Pesquise no Leitora Viciada

1 de janeiro de 2012

Imaginário Feminino, Camille Thomaz, Alcantis

Imaginário Feminino
Camille Thomaz - Editora Alcantis
120 páginas - Ano: 2012 (previsão para abril)

Sinopse:
"O amado universo feminino é preenchido por mistérios e dá abertura para abordar os mais variados temas. É poderoso, pode mudar o rumo de uma história. Este universo jamais será desvendado: “Fato.”
Pois bem, saiba que algo singular, nas entrelinhas de uma inteligente narrativa, transborda nas páginas desse livro. As palavras se traduzem em sentimentos, desilusões, vivências e passagens (aparentemente) tão cotidianas que atingem o belo mundo ao qual pertence o universo das paixões. A leitura é ininterrupta: “Comprove.”
Atingirá a mente dos pensantes e o coração dos que já se apaixonaram, dos que estão em pleno prazer, ou, ainda, daqueles que se apaixonarão: nada de meio termo, todos estarão envolvidos. As histórias, ou a história, se reflete como um espelho no coração de cada leitor que se aventurar aqui. Às vezes leia por duas vezes uma mesma passagem, terá diferentes interpretações: “Aceite o desafio.”
A autora trouxe um assunto delicado, ao mesmo tempo necessário. Utilizou de coisas simples para dar uma oportunidade para a reflexão e o desabafo; de encontrar o nosso “eu” — a tanto escondido, que interliga ou busca o sexo oposto. A linguagem, mesmo que simples, trás a mensagem subliminar: “Desvende.”
Camille Thomaz pode ser jovem e uma autora iniciante, mas possui uma mente altamente elevada, graças a bagagem cultural que absorveu no apaixonante mundo dos livros. Essa é uma obra voltada à todos, seja para amar, pensar... Ou jamais esquecer: “Não duvide.”
Skoob



Resenha:
Este é o primeiro livro da Camille e será publicado pela Editora Alcantis, provavelmente em abril. Enquanto a maioria dos jovens escritores estreiam com histórias sobrenaturais ou românticas, Camille é ousada. Ela sai do caminho comum e mais simples e mergulha num mar inseguro, arriscando-se. E o bom disso tudo é que essa empreitada dá certo, muito certo!
Camille cria um livro de pequenas crônicas, utilizando uma linguagem poética, sensível e quase totalmente lírica. São fatos cotidianos ou pensamentos íntimos de uma jovem mulher em busca por sua essência, tentando compreender a si mesma e o mundo a seu redor.

Histórias sentimentais, muitas vezes num tom completamente metafórico. Larissa, a protagonista, expressa seu estado de espírito e visão pessoal das mais diversas situações vividas. Ela conta suas dores e amores (e desamores), sua luta contra a depressão, momentos únicos e inesquecíveis, sejam estes bons ou ruins.
Em alguns trechos nos deparamos com sua visão um tanto irônica ou cômica, trazendo frases inteligentes e críticas. Mesmo diante do clímax do drama, Larissa (ou Camille?) mantém observações interessantes e até engraçadas. Embora a tragédia atinja a personagem, e mesmo que guarde a dor dentro de si, ela consegue desabafar através dos rabiscos no caderno e reflexões pessoais.

O foco e as observações são típicas do mundo feminino. Em alguns momentos imaginamos Larissa como menina, em outros como mulher. E é justamente esse conflito sofrido pela moça: o do crescimento. Ela mostra como crescer dói, mas é bonito. O livro parece um diário, mas não é, pois não existe uma ordem cronológica. Poderiam ser fatos ocorridos num intervalo de meses ou anos; ou o oposto, intervalo de dias ou horas. Esse é um dos charmes da narrativa: a desordem dos fatos. A organização é sentimental. A ordem não é cronológica, e sim emotiva.

