Pesquise no Leitora Viciada

20 de agosto de 2018

Booktuber, blogueiro, instagrammer e o pagamento pela divulgação de livros

Um autor expôs os valores cobrados por uma booktuber para divulgação de livro / resenha. Isso causou um enorme alvoroço no meio literário e mais de 500 comentários. Quando acontece algo assim, geralmente comento no Twitter o que penso, mas achei necessário expor o que penso sobre o assunto aqui no blog, de forma resumida.


Esta é a postagem do autor no Facebook:


Atualização: [20/08/2018 | 09:41 | prints da publicação, pois agora está indisponível, incluindo comentários da discussão.]


1. Acredito que se o autor perguntou pelos valores é porque estava interessado na propaganda da booktuber. Ele não concordou com os valores, então parece que decidiu tentar desmoralizá-la. Ninguém é obrigado a contratar serviço por valor que discorda, mas é desonesto expor o profissional desta forma;

2. Youtube é uma das melhores formas de atingir determinado nicho e é um dos maiores alcances online. Às vezes vale mais anunciar em um canal específico do que em formatos tradicionais. Se você quer anunciar, pesquise onde acha válido, mas não desmereça tal plataforma ou tal influenciador;

3. Booktuber não é jornalista nem crítico literário (alguns podem até ser), é influenciador digital. Mais que resenha, têm um espaço para publicidade, como todo youtuber pode ter. Tem canal sobre tudo cobrando por publicidade, por que os de livros não deveriam vender seus espaços para divulgação?;

4. A pessoa pode amar literatura e ainda assim ser paga pelo trabalho. Uma coisa não invalida a outra. O livro é um produto, o autor precisa ser pago, a editora e a livraria também, portanto, quem divulga pode sim cobrar se preferir.

5. Nossa sociedade é capitalista, então o youtuber vende publicidade e é assim que é remunerado. Youtuber não vive do adsense do canal, porque o Google paga cada vez menos e dificulta cada vez mais. E falando do booktuber especificamente, ganha apenas uma ajuda de custo;

6. Booktuber demora anos para formar seu público, ainda mais em um país onde se lê pouco. Se tem público é porque batalhou e tem o direito de cobrar pela publicidade, desde que cumpra a lei e sinalize que foi pago por tal propaganda;

7. Escritor(a) independente/iniciante nem sempre pode pagar determinado valor pela publicidade no canal ou simplesmente discorda. Neste caso, pesquise outro canal, blog, etc. Certamente encontrará um que divulgue por um preço que concorde/possa pagar, até mesmo tem os que farão de graça;

8. Mas querer que a booktuber em questão (com um alcance enorme) cobre menos? Cada um cobra o que quiser, contrata quem gostar. Fora que em todo lugar se cobra por  publicidade e sempre se cobrou. Livraria, revista, jornal, televisão, rádio, site, etc, por que só o youtuber não deve cobrar?;

9. Admiro muito o trabalho dos booktubers e acredito que no Brasil que todos que têm canal literário fazem sim por amor. Se quisessem apenas fama fariam canal de outra coisa mais rentável. Veja bem, mais rentável, não mais fácil, pois acho que qualquer canal é trabalhoso;

10. Numa parceria com editora, o livro não é de graça. Você precisa cumprir regras para solicitar um exemplar para resenha, como divulgar lançamentos e eventos, por exemplo, além de prestar conta, resenhar e cumprir prazos.

Resumindo: escritore(a)s podem discordar de valores praticados por booktubers, blogueiros e instagrammers. Mas desvalorizar e desmerecer o trabalho da pessoa, jamais.

O que você acha?


PS.: Sobre o meu blog e minhas resenhas:
* Não cobro por resenha, mas não discordo de quem cobra, na verdade acho justo. Sou totalmente a favor de se cobrar por qualquer publicidade.
* Antes de qualquer coisa, sou honesta nas minhas resenhas. Tento informar sobre o livro e autor(a), transmitir o que senti com a leitura, mostrar para quem acho que o livro é voltado e apontar as características da obra.
* Não me obrigo a ler/resenhar livro não solicitado, as editoras sabem. Caso o livro não me traga nada de positivo, posso escolher não resenhá-lo, mas converso antes com a editora.
* Não gravo vídeos porque: dá muito trabalho, é necessário tempo e investimento; quando procuro resenha/avaliação de livro, não gosto de vídeo, gosto mesmo de texto, portanto eu seria péssima booktuber (e por isso meu respeito e admiração por todos os booktubers).

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail