Dicas de leitura: as HQs mais importantes dos X-Men - Anos 1990, parte 2

Continuando a série especial de postagens com dicas de leitura com HQs dos X-Men, finalizo a década de 1990. Esta é a sexta postagem, com a segunda parte das histórias em quadrinhos mais importantes dos X-Men publicadas originalmente nos anos 1990.
Caso não tenha lido ainda as postagens anteriores, clique nos seguintes links: 196019701980 parte 1, 1980 parte 2 e 1990 parte 1..

Década de 1990, parte 2.
Com a saída do principal roteirista dos últimos quinze anos, os títulos mutantes tomaram rumos diferentes e a nova equipe criativa teve que rever muitos itens e alguns conceitos. Wolverine ganhou mais destaque, se consolidando como protagonista dos X-Men e as múltiplas equipes associadas foram mantidas, surgindo a Geração X. Algumas das sagas mais polêmicas e ousadas foram publicadas, como Atração Fatal e Aliança Falange, assim como as mais longas como Massacre e A Era do Apocalipse (a de maior sucesso), que modificaram todo o Universo Marvel. Tivemos ainda um novo Programa de Extermínio, a Operação Tolerância Zero. A década termina ainda com a busca pelo mentor Professor X.
Ômega Vermelho e Maverick
Título original: The Resurrection and the Flesh, Blowback, Farther Still, Inside... Out!
Ano: 1992
Nº de edições: 4
Edições: X-Men #04-07.

Chris Claremont saiu dos roteiros dos X-Men e este arco do novo título estava sendo escrito por John Byrne, assim como outro em Uncanny, mas o roteirista foi retirado repentinamente. Scott Lobdel assumiu o trabalho, visto que Fabian Nicieza já estava sobrecarregado. Tudo sob supervisão de Jim Lee, que deixara de ser apenas o desenhista.
É notável que a equipe criativa conseguiu fazer as coisas acontecerem, mesmo que essa seja mais uma história de Wolverine que dos X-Men. São apresentadas duas novas personagens: Ômega Vermelho e Maverick, ambas ligadas ao passado de Logan. Isso ocorre simultaneamente às boas HQs do título solo de Wolverine, onde Larry Hama estava explorando o passado do mutante mais popular na época. E talvez na falta de outras ideias ou medo de arriscar, foi um acerto focar no herói principal da Equipe Azul dos X-Men. De qualquer forma, Ômega Vermelho e Maverick foram bem-recebidos pelo público, o primeiro, de visual muito legal, até garantiu vaga nos jogos Marvel e Capcom. Maverick, bem intrigante, ganhou uma série mensal própria.
Neste arco de quatro histórias cheias de ação e ilustrações incríveis do Jim Lee, que incrementam as cenas de luta, participam Matsuo Tsurayaba, o Tentáculo, os gêmeos Strucker (Fenris), Dr. Cornelius e Dentes-de-Sabre. Descobrimos o que é o carbonádio, uma forma maleável do adamantium.
Destaque para o jogo de basquete, bem mais competitivo que os jogos de beisebol da era Claremont; e para as lutas envolvendo Psylocke e Wolverine, pois eles detonam!
Enquanto o arco saiu no formatinho X-Men Anual #02, já as páginas com a introdução a uma subtrama com Cristal e Longshot, saiu no formatinho especial X-Men Extra #01, juntamente a um arco envolvendo o Mojoworld (X-Men #10-11).


No Brasil: X-Men Anual #02 (1995, Abril Jovem), X-Men Extra #01 (1995, Abril Jovem) e X-Men: Gênese Mutante #02 (2014, Panini Comics).




Atração Fatal
Título original: Fatal Attractions
Ano: 1993
Nº de edições: 6
Edições: X-Factor #92, X-Force #25, The Uncanny X-Men #304, X-Men #25, Wolverine #75 e Excalibur #71 (principais); X-Factor #87-91, The Uncanny X-Men #298-303 e #305, The Uncanny X-Men Annual  #17, X-Men Unlimited #01-02 (extras).

No 30º aniversário dos X-Men, Fabian Nicieza e Scott Lobdell escreveram um arco que se tornou um dos mais significativos e controversos da década de 1990. Atração Fatal abrangeu uma edição de cada título mensal mutante e marcou o retorno de Magneto, novamente acompanhado por seus Acólitos e mais poderoso do que nunca, se tornando o vilão temível de outrora.
O clímax final é dramático e muito ousado: Após uma sequência de embates entre os Acólitos e as equipes X, Magneto arranca o adamantium do esqueleto de Wolverine, forçando o Professor X a terminar com o conflito de décadas. Xavier toma então uma atitude tão drástica quanto seu arqui-inimigo. O final da saga impressiona e divide opiniões até hoje sobre o quanto era necessário Wolverine perder seu adamantium. Fiquei muito impressionada (até um pouco assustada) na época da publicação no Brasil, em julho de 1996.
A história deixou várias consequências. Dentre as maiores, destaca-se a verdade sobre as garras de Wolverine. Antes todos pensavam que eram de adamantium maciço, mas na verdade fazem parte da constituição natural de Logan, pois após a retirada do metal que revestia seu esqueleto, as garras permaneceram: são de ossos. Além disso, Wolverine deixou posteriormente a equipe e só foi recuperar o adamantium 7 anos depois. Magneto só retornou à ativa em 1997. Outra consequência foi a criação do mega-vilão Massacre (Onslaught), entidade psíquica do mal, que deu o título a saga de 1996 Massacre Marvel, logo após A Era do Apocalipse. Além disso, a equipe Excalibur mudou-se da Grã-Bretanha para a Ilha Muir e recebeu Colossus, afetado pela saga, ainda em reabilitação.
No Brasil, as edições principais de Atração Fatal, ou seja, seis publicações, saíram em um formatinho especial, o X-Men Gigante #02, enquanto as HQs extras foram publicadas nas mensais. Em sua segunda publicação no Brasil, pela Panini Comics, todas as histórias saíram em uma coleção de três edições.



No Brasil: X-Men Gigante #02 (Abril,); X-Men Atração Fatal #01-03 (2014, Panini).

Bônus: Atração Fatal leva diretamente ao crossover entre os X-Men e os Vingadores, que também completavam 30 anos em 1993: Laços de Sangue / Bloodties. O ex-líder dos Acólitos, Cortez, agora líder da rebelião mutante contra o governo da ilha-nação Genosha, sequestra Luna, neta de seu mestre e filha do mutante Mercúrio (na época no X-Factor) e da inumana Crytalis (integrante dos Vingadores). X-Men e Vingadores vão até o local, mas tudo se complica quando Exodus, herdeiro autoproclamado de Magneto e novo líder dos Acólitos, entra em cena também atrás da neta de seu mártir. Em 5 edições originais: Avengers #368-369, X-Men #26, Avengers West Coast #101 e Uncanny X-Men #307.
No Brasil: Capitão América #207-208 (1996, Editora Abril).



Aliança Falange
Título original: The Phalanx Covenant (Generation Next parts 1, 2 and 3; Life Signs parts 1, 2 and 3; Final Sanction parts 1 and 2)
Ano: 1994
Nº de edições: 9
Edições: The Uncanny X-Men #316-317, X-Men #36-37, Excalibur #82, X-Factor #106, X-Force #38, Wolverine #85 e Cable #16.

Douglock, fusão entre Cifra e Warlock (ex-Novos Mutantes), estava infectado pelo vírus tecnorgânico, que era mantido sob controle graças a sua enorme força de vontade. Na saga Aliança Falange, os restos de Douglock infectam o Dr. Steven Lang. Assim, a diretriz primária do vírus, que é infectar toda vida orgânica, se une à obsessão do Dr. Lang em eliminar a ameaça mutante da Terra. Steven assimila à unidade coletiva da Falange várias pessoas que já tiveram contato com os X-Men, para assim obter informações a serem usadas contra as equipes X. A Falange inicia os ataques e o que restou da consciência de Cameron Hodge (o vilão de Programa de Extermínio), assimilada à Falange, assume papel importante dentro da mesma.
No entanto, logo toda a vida na Terra corre perigo, pois a Falange evolui além do controle e busca assimilar todo organismo vivo. Com a maioria dos X-Men capturada, as equipes parceiras se dividem em três missões: salvar jovens mutantes das garras da Falange, impedir que seus inimigos entrem em contato com seu planeta natal e resgatar os X-Men!
O destaque é a mais nova e jovem equipe formada nesta saga: a Geração X, que será liderada pelo x-man veterano Banshee e pela ex-vilã recém-reformada Rainha Branca.
Aliança Falange foi dividida em 3 partes: Nova Geração, subdivida em 4 capítulos (sendo 2 no título principal, Uncanny X-Men, com Scott Lobdell no roteiro e Joe Madureira na arte; e 2 no título novo, X-Men, com roteiro de Fabian Nicieza e desenhos de Adam Kubert); Sinais de Vida, com 3 partes (Excalibur, X-Factor e X-Force, com roteiros também de Nicieza com Todd Dezago e arte de vários artistas, incluindo Roger Cruz); e Manobra Final, em 2 partes (Wolverine, desenhado por Kubert, e Cable, ilustrado por Steve Skroce, ambos com roteiros de Larry Hama).


No Brasil: nos formatinhos X-Men 100, Superaventuras Marvel #176 e Wolverine #60 (1997, Abril Jovem); Nova Geração, a primeira parte, em Os Heróis Mais Poderosos da Marvel #52 Banshee (2017, Salvat Brasil).


A Era do Apocalipse
Título original: Age of Apocalypse
Ano: 1995 - 1996
Nº de edições: 40
Edições: X-Men Alpha; X-Men Omega; X-Men Prime; Age of Apocalypse: The Chosen; The Amazing X-Men #01-04; The Astonishing X-Men #01-04; X-Calibre #01-04; Weapon X #01-04; Generation Next #01-04; Factor X #01-04; Gambit and The X-Eternals #01-04; X-Man #01-04; X-Universe #01-02; X-Men Chronicles #01-02.
Prelúdio: X-Men vol. 1 #38-41; X-Factor vol. 1 #108-109; The Uncanny X-Men vol. 1 #319-321; Cable #20

Esta foi uma saga longa que atingiu a realidade de toda a Marvel, com o foco em todos os títulos X, que foram zerados nos Estados Unidos e tiveram seus nomes modificados.
Legião, filho do Professor X, volta ao passado para assassinar Magneto e evitar que ele se transforme no arqui-inimigo do pai e grande vilão. No entanto, acaba matando Xavier, antes da criação dos X-Men. Magneto então coloca em prática o sonho do amigo finado, fundando os X-Men. Toda a história é modificada e sem Xavier o mundo é dominado pelo ditador Apocalipse. Entre o terror do novo imperador sanguinário, a resistência é formada pelos Assombrosos X-Men! Apenas uma pessoa está ilesa nessa nova realidade. Será capaz de reverter o curso da história?
Foi um enredo muito criativo e atraente, pois todos os fatos que os leitores conheciam foram reescritos, com novas origens das personagens, novos relacionamentos, em um mundo pós-apocalíptico. O suspense de como uma única pessoa seria capaz de reverter a situação também engrandece a leitura. A saga apresentou a Terra-295 do Multiverso, que posteriormente teve mais histórias.
A questão é como o Professor X e a forma como criou seus X-Men é essencial para manter a ordem no mundo; notável que sob aspectos positivos ou negativos, Xavier e seus pupilos mantêm o equilíbrio.
Os X-Men como antes jamais imaginados! Vampira e Magneto se casaram e tiveram um filho. Jean não é esposa de Ciclope, e sim de Wolverine. Ciclope perdeu um olho e Wolverine, uma das mãos. Ciclope, Destrutor, Fera e Polaris são alguns dos heróis que, nesta realidade, estão ao lado de Apocalipse e Sr. Sinistro. Algumas personagens posteriormente "permanecem" na realidade Terra-616 como X-Man (Nate Grey, a versão de Cable), o Fera Negro (a versão do Fera), Blink, Holocausto, Homem Doce.
A aceitação do público foi positiva e várias histórias complementares foram publicadas, como: Tales From Age Apocalypse: By The Light #01-02 (1996 / 1997); Blink #01-04 (2001); X-Men: Age of Apocalypse One Shot (2005); Age of Apocalypse featuring The X-Men #01-06 (2005); Age of Apocalypse Vol.1 The X-Termination / Weapon Omega #01-14 (2012-2013).


No Brasil: Os Fabulosos X-Men #19-22; Fator X 04-07; Wolverine #64-67; X-Men #104-107 (1997, Abril Jovem); A Era do Apocalipse #01-06 (2012, Panini Comics) / De Volta à Era do Apocalipse (1996, Abril Jovem); X-Men Anual #01 (Panini Comics, 2006).



Massacre Marvel
Título original: Onslaught: Marvel Universe
Ano: 1996
Nº de edições: Cable vol.1 (1993) #32-36; The Uncanny X-Men (1963) #333-337; X-Force (1991) #55 e #57-58; X-Man #15-19; X-Men (1991) #53-57, X-Men Unlimited (1993) #11; Onslaught: X-Men, Onslaught: Marvel Universe, Onslaught: Epilogue; Avengers (1963) #401-402; Fantastic Four (1961) #415-416; The Incredible Hulk (1968) #444-445; Wolverine (1988) #104-105; X-Factor (1986) #125-126; The Amazing Spider-Man (1963) #415; Green Goblin #12; Spider-Man (1990) #72; Iron Man (1968) #332; Punisher (1995) #11; Thor (1966) #502; X-Men: Road to Onslaugh #01; Excalibur #100; Generation X #18-19.
Edições: 47.

Massacre foi um mega-evento que envolveu, além dos X-Men e as equipes de apoio, o Quarteto Fantástico e os Vingadores. É consequência direta da saga Atração Fatal e uma saga que não agrada a todos, mas é essencial para compreender o Universo Marvel na década de 1990.
Quando o Professor Xavier deixou Magneto catatônico, inconscientemente absorveu o ego sombrio do rival. As emoções negativas de Magneto se fundiram aos impulsos reprimidos de Xavier, formando uma entidade psiônica poderosa autoproclamada Massacre. Com o aumento da histeria anti-mutante, as perdas pelo vírus legado e o fracasso em reabilitar Dentes-de-Sabre, Xavier estava no ápice da frustração. Portanto, quando ocorre uma morte violenta próxima ao Instituto Xavier, Massacre desperta dentro de Xavier e decide alcançar o sonho de coexistência entre mutantes e humanos, utilizando métodos nada pacíficos do vilão Magneto. Ele testa, recruta e sequestra vários mutantes, envolve o Fanático, Teleporter, o Clube do Inferno, os Sentinelas, e outros, até chegar aos poderosos Jean Grey, detentora da força Fênix, X-Man, versão do Cable da saga A Era do Apocalipse, e Franklin Richards, filho do Sr. Fantástico e da Mulher-Invisível, ambos do Quarteto Fantástico. Os Vingadores também são envolvidos, assim como Apocalipse, Sr. Sinistro e Doutor Destino. A trama cresce demais e, embora seja boa, se torna confusa e exagerada.
Massacre espalhou sua presença através de redes de segurança mundiais, atraindo a atenção de Bastion, que daria início a Operação Tolerância Zero, a próxima grande saga X. Iniciou o projeto Heróis Renascem, onde Jim Lee, Robbie Liefeld e outros artistas fizeram um reboot de alguns títulos Marvel. Na verdade Heróis Renascem era um universo criado por Franklin Richards, a Contra-Terra.
A Marvel enquadra os títulos envolvidos como Fase (parte direta do evento) ou Impacto (efeitos colaterais).


No Brasil: Grandes Heróis Marvel: Excalibur #61, Fator X #17-20, Os Fabulosos X-Men #31-34, X-Men #118-120, Massacre X-Men, Marvel'98 #09-10, Wolverine #79-80, Massacre Marvel, Homem-Aranha #184 (de julho a novembro de 1998, Abril Jovem); X-Men: Massacre #01-04 (setembro de 2015 a fevereiro de 2016, Panini Comics).



Operação Tolerância Zero
Título original: Operation - Zero Tolerance
Ano: 1997
Nº de edições: 19
Edições: X-Men vol.1 #65-69, The Uncanny X-Men vol.1  #346, Wolverine  vol.2 #115-118, Cable vol.1 #45-47, X-Man vol.1 #30, X-Force vol.1 #68-69, Geração X vol.1 #29-31.

Operação Tolerância Zero é quase que uma consequência de Massacre Marvel. A premissa é semelhante ao Programa de Extermínio: uma caçada implacável aos mutantes.
Massacre, formado por energia bruta, foi derrotado pela maioria dos super-heróis não-mutantes, que se sacrificou ao ser absorvida pela entidade. Os mutantes não participaram do feito, pois além da energia Massacre absorveria suas habilidades mutantes e ficaria ainda mais forte. Os X-Men atacaram fisicamente Massacre e aparentemente destruíram não apenas ele, mas toda a energia dos super-heróis.
Um mundo sem Vingadores ou Quarteto Fantástico. Sem super-heróis. A culpa? Dos mutantes, segundo a opinião popular. O medo em relação aos mutantes cresceu ainda mais. Em seguida, Graydon Creed, candidato à presidência dos Estados Unidos e defensor da onda anti-mutante, foi assassinado por algo semelhante a uma explosão energética, aumentando a desconfiança em relação aos mutantes.
Essa sequência de eventos serviu como empurrão final para Bastion sugerir aos governos de vários países a solução: a captura e o extermínio de todos os mutantes. Bastion e seus novíssimos Sentinelas integraram a Operação Tolerância Zero. O Professor Xavier se entrega ao governo como culpado pelo Massacre e dados secretos da Mansão X são roubados, os Protocolos Xavier, além da Tecnologia Shiar.
Alguns X-Men não participaram pois estavam em missão no Espaço, mas são vários mutantes em cena, como Jubileu, Cable, Míssil, Ciclope, Fênix, Tempestade e Wolverine. No entanto, quem se destaca é o Homem de Gelo, em uma de suas melhores fases, liderando uma improvisada equipe.
A verdadeira origem e motivação do vilão é muito interessante. Temos muitas participações e o surgimento de novas personagens como Medula e Cecilia Reyes, e a saída de antigos membros.


No Brasil: X-Men #127-128, Wolverine #86-88, Especial do Mês #01: X-Force (1999, Abril Jovem). Parte em Os Heróis Mais Poderosos da Marvel #47 Homem de Gelo (2017, Salvat Brasil). * Não foram publicadas no Brasil as histórias com a Geração X pertencentes a saga (#29-31).



O Resgate do Professor Xavier
Título original: The Hunt for Xavier
Ano: 1998 - 1999
Nº de edições: 6
Edições: The Uncanny X-Men vol.1 #362-364 e X-Men vol.1 #82-84.