Uma menina-mulher que pode ser uma ou todas ao mesmo tempo. Conflitos típicos femininos, momentos, pensamentos e reflexões secretas. Um livro para que as mulheres percebam que não estão sozinhas, que aquele momento estranho ou indecifrável também é o momento de outras. Um livro para os homens mergulharem no interior mais sombrio ou colorido das mulheres - o diferencial pode ser uma simples forma de se observá-las. Mergulhem no íntimo mais escondido que há em cada menina ou mulher. Talvez assim os homens compreendam um pouco mais sobre esse universo. Ou talvez terminem sem entender mais nada. E é essa a beleza da Larissa e das mulheres: a surpresa e o mistério constante. Quanto mais coisas são descobertas, menos compreensão você encontra nelas.

O livro é curto, porém complexo. Você lê um trecho e sorri. E lê novamente. Você precisa tentar compreender o duplo sentido de várias frases, ás vezes triplos. Repita a leitura e perceba mais um detalhe minúsculo que quase passou despercebido e cria uma outra interpretação. Uma mesma linha pode gerar uma nova imagem, um diferente sentimento. Coloque sua imaginação para funcionar e tentar desvendar o mundo particular e rebuscado de uma moça, tão simples e tão complexa. Tudo ao mesmo tempo!

Trechos:

"Boneca de pano. Totalmente maleável. Pegue, vire, dobre, corte, costure. É, boneca perfeita, é o que todos querem que seja. Boneca sem maquiagem, tão bonita assim que não precisa mudar. "
"- Sabe, não me conheço, mas sou tudo aquilo que quero ser, e um pouco mais. – comentou para o amigo que estava ao seu lado. – Ou menos."
"Não quero uma parte sua, eu quero você por completo: seus defeitos, suas virtudes, manias, piadas, toques, sentimentos. Quero poder falar que sou sua sem imaginar que existe outra que também é."
"Via a si mesma, mas não enxergava nada. Muito menos obtinha uma resposta para suas perguntas. Via-se morta, mesmo estando viva. Talvez porque fosse exatamente assim que se sentia."
"Inexplicavelmente, fiquei mais feliz. Sorrindo, boba, com qualquer coisa.Típico de menina apaixonada. Mas não sou mais menina, nem estou apaixonada. Então como explicar essa sucessão de acontecimentos?"
"Descobri que nem todo mundo é justo, nem todo mundo é tão legal e que as pessoas realmente gostam de nos ver felizes – mas nunca mais do que elas. E aprendi a lidar com isso."
"É o presente, pensando no futuro. Presente que é presente, objeto, não pode ser tão ruim; então o meu não deveria se chamar presente. Também não sei como deveria se chamar."
"- O que está fazendo?
- Juntando.
- O quê?
- As migalhas.
- Não estou vendo.
- Essas não foram feitas para serem vistas."

Obrigada Camille por me confiar o e-book para Imaginário Feminino ser resenhado. Estou torcendo pelo sucesso da publicação. Parabéns pelo belo e reflexivo livro.



A autora:

Camille Thomaz é de 26 de Junho, canceriana e carioca. Pseudo-escritora desde quando se entende por gente, mas escritora mesmo só recentemente. Estudante de Artes Visuais na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, não sabe desenhar, nem pintar. Passa o tempo fotografando, escrevendo, dançando ou ouvindo música (às vezes resolve cantar também).
Futura editora, é a editora e idealizadora da revista eletrônica cultural chamada Innovative. Eterna apaixonada, adora uma comédia romântica e só comédia e só romance – mas também gosta de ação. Lê de tudo, mas prefere os bem vendidos livros mulherzinha, inspira-se neles de vez em quando e dá uma de senhora escritora.
"Costumo dizer que sou multiuso. Gosto de fazer mil coisas ao mesmo tempo, não tenho receio de ter muita responsabilidade e aprendo rápido. Gosto de me sentir, e ser, útil. Costumo terminar minhas descrições com a frase: 'Tem sempre uma idéia nova na cabeça.', por resumir a mais pura verdade."
website

Skoob

Online

Siga por e-mail