SorteioResenhaResenha Resenha
22 junho 2012

Insanas... Elas Matam! de várias autoras, Editora Estronho

Insanas... Elas Matam!
Convidadas: Suzy M. Hekamiah, Carolina Mancini e Celly Borges
Selecionadas: Tatiana Ruiz, Sandra Franzoso, Roberta Nunes, Natalia Couto Azevedo, Laris Neal, Laila Ribeiro, Gisele G. Garcia, Georgette Silen, Débora Moraes, Bruna Caroline, Alma Kazur e Alícia Azevedo.
Prefácio: Ana Cristina Rodrigues - Organização: M. D. Amado
164 páginas - Ano: 2011 - Editora Estronho - R$32,00 por R$22,00

Sinopse:
"Insanas é uma antologia escrita somente por mãos femininas. Mas não se engane, pois aqui não terá espaço para textos sublimes, chick lit, conjecturas sobre o universo feminino e nem saudades da vovozinha que se foi. Aqui... Elas matam!
A antologia Insanas tirou dessas mulheres o que elas têm de mais cruel de dentro delas. Nem nos piores dias de TPM da sua namorada ou esposa você poderia imaginar tanta violência, descontrole e sadismo.
Textos recheados de crueldade, tortura, sangue, terror, sexo, sadismo, traição, ambição extrema, morte e muito mais. Tudo fruto dessas mentes cruéis. Elas produziram as mais insanas escritas e mostraram do que são capazes. Sexo frágil? Não... Elas podem ser cruéis quando querem."

Links: Estronho | Livraria Estronho | degustação | Skoob | Facebook

Conto a conto:
  • O Bem e O Mal - Sandra Franzoso;
  • Tinta Vermelho Sangue - Bruna Caroline;
  • A Última Oração - Tatiana Ruiz;
  • Do Inferno - Georgette Sillen;
  • A Fazenda - Alma Kazur;
  • Vítimas - Celly Borges;
  • Anita - Carolina Mancini;
  • O Relógio Perfeito - Natália Couto Azevedo;
  • Bianca - Gisele G. Garcia;
  • Desagravo - Laila Ribeiro;
  • Pecado Original - Roberta Nunes;
  • Quer Uma Torrada? - Débora Moraes;
  • Flor de Lis - Susy M. Hekamiah;
  • Memórias - Alícia Azevedo;
  • Amor Masoquista - Laris Neal.

Resenha:
Primeiramente, impossível deixar de ressaltar como achei fabulosa toda a arte do livro; não apenas a capa, mas todo o interior recheado de fotografias do mesmo ensaio, com essa mulher macabra. Entre um conto e outro, uma dessas fotos serve para o leitor pausar a leitura e se assustar ainda mais com o que de mais sombrio o ser humano pode ter. Nesse caso, as mulheres.
E um livro de terror e truculência escrito somente por mulheres atiça muito a atenção, pois geralmente a maioria das autoras prefere escrever histórias românticas e chick-lits. Mesmo a Literatura nacional já possuindo um excepcional time de escritoras de terror e fantasia, eu ainda não tinha visto um projeto de antologia inovador nesse sentido.

A fonte tem o tamanho ideal e a cor e textura das páginas não cansa a vista e torna a leitura relaxante (dentro do possível, já que as histórias são pesadas para os de corações fracos).
Todo conto possui palavras em destaque que juntas compõem o título dele, detalhe interessante.
Também gostei da fonte utilizada na sinopse, orelhas, informações do livro e no título de cada história.
Ótimo também o fato de existir informações básicas sobre as autoras antes de cada conto.
De todos os livros da Estronho que pude ter em mãos, este foi o que eu mais gostei do visual; está perfeito para o tema. A revisão também está boa e todo o livro de uma forma geral possui contos de excelente a bons. Como sempre ocorre nesse tipo de livro, escrito por diferentes mentes, os estilos e diferenças estão presentes e alguns contos agradam mais que outros, dependendo do gosto do leitor.

Porém aviso: este livro é para admiradores de histórias cruéis, sanguinárias, sádicas. Algumas são psicopatas, outras vingativas. Algumas das personagens são mais que insanas, são demoníacas, malvadas ao mais extremo e sombrio patamar. Umas conseguem passar despercebidas e estão integradas à sociedade. E outras sabem da existência de mundos paralelos ou sobrenaturais.
Um livro para quem não teme torturas, maldades e sangue, muito sangue.
TPM? Só se for "Tenho Prazer em Matar". Sexo frágil? Fragilidade apenas na aparência, pois em perspicácia, perversidade e sadismo, elas são fortes e muito perigosas... Elas enganam, mentem, torturam e... matam!
Gostei de procurar a motivação em cada insana para agirem dessa forma.

A antologia acerta em cheio no prefácio: Ana Cristina Rodrigues consegue com um breve, brilhante e direto texto nos adiantar que tipo de histórias iremos encontrar nas assustadoras páginas que se seguem. Instigante.

O primeiro conto é O Bem e O Mal de Sandra Franzoso e nos apresenta uma protagonista comum, uma mulher que poderia ser qualquer uma, com uma diferença: pequenas maldades, que parecem para ela inocentes, vão sendo realizadas aos poucos, com precisão e naturalidade. Da mesma forma como ela tem desejo de comer um doce, ela sente vontade de praticar o mal. A assassina e a aparente moça pacata convivem lado a lado. Um bom conto que serve como introdução ao que está por vir. E mais maldade está a caminho...

Bruna Caroline compôs uma escritora muito peculiar. Nos conta sua história e sua atração pela cor vermelha forte. Tinta Vermelho Sangue. De menina estudiosa à mulher escritora, uma obsessão jamais saiu de sua cabeça, até que finalmente a coloca em prática. Um conto simples, mas com uma ideia muito criativa.

Em A Última Oração, de Tatiana Ruiz, o sobrenatural está presente. Algo maligno, irreparável, impactante, inevitável. Este foi um dos contos que mais me agradou, tanto pela ambientação quanto pela escrita. Chocante e maligno. O nível de crueldade do livro subiu!

E sobe um pouco mais no conto da Georgette Silen: Do Inferno. Traz assassinatos arrepiantes e sanguinários, com direito a canibalismo e esquartejamentos e uma personagem famosa por seus assassínios.
Eu preferiria um final diferente, com uma revelação. O texto é incrivelmente bem escrito, mas existe o fator chave de as mulheres não serem as sanguinárias e sim as vítimas.

A próxima história, A Fazenda, que mistura passado e presente, rituais macabros à torturas e maldições. Uma família, uma fazenda e muito sangue. Tudo comandado por uma mulher vil e sádica. Uma família que encontra na repugnância da tortuosidade e angústia de vítimas indefesas um prazer; mais que isso, a busca por algo maior. Um conto bom e assustador de Alma Kazur.

O sexto conto é intitulado Vítimas, o que nos faz pensar nelas, não apenas nas insanas. Nesse conto, Celly Borges mostra o quanto é excelente em escrever histórias de terror. O mal assume uma inesperada forma feminina, que comanda um grupo excêntrico causando calamidade e angústia pavorosas. As vítimas estão presas num ambiente antes tão conhecido, porém agora mortal e inóspito e procuram simplesmente sobreviver ao terror. Uma insana cruel com suas vítimas.

Anita, nome do conto de Carolina Mancini e também de sua protagonista, é um dos mais intrigantes. Uma personagem complexa, indomável e muito sensual. A cada cena, uma nova face da personagem e uma nova e impactante atitude. Amaldiçoando ou controlando todos ao redor, ela é uma insana marcante.

Natália Couto Azevedo traz uma das histórias mais criativas da antologia. Em O Relógio Perfeito acompanhamos o vício pelo estudo e a obsessão pelo projeto do curso de medicina de uma moça introspectiva, porém dedicada. A ideia fixa torna-se loucura que gera uma teimosia sádica e o final é forte, apesar de previsível.

O nono conto é da escritora Gisele G. Garcia. Em Bianca, temos a mais vingativa de todas as insanas. Uma vingança que ultrapassa a normalidade, um thriller de horror e bem elaborado. Me lembrei do famoso ditado: vingança é um prato que se come frio, e no caso dessa história, com molho de sangue e pitadas de medo. E tem um fator sobrenatural.

Em Desagravo, Laila Ribeiro traz mais uma insana vingativa, mas num mundo totalmente fantástico, com uma mitologia que geraria um livro cheio de intrigas e disputas mágicas.
Traída e enraivecida, sem pertencer a um grupo específico, ela precisa tomar uma importante decisão e seguir o coração pode não ser o melhor caminho. Amor e ódio não andam juntos? Sim, e nesse caso, a tortura e castigo terrível também.

Roberta Nunes é a próxima e nos apresenta uma realidade paralela em Pecado Original. Não, aqui a culpada por colher o fruto proibido não foi a primeira mulher. Mas são as mulheres que punem os homens pelos pecados á Deusa, especialmente a sádica caçadora que apenas realiza seu trabalho. Um conto único.

Quer Uma Torrada? de Débora Moraes é simples, curto e direto. Mostra o cotidiano da protagonista e a forma casual como ela vai perdendo a cabeça e a noção do certo e errado. Simplesmente age por impulso, como se estivesse numa TPM louca, insana, demente e... sanguinária.

O próximo conto é Flor de Lis, poeticamente sombrio, saltando do belo para o horror. Susy M. Hekamiah nos traz uma história enfeitada com um cenário bucólico e a Era Vitoriana, sem deixar de lado o sangue e a dor.

A penúltima escritora a colocar uma insana em ação é a Alícia Azevedo, em Memórias. De inocente e ingênua menina à uma assassina sádica e cruel. Outra em busca de vingança e com sede de sangue, disfarçada de dócil dama. Gostei de todo o sangue derramado por ela. Excelente estrutura e narrativa.

O último conto foi o que menos me agradou, por ser carregado ao máximo de erotismo. Ou seja, não gosto de histórias explicitamente sexuais, embora exista o terror psicológico.
Em Amor Masoquista, Laris Neal mostra um relacionamento explosivo, doloroso e ao mesmo tempo cheio de amor, mesmo que inconvencional. A tortura aqui é psicológica e tão maldosa quanto a física.

Contos que mais gostei: A Última Oração,Vítimas, Anita, Desagravo e Memórias.

A arte completa:

Marcadores:

 Bottons:



Booktrailer com a capa antiga:


Necessito comprar este livro! Porque este exemplar aqui, enviado com muito carinho e autografado pela Carolina Mancini não é meu. É para sortear entre vocês em julho!! Preparem-se, vem com dois marcadores.
Comprar!

56 comentários:

  1. "Textos recheados de crueldade, tortura, sangue, terror, sexo, sadismo, traição, ambição extrema[...]" Eita só pode ser bom rsrs ;)

    Estou louca pela promoção!

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela resenha, mocinha =D

    Parabéns pelo seu trabalho! ^.^

    ResponderExcluir
  3. Excelente resenha, mocinha. Mas gostaria de deixar apenas uma observação: a proposta feita às autoras quanto a "... elas matam!", na verdade era para mostrar como as escritoras podem ser cruéis e mais sanguinárias que os autores homens. Estava liberado na antologia, o uso de protagonistas masculinos, uma vez que a maldade estava focada nas mocinhas sanguinárias de escritas assustadoras rs.

    Bjo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhh, compreendo! As "insanas" são as outras, não necessariamente as personagens, bacana! Beijos.

      Excluir
  4. Olá Tati.
    Eu adorei a resenha, gosto de ter uma opinião séria e sincera de todos os contos, e fico muito feliz de ter o meu entre seus favoritos.

    E é um livro lindo realmente. As imagens falam por si só quase contando uma outra história.

    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito mesmo do seu conto, deu calafrios! Beijos.

      Excluir
  5. Uau! Fiquei até com calafrios! E as fotos, me tanto medo como os contos, é assustadoramente cruel, e muito intrigante, não sei se eu teria coragem de ler, apesar de gostar de um bom terror, sou muito medrosa, rsrs.

    Bjs

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo até para os medrosos ahaha é muito bom. Beijos.

      Excluir
  6. Esse foi o primeiro livro da Estronho com o qual tive contato, fui presenteado com ele pela Priscila no Natal do ano passado. Foi amor à primeira vista e a Estronho entrou em meu coração de leitor! O trabalho sensacional com a arte, capa, diagramação, tipo de papel e fotografias foi o que me fez ficar fascinado rapidamente pelo livro e depois buscar mais sobre a editora. O incrível foi que o meu exemplar veio autografado pela Tia Celly ^-^ Pense em como adorei isso! Os contos são fabulosos mesmo, mas como você disse há aqueles que não se gosta por uma questão pessoal, mas que nem por isso são de menor importância. Eu leio e assisto terror desde moleque e para algo desse gênero me fazer elogiar tanto tem que ser de qualidade mesmo! Parabéns pela resenha, Tatiana.

    P.S: Não vou participar do sorteio desse livro, pois já o possuo. ^-^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi um presentão, hein! E autografado pela Celly hein! Que bacana! Obrigada por elogiar a resenha. Beijos.

      Excluir
  7. Nossa, que livro e contos são esses? Não sou muito fã de livros neste estilo, porém ao lê seu post e vê as imagens fiquei super curiosa em saber mais sobre cada mulher cruel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que esse e Distúrbio são os melhores livros que li da Estronho. Se bem que o que estou lendo no momento (Gula, Belzebu) não fica atrás!! Beijos.

      Excluir
  8. Nossa só de ler essa resenha eu já fiquei impressionada, a história parece prender a atenção do início ao fim.
    O gênero terror sempre me agradou desde criança não vejo a hora de ler esse livro e mergulhar nessas histórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São várias histórias sob uma mesma temática. Ótimo livro de terror, recomendo! Beijos

      Excluir
  9. Esse sim já faz mais meu estilo,sim, sou estranha hehehehehehe!!!!
    Muito boa a sua resenha...beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Estranha nada, gostar de terror é super normal. você gostará desse! Beijos.

      Excluir
  10. Bárbara Barbosa6 de julho de 2012 19:46

    Nooossaaaa fiquei mega curiosa pra ler esse livro!!
    Gostei da capa, só que as outras imagem me dão uma sensação estranha rsrsrs
    Graças a sua resenha eu agora preciso desse livro rsrs, sabe aquela sensação de querer muito ler e ao mesmo tempo ter uma pontinha de medo na hora de virar as páginas é uma sensação gostosa e eu acho que assim vai ser quando eu ler esse livro.
    Gostei da resenha Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que criei essa sensação em você. Mas é assim mesmo que o livro me fez sentir: medo e curiosidade ao mesmo tempo. Muito bom!! Beijos.

      Excluir
  11. Tô muito ansiosa por esse livro! Ver essas mulheres fodonas,adoroooooooooo'
    A capa é muito linda e sinistra,rsrsrsrs!
    Adorei a resenha,já ta na minha listinha ><

    ResponderExcluir
  12. Não sabe o quanto fiquei com vontade de ler o livro após essa ótima resenha! A capa chamou minha atenção e sou fascinada por qualquer história cruel e sanguinária! Estou ansiosa para lê-lo *OOO*
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você ama histórias cheias de sangue e maldade, Insanas é uma leitura indispensável vocês vai adorar. Beijos.

      Excluir
  13. Intrigante mulheres escrevendo terror onde a maioria das assassinas são também mulheres. Quero comprar o livro se não ganhar no sorteio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Intrigante, instigante, empolgante, você vai gostar! Beijos.

      Excluir
  14. Arrepiante. Gostei muito da capa e temática, sua resenha me deixou com vontade de ler mas acho que vou ter medo!

    ResponderExcluir
  15. Arrepiante,mas acho que vou ter medo de ler hihihi adorei a capa e sua resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenha medo não... dá medo só um pouquinho... :) Beijos.

      Excluir
  16. Depois de ler isso aí ficarei receoso com as tpms e minha namorada, mãe, irmã... kkkkkkkk parece fod@ esse livro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenha medo de suas mulheres ahaha mas leia Insanas! Beijos.

      Excluir
  17. Adoraria ser a sorteada deste livro. Mesmo se não ganhar, comprarei, porque ffiquei muito intrigada, afinal sou um pouco insana também. Parabéns, Tatinda pela excelente resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Todas nós somos um pouco Insanas. Beijos e boa sorte.

      Excluir
  18. Opa. Esse exemplar aí é meu. Se alguém tentar ganhar... cuidado, nós matamos! E com requintes de crueldade inimagináveis. Essa mulher da capa é minha aprendiz, rs.

    Adorei a proposta da Estronho para esse livro. Preciso urgentemente lê-lo. A arte gráfica está linda! Parabéns a todo o pessoal envolvido!

    Adoro esse tipo de conto, embora não seja fã do gênero terror. Descobri que tinha talento para escrever esse tipo de coisa numa antologia semelhante, só que aberta a homens e mulheres. Infelizmente, não foi publicada. Permaneceu em e-book. :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei com medo de você agora ahahahaha beijos e parabéns pela publicação em e-book!

      Excluir
  19. Obrigada pela resenha mulé, bem completa ela ficou! =D

    ResponderExcluir
  20. esta resenha me deixou insana para ler logo este livro :) rsrsrs
    @hype_nerd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahaha gostei de seu comentário :) Beijos.

      Excluir
  21. A capa e o nome super me chamou a atenção.. Me deu vontade de ler só ao bater os olhos nele.. Quando vi que eram histórias sanguinárias escrito só por mulheres, nossa, NECESSITO MESMO DESSE LIVRO.. Huahua.. Agora, depois de ler essa resenha perfeita.. Gente.. CUIDADO! EU MATO por esse livro.. Kkkkkkkk.. Amei muito o tema, sai mesmo do padrão que estamos acostumadas a ver hoje em dia.. E adorei saber agora que tem mais fotos dentro, achei bem legal esse ensaio, realmente bem sombrio.. \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outro comentário excelente ahaha calma, meninas =D Beijos

      Excluir
  22. Maíra de Melo Barros24 de julho de 2012 02:16

    Essa resenha me arrepiou legal, me deixou insana também. Alguns contos me deixaram curiosa, porque você fala sobre eles, mas ao mesmo tempo, não conta ahaha por isso gosto de suas resenhas.

    ResponderExcluir
  23. Manoel Oliveira Fontnelli26 de julho de 2012 01:00

    Por que será que acho que após ler este livro nunca mais verei as mulheres com os mesmos olhos? =) Esta resenha deixou-me apaixonado pelas insanas deste livros, escritoras e personagens. Ficarei insano se não o ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahahaha talvez você fuja um pouco das mulheres com TPM ou estressadas, mas é só esconder objetos pontiagudos ou produtos venenosos em casa... beijos.

      Excluir
  24. Será que depois que ler esse livro eu consigo encontrar uma namorada menos... hã... insana? Poderei ter a capacidade de reconhecer uma insana e me afastar dela sem ser ferido? kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que sim. Ahahaha beijos e boa sorte.

      Excluir
  25. Esse é simplesmente escrito pra mim. Rsrsrsrsrs
    Gosto bastante de livros com muito horror, sangue, crueldade, etc. Já está na minha lista de futuras leituras.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se arrependerá em colocá-lo em sua lista, se curte leitura assim... vai adorar! Beijos.

      Excluir
  26. Nossa, só a resenha já assusta. rs
    A arte da capa realmente é muito bonita (em termos bizarros, kk), e pelo jeito, prepara o leitor para o que vai encontrar dentro de suas páginas.
    Gostei muito da resenha, da proposta do livro, e dos contos que você resumiu.
    O que mais me chamou atenção foi o intitulado 'Pecado original'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é bizarramente bela ahaha e os contos são cruelmente divertidos. Experimente! :) Beijos.

      Excluir
  27. amo esses tipos de genero literarios, so pela imagem deu pra ver que é chocante!

    ResponderExcluir
  28. Olá, só hoje pude ler sua resenha e foi feita com maestria, parabéns!

    Foi uma honra participar dessa antologia com meu conto O Bem e o Mal, a Estronho é, pra mim, uma grande editora.

    Seu blog é uma graça.

    Sandra Franzoso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Sandra!
      Muito obrigada pelo conto!
      Beijos.

      Excluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação, então aguarde, por favor.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de e-Books ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

© Copyright 2011 - 2014. | Todos os direitos reservados. | Tema: Way2themes. | Aministração: Tatiana Jiménez Inda. | Tecnologia: Blogger. | Atenção: Direitos autorais.