Pesquise no Leitora Viciada

21 de outubro de 2017

Dicas de leitura de Halloween

Infelizmente o Halloween não é uma data comemorativa do Brasil, pois acho muito divertido quem comemora com festas ou jantares temáticos, fantasias e guloseimas. Uma ideia sempre legal é curtir a data e maratonar o que os gêneros do terror, horror e suspense têm de mais assustador: bruxos, monstros, vampiros, lobisomens, fantasmas, zumbis, alienígenas, assassinos... em séries, filmes, quadrinhos, animações ou livros, é uma época para entrar no clima das assombrações e feitiços.


Em comemoração deixo abaixo algumas indicações de leitura para o ano todo, não apenas para o Dia das Bruxas! Tem clássico, quadrinho, nacional, contos... e você está convidado(a) para deixar sua dica nos comentários.



1818: Frankenstein ou o Prometeus Moderno, de Mary Shelley, em domínio público.
A história icônica do Dr. Victor Frankenstein foi escrita por uma mulher que deixou grande legado na cultura popular. Trouxe uma mudança na perspectiva do que o horror é e pode ser, apresentando um novo medo: nós mesmos. Criamos nossos próprios monstros, somos o horror.
Download do eBook gratuito,sem pirataria, em inglês.

Dica de edições físicas: Darkside Books, capa dura; Nova Fronteira, capa dura; Zahar, capa dura; Penguin Companhia, brochura.
1885 O Estranho Caso do Dr. Jekyll e do Sr. Hyde ou O Médico e o Monstro, de Robert Louis Stevenson, em domínio público.
Clássico da literatura mundial, contém horror, suspense e ficção científica. O advogado Mr. Utterson tenta descobrir qual a relação entre o educado e bem-sucedido Dr. Henry Jekyll e o assustador Mr. Hyde. Quando o perigo está o mais próximo possível... dentro de você.
Download do eBook gratuito, sem pirataria, em inglês.

Dica de edições físicas: Nova Fronteira, capa dura; Penguin Companhia, brochura.

1895: O Rei Amarelo, de Richard W. Chambers, em domínio público.
É uma coletânea de contos de terror cósmico que afeta quem a lê: um livro dentro do livro, na verdade, uma peça teatral intitulada O Rei Amarelo, figura sobrenatural citada em quatro dos dez contos. A obra influenciou gerações de escritores como H. P. Lovecraft, Neil Gaiman e Stephen King, assim como a série True Detective da HBO.
Download do eBook gratuito, sem pirataria, em inglês.

Dica de edição física: Intrínseca, brochura.

1897: Drácula, de Bram Stoker, em domínio público.
Uma das histórias de terror mais conhecidas, essencial para fãs de vampiros! Stoker não inventou o vampiro na ficção (foi John Polidori em 1819), mas seu Drácula moldou a essência popular. Seus antagonistas são liderados por Van Helsing e Mina Harker.
Download do eBook gratuito, sem pirataria, em inglês.

Dica de edições físicas: Nova Fronteira, capa dura; Zahar, capa dura; Penguin Companhia, brochura.

Você encontra Frankenstein, O Médico e o Monstro e Drácula em uma só edição, como o exemplar em capa dura da Martin Claret de 2017. A Nova Fronteira vende os três em box.




Gosta de adaptações de clássicos em quadrinhos? Então conheça essas três graphic novels da Mythos Editora: Drácula: a Obra Completa, publicação em minissérie original da Dynamite; Frankenstein, de Bernie Wrightson, e Monstros Noturnos, do mesmo autor, ambas produzidas pela IDW Publishing.
Em Drácula: a Obra Completa, Leah Moore e John Reppion, são os responsáveis pela adaptação do livro para o roteiro em quadrinhos, enquanto Colton Worley cuidou da arte. A edição nacional é em cores e capa dura e reúne material extra.
Bernie Wrightson foi um dos mais importantes ilustradores de terror. Trabalhou nas maiores editoras de histórias em quadrinhos e também com Stephen King, que é responsável pela introdução de Frankenstein, adaptação incrível de Wrightson. Sua arte tornou-se referência e o livro possui capa dura. Já Monstros Noturnos traz a continuação intitulada Frankenstein Vivo!, com parceria de Steve Niles no roteiro. A obra não chegou a ser concluída, devido ao falecimento de Wrightson em 2017, mas vale, assim como outra HQ bônus, O Carniçal.


1922 a 1935: O Chamado de Cthulhu e outros contos, de H. P. Lovecraft, em domínio público.
Sua escrita pode ser considerada propositadamente arcaica, repleta de estranhas ortografia, mas é sua imaginação que o consagrou como um dos mais influentes escritores do horror fantástico. Conheça monstros de nomes impronunciáveis, como Nyarlathotep e Cthulhu.
O Site Lovecraft, possui vários contos para download (tudo gratuito e sem pirataria) como O Chamado de Cthulhu, A História do Necronomicon e O Horror de Dunwich.

Dica de edições físicas: Grandes Contos, Martin Claret (2016), com quase 1200 páginas e capa dura. São várias opções de antologias no mercado. Dentre as mais simples, em brochura, tem Histórias de Horror: O Mito de Cthulhu, da Martin Claret (2011) e O Chamado de Cthullu e Outros Contos, da Hedra (2008).

A Editora Draco publicou releituras em quadrinhos, por vários desenhistas e roteiristas brasileiros: O Rei Amarelo em Quadrinhos e O Chamado de Cthulhu em Quadrinhos:


1954: Eu Sou a Lenda, de Richard Matheson e Aleph (1981).
Guerra e pandemia destroem a humanidade e o protagonista vive sozinho se protegendo de criaturas com sintomas de vampirismo. Mas Eu Sou a Lenda popularizou o gênero horror com zumbis e inspirou o roteiro de A Noite dos Mortos Vivos de 1968. Mas sua importância é maior: também popularizou o conceito de apocalipse originado por uma doença. É uma história sobre solidão e foi adaptada para o cinema três vezes, sendo a última em 2007. Meu exemplar era de 1981, da Francisco Alves, mas a obra foi republicada posteriormente. Seu título era A Última Esperança sobre a Terra. A edição atual é da Aleph em capa dura.

Em 1991 o ilustrador Elman Brown e Steve Niles adaptaram Eu Sou a Lenda para história em quadrinhos. A graphic novel foi publicada no Brasil pela Devir.


1959: A Assombração da Casa da Colina, de Shirley Jackson e Editora Suma (2018).
Uma expedição para investigar a paranormalidade de uma antiga mansão fria e labiríntica, que se sem fantasmas já assusta, imagina se for mesmo assombrada? Considerado o melhor livro de casa assombrada. Foi publicado no Brasil em 1983 pela Francisco Alves, mas retornará às livrarias em grande estilo em 2018 pela Suma, não se preocupe! Enquanto espera, que tal a leitura de Sempre Vivemos no Castelo, da mesma autora?



1967: O Bebê de Rosemary ou A Semente do Diabo, de Ira Levin e Amarilys (2014).
Sobre uma mulher que vê um sonho se tornar um pesadelo ao engravidar. A temática envolvendo fé e satanismo é recheada de suspense e o terror, com várias críticas sociais. Li um velho exemplar datado de 1967, com o título A Semente do Diabo, mas há anos é publicado como O Bebê de Rosemary. Foi adaptado para o cinema em 1969 e se tornou um clássico do terror. Em 2014 se tornou uma minissérie de TV.

1971: O Exorcista, de William Peter Blatty e Nova Fronteira / HarperCollins (2015).
O autor ficou conhecido por ganhar um Oscar pelo roteiro que adaptou de seu próprio livro. Nele, Blatty força o leitor a imaginar cenas horríveis, e o poder da imaginação humana assusta mais que as imagens de um filme. Você já viu o filme? Ele também como super dica de Halloween.

1972: A Árvore de Halloween, de Ray Bradbury e Bertrand Brasil (2014).
Ray Bradbury é mais conhecido por Crônicas Marcianas e Fahrenheit 451, mas Algo Sinistro Vem Aí e A Árvore do Halloween são livros indicados para o Dia das Bruxas. A Árvore do Halloween não é de terror; é melancólico, sombrio e fantasioso. Uma obra atemporal sobre nove garotos que vestem suas fantasias e saem em busca de gostosuras ou travessuras. Com o desaparecimento de um dos integrantes, os demais o procuram por uma casa abandonada onde encontram a árvore do Halloween. Ela os leva a uma aventura que mistura história e fantasia e mostra as lendas que envolvem o Halloween. O livro é da Bertrand Brasil e possui ilustrações. Para quem curte Tim Burton e Neil Gaiman. Resenha aqui.



1976: Entrevista com o Vampiro, de Anne Rice e Rocco (1991).
Anne Rice inovou o vampirismo com suas obras estreladas por vampiros melancólicos, góticos, sensuais e com ares de realeza, em tramas com elementos do horror, do erotismo e crises existenciais, afinal, vampiros são imortais. O primeiro livro da série de vampiros é Entrevista com o Vampiro, de 1976, mas que ficou mesmo icônico em 1994 com o filme com Tom Cruise, Brad Pitt e Kirsten Dunst.
Se você gostar, continue a leitura de As Crônicas Vampirescas em O Vampiro Lestat (1985), para em seguida ler A Rainha dos Condenados (1988). No total são doze livros publicados em inglês. E tem versão em quadrinho também: Entrevista com o Vampiro - A História de Claudia, capa dura.
Anne Rice também escreveu sobre bruxas em A Hora das Bruxas volume 1 e volume 2, Lasher e Taltos.



1977: Amityville, Jay Anson e DarkSide Books (1977).
A casa assombrada que inspirou o livro existe de verdade e, segundo muitos, realmente tem alguma maldição. Fica em Long Island, Nova York, e foi vendida em 2016 por US$ 850 mil, valor abaixo do mercado, visto que possui cinco quartos e jardim. É considerado um dos mais importantes relatos sobre casas assombradas da cultura popular, tendo sido adaptada várias vezes para cinema, TV e documentários. O Megacurioso tem uma postagem legal sobre a casa. Já foi publicado no Brasil como Horror em Amityville.

Todos os livros do King - 1977: O Iluminado, Stephen King, Suma (1977).
Como escolher apenas uma obra do Stephen King, o mestre do terror contemporâneo? Carrie A Estranha, A Zona Morta, A Dança da Morte, Revival, O Cemitério, Escuridão Total Sem Estrelas, O Bazar dos Sonhos Ruins, Sob a Redoma, Christine, Misery... Impossível escolher apenas um, então você pega qualquer livro dele como leitura de Halloween, fique à vontade.
Já que a Suma está republicando alguns de seus principais clássicos em edição de luxo e capa dura, decidi reservar este espaço para a coleção Biblioteca Stephen King. Já foram publicados: Cujo, A Hora do Lobisomem e O Iluminado. Destaco este, uma de suas obras mais famosas devido ao filme estrelado por Jack Nicholson. Mas King não gosta da adaptação. Somente lendo para conferir! Uma visão convincente e assustadora sobre um escritor alcoólatra em recuperação mergulhando na loucura. King publicou uma continuação trinta anos depois: Doutor Sono. O próximo da coleção será A Incendiária.
Outro destaque é It: A Coisa, porque o filme se tornou o filme de terror estadunidense mais rentável do cinema. Pennywise, o monstro mais persistente e icônico do autor, um ser interdimensional de pura malevolência. Belas Adormecidas é seu mais recente lançamento e já está disponível nas livrarias. Confira os títulos do King no site da Suma / Grupo Companhia das Letras. Apenas algumas capas abaixo.
E se você não tem ainda O Bazar dos Sonhos Ruins, participe do sorteio de Halloween valendo um exemplar desse livro incrível! Vai até 07/11/2017. A resenha está na postagem do sorteio, clique aqui.



1979: Os Mortos Vivos, Peter Straub, Editora Record (1979)
O título original é Ghost Story. É uma história de fantasma complexa, em várias-camadas, sob o ponto de vista de quatro idosos e o primeiro sucesso do autor, elogiado por Stephen King. Desde 1987 o livro não ganha edição no Brasil. Minha mãe tinha um exemplar de 1979 da Editora Record. Seria bacana se alguma editora o republicasse!
2004: Assombro, Chuck Palahniuk, LeYa (2016).
As personagens são escritores enclausurados escrevendo contos pela sobrevivência. Os contos são reunidos e formam um romance. E, na vida real, mais de setenta pessoas desmaiaram durante leituras públicas do livro! Só isso já dá curiosidade e uma aflição... O autor é responsável pelo cult Clube da Luta, popularizado pela adaptação cinematográfica.

2009: Kaori - Perfume de Vampira, de Giulia Moon e Giz Editorial.
Folclore japonês, vampiros clássicos, personagens femininas fortes, samurais, erotismo - tudo isso e mais em um romance sobrenatural adulto com muita ação e magia. A trama se alterna entre o Japão mágico do século XVII e a grande São Paulo misteriosa do século XXI. Kaori é uma vampira sensual e perigosa e uma personagem inesquecível que protagoniza contos e esta série de romances da Giz que conta com Kaori: Perfume de Vampira, Kaori 2: Coração de Vampira (2011) e o spin-off Kaori e o Samurai Sem Braço (2012). Essencial para os fãs de fantasia urbana. Os três foram resenhados no blog, clique em cada título para ler a respectiva resenha.


2013: Nosferatu, de Joe Hill e Arqueiro (2014).
Uma homenagem de Joe Hill, filho de Stephen King, aos primórdios da ficção vampiresca. Em NOS4A2, esqueça vampiros que se alimentam de sangue humano, pois nesta ficção sobrenatural, eles vivem da mistura entre felicidade e inocência. O mundo em pontes mentais e labirintos psicológicos que interligam tempo, espaço e percepção. Se alguma coisa existe no pensamento, pode vir a existir também na vida real. Prepare-se para viajar até a sinistra e bizarra Terra do Nata num livro que revitaliza os vampiros! Resenha aqui. O Pacto ou Amaldiçoado, Fantasmas do Século XX (contos incríveis!), A Estrada da Noite e Mestre das Chamas, também do autor, são ótimas dicas para leitura de Halloween.



2014: Caixa de Pássaros, de Josh Mallerman e Intrínseca.
Thriller de suspense, mundo pós-apocalíptico e tensão psicológica em uma trama onde você não pode olhar, o que causa ainda mais pavor. Quem olha enlouquece e comete atos violentos seguidos de suicídio. Não é uma história para quem gosta de muitas explicações concretas e respostas; é para quem prefere questões mais psicológicas e introspectivas. Um livro inteligente que está ganhando filme pela Netflix com Sandra Bulock como a protagonistaResenha aqui.



2015: O Vilarejo, de Raphael Montes e Suma (2015).
Assim como Suicidas, Dias Perfeitos e Jantar Secreto, O Vilarejo teve os direitos vendidos para adaptação no cinema. É uma obra curta e composta por sete contos que se passam no mesmo vilarejo e se interligam formando uma história central. Cada conto possui um pecado capital e seu respectivo demônio influenciando o acontecimento narrado. O livro é ilustrado por Marcelo Damm. Resenha aqui.





Bônus: Fragmentos do Horror, de Junji Ito e DarkSide Books (2017).
O terror produzido pelos japoneses é extremamente perturbador e sinistro, tanto em filmes como mangás. Junji Ito é um dos principais nomes no Japão quando o assunto é mangá de horror, com visual surreal e assustador. Fragmentos do Horror é uma coletânea publicada no Brasil com alguns desses mangás. São histórias curtas e ricamente ilustradas em preto-e-branco, em edição capa dura. É primeiro livro de mangá publicado pela DarkSide Books, que inaugura a coleção DarkSide Graphic Novel Tokyo Terror.

Se interessou por histórias em quadrinhos de terror? Então visite os blogs Terra Zero e Boca do Inferno para dicas como Hellboy, Monstro do Pântano, Hellblazer e outros.

Caso você já conheça todas as dicas e esteja procurando por novidade para o Halloween, dê uma olhadinha na postagem com os lançamentos de outubro para o Halloween, são livros e quadrinhos de várias editoras publicados em outubro de 2017. Imperdível!


Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail