ResenhaResenha Resenha Sorteio
10 agosto 2011

Menino Yago, Jorge Silva, Emooby

Menino Yago
Jorge Silva - Editora Emooby
102 páginas - Ano de lançamento: 2004 (nova edição revisada lançada em 2011)

Sinopse:
"Yago é filho único e vive com os pais em uma casa que fica ao lado de um cemitério. O pai (Pedro) trabalha como coveiro, a mãe (Rosa) como empregada doméstica. Um certo dia os pais decidem mudar de casa, mas a vida do filho também deve mudar. A criança, então, está pronta para trabalhar igual a um adulto. Entretanto, na nova vizinhança, numa vila de casas, existem problemas para adultos que exploram crianças. Pedro e Rosa não se intimidam em ter a criança trabalhando e fora da escola. A vizinha Silvia, viúva e sem filhos, descobre que Yago está sofrendo. Pedro e Rosa tentam “educar” o filho longe da intromissão dos vizinhos, algo que não termina bem. Na vila Santa Fé, crianças têm o direito de brincar e estudar, uma mensagem que dona Silvia e outros vizinhos defendem no dia-a-dia. Será que Yago vai para a escola?"


Minha resenha:
Como prometido, aqui está a resenha de Menino Yargo. Para saber mais sobre o livro infanto-juvenil e o escritor Jorge Silva, leia a postagem anterior sobre o livro e acesse o blog do autor. Agradeço a ele pela gentil cortesia em enviar-me o e-book para ser resenhado.
Como sempre, costumo observar a capa do livro. Antigamente não muito, mas hoje em dia, as capas costumam fazer parte do livro, como uma extensão do projeto como um todo. Algumas capas não conseguem complementar ou simbolizar determinada mensagem de ligação "capa-enredo".
Menino Yargo é o caso certeiro.
A capa, mesmo tão simples, consegue representar a essência do livro. Como eu já havia observado, é a foto de um menino simples, numa imagem composta de diversas micro pinceladas, como um retrato do Menino Yago, título e protagonista do livro. Ampliando essa imagem, é possível observar melhor o efeito de retrato pintado. O fato de estar preto-e-branco parece ressaltar ainda mais essa ideia de uma fotografia. O menino não demonstra um sorriso, não demonstra aquela alegria tipicamente infantil em seu rosto. Talvez porque talvez sua vida seja um pouco diferente. (Resumindo: capa simples e comovente, como todo o livro!)
Um pouco diferente esse menino, não muito, pois em seu interior ele é uma menino como qualquer outro: adora brincar de todos os tipos de piques, comer bolo de chocolate até se lambuzar e é inocente e puro como toda criança é. Ele é muito humilde, observador e obediente, ele sabe que deve respeitar os adultos, mesmo quando eles não parecem muito bem ter certeza de seus atos, ou quando vem com aquelas conversas chatas e indecifráveis de gente grande.
Seus pais não tem muito dinheiro, o pai é coveiro e a mãe empregada doméstica. Apesar de terem a comida (mesmo com sufoco trabalhoso) sempre à mesa, eles acham que o melhor para Yago é começar logo sua vida de trabalhador. Seus pais são cheios de justificativas e desculpas, são convencidos quanto aos aspectos positivos que o trabalho trará à vida do filho, mesmo ele tendo uns 8 anos de idade apenas.
As justificativas vão do fato de o pai ter iniciado o trabalho aos 5 anos de idade, até ao fato de que o trabalho traz responsabilidades e um dinheiro extra à renda familiar. Em momento algum o leitor suspeita de falta de amor dos pais pelo filho, porém não há como não desgostar deles. Pessoalmente criei antipatia pelos pais, eles não passavam fome nem necessidade, embora não pudessem comprar muitas coisas e terem uma vida financeira difícil. Pensei em como certas ideias criam raízes nas cabeças das pessoas mais ignorantes de uma forma geral e é complicado convencê-las do contrário, mesmo que a felicidade e futuro do filho estejam em risco.
E é isso o que Vovó Silvia tenta fazer. Não vovó de sangue, uma vovó adotada pelo menino. Após a família de Yago mudar-se para uma vila de casas simples, (largando a casa anterior, em pleno cemitério) aonde todo mundo sabe da vida de todo mundo e um ajuda ao outro, Yago logo faz amizade com todos da vizinhança.
Ele conquista o carinho e simpatia de todos, desde as crianças que brincam com ele, até os pais e avôs delas. Yago sente-se muito feliz em seu novo ambiente. Dona Silvia, uma vizinha aposentada muito prestativa e amiga, logo cria grandes vínculos afetivos com o menino tão doce e engraçado.
Ela não se conforma ao descobrir que o menino trabalha no mercadinho e não sossegará enquanto não mostrar aos pais o quanto isso é errado e prejudicial a uma criança e que Yago deveria estar na escola, e preocupando-se apenas em estudar e brincar.
Esse é o ponto de partida da história que emociona e educa (não conto mais!). O autor escreve de modo leve, divertido, simples e ao mesmo tempo nos faz refletir. É uma leitura para crianças e adolescentes, mostrando a dura realidade da exploração infantil. De que muitas crianças perdem a melhor fase da vida, a inocência, os sonhos infantis, por ter de trabalhar. Por ter de deixar de ser criança e mergulhar no mundo dos adultos, de preocupações e afazeres pesados.
Nesse livro, o leitor pode concluir de que essa frase de "lugar de criança é na escola", tão difundida em campanhas e na mídia é uma frase totalmente correta. Através de uma história sólida e real é que podemos perceber o quanto essa triste prática é comum. Em quanto alguns pais podem ser teimosos e desqualificados a cuidar dos filhos. Alguns tratam os filhos como propriedade, assim como os pais de Yago.
O mais interessante desse livro, são as fugas psicológicas de Yago. Mesmo estando no serviço, trabalhando, ele encontra um jeitinho de continuar a ser criança, quando ele acha graça no gato preguiçoso que deveria estar caçando os camundongos do depósito do mercadinho, por exemplo,  e ele próprio tenta pegar os bichinhos.
Outro ponto forte do livro é como discretamente Yago amadurece, enfrenta seus medos e compreende os pais. Ele é mesmo um bom menino!
Apesar de infanto-juvenil, recomendo esse livro para qualquer leitor, por ser uma leitura que trata de um tema tão polêmico e infeliz, com tanta suavidade e, ao mesmo tempo, seriedade.
Durante toda a leitura você torce imensamente pela felicidade desse menino, torce para ele ter a oportunidade de ser criança. (Lembrei-me de um fato real que presenciei de uma história muito, muito parecida e que, ainda bem, teve um final feliz.)


Menino Yago está disponível para download em formato e-book pra PC, Ipad, Kindle e aos mais variados tablets.
Você pode adquirir o seu e-book nos links abaixo:

Lojas nacionais: (APENAS R$6,90!)
Grioti | Gato Sabido | Livrarias Curitiba 

Lojas internacionais:
Amazon | Smash Words 



Menino Yago terá uma continuação: Jovem Yago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes da publicação, os comentários passam por moderação, então aguarde, por favor.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de e-Books ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

© Copyright 2011 - 2014. | Todos os direitos reservados. | Tema: Way2themes. | Aministração: Tatiana Jiménez Inda. | Tecnologia: Blogger. | Atenção: Direitos autorais.