Pesquise no Leitora Viciada

22 de dezembro de 2011

No ônibus com Machado de Assis

São Paulo

Passageiros dos terminais de ônibus da Lapa, na zona oeste, e do Mercadão, na região central da capital, serão convidados a partir de hoje a seguir viagem na companhia do escritor Machado de Assis. A novidade, batizada "De Mão em Mão" é um projeto-piloto da Prefeitura de São Paulo de empréstimo de livros, com base em experiências realizadas em vários locais, incluindo Bogotá.

Agentes da Secretaria Municipal da Cultura estarão nesses lugares das 10 horas às 20 horas distribuindo o livro Missa do Galo, uma coletânea com dez contos do autor que será emprestada. Depois de lidas, as obras deverão ser devolvidas nos mesmos terminais de onde foram retiradas, para que possam ser dadas a outras pessoas. O empréstimo é gratuito e os passageiros não precisam fazer cadastros ou preencher fichas de retirada.

Os quiosques funcionarão nesses dois terminais de ônibus (na Avenida do Estado, 3.350 e na Praça Miguel Dell'Erba) de segunda a domingo. A distribuição ocorrerá enquanto houver exemplares. Inicialmente, está previsto o empréstimo de 20 mil livros.

Nos feriados do fim de ano, entre os dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro, os pontos de distribuição estarão fechados. Só é possível retirar um único exemplar por pessoa. Não há prazo estipulado para a devolução.

"A ideia é promover a distribuição de livros em locais com ampla circulação de pessoas, a fim de incentivar o gosto pela leitura. O interessado só tem o "compromisso" de passá-los "de mão em mão. Além de ser uma ótima companhia para a uma hora, uma hora e meia que os passageiros vão passar no trânsito dentro do ônibus", afirmou ontem o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil. Na Colômbia, a experiência recebeu o nome de "Libros al viento" (livros ao vento).

Presente na cerimônia de lançamento do projeto na Biblioteca Mário de Andrade, no centro, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) afirmou que se trata de uma proposta ambiciosa. "Queremos que o projeto deslanche, tenha visibilidade e tome uma dimensão ainda maior para levarmos mais cultura à população."

Até o fim do primeiro semestre de 2012, quando termina a fase experimental, a Prefeitura promete o lançamento de mais cinco livros. "Já sabemos que um deles será de poesia e outro vai contar a história da cidade de São Paulo", adiantou Calil. Para a impressão dos primeiros 20 mil exemplares foram gastos R$ 200 mil.

Fonte: Estadão - Luisa Alcade - 22/12/2011

Instagram @leitoraviciada

Skoob

Online

Siga por e-mail