Pesquise no Leitora Viciada

24 de dezembro de 2011

Chantilly, Mare Soares, publicação independente

Chantilly
volume 1 da trilogia
Mare Soares - publicação independente
148 páginas - Ano: 2010

Sinopse:
"Um diário foi escrito. Catherine Aragon, numa atitude desesperada, escreve suas recordações em busca de socorro. Somente dez anos depois suas palavras foram ouvidas por um renomado cientista. Ethan Stuart, um homem com pouco carisma, toma as rédeas da situação para tentar ajudá-la.
Ele contará com a ajuda de personagens suspeitos: o exótico Leon Saiter, um alcoólatra sem muita perspectiva, que arriscará a própria vida para obter êxito na resolução do caso, e a interessante Anabelle, que vive um dilema dentro de si onde questionará suas verdades e seus valores.
A tríade investigadora conclui a soma dos catetos, tornando Chantilly um dos desafios mais intrigantes do seu viver. Mergulhe nesta aventura, em um ambiente noir, repleta de mistérios a serem desvendados numa cidade onde as pessoas perderam as lembranças."

Links: Skoob | website oficial | degustação


Resenha:
O livro é uma publicação independente, o primeiro da jovem Mare Soares, projeto que será uma trilogia, sendo os próximos: Copenhague e Champagne.
Conheci a autora na Bienal do Rio, e me interessei bastante pela sinopse do livro. Adquiri o livro diretamente com ela numa super promoção.
Apesar de não possuir uma editora, o material é de qualidade, a fonte tem um tamanho bom, a capa é bonita e quase não há falha na diagramação e revisão.

Gostaria de ressaltar que notei uma enorme diferença na escrita entre o início/meio e o final. A impressão que tive é que a autora escreveu 2/3 do livro primeiramente e depois de um tempo o finalizou. Isso porque a parte final está muito mais madura e bem escrita.
As trocas de ponto de vista e narradores ocorrem a todo momento, às vezes em relatos, ou através de trocas de cartas. Em outros momentos, em terceira pessoa, dando uma visão mais ampla. Isso deixa o livro interessante.

Toda a história possui uma ambientação e narrativa noir, direta e rápida. Até imaginava as cenas como uma fotografia em preto-e-branco, o mistério pairando no ar e os locais urbanos decadentes versus locais luxuosos e chiques. As personagens também contribuem para isso: uma espiã fatal, um cientista depressivo, um alcoólatra perdido, uma mulher doente. Sendo que os dois últimos sofrem do grande problema que assolou Chantilly: não conseguem se lembrar de grande parte da vida.

O ponto fraco está no fato de que a ótima premissa não foi tão bem aproveitada como poderia. Os cenários poderiam ter sido mais explicados, como a cidade devastada. Não entendia se o lugar estava em parte abandonado, se estava depredado ou em escombros... As personagens são excelentes, mas a autora peca em não se aprofundar mais. Poderia ter aperfeiçoado suas personalidades e motivações e explorado mais o lado sombrio de cada um. Faltou um pouco de drama, não para fazer chorar, apenas para criar uma tensão e cativar.

Por ser uma trilogia, compreendo que mais fatos surgirão. Mas achei que corremos através das páginas e ao terminarmos, não chegamos a lugar algum em relação ao tema central, ou seja: o mistério da cidade de Chantilly, o porquê dos moradores de lá terem perdido suas memórias progressivamente.
Acredito que não importa quantos livros uma série terá, cada volume deve ter um início, meio e fim, e no caso de haver uma continuação, um gancho que os interligue. A autora não soube criar esse sistema, criando um vazio e não uma vontade de desejo de continuação no leitor.

Acredito que a história funcionaria muito melhor se fosse adaptada para uma minissérie, tanto em quadrinhos (estilo Sin City) quanto para a televisão. Para um livro, falta alguma coisa. Mais detalhes ou maturidade, talvez. A autora é jovem e iniciante e teve uma ideia brilhante, porém não a aproveitou 100%.
No entanto, no final do livro nota-se um desenvolvimento fantástico e a autora surpreende com uma evolução na sua narrativa. Por isso acho que antes de publicar o livro ela deveria ter reescrito todo o início e o meio. Se todo ele fosse no estilo do final, seria um livro muito melhor. Tenho certeza de que ela seguirá essa linha e o segundo volume será bastante superior.

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail