Livro de Hitler será publicado pela 1ª vez desde a Segunda Guerra

O livro de Adolf Hitler, "Mein Kampf" ("Minha Luta"), será publicado pela primeira vez desde a guerra na Alemanha, em uma versão comentada prevista para 2015, anunciou nesta terça-feira o Estado regional da Baviera, que detém os direitos, segundo a agência alemã DPA.

O ministro das Finanças da Baviera, Markus Söder, anunciou que a decisão foi tomada depois de muitas discussões, principalmente com juristas, a fim de desmistificar esta obra que mistura elementos autobiográficos e fundamentos da ideologia nazista.

"Queremos mostrar claramente a que ponto este livro, com consequências catastróficas, é absurdo", destacou sobre a obra que serviu de base à política do 3º Reich.

O objetivo é também tornar "pouco atraentes, do ponto de vista comercial", as futuras publicações.

Até 2015, o Estado regional da Baviera detém os direitos de "Mein Kampf", redigido por Hitler durante sua prisão, em 1924, após uma tentativa de golpe de Estado.

A obra deve cair no domínio público no final de 2015, ou 70 anos após a morte de Hitler. A partir de 2016, será possível reproduzir o livro sem o consentimento do Estado bávaro, exceto nos casos "de incitação ao ódio racial", precisou Söder.

A Baviera tem bloqueado, até o momento, qualquer reedição integral ou parcial, para evitar uma exploração eventual do texto por grupos neonazistas.

Polêmica
No início de março, uma revista editada pela britânica Peter McGee, "Zeitungszeugen", quis republicar passagens controversas da obra, mas a Justiça alemã proibiu, considerando que o projeto serviria aos ideais do ditador.

A iniciativa de McGee foi motivo de várias reações, entre elas a do presidente do Conselho Central dos Judeus da Alemanha Dieter Graumann, que informou não se opor com veemência ao projeto.

"Melhor seria que não fosse publicado mas, neste caso, é preciso que saia acompanhado de comentários pedagógicos por parte de historiadores", disse.

Dez milhões de exemplares em alemão foram editados até 1945, segundo o historiador Ian Kershaw.

A partir de 1936, o livro "Mein Kampf" era dado de presente de casamento pelo Estado aos casais alemães.

Fonte: Folha UOL - France Presse (Berlim) - 24/04/2012

7 comentários

  1. Eu espero que seja publicado. Tenho muita vontade de ler, apesar de acreditar que vou morre de nojo, como tenho de tudo que tem relação com Hitler.

    Beijos.

    Carissa Vieira
    Arte Around The World

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza também sinto nojo dele, mas História é História. Sempre bom conhecermos os fatos por outro ângulo. Beijos!

      Excluir
  2. Nossa quanta problema por causa dessa obra, já vi ela até em modo digital...olha depois de tanto rebuliço por causa dela e por ser tão difícil conseguir os exemplares lançados a um bom tempo acho que vou dar uma lida digital pra ver qual é o real problema dela.
    Você já leu?
    Beijokas elis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca li, mas se publicarem no Brasil, por um preço camarada, lerei sim. Beijos.

      Excluir
  3. Será boa a publicação, mas teria de, como dito, ter um certo tipo de cuidado com aquelas pessoas que poderiam usar o livro como uma espécie de Bíblia.

    ResponderExcluir
  4. porque não saber primeiro antes de tirar conclusões? afinal escondem a verdadeira historia e isso não causa nojo. kkkkkk A historia é remendada por mentiras para que poucos tenham sucesso em sua verdade.

    ResponderExcluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de ebooks ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras