Pesquise no Leitora Viciada

3 de setembro de 2018

Dicas de leitura: as HQs mais importantes dos X-Men - Anos 1990, parte 2

Continuando a série especial de postagens com dicas de leitura com HQs dos X-Men, finalizo a década de 1990. Esta é a sexta postagem, com a segunda parte das histórias em quadrinhos mais importantes dos X-Men publicadas originalmente nos anos 1990.
Caso não tenha lido ainda as postagens anteriores, clique nos seguintes links: 196019701980 parte 1, 1980 parte 2 e 1990 parte 1..

Década de 1990, parte 2.
Com a saída do principal roteirista dos últimos quinze anos, os títulos mutantes tomaram rumos diferentes e a nova equipe criativa teve que rever muitos itens e alguns conceitos. Wolverine ganhou mais destaque, se consolidando como protagonista dos X-Men e as múltiplas equipes associadas foram mantidas, surgindo a Geração X. Algumas das sagas mais polêmicas e ousadas foram publicadas, como Atração Fatal e Aliança Falange, assim como as mais longas como Massacre e A Era do Apocalipse (a de maior sucesso), que modificaram todo o Universo Marvel. Tivemos ainda um novo Programa de Extermínio, a Operação Tolerância Zero. A década termina ainda com a busca pelo mentor Professor X.
Ômega Vermelho e Maverick
Título original: The Resurrection and the Flesh, Blowback, Farther Still, Inside... Out!
Ano: 1992
Nº de edições: 4
Edições: X-Men #04-07.

Chris Claremont saiu dos roteiros dos X-Men e este arco do novo título estava sendo escrito por John Byrne, assim como outro em Uncanny, mas o roteirista foi retirado repentinamente. Scott Lobdel assumiu o trabalho, visto que Fabian Nicieza já estava sobrecarregado. Tudo sob supervisão de Jim Lee, que deixara de ser apenas o desenhista.
É notável que a equipe criativa conseguiu fazer as coisas acontecerem, mesmo que essa seja mais uma história de Wolverine que dos X-Men. São apresentadas duas novas personagens: Ômega Vermelho e Maverick, ambas ligadas ao passado de Logan. Isso ocorre simultaneamente às boas HQs do título solo de Wolverine, onde Larry Hama estava explorando o passado do mutante mais popular na época. E talvez na falta de outras ideias ou medo de arriscar, foi um acerto focar no herói principal da Equipe Azul dos X-Men. De qualquer forma, Ômega Vermelho e Maverick foram bem-recebidos pelo público, o primeiro, de visual muito legal, até garantiu vaga nos jogos Marvel e Capcom. Maverick, bem intrigante, ganhou uma série mensal própria.
Neste arco de quatro histórias cheias de ação e ilustrações incríveis do Jim Lee, que incrementam as cenas de luta, participam Matsuo Tsurayaba, o Tentáculo, os gêmeos Strucker (Fenris), Dr. Cornelius e Dentes-de-Sabre. Descobrimos o que é o carbonádio, uma forma maleável do adamantium.
Destaque para o jogo de basquete, bem mais competitivo que os jogos de beisebol da era Claremont; e para as lutas envolvendo Psylocke e Wolverine, pois eles detonam!
Enquanto o arco saiu no formatinho X-Men Anual #02, já as páginas com a introdução a uma subtrama com Cristal e Longshot, saiu no formatinho especial X-Men Extra #01, juntamente a um arco envolvendo o Mojoworld (X-Men #10-11).


No Brasil: X-Men Anual #02 (1995, Abril Jovem), X-Men Extra #01 (1995, Abril Jovem) e X-Men: Gênese Mutante #02 (2014, Panini Comics).




Atração Fatal
Título original: Fatal Attractions
Ano: 1993
Nº de edições: 6
Edições: X-Factor #92, X-Force #25, The Uncanny X-Men #304, X-Men #25, Wolverine #75 e Excalibur #71 (principais); X-Factor #87-91, The Uncanny X-Men #298-303 e #305, The Uncanny X-Men Annual  #17, X-Men Unlimited #01-02 (extras).

No 30º aniversário dos X-Men, Fabian Nicieza e Scott Lobdell escreveram um arco que se tornou um dos mais significativos e controversos da década de 1990. Atração Fatal abrangeu uma edição de cada título mensal mutante e marcou o retorno de Magneto, novamente acompanhado por seus Acólitos e mais poderoso do que nunca, se tornando o vilão temível de outrora.
O clímax final é dramático e muito ousado: Após uma sequência de embates entre os Acólitos e as equipes X, Magneto arranca o adamantium do esqueleto de Wolverine, forçando o Professor X a terminar com o conflito de décadas. Xavier toma então uma atitude tão drástica quanto seu arqui-inimigo. O final da saga impressiona e divide opiniões até hoje sobre o quanto era necessário Wolverine perder seu adamantium. Fiquei muito impressionada (até um pouco assustada) na época da publicação no Brasil, em julho de 1996.
A história deixou várias consequências. Dentre as maiores, destaca-se a verdade sobre as garras de Wolverine. Antes todos pensavam que eram de adamantium maciço, mas na verdade fazem parte da constituição natural de Logan, pois após a retirada do metal que revestia seu esqueleto, as garras permaneceram: são de ossos. Além disso, Wolverine deixou posteriormente a equipe e só foi recuperar o adamantium 7 anos depois. Magneto só retornou à ativa em 1997. Outra consequência foi a criação do mega-vilão Massacre (Onslaught), entidade psíquica do mal, que deu o título a saga de 1996 Massacre Marvel, logo após A Era do Apocalipse. Além disso, a equipe Excalibur mudou-se da Grã-Bretanha para a Ilha Muir e recebeu Colossus, afetado pela saga, ainda em reabilitação.
No Brasil, as edições principais de Atração Fatal, ou seja, seis publicações, saíram em um formatinho especial, o X-Men Gigante #02, enquanto as HQs extras foram publicadas nas mensais. Em sua segunda publicação no Brasil, pela Panini Comics, todas as histórias saíram em uma coleção de três edições.



No Brasil: X-Men Gigante #02 (Abril,); X-Men Atração Fatal #01-03 (2014, Panini).

Bônus: Atração Fatal leva diretamente ao crossover entre os X-Men e os Vingadores, que também completavam 30 anos em 1993: Laços de Sangue / Bloodties. O ex-líder dos Acólitos, Cortez, agora líder da rebelião mutante contra o governo da ilha-nação Genosha, sequestra Luna, neta de seu mestre e filha do mutante Mercúrio (na época no X-Factor) e da inumana Crytalis (integrante dos Vingadores). X-Men e Vingadores vão até o local, mas tudo se complica quando Exodus, herdeiro autoproclamado de Magneto e novo líder dos Acólitos, entra em cena também atrás da neta de seu mártir. Em 5 edições originais: Avengers #368-369, X-Men #26, Avengers West Coast #101 e Uncanny X-Men #307.
No Brasil: Capitão América #207-208 (1996, Editora Abril).



Aliança Falange
Título original: The Phalanx Covenant (Generation Next parts 1, 2 and 3; Life Signs parts 1, 2 and 3; Final Sanction parts 1 and 2)
Ano: 1994
Nº de edições: 9
Edições: The Uncanny X-Men #316-317, X-Men #36-37, Excalibur #82, X-Factor #106, X-Force #38, Wolverine #85 e Cable #16.

Douglock, fusão entre Cifra e Warlock (ex-Novos Mutantes), estava infectado pelo vírus tecnorgânico, que era mantido sob controle graças a sua enorme força de vontade. Na saga Aliança Falange, os restos de Douglock infectam o Dr. Steven Lang. Assim, a diretriz primária do vírus, que é infectar toda vida orgânica, se une à obsessão do Dr. Lang em eliminar a ameaça mutante da Terra. Steven assimila à unidade coletiva da Falange várias pessoas que já tiveram contato com os X-Men, para assim obter informações a serem usadas contra as equipes X. A Falange inicia os ataques e o que restou da consciência de Cameron Hodge (o vilão de Programa de Extermínio), assimilada à Falange, assume papel importante dentro da mesma.
No entanto, logo toda a vida na Terra corre perigo, pois a Falange evolui além do controle e busca assimilar todo organismo vivo. Com a maioria dos X-Men capturada, as equipes parceiras se dividem em três missões: salvar jovens mutantes das garras da Falange, impedir que seus inimigos entrem em contato com seu planeta natal e resgatar os X-Men!
O destaque é a mais nova e jovem equipe formada nesta saga: a Geração X, que será liderada pelo x-man veterano Banshee e pela ex-vilã recém-reformada Rainha Branca.
Aliança Falange foi dividida em 3 partes: Nova Geração, subdivida em 4 capítulos (sendo 2 no título principal, Uncanny X-Men, com Scott Lobdell no roteiro e Joe Madureira na arte; e 2 no título novo, X-Men, com roteiro de Fabian Nicieza e desenhos de Adam Kubert); Sinais de Vida, com 3 partes (Excalibur, X-Factor e X-Force, com roteiros também de Nicieza com Todd Dezago e arte de vários artistas, incluindo Roger Cruz); e Manobra Final, em 2 partes (Wolverine, desenhado por Kubert, e Cable, ilustrado por Steve Skroce, ambos com roteiros de Larry Hama).


No Brasil: nos formatinhos X-Men 100, Superaventuras Marvel #176 e Wolverine #60 (1997, Abril Jovem); Nova Geração, a primeira parte, em Os Heróis Mais Poderosos da Marvel #52 Banshee (2017, Salvat Brasil).


A Era do Apocalipse
Título original: Age of Apocalypse
Ano: 1995 - 1996
Nº de edições: 40
Edições: X-Men Alpha; X-Men Omega; X-Men Prime; Age of Apocalypse: The Chosen; The Amazing X-Men #01-04; The Astonishing X-Men #01-04; X-Calibre #01-04; Weapon X #01-04; Generation Next #01-04; Factor X #01-04; Gambit and The X-Eternals #01-04; X-Man #01-04; X-Universe #01-02; X-Men Chronicles #01-02.
Prelúdio: X-Men vol. 1 #38-41; X-Factor vol. 1 #108-109; The Uncanny X-Men vol. 1 #319-321; Cable #20

Esta foi uma saga longa que atingiu a realidade de toda a Marvel, com o foco em todos os títulos X, que foram zerados nos Estados Unidos e tiveram seus nomes modificados.
Legião, filho do Professor X, volta ao passado para assassinar Magneto e evitar que ele se transforme no arqui-inimigo do pai e grande vilão. No entanto, acaba matando Xavier, antes da criação dos X-Men. Magneto então coloca em prática o sonho do amigo finado, fundando os X-Men. Toda a história é modificada e sem Xavier o mundo é dominado pelo ditador Apocalipse. Entre o terror do novo imperador sanguinário, a resistência é formada pelos Assombrosos X-Men! Apenas uma pessoa está ilesa nessa nova realidade. Será capaz de reverter o curso da história?
Foi um enredo muito criativo e atraente, pois todos os fatos que os leitores conheciam foram reescritos, com novas origens das personagens, novos relacionamentos, em um mundo pós-apocalíptico. O suspense de como uma única pessoa seria capaz de reverter a situação também engrandece a leitura. A saga apresentou a Terra-295 do Multiverso, que posteriormente teve mais histórias.
A questão é como o Professor X e a forma como criou seus X-Men é essencial para manter a ordem no mundo; notável que sob aspectos positivos ou negativos, Xavier e seus pupilos mantêm o equilíbrio.
Os X-Men como antes jamais imaginados! Vampira e Magneto se casaram e tiveram um filho. Jean não é esposa de Ciclope, e sim de Wolverine. Ciclope perdeu um olho e Wolverine, uma das mãos. Ciclope, Destrutor, Fera e Polaris são alguns dos heróis que, nesta realidade, estão ao lado de Apocalipse e Sr. Sinistro. Algumas personagens posteriormente "permanecem" na realidade Terra-616 como X-Man (Nate Grey, a versão de Cable), o Fera Negro (a versão do Fera), Blink, Holocausto, Homem Doce.
A aceitação do público foi positiva e várias histórias complementares foram publicadas, como: Tales From Age Apocalypse: By The Light #01-02 (1996 / 1997); Blink #01-04 (2001); X-Men: Age of Apocalypse One Shot (2005); Age of Apocalypse featuring The X-Men #01-06 (2005); Age of Apocalypse Vol.1 The X-Termination / Weapon Omega #01-14 (2012-2013).


No Brasil: Os Fabulosos X-Men #19-22; Fator X 04-07; Wolverine #64-67; X-Men #104-107 (1997, Abril Jovem); A Era do Apocalipse #01-06 (2012, Panini Comics) / De Volta à Era do Apocalipse (1996, Abril Jovem); X-Men Anual #01 (Panini Comics, 2006).



Massacre Marvel
Título original: Onslaught: Marvel Universe
Ano: 1996
Nº de edições: Cable vol.1 (1993) #32-36; The Uncanny X-Men (1963) #333-337; X-Force (1991) #55 e #57-58; X-Man #15-19; X-Men (1991) #53-57, X-Men Unlimited (1993) #11; Onslaught: X-Men, Onslaught: Marvel Universe, Onslaught: Epilogue; Avengers (1963) #401-402; Fantastic Four (1961) #415-416; The Incredible Hulk (1968) #444-445; Wolverine (1988) #104-105; X-Factor (1986) #125-126; The Amazing Spider-Man (1963) #415; Green Goblin #12; Spider-Man (1990) #72; Iron Man (1968) #332; Punisher (1995) #11; Thor (1966) #502; X-Men: Road to Onslaugh #01; Excalibur #100; Generation X #18-19.
Edições: 47.

Massacre foi um mega-evento que envolveu, além dos X-Men e as equipes de apoio, o Quarteto Fantástico e os Vingadores. É consequência direta da saga Atração Fatal e uma saga que não agrada a todos, mas é essencial para compreender o Universo Marvel na década de 1990.
Quando o Professor Xavier deixou Magneto catatônico, inconscientemente absorveu o ego sombrio do rival. As emoções negativas de Magneto se fundiram aos impulsos reprimidos de Xavier, formando uma entidade psiônica poderosa autoproclamada Massacre. Com o aumento da histeria anti-mutante, as perdas pelo vírus legado e o fracasso em reabilitar Dentes-de-Sabre, Xavier estava no ápice da frustração. Portanto, quando ocorre uma morte violenta próxima ao Instituto Xavier, Massacre desperta dentro de Xavier e decide alcançar o sonho de coexistência entre mutantes e humanos, utilizando métodos nada pacíficos do vilão Magneto. Ele testa, recruta e sequestra vários mutantes, envolve o Fanático, Teleporter, o Clube do Inferno, os Sentinelas, e outros, até chegar aos poderosos Jean Grey, detentora da força Fênix, X-Man, versão do Cable da saga A Era do Apocalipse, e Franklin Richards, filho do Sr. Fantástico e da Mulher-Invisível, ambos do Quarteto Fantástico. Os Vingadores também são envolvidos, assim como Apocalipse, Sr. Sinistro e Doutor Destino. A trama cresce demais e, embora seja boa, se torna confusa e exagerada.
Massacre espalhou sua presença através de redes de segurança mundiais, atraindo a atenção de Bastion, que daria início a Operação Tolerância Zero, a próxima grande saga X. Iniciou o projeto Heróis Renascem, onde Jim Lee, Robbie Liefeld e outros artistas fizeram um reboot de alguns títulos Marvel. Na verdade Heróis Renascem era um universo criado por Franklin Richards, a Contra-Terra.
A Marvel enquadra os títulos envolvidos como Fase (parte direta do evento) ou Impacto (efeitos colaterais).


No Brasil: Grandes Heróis Marvel: Excalibur #61, Fator X #17-20, Os Fabulosos X-Men #31-34, X-Men #118-120, Massacre X-Men, Marvel'98 #09-10, Wolverine #79-80, Massacre Marvel, Homem-Aranha #184 (de julho a novembro de 1998, Abril Jovem); X-Men: Massacre #01-04 (setembro de 2015 a fevereiro de 2016, Panini Comics).



Operação Tolerância Zero
Título original: Operation - Zero Tolerance
Ano: 1997
Nº de edições: 19
Edições: X-Men vol.1 #65-69, The Uncanny X-Men vol.1  #346, Wolverine  vol.2 #115-118, Cable vol.1 #45-47, X-Man vol.1 #30, X-Force vol.1 #68-69, Geração X vol.1 #29-31.

Operação Tolerância Zero é quase que uma consequência de Massacre Marvel. A premissa é semelhante ao Programa de Extermínio: uma caçada implacável aos mutantes.
Massacre, formado por energia bruta, foi derrotado pela maioria dos super-heróis não-mutantes, que se sacrificou ao ser absorvida pela entidade. Os mutantes não participaram do feito, pois além da energia Massacre absorveria suas habilidades mutantes e ficaria ainda mais forte. Os X-Men atacaram fisicamente Massacre e aparentemente destruíram não apenas ele, mas toda a energia dos super-heróis.
Um mundo sem Vingadores ou Quarteto Fantástico. Sem super-heróis. A culpa? Dos mutantes, segundo a opinião popular. O medo em relação aos mutantes cresceu ainda mais. Em seguida, Graydon Creed, candidato à presidência dos Estados Unidos e defensor da onda anti-mutante, foi assassinado por algo semelhante a uma explosão energética, aumentando a desconfiança em relação aos mutantes.
Essa sequência de eventos serviu como empurrão final para Bastion sugerir aos governos de vários países a solução: a captura e o extermínio de todos os mutantes. Bastion e seus novíssimos Sentinelas integraram a Operação Tolerância Zero. O Professor Xavier se entrega ao governo como culpado pelo Massacre e dados secretos da Mansão X são roubados, os Protocolos Xavier, além da Tecnologia Shiar.
Alguns X-Men não participaram pois estavam em missão no Espaço, mas são vários mutantes em cena, como Jubileu, Cable, Míssil, Ciclope, Fênix, Tempestade e Wolverine. No entanto, quem se destaca é o Homem de Gelo, em uma de suas melhores fases, liderando uma improvisada equipe.
A verdadeira origem e motivação do vilão é muito interessante. Temos muitas participações e o surgimento de novas personagens como Medula e Cecilia Reyes, e a saída de antigos membros.


No Brasil: X-Men #127-128, Wolverine #86-88, Especial do Mês #01: X-Force (1999, Abril Jovem). Parte em Os Heróis Mais Poderosos da Marvel #47 Homem de Gelo (2017, Salvat Brasil). * Não foram publicadas no Brasil as histórias com a Geração X pertencentes a saga (#29-31).



O Resgate do Professor Xavier
Título original: The Hunt for Xavier
Ano: 1998 - 1999
Nº de edições: 6
Edições: The Uncanny X-Men vol.1 #362-364 e X-Men vol.1 #82-84.

Um arco de histórias curto, ótimo e bem amarrado, com um vilão inacreditável e muito criativo. É consequência direta da Operação Tolerância Zero e ocorre nos dois títulos dos X-Men, com roteiro de Joe Kelly e Steven T. Seagle e arte de Adam Kubert, Chris Bachalo e Leinil Francis Yu.
O Professor-X está desaparecido desde o final de Massacre. Após a Operação Tolerância Zero ele sumiu de sua cela e os X-Men precisam encontrá-lo. A pista é uma detecção via um improvisado Cérebro reserva. O problema é que a máquina encontrou rastros genéticos de dois "Xaviers": um ponto nos Estados Unidos e outro no Tajiquistão.
Tempestade, Colossus, Vampira e Gambit voam até um mosteiro no Tadjiquistão, enquanto Noturno, Lince Negra, Wolverine e Medula vão até o Golden Gate Park, localizado em São Francisco. O problema é que alguém ou alguma coisa também está no rastro de Xavier. Enquanto isso, é mostrado que o Professor X está na ilha-presídio Alcatraz, São Francisco, junto a membros da Irmandade de Mutantes. Destaque para a estranha e poderosa Nina.
No Brasil: Os Fabulosos X-Men #51 (2000, Abril Jovem); X-Men #137 (2000, Abril Jovem) e Wolverine #97 (2000, Abril Jovem).


X-Men Adventures
Título original: X-Men Adventures
Ano: 1992 - 1996
Nº de edições: 41
Edições: X-Men Adventures vol. 1 #01-15, X-Men Adventures vol. 2 #01-13, X-Men Adventures vol. 3 #01-13.

Esta não é importante, mas foi uma publicação que curti bastante na época por ser fã do desenho animado em série da Fox, o X-Men: The Animated Series. Estreou nos Estados Unidos em outubro de 1992 e sua exibição durou até 1997, com um total de 5 temporadas e 76 episódios. Foi através dessa animação que me interessei pelas HQs. A equipe era basicamente a versão dos quadrinhos da Equipe Azul, porém trocando Psylocke por Jean Grey e acrescentando Tempestade, pois estas duas eram da Equipe Dourada.
O sucesso foi tanto que além de atrair uma geração de leitores, o desenho ganhou uma versão em quadrinhos referente à Terra-92131 do Multiverso Marvel. O título era mensal e foi publicado de 1992 a 1996, com 41 edições em três volumes.
Foram publicadas no Brasil 35 delas pela Editora Abril Jovem através de minisséries de quatro edições em formatinhos. (Inéditas no Brasil: X-Men Adventures 3 #07 e #09-13).
Roteiro de Ralph Macchio e arte de Andrew Wildman, Scott Rosema, John Hebert, Paul Borges, Jerry Bingham, Stefano Raffaele, Hector Collazo.
Após os três volumes das HQs X-Men Adventures, a Marvel lançou um volume extra, o quarto e último. O título foi alterado para Adventures of the X-Men e era composto por histórias inéditas, mas dentro do mesmo universo. Foram 12 edições e este material nunca foi publicado no Brasil.


No Brasil: X-Men Adventures #01-04 (1995, Abril Jovem), X-Men Adventures II #01-04 (1995, Abril Jovem) e X-Men Adventures III (1996, Abril Jovem).



Observações sobre as publicações nos Estados Unidos: O título dos Novos Mutantes já havia se tornado o da X-Force de Cable. Este passou a ter sua publicação mensal solo em 1993. Muitas outras revistas X passaram a dominar as lojas na década de 1990: Geração X (1993), X-Men Unlimited (1993), X-Man (1995), Deadpool (1997), Maverick (1997), Mercúrio (1997), Gambit (1998), Mutant X (1998), Bishop: The Last X-Man (1999). Além disso foram muitos especiais e minisséries como A Ascensão do Apocalipse e As Aventuras de Ciclope e Fênix. O novo X-Factor estreou em sua edição #71.

Gostou da minha seleção com as histórias em quadrinhos mais importantes dos X-Men produzidas na década de 1990? Quais você considera as melhores?

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail