A crítica que o professor Pasquale Cipro Neto fez ao Acordo Ortográfico

Confira a crítica que o professor Pasquale Cipro Neto fez ao Acordo Ortográfico. Texto foi publicado na Folha de São Paulo de 12/04.


O Acordo Ortográfico de 2008.

Fonte: Facebook da Secretaria de Educação de MG.

4 comentários

  1. Eu achei essa reforma ortográfica profundamente desnecessária e somente uma desculpa a mais para os senhores políticos gastarem tempo debatendo sobre como escrever ou não determinada palavra ao invés de procurar soluções para problemas mais sérios.

    Beijos!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tambem achei desnecessária, mas fazer o que... temos de seguir... poderiam cancelar tudo, eu não me importaria ahaha

      Excluir
    2. Concordo plenamente com vocês! Nossos políticos deviam se preocupar com aquilo que não funciona em nosso país, nosso idioma funcionava muito bem da maneira que estava sendo utilizado. Com tudo isso, fico com a impressão de que nossa língua é uma pseudo linguagem. Onde o que era não mais é e o que passou a ser um dia não mais o será também. Refiro-me às regras linguísticas. Dá a impressão de que nossa língua portuguesa não é um idioma pronto, não é puro, isso passa a impressão de que nosso idioma ainda está indefinido. Confesso que isso me incomoda. Abraços a todos!

      Excluir
  2. Bom, eu também não fiquei nada feliz com essa reforma... Mas fazer o que, né? Não sei se um dia chegarei a me adaptar. Tomara que sim, ou as pessoas vão me corrigir pelo resto da vida! hehe

    Ju
    entrepalcoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Antes da publicação, os comentários passam por moderação.
Comentários considerados spams, agressivos ou preconceituosos, não serão publicados, assim como pedidos de ebooks ilegais.
Sua opinião é muito importante! Através dos comentários é que posso tentar fazer um blog mais interessante.
Se você tem um blog, retribuirei seu comentário assim que possível.
Obrigada por participar.

Editoras parceiras