Um arco de histórias curto, ótimo e bem amarrado, com um vilão inacreditável e muito criativo. É consequência direta da Operação Tolerância Zero e ocorre nos dois títulos dos X-Men, com roteiro de Joe Kelly e Steven T. Seagle e arte de Adam Kubert, Chris Bachalo e Leinil Francis Yu.
O Professor-X está desaparecido desde o final de Massacre. Após a Operação Tolerância Zero ele sumiu de sua cela e os X-Men precisam encontrá-lo. A pista é uma detecção via um improvisado Cérebro reserva. O problema é que a máquina encontrou rastros genéticos de dois "Xaviers": um ponto nos Estados Unidos e outro no Tajiquistão.
Tempestade, Colossus, Vampira e Gambit voam até um mosteiro no Tadjiquistão, enquanto Noturno, Lince Negra, Wolverine e Medula vão até o Golden Gate Park, localizado em São Francisco. O problema é que alguém ou alguma coisa também está no rastro de Xavier. Enquanto isso, é mostrado que o Professor X está na ilha-presídio Alcatraz, São Francisco, junto a membros da Irmandade de Mutantes. Destaque para a estranha e poderosa Nina.
No Brasil: Os Fabulosos X-Men #51 (2000, Abril Jovem); X-Men #137 (2000, Abril Jovem) e Wolverine #97 (2000, Abril Jovem).


X-Men Adventures
Título original: X-Men Adventures
Ano: 1992 - 1996
Nº de edições: 41
Edições: X-Men Adventures vol. 1 #01-15, X-Men Adventures vol. 2 #01-13, X-Men Adventures vol. 3 #01-13.

Esta não é importante, mas foi uma publicação que curti bastante na época por ser fã do desenho animado em série da Fox, o X-Men: The Animated Series. Estreou nos Estados Unidos em outubro de 1992 e sua exibição durou até 1997, com um total de 5 temporadas e 76 episódios. Foi através dessa animação que me interessei pelas HQs. A equipe era basicamente a versão dos quadrinhos da Equipe Azul, porém trocando Psylocke por Jean Grey e acrescentando Tempestade, pois estas duas eram da Equipe Dourada.
O sucesso foi tanto que além de atrair uma geração de leitores, o desenho ganhou uma versão em quadrinhos referente à Terra-92131 do Multiverso Marvel. O título era mensal e foi publicado de 1992 a 1996, com 41 edições em três volumes.
Foram publicadas no Brasil 35 delas pela Editora Abril Jovem através de minisséries de quatro edições em formatinhos. (Inéditas no Brasil: X-Men Adventures 3 #07 e #09-13).
Roteiro de Ralph Macchio e arte de Andrew Wildman, Scott Rosema, John Hebert, Paul Borges, Jerry Bingham, Stefano Raffaele, Hector Collazo.
Após os três volumes das HQs X-Men Adventures, a Marvel lançou um volume extra, o quarto e último. O título foi alterado para Adventures of the X-Men e era composto por histórias inéditas, mas dentro do mesmo universo. Foram 12 edições e este material nunca foi publicado no Brasil.


No Brasil: X-Men Adventures #01-04 (1995, Abril Jovem), X-Men Adventures II #01-04 (1995, Abril Jovem) e X-Men Adventures III (1996, Abril Jovem).



Observações sobre as publicações nos Estados Unidos: O título dos Novos Mutantes já havia se tornado o da X-Force de Cable. Este passou a ter sua publicação mensal solo em 1993. Muitas outras revistas X passaram a dominar as lojas na década de 1990: Geração X (1993), X-Men Unlimited (1993), X-Man (1995), Deadpool (1997), Maverick (1997), Mercúrio (1997), Gambit (1998), Mutant X (1998), Bishop: The Last X-Man (1999). Além disso foram muitos especiais e minisséries como A Ascensão do Apocalipse e As Aventuras de Ciclope e Fênix. O novo X-Factor estreou em sua edição #71.

Gostou da minha seleção com as histórias em quadrinhos mais importantes dos X-Men produzidas na década de 1990? Quais você considera as melhores?

Nenhum comentário

Antes da publicação, os comentários passam por moderação, então aguarde, por favor.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de e-Books ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras