páginas


E o novo Diários do Vampiro: Diários do Stefan: Origens
Vários autores, baseado na obra de L.J. Smith e na série de TV produzida por: Kevin Williamson e Julie Plec - Galera Record - 192 páginas.


Ter mais livros sobre a série é positivo ou negativo? Não sei se devido ao sucesso dos livros e da série, tentam prolongar ainda mais o que está dando lucro... se vale mesmo a pena ler esses livros da continuação. Afinal, o último, nem escrito pela L.J. Smith ele é.


A série de tv, produzida pela The CW e exibida no Brasil na tv a cabo pelo Warner Channel. Está indo para sua terceira temporada e em breve deverá ser exibida na tv aberta pelo SBT. Nunca assisti, por isso não sei o quanto é fiel aos livros. Vendo os atores, Elena não é nada semelhante fisicamente a do livro, mas os dois irmãos vampiros... eu gostei!



7 comentários:

  1. juro que nem sabia que vampire diaries era baseado nesses livros (mas tb nunca assisti à serie). otimas resenhas!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Samuely! Obrigada pelo elogio. Já eu quando soube do seriado, imaginei se estaria na onda Crepúsculo, mas quando pesquisei, vi a série dos livros e descobri que a história é de 1991.

    ResponderExcluir
  3. Adoro Diários do Vampiro,crepusculo e td sobre vampiro ou coisa parecida (ADOREI seu blog :D )

    ResponderExcluir
  4. Espero q tb tenha sorteio da saga Diários do Vampiro :)

    ResponderExcluir
  5. eu amo,addoro




    diarios de vampiro e 1000000000000000000000

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito da série de Tv e não tinha certeza se queria ler o livro depois dessas resenhas muito bem elaboradas estou curiosa para ler o livro . parabéns ótima resenha

    ResponderExcluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação, então aguarde, por favor.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de e-Books ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

© Copyright 2011 - 2014. | Todos os direitos reservados. | Tema: Way2themes. | Aministração: Tatiana Jiménez Inda. | Tecnologia: Blogger. | Atenção: Direitos autorais